aula 05 - exposicao ocupacional a materiais biologicos - prova2

Download Aula 05 - Exposicao Ocupacional a Materiais Biologicos - PROVA2

Post on 03-Jan-2016

12 views

Category:

Documents

2 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • RISCOS BIOLGICOS E A

    SEGURANA DOS

    PROFISSIONAIS DE SADE

  • HISTRICO

  • Em 1885, na Alemanha, dois anos aps a descoberta das bactrias, foi publicado um artigo que relatava a contaminao em laboratrio por Salmonella typhi.

    Em 1903, relatou-se a primeira infeco adquirida nos Estados Unidos, ocorrida quando um mdico acidentou-se com uma agulha durante a autpsia de um paciente que havia morrido de blastomicose sistmica (Evans, 1903).

    HISTRICO DAS DOENAS ADQUIRIDAS EM

    LABORATRIO

  • HISTRICO DAS DOENAS ADQUIRIDAS EM

    LABORATRIO

    Kisskalt em 1929, relatou 59 casos de salmoneloses adquiridas em laboratrios na Alemanha entre os anos de 1915 a 1929

    Sulkin e Pike, de 1930 a 1979, realizaram uma pesquisa envolvendo 5.000 laboratrios em todo o mundo, utilizando como instrumento metodolgico a adoo de questionrios. Estes autores observaram que dentre as 4.079 infeces, 168 foram fatais, sendo as contaminaes descritas, em sua maioria, de origem bacteriana.

  • A atividade profissional de sade no era considerada de alto risco para acidentes de trabalho at a dcada de 60

    RISCOS BIOLGICOS EM SADE- HISTRICO

    A partir de ento , houve aumento da ocorrncia da contaminao de profissionais de laboratrio de anlises clnicas com referncia de casos de Hepatite B e Tuberculose cerca de 7 e 5 vezes, respectivamente, mais frequentes do que na populao em geral

  • RISCO BIOLGICO - HISTRICO

    A partir dos anos 80, a epidemia da SIDA chamou a ateno quanto ao risco para os profissionais de sade envolvidos na assistncia aos pacientes contaminados

  • RISCO

    BIOLGICO

    Nos servios de sade

  • Setor de sade 5o lugar no ranking de acidentes do trabalho

    Supera reas consideradas de alto risco como :

    construo civil

    eletricidade

    indstrias extrativas

    Perde para setores como:

    agricultura

    transporte

    indstria de transformao

    IMPORTNCIA EPIDEMIOLGICA

  • REGULAMEN

    TAO NO

    SETOR As NORMAS REGULAMENTADORAS

  • NR-32

    Norma Regulamentadora para...

    Segurana e Sade no Trabalho em Servios de Sade no Brasil

    Ministrio do Trabalho e Emprego - MTE

    Novembro 2005

  • Visam resguardar os profissionais de sade que se expem a riscos :

    Biolgicos ,

    Qumicos ,

    Fsicos ,

    Trabalhadores que cuidam

    da limpeza e

    conservao dos ambientes

    DIRETRIZES DA NR-32

  • Capacitao contnua dos profissionais de sade

    Programas que tratam do conhecimento dos Riscos a que os mesmos esto expostos

    Medidas de Proteo contra os riscos

    NIVEIS DE ABORDAGEM DAS

    NRS

  • ESPECIFICA

    ES DA NR

  • Todo profissional deve estar informado dos riscos a que est submetido

    Todo profissional deve ser imunizado contra doenas transmissveis

    Todo profissional deve ter acesso regular capacitao continuada

    Todo profissional deve exercer suas atividades com o uso adequado dos equipamentos de proteo individual indicado

  • PONTOS IMPORTANTES DA NR- 32

    A implementao do Programa de Preveno de Riscos Ambientais PPRA ( NR- 09 )

    Programa de Controle Mdico de Sade Ocupacional nas Empresas PCMSO ( NR- 07 )

  • 9.1.5. Para efeito desta NR, consideram-se riscos ambientais os agentes fsicos, qumicos e biolgicos existentes nos ambientes de trabalho que, em funo de sua natureza, concentrao ou intensidade e tempo de exposio, so capazes de causar danos sade do trabalhador.

    9.1.5.1. Consideram-se agentes fsicos as diversas formas de energia a que possam estar expostos os trabalhadores, tais como: rudo, vibraes, presses anormais, temperaturas extremas, radiaes ionizantes, radiaes ionizantes, bem como o infra-som e o ultra-som.

    9.1.5.2. Consideram-se agentes qumicos as substncias, compostos ou produtos que possam penetrar no organismo pela via respiratria, nas formas de poeiras, fumos, nvoas, neblinas, gases ou vapores, ou que, pela natureza da atividade de exposio, possam ter contato ou ser absorvido pelo organismo atravs da pele ou por ingesto.

