· pdf filemelhoramento genético para a cultura do abacaxizeiro. figura 3. ......

Download · PDF fileMelhoramento genético para a cultura do abacaxizeiro. Figura 3. ... cruzamento do abacaxizeiro inicialmente foi escolhido a cultivar receptora e doadora

If you can't read please download the document

Post on 09-Nov-2018

215 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • MTMTMT Informativo MT Fruticultura, Tangara da Serra, v. 2, n 1 - Jan/Fev/Ma/2013

    Sobrevivncia de plantas enxertadas de maracujazeiro em rea com histrico de doenas causadas por Fusarium no Mato Grosso

    FruticulturaFruticulturaFruticultura

    Comit Editorial

    Coordenador: Willian Krause

    Membros:

    Diagramao: Ana C. Junqueira

    Contato:

    Tel:(65)3311-4920

    Nos ltimos anos, a rea cultivada c o m m a r a c u j a u m e n t o u consideravelmente no Mato Grosso e no Brasil, o que tem propiciado o aumento de problemas fitossanitrios, os quais reduzem a produtividade, a qualidade dos frutos e a longevidade da cultura, inviabilizando o cultivo em algumas regies. Entre as doenas mais srias do maracujazeiro merecem destaque a murcha e a podrido-do-p causadas, respectivamente, por Fusarium oxysporum f. sp. passiflorae e Fusarium solani. Para o manejo destas doenas no existem cultivares resistentes nem controle qumico satisfatrio. O uso de espcies silvestres de maracujazeiro como porta-enxerto para o maracujazeiro azedo tem sido indicado. A avaliao da eficincia dessa tecnologia de mudas enxertadas de maracujazeiro para o controle de doenas causadas por patgenos presentes no solo uma importante demanda para a pesquisa. Desta forma, foi realizado um trabalho no pomar da empresa Tropical Polpas de Frutas Tangar localizada no municpio de Tangar da Serra para analisar o ndice de sucesso da enxertia de Passiflora edulis Sims (cult ivares comerciais) sobre Passiflora alata (acesso selecionado para resistncia a Fusarium spp.) e acompanhar a sobrevivncia dessas plantas enxertadas em rea comercial com histrico de doenas causadas por Fusarium spp. no Mato Grosso. A porcentagem de enxertos pegos foi de 94% quanto a cultivar BRS Gigante Amarelo foi utilizado como enxerto e de 91% quanto a cultivar FB 200 foi utilizado como enxerto (Figura 1).

    Figura 1. Porcentagem de enxertos pegos de BRS Gigante Amarelo e FB 200 enxertados em mudas de P. alata, avaliada 60 dias aps a enxertia.

    A avaliao da sobrevivncia das mudas obtidas por sementes e das mudas obtidas por enxertia em rea comercial com histrico de doenas causadas por Fusarium spp. apresentada na Figura 2. De um lado, todas as mudas das cultivares comerciais BRS Gigante Amarelo e FB 200 morreram aps 1 ano de plantio. Por outro lado, as mudas do porta-enxerto (acesso de P. alata selecionado para resistncia a Fusarium spp.) obtidas por sementes e as mudas enxertadas utilizando o mesmo acesso como porta-enxerto permaneceram todas vivas at a ltima data da avaliao, 18 meses aps o plantio.

    Figura 2. Avaliao da porcentagem de sobrevivncia de plantas de maracujazeiro.

  • A Figura 3 ilustra o aspecto das plantas do hbrido BRS Gigante Amarelo enxertado em P. alata em rea com histrico de doenas causadas por Fusarium spp. em Tangar da Serra, Mato Grosso, 18 meses aps o plantio. As caractersticas dos frutos das cultivares BRS Gigante Amarelo e FB 200 obtidos a partir das mudas enxertadas so iguais s dos frutos obtidos a partir de mudas obtidas por sementes. A massa mdia dos frutos das combinaes BRS Gigante Amarelo/P. alata e FB 200/P. alata foram de 309g e 287g, respectivamente, semelhantes massa mdia dos frutos das duas cultivares obtidas por sementes.Assim, os resultados do trabalho mostraram o sucesso da enxertia de Passiflora edulis Sims (cul t ivares comercia is) sobre Passiflora alata (acesso selecionado para resistncia a Fusarium spp.) com relao alta porcentagem de enxertos pegos e sobrevivncia dessas plantas enxertadas, 18 meses aps o plantio em rea comercial com histrico de doenas causadas por Fusarium spp. em Tangar da Serra, Mato G r o s s o .

    Programa de melhoramento gentico do abacaxizeiro para

    o estado de Mato Grosso

    O abacaxi atualmente considerado como uma das mais importantes frutas tropicais, ficando atrs apenas da banana, ao se tratar de mercado internacional. O Brasil o segundo maior produtor mundial desta cultura com 62.481 toneladas/ha de rea colhida e produo de 1.430.018 (mil frutos) (Figura1).

    Figura 3. Plantas de maracujazeiro obtidas por mudas enxertadas em rea comercial com histrico de doenas causadas por Fusarium spp. em Tangar da Serra, Mato Grosso.

    Figura 1. Produo de abacaxi (mil frutos) no Brasil nos anos de 2001 a 2011. Fonte: IBGE, 2013.

    Segundo IBGE, (2013) dentre os 27 estados brasileiros produtores de abacaxi, o Mato Grosso encontra-se em 11 lugar no ranking de maior produo, com um total de 17.541(mil frutos) (Figura 2).

    Figura 2. Produo de abacaxi (mil frutos) no estado de Mato Grosso nos anos de 2001 a 2011. Fonte: IBGE, 2013.

