fazendo teatro na escola - .lembrando que em arte, não existe “certo ou errado”, ... se o foco

Download FAZENDO TEATRO NA ESCOLA - .Lembrando que em arte, não existe “certo ou errado”, ... se o foco

If you can't read please download the document

Post on 10-Nov-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Ministrio da Cultura e Grupo EcoRodovias apresentam:

    FAZENDOTEATRO

    NA ESCOLA

  • FAZ

    ENDO

    TE

    ATR

    O N

    A E

    SC

    OLA

    FAZ

    ENDO

    TE

    ATR

    O N

    A E

    SC

    OLA

    32

    Como comear....................................................................................................5

    Onde estou? Quem sou eu? O que estou fazendo?...........................................6

    H outras frmulas e ponto de partida para escrever um espetculo................7

    O papel do professor/educador como diretor do espetculo.............................9

    Gerao de movimento criativo/motivao........................................................10

    Gesto de tempo.................................................................................................11

    Manuteno da atmosfera positiva.....................................................................12

    Outros elementos (cenrio, figurinos, sonoplastia e dana)...............................13

    Reta final e apresentao....................................................................................15

    Ficha tcnica.......................................................................................................18

  • FAZ

    ENDO

    TE

    ATR

    O N

    A E

    SC

    OLA

    FAZ

    ENDO

    TE

    ATR

    O N

    A E

    SC

    OLA

    54

    O Teatro na Escola, se usado em sua potncia, capaz de promover reflexes e, por conseguinte, gerar grandes transformaes pessoais e coletivas, tanto para educandos quanto para professores. Com este material-guia, voc ter acesso a algumas ferramentas simples, mas bastante teis para uma experincia teatral significativa dentro da Jornada Ecoviver. Quantas vezes nos paralisamos diante de uma folha em branco? Quando, na verdade, pode ser uma srie de possibilidades que se apresentam nossa frente. O processo de criao de uma obra sempre o resultado de uma srie de escolhas que fazemos. Cabem ao professor algumas escolhas importantes (o realizar ou no realizar o projeto, como ele ser feito e outras variveis), mas muito importante que todos os envolvidos, em maior ou menor grau, possam fazer parte das escolhas que culminaro numa apresentao. Elas traro engajamento ao trabalho e transformaro a atividade em algo extremamente prazeroso. Aqui, sero apresentadas algumas solues que podem auxiliar alunos e professores para escolhas mais significativas. Lembrando que em arte, no existe certo ou errado, de modo que verdades no costumam ser absolutas. Partindo do Jogo Teatral: Normalmente, o professor que no possui experincia teatral, escolhe um tema, escreve um texto, divide os personagens e coloca a turma para dizer aquelas palavras que fazem parte da histria. Esta uma alternativa possvel, mas talvez no

    Todas as pessoas so capazes de atuar no palco. Todas as pessoas so capazes de improvisar. As pessoas que desejarem so capazes de jogar e aprender a ter valor no palco...Se o ambiente permitir, pode-se aprender qualquer coisa e se o indivduo permitir, o ambiente lhe ensinar tudo o que ele tem para ensinar.

    Talento ou falta de talento tem pouco a ver com isso. Devemos reconsiderar o que significa talento. muito possvel que o que chamado comportamento talentoso seja simplesmente uma maior capacidade individual para experienciar.

    Viola Spolin - Jogos Teatrais

    1- Teatro na Escola - Como comear?

    4- Reta final e apresentao

    2- O papel do professor/educador como diretor do espetculo

    3- Outros elementos (cenrio, figurinos, sonoplastia e dana)

    Participantes de edies anteriores do Projeto Ecoviver.

  • FAZ

    ENDO

    TE

    ATR

    O N

    A E

    SC

    OLA

    FAZ

    ENDO

    TE

    ATR

    O N

    A E

    SC

    OLA

    76

    Estes elementos podem vir representados pelas seguintes perguntas:

    A partir da investigao destas trs simples questes, seja perguntando para os jogadores, plateia ou mesmo da proposio do professor, possvel realizar um jogo de improvisao que pode oferecer elementos importantes para a criao de uma histria. O jogo teatral tambm possui trs essncias, que transformam professores e alunos em parceiros de jogo, fazendo do processo criativo uma experincia de colaborao:

    Foco ou o problema a ser solucionado: aquilo que precisa ser sustentado, o ponto de concentrao (mostrar um personagem ou realizar uma ao de limpar o cho de uma sala, por exemplo). Instruo: o enunciado ou aquilo que mantem o jogador no foco (Mantenha sua ateno na ao de limpar a sala. Mostre isso para a plateia..., por exemplo). Avaliao: a leitura do que foi jogado. importante no confundir avaliao com crtica. Avaliar, neste caso

    to potente quanto a utilizao do Jogo Teatral como elemento-base para a criao. O jogo proporciona liberdade criadora e possibilita e expresso da espontaneidade e intuio do sujeito. Todos ns sabemos jogar; algo inerente aos seres humanos. Jogamos dramaticamente quando brincamos de faz-de-conta em nossa infncia e podemos jogar teatralmente assistidos (auxiliados) por uma plateia. Para isso, basta o professor lanar mo de alguns recursos importantes.

