fazendo 42

Download Fazendo 42

Post on 28-Mar-2016

221 views

Category:

Documents

1 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

boletim do que por cá se faz

TRANSCRIPT

  • FAZE

    NDO

    1 de

    julh

    o de

    201

    0 | Q

    uint

    a | E

    di

    o #

    42 |

    Quinze

    nal |

    Age

    nda Cu

    ltur

    al Fa

    ialen

    se |

    Distribu

    io Gr

    atuita

    bole

    tim d

    o qu

    e po

    r c

    se

    faz

    O mundo est torto.

  • Opinio Opinio

    02

    ficha tcnica - fazendo - isento de registo na erc ao abrigo da lei de imprensa 2/99 de 13 de janeiro, art. 9, n 2 - direco geral: jcome armas - direco editorial: pedro lucas - coordenao geral: aurora ribeiro - coordenadores

    temticos: catarina azevedo, lus menezes, miguel valente, pedro gaspar, ricardo serro, rosa dart - colaboradores: drte gradssimo, fernando nunes, jos francisco pereira, maria eduarda rosa, pedro monteiro, pnf, rita campos

    riui santos, sara soares, toms silva - projecto grfico: paulo neves, elcubu, contact@elcubu.com - capa: tereza arriaga - propriedade: associao cultural fazendo - sede: rua rogrio gonalves, n 18, 9900 horta - periodicidade:

    quinzenal - tiragem: 400 exemplares - impresso: grfica o telgrapho - contactos: vai.se.fazendo@gmail.com, http://fazendofazendo.blogspot.com - distribuio gratuita

    vamos? So interrogaes intemporais para nos posicionarmos

    sobre a evoluo de um qualquer assunto. Hoje proponho o

    assunto da Reabilitao Urbana. De facto muito recente a

    consciencializao quanto evoluo das cidades e do seu

    ambiente urbano e o que determinadas medidas e/ou

    necessidades da populao vieram a causar, nomeadamente:

    desertificao dos centros histricos no que toca sua

    importantssima vertente habitacional, degradao do

    edificado, obsolescncia das infra-estruturas, espaos verdes

    e de utilizao colectiva, etc. Conscientes de que a cidade

    CrnicaRita Campos - URBHorta

    da Horta no foge a esta tendncia, que se revela alis a

    nvel internacional, surgiu a proposta de promover a

    Reabilitao Urbana da cidade da Horta. Como? Numa

    primeira fase propusemos lanar um desafio aos cidados sob

    a forma de um concurso de ideias. Quem melhor do que ns,

    cidados que habitamos e frumos a cidade da Horta no dia-a-

    -dia para se pronunciar sobre a identificao de situaes que

    carecem de interveno e fazer propostas para a sua

    melhoria?

    Com a publicao do Regime Jurdico da Reabilitao Urbana1

    a 23 de Outubro de 2009, um ms depois da aprovao em

    Assembleia Municipal da rea de Reabilitao Urbana da

    cidade da Horta2, foi possvel verificar que a preocupao do

    Municpio, nomeadamente da entidade empresarial Urbhorta

    em promover a Reabilitao Urbana estava bem encaminhada.

    Surgiu a necessidade de estudar este novo Regime Jurdico,

    nomeadamente quanto ao enquadramento normativo da

    reabilitao urbana ao nvel programtico, procedimental e

    de execuo. Procurou-se reservar o ano de 2010 para

    promover medidas de informao, formao e sensibilizao

    quanto Reabilitao Urbana. Neste sentido, organizou-se

    uma aco de formao sobre este Regime Jurdico que

    decorreu durante o ms de Maro com a durao de 14 horas,

    contando com a presena da Dr. Fernanda Paula Oliveira3 e

    tambm o concurso de ideias, sobre o qual me proponho

    debruar.

    Tendo em conta que um concurso de ideias permitia associar

    num mesmo procedimento duas vertentes essenciais

    promoo da Reabilitao Urbana, que se entendeu ser um

    belssimo instrumento, nomeadamente por permitir:

    - Acesso informao sobre conceitos, dotao de

    ferramentas essenciais participao e sensibilizao para

    esta problemtica;

    - Promoo da cidadania participativa, associando uma aco

    que visa auscultar a percepo dos principais intervenientes

    actuais e futuros4 da cidade mas tambm o levantamento de

    elementos que devem ser tidos em conta na formulao da

    Estratgia para a Reabilitao Urbana da Horta.

    Concurso: Uma Ideia para a Horta

    Apoio: Direco Regional de Cultura

    A promoo deste concurso contou com uma primeira

    apresentao em conferncia de imprensa na Cmara

    Municipal da Horta a 25 de Maro, que deu origem a uma

    srie de notcias na imprensa local, distribuio de cartazes

    promocionais e seguindo-se uma srie de contactos junto da

    Escola Secundria Manuel de Arriaga e Escola Profissional da

    Horta para se agendarem apresentaes junto dos alunos.