    1 2 3 4Carlos Antonio Tavora Araujo , Fabio Gelape Faleiro , Mrcio Sidnei Semprebom , Willian Krause

    Tc. Agr., Tropical Polpa de Frutas, e-mail: [email protected] Eng. Agr., Embrapa Cerrados, e-mail: [email protected]

    Cooperativa Agropecuria Mista Terranova, e-mail: [email protected] Eng. Agr., Professor UNEMAT, e-mail: [email protected]

    2

  • O p a p e l e c o n m i c o e s o c i a l desempenhado por esta cultura resume-se a gerao de emprego e renda, contribuindo para com a manuteno do homem no campo, evitando o xodo rural (Matos & Reinhardt, 2007). Alm de ser um fruto com alto valor nutritivo, apreciado tanto in natura quanto industrial izado em forma de conservas, gelias, licores, suco, vinho, sorvete, cerveja e vinagre, o abacaxi tambm muito utilizado como amaciante de carnes a part i r de uma enzima proteol t ica chamada bromelina, na fabricao de tecidos pela qualidade de suas f ibras e a inda nas indstr ias farmacuticas. Um dos fatores que mais interferem na produtividade desta cultura a sanidade das plantas, doenas ou pragas podem devastar plantaes. No Brasil a doena chave do abacaxizeiro a fusariose, causada pelo agente etiolgico Fusarium guttiforme Figura 3).

    A reduo desta doena resume-se a controles qumicos e culturais como utilizao de material sadio, inspeo frequente do plantio, remoo de plantas infectadas e plantio em poca desfavorvel incidncia da doena, mas estas atividades acabam tornando o custo de produo elevado, portanto o uso de cultivares resistente o mtodo mais econmico, eficiente e ambientalmente correto para controlar a fusariose. O abacaxizeiro uma planta pouco conhecida sob o ponto de vista do melhoramento gentico, no Brasil o maior programa de melhoramento gentico desta cultura encontra-se na Embrapa Mandioca e Fruticultura Tropical desde 1978. Portanto com o intuito de desenvolver cultivares resistente a doenas, ausncia de espinhos e com caractersticas que possam ser superiores ou semelhantes ao Prola, a Universidade do Estado de Mato Grosso vem somar com um Programa Gentico de Melhoramento gentico para a cultura do abacaxizeiro.

    Figura 3. Morfologia macroscpica e microscpica do fungo causador da fusariose (Fusarium guttiforme).

    Figura 4. Sintoma de exsudao causada pela fusariose em muda (A) e fruto (B) de abacaxizeiros.

    Trata-se de um patgeno que possui especificidade a esta cultura, ou seja, s infecta o abacaxizeiro. Este microrganismo infecta a planta por meio de aberturas naturais como suas inflorescncias ou por ferimentos, podendo ocasionar perdas estimadas em 30 a 40% nos frutos e 20% nas mudas. Prola e Smooth Cayenne so as cultivares mais produzidas no Brasil, no entanto as duas apresentando alto ndice de suscetibilidade a fusariose.

    3

  • O programa teve incio no ano de 2010, com a realizao de coletas de cultivares de interesse comercial nas regies do estado de Mato Grosso para a formao de um germoplasma/coleo. Hoje a coleo da UNEMAT possui 26 gentipos de carter comercial e silvestre. Estes materiais esto sendo submetidos ao primeiro passo de um programa de melhoramento visando resistncia, que conhecer o comportamento do material nas condies da regio atravs de avaliaes p o r d e s c r i t o r e s m o r f o l g i c o s e subsequente realizar testes de resistncia. Para ident i f icar os gent ipos resistentes do germoplasma, cada acesso (cultivar) foi submetido a um mtodo de inoculao do patgeno em folhas destacadas via palito contaminado por Santos et al, (2001) (Figura 5). Aps um perodo de 15 dias foi mensurada a rea da leso (cm). Os acessos que apresentaram ausnc ia de l eso ou l eso no significativa foi considerado como material resistente.

    Aps identificado os gentipos considerados como resistentes a fusariose, foi iniciado os primeiros cruzamentos entre as cultivares de interesse. Para realizar o cruzamento do abacaxizeiro inicialmente foi escolhido a cultivar receptora e doadora d e p l e n , o u s e j a , m e e p a i respectivamente. A partir disto foi feita a retirada das ptalas das inflorescncias expondo as estruturas de reproduo da planta com posterior emasculao. A emasculao das plantas receptoras consiste na retirada das anteras (estrutura masculina) com o auxlio de uma pina e depos i tadas em p lacas de Pe t r i . Posteriormente as anteras foram levadas at a planta receptora e polinizadas. Para a realizao da polinizao as anteras foram pinadas e levadas at a estrutura feminina da planta, o estigma. Depois de inoculadas, as inflorescncias foram protegidas com sacos de papel para evitar o contato de plen de outras plantas. A polinizao do a b a c a x i z e i r o d e v e s e r r e a l i z a d a diariamente, pois as inflorescncias do abacaxizeiro maturam diariamente no sentido da base para o coroa em um perodo mdio de 5 a 10 dias. Quando o fruto estiver maduro ele ser colhido e levado para o Laboratrio de Gentica e Melhoramento, onde ser efetuada a retirada das sementes que sero submetidas germinao in vitro. Aps atingir um tamanho mdio de 15 cm a s p l a n t a s s e r o a c l i m a t a d a s , aclimatizadas e ento avaliadas coforme seu potencial qualitativo e de resistncia. Estas et