    Partindo, por exemplo, de trs elementos fundamentais de qualquer estrutura narrativa, pode-se colocar um grupo de alunos para jogar/brincar/experimentar uma situao teatral.

    Jogos Teatrais com grupo de professores em Paranagu-PR.

    Jogos Teatrais com grupo de professores em Taubat-SP.

    Onde estou?

    Respondendo a esta pergunta,

    encontra-se o espao em que

    a situao acontece.

    Quem sou eu?

    A resposta desta pergunta apresenta

    possveis personagens para

    a cena.

    O que estou fazendo?

    Com esta resposta, entramos

    em contato com os elementos da

    ao cnica.

  • FAZ

    ENDO

    TE

    ATR

    O N

    A E

    SC

    OLA

    FAZ

    ENDO

    TE

    ATR

    O N

    A E

    SC

    OLA

    98

    1- Teatro na Escola - Como comear?

    4- Reta final e apresentao

    2- O papel do professor/educador como diretor do espetculo

    3- Outros elementos (cenrio, figurinos, sonoplastia e dana)

    importantes. O primeiro : se o texto vai colaborar com o desenvolvimento do trabalho ou limitar os alunos memorizao e sua repetio mecnica. Outra questo a se pensar se o grupo lida bem com as habilidades de leitura e escrita e se desenvolv-la durante este trabalho algo fundamental para o processo artstico-pedaggico. E ainda, se a escrita ser realizada aps a criao coletiva ou ser um elemento provocador da criao. Mais uma vez, todas as respostas so possveis e cada realidade determina a escolha do mtodo mais adequado.

    O professor/educador o responsvel por juntar todas as peas constituintes deste mecanismo e igualmente dar movimento ao conjunto. , ao mesmo tempo, engenheiro e piloto deste carro chamado encenao. Quanto mais o grupo se perceber parceiro dele, conseguir se sentir envolvido em cada procedimento, mais prazerosa e transformadora ser a criao. Alguns procedimentos devem ser observados com bastante carinho e, uma boa realizao dos das atribuies abaixo podem colaborar para um trabalho significativo. Percepo do grupo/criao/processo: Muitas vezes, por conta de uma educao que abre pouco espao para a criatividade, pode ser difcil para os alunos identificar suas prprias demandas de comunicao e criao. Muitas vezes, um tema que o grupo quer ou precisa discutir vem implcito nas entrelinhas de cenas

    perceber, por exemplo, se o foco do jogo foi mantido, por exemplo, e que outras leituras a plateia pode fazer do jogo proposto.Utilizando estes recursos, juntamente, com os dados e informaes colhidas no material da Jornada Ecoviver, j possvel iniciar a criao de um espetculo de forma simples, construtiva, utilizando a colaborao de todos. H outras formas de comear ou outros pontos de partida para criar um espetculo?

    Sim, h diversas possibilidades. Tantas quantas sua criatividade pode imaginar. Pode-se, por exemplo, utilizando como base o que foi discutido e levantado durante a metodologia do Ecoviver, pensar num conflito central e depois pensar nos elementos quem, onde e o qu, dando estrutura ao problema. Outra forma possvel , a partir do que j foi apresentado, realizar um jogo de imagens ou esttuas e, observando-as, realizar a mesma investigao com base nas perguntas acima. No h limite para a criatividade, bem como no existe o certo e o errado. Cada educador, observando as caractersticas de sua turma, realizando uma escuta atenta e sensvel s necessidades daquele grupo e daquela comunidade, capaz de determinar o melhor caminho a ser seguido, realizando as escolhas que resultaro da criao de uma pea ou cena teatral. Mas preciso escrever um texto para a encenao? Em via de regra, no h esta obrigatoriedade. Mas a resposta desta pergunta deve considerar alguns fatores

  • FAZ

    ENDO

    TE

    ATR

    O N

    A E

    SC

    OLA

    FAZ

    ENDO

    TE

    ATR

    O N

    A E

    SC

    OLA

    1110

    ou eventos aparentemente diferentes. Por exemplo: se em cenas com temas e elementos (quem, onde e o qu) totalmente distintos, diferentes personagens agem violentamente uns com os outros, pode-se fazer a leitura de que o grupo, mesmo sem saber, est discutindo questes relacionas violncia. Cabe ao professor investigar se o assunto merece profundidade ou no. Gerao de movimento criativo/motivao: do professor/educador que normalmente saem as provocaes que geram na turma o movimento em direo de criao de um produto. E quando se diz provocao, deve-se entender como tal, a capacidade de disparar reflexes, aguar a curiosidade e o desejo de se construir algo. Uma boa