    9.1.5.3. Consideram-se agentes biolgicos as bactrias, fungos, bacilos, parasitas, protozorios, vrus, entre outros.

    NR 09

  • Os Principais Agentes

    Bactrias Vrus Fungos Protozorios

    .....presentes em aerossis, poeiras, alimentos, instrumentos de laboratrio, gua, culturas,e amostras biolgicas

    TIPOS DE RISCOS BIOLGICOS EM SERVIOS DE SADE

  • EXPOSIO AO RISCO BIOLGICO

    IMPORTNCIA

  • RISCOS BIOLGICOS EM SERVIOS DE

    SADE

    Mais de 30 outros agentes infecciosos podem estar envolvidos em acidentes biolgicos nos estabelecimentos de sade

    Os principais riscos biolgicos envolvem os patgenos de transmisso sangnea como : vrus das Hepatites B e C HIV

  • RISCO BIOLGICO AS DOENAS

    Hepatite A

    Hepatite B

    Hepatite C

    Tuberculose

    Vrus herpes

    Staphylococcus spp.

    SIDA

    Meningites

    Influenzae

  • CONTATO COM MATERIAL CONTAMINADO

    RISCOS DE ADQUIRIR UMA DOENA INFECCIOSA

  • Certos grupos populacionais so considerados de alto risco para aquisio do VHB; entre eles, incluem-se :

    profissionais de sade das reas mdico-odontolgicas,

    hemodialisados,

    homossexuais masculinos,

    hemoflicos,

    prostitutas,

    toxicmanos, imunossuprimidos e deficientes mentais.

    A infeco tambm mostra-se altamente prevalente em familiares de

    portadores crnicos e em tribos indgenas da Regio Amaznica.

    POPULAES SOB MAIOR RISCO

  • Figura 1 - Estimativa da prevalncia de portadores (AgHBs+) do vrus da hepatite B no mundo

  • RISCO OCUPACIONAL - HEPATITE B

    INFECO - HEPATITE B

    0,2% DOS INFECTADOS ADQUIRE INFECO LETAL

    5 a 10% DOS INFECTADOS FORMA CRNICA

    20% DOS CRONICOS CIRROSE 6% CA FGADO

  • PREVALNCIA DA HEPATITE C ENTRE DOADORES DE

    SANGUE Estados Unidos 1,4%

    Frana 3,0%

    Egito / frica do Sul 30,0%

    Canad / Norte da Europa 0,3%

    Brasil 1,2-2,0% - Norte 2,1%

    - Nordeste 1%

    - Centro-Oeste 1,2%

    - Sudeste 1,4%

    - Sul 0,7%

  • Detectar o vrus da hepatite C nos seis primeiros meses permite uma taxa de cura de 90%

    Cerca de 10 milhes de pessoas sofrem hepatite C no Egito , segundo a Universidade Americana do Cairo.

    O vrus, transmitido pelo sangue, contamina 500.000 novos doentes anualmente.

    PREVALNCIA DA HEPATITE C

  • RISCO BIOLOGICO HEPATITE C

    Risco de adquirir Hepatite C por transfuso sangnea est entre 0,01 e 0,001%.

    Atualmente, o maior risco dos usurios de drogas, que

    nos EUA tem 72-90% de prevalncia de infeco Estima-se que aps 6 a 12 meses de uso de drogas

    endovenosas, 80% dos indivduos esto infectados.

    Em trabalhadores de sade que se acidentam com agulhas contaminadas risco de transmisso menor que 4% (menor que a hepatite B,

    maior que o HIV) menos de 1% dos casos de infeces.

  • SIDA - VRUS DA IMUNODEFICINCIA HUMANA (HIV)

    Acidente com trauma por objeto prfuro- cortante,

    - o risco mdio de infeco pelo HIV de 0,1% a 0,3%

    - e cerca de 0,09% atravs da mucosa

    Nota : pacientes com carga viral alta (AIDS avanada) podem transmitir o

    vrus com maior risco

    RISCO OCUPACIONAL - SIDA

  • PRINCIPAIS FONTES DE CONTGIO

    Sangue humano,

    Secrees corporais

    Materiais prfuro-cortantes

    contaminados

  • Trauma Prfuro-cortante

    Mucosa

    Pele ntegra

    Inalao de gotculas/aerossis

    TIPOS DE EXPOSIO

  • Agente etiolgico envolvido ( patgeno )

    Tipo e tempo de exposio

    Quantidade do fluido no material contaminado

    Quantidade do microrganismo presente no material (

    inculo )

    Tipo do ferimento

    Extenso

    Profundidade

    FATORES DETERMINANTES DO

    RISCO DE TRANSMISSO

  • Via area: tuberculose, varicela, rubola, sarampo, influenza, viroses respiratrias, doena

    meningoccica

    Exposio ao sangue e fluidos orgnicos: HIV, hepatites B e C, raiva

    Transmisso fecal-oral: hepatite A, poliomielite, gastroenterite, clera

    Contato com o paciente: escabiose, pediculose, colonizao por Estafilococos ( que provocam a

    maioria das IH)

    PATGENOS E VIA DE CONTAMINAO

  • 25% por via percutnea

    27% por aerossis e derramamentos

    16% por vidrarias e prfuro-cortantes

    13% por aspirao por instrumentos

    13% por acidentes com animais

    06% outros

    RISCOS BIOLGICOS EM SERVIOS DE SADE

    Profissionais contaminados com material infecto

    contagioso nas atividades de trabalho = 18 %

  • CARACTERS

    TICAS DO

    RISCO

    BIOLGICO

    AMBIENTE HOSPITALAR

  • FONTE : COMISSO DE EPIDEMIOLOGIA HOSPITALAR - HOSPITAL SO PAULO - UNIFESP - JUNHO 2001

    ACIDENTES COM MATERIAL BIOLGICO