    O prazo limite para a apresentao de propostas expirou no

    passado dia 18 de Junho, tendo-se verificado que, apesar do

    interesse inicial dos alunos e considerando que o prazo final

    coincidiu com a poca de exames e de apresentao das

    provas de aptido pedaggica e profissional no houve lugar

    apresentao de propostas ao nvel desta categoria. Quanto

    categoria geral, houve oito inscries, acabando por serem

    formalizadas cinco. Aos participantes, aqui fica um bem-haja

    pelo exerccio de cidadania! Quanto ao que poderia ser

    aportado pelos estudantes, no fica perdido, uma vez que o

    Conselho de Administrao deliberou voltar a lanar um

    concurso, agora destinado exclusivamente a esta categoria

    numa fase mais desafogada no percurso lectivo,

    nomeadamente em Setembro, com a sugesto de se incluir

    esta participao no concurso de ideias no currculo de uma,

    ou mais, disciplinas.

    data em que o leitor se encontre a ler esta crnica j sero

    conhecidas as propostas vencedoras ou estar para muito

    breve, sendo que a entrega de prmios est prevista para o

    dia 4 Julho, dia em que se celebra a cidade da Horta. E que

    melhor celebrao da cidade do que participar na sua

    construo? O1 Decreto-Lei n 307/2009 de 23 de Outubro, 2 ARU da Horta aprovada, com parecer favorvel do

    IHRU, em Assembleia Municipal a 4 de Setembro de 2009 no mbito do Regime Extraordinrio de

    Apoio Reabilitao Urbana, definido na Lei n 64-A/2008 de 31 de Dezembro (Lei de Oramento

    de Estado para 2009) 3Docente da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra e autora de

    uma vasta obra sobre direito do urbanismo, 4 Lanmos o concurso a dois pblicos, nomeadamente:

    aos cidados em geral e aos que se encontram em formao nas escolas, ao nvel do ensino

    secundrio.

    Para apresentar sugestes sobre a Reabilitao Urbana da

    Horta, escreva para: gabtec@urbhorta.pt

    Fazendo estgio

    media-folclore que o mundo viu nascer num passado recente,

    procura um novo membro para integrar a sua equipa:

    Indivduo jovem, inteligente, sensual, trabalhador, com

    sentido de humor e com um interesse genrico em artes,

    cincia, literatura, media e semelhantes formas de fazer

    po.

    Capacidade de auto-monitorizao (como os carros) e

    interesse em obter resultados (como os carros tambm).

    Capacidades de escrita que metam inveja ao Gonalo M.

    Tavares.

    Capacidades orais que ponham um ligeiro rubor na bochecha

    do Jos Rodrigues dos Santos.

    Disponibilidade para passar uns tempos fora de casa.

    Nem hippie nem yuppie.

    Ecologista sem militncia.

    Do tipo Pro: pro-trabalho, pro-esforo, pro-didacta, pro-

    activo e com vontade de ser profissional.

    Pro-eficiente em utilitrios informticos (processadores de

    texto, folhas de clculo, networking, skype...) e com

    escritrio prprio (isto , um laptop).

    Formao em qualquer coisa como marketing, comunicao

    ou jornalismo, e algum conhecimento da realidade Aoriana

    do direito a um smiley com caneta verde no canto da folha.

    Ao primeiro dia do ms de setembro do ano de dois mil e

    dez o ndividuo tem de ser candidatvel ao programa

    aoriano Estagiar T/L (a capacidade de interpretar palavras

    inventadas presso como neologismos tambm

    importante).

    A este/a jovem ser-lhe- incumbida uma misso da maior

    importncia no que a salvar o mundo diz respeito.

    A partilha de interesse genuno no projecto no essencial

    mas a sua ausncia d direito a excluso automtica.

    Cartinha electrnica com CV e apresentao simptica para

    vai.se.fazendo@gmail.com at 01/08/10.

    Associao Cultural Fazendo

  • MsicaMsica

    03

    que desde o incio desta intil

    rubrica da seco de msica do Jornal Fazendo, nenhum

    outro disco do alm me deixou to intrigado como este.

    Discos do Alm Liebe MutterFausto

    JjFausto

    Afrobeat do Oeste Africano incrivelmente danvel e sedutor.

    Provm da cultura Yoruba, e assenta na percusso tradicional,

    onde se destaca a Iya Ilu, tambm denominada de talking

    drum. Este estilo muito prprio nasceu em 1920 em clubes

    urbanos de Lagos, pela mo de Tunde King, que fez as

    primeiras gravaes conhecidas nesta dcada. Aps a Segunda

    Guerra Mundial, a Jj music comeou a integrar instrumentos

    elctricos e novas tendncias funk, reggae e afrobeat, tendo

    dado lugar a sub-gneros como o yo-pop. Apesar de ser uma

    expresso musical secular, a Jj ganhou notoriedade nos

    circuitos internacionais atravs de King Sunny Ad, auto-

    -proclamado o rei da afro-pop nigeriana, e inventor de um

    O afrobeat da Nigria

    novo estilo que denominou de Synchro System. King Sunny

    Ad pertence famlia real Nigeriana, mas notabilizou-se

    atravs da sua msica, tendo pela primeira vez introduzido o

    pedal steel guitar no estilo Jj, anteriormente apenas

    utilizado na msica Havaiana e Country americana.

    A Jj, msica ancestral Nigeriana, comeou por surgir na

    zona Sudoeste do pas, onde a cultura Yoruba constitua o

    maior grupo tnico. Actualmente, este estilo mu