fotometria - dslr

of 15 /15

Upload: renan-cesar-antunes

Post on 29-Jun-2015

543 views

Category:

Art & Photos


1 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Exercícios explicados sobre fotometragem com câmeras DSLR e conceitos de composição.

TRANSCRIPT

Page 1: FOTOMETRIA - DSLR

exercícios fotográficosrenan cesarpm3am

Page 2: FOTOMETRIA - DSLR

parte 1 fotometragem

Page 3: FOTOMETRIA - DSLR

1. ISODescubra onde fica a função ISO em sua câmera, tire uma foto de um mesmo objeto ou paisagem para cada setting de ISO: em 100, 200, 400, 800 e 1600.PPara este exercício deixar a velocidade (obturador) em 1/60 e a abertura (diafragma) toda aberta.Depois, ao passar as fotos para o computador, veja se você percebe alguma diferença entre as fotos, quais?

1/60 f/5,0 iso 200 1/60 f/5,0 iso 400

1/60 f/5,0 iso 800

1/60 f/5,0 iso 3200

1/60 f/5,0 iso 1600

Devido à situação de pouca luminosidade, ISOs mais baixos deixaram as fotografias quase totalmente escuras, mesmo com a maior abertura da câmera. Apenas com o maior ISO disponível, ISO 3200, a fotografia obteve a claridade necessária.

Page 4: FOTOMETRIA - DSLR

1/15 f/4,8 iso 3200 1/30 f/4,8 iso 3200

1/60 f/4,8 iso 3200 1/125 f/4,8 iso 3200

2. obturadorCrie 3 fotografias com o mesmo enquadramento, mantendo a mesma abertura e ISO, por ex. dia ensolarado ISO 100, abertura de diafragma 5.6 ou menor:

1 1 foto 1/60

1 foto 1/250

1 foto 1/500

Conforme a luz ambiente, foi necessário trabalhar com tripé e velocidades do obturador ainda mais baixas que o sugerido.Começando em 1/15, a exposição se mostrou ideal, com o assunto da foto estável, sem movimento.VeVelocidades mais altas escureceram as fotografias.

Page 5: FOTOMETRIA - DSLR

1/20 f/5,6 iso 3200 1/20 f/8 iso 3200

1/20 f/11 iso 3200 1/20 f/22 iso 3200

3. diafragmaConfigure a sua câmera em ISO 100, sua velocidade de obturador em 60 (1/60), e, tire três fotos da mesma cena variando a abertura:

emem f/4 (ou a abertura mais próxima desta na sua câmera)

em f/8

em f/22

E confira os resultados.Qual delas fica com a melhor exposição?

Com uma velocidade baixa e um ISO alto, a variação da abertura do diafragma mostrou que, nesta situação, a abertura mais alta trazia mais iluminação para a fotografia, além de trazer melhores contrastes.

Page 6: FOTOMETRIA - DSLR

1/30 f/5,6 iso 3200

+2 -2

4. fotômetro1 - Descubra onde está o medidor de luz de sua câmera (fotômetro/light meter), geralmente só presente nas câmeras com Modo Manual (M).

22 - Apontando sua câmera para o que você desejar fotografar, ajuste a configuração em Modo Manual (M) de ISO, abertura e obturador até conseguir pôr a barra vertical no centro do medidor de luz. Tire a foto.CComo ficou? Boa, escura ou clara?

3 - Ajuste as configurações da câmera até ficar no centro do medidor de luz. Tire três fotos do mesmo motivo.

com a barra no centro;com a barra em -2;ccom a barra em +2.

Confira os resultados. O medidor de luz indicou a melhor exposição, ou não?

Embora a fotografia seguindo as indicações do medidor de luz não tenha ficado sub ou superexposta, o ajuste ideal se mostrou regulando o medidor para +2 pontos de exposição, deixando a fotografia com maior contraste.

Page 7: FOTOMETRIA - DSLR

1/15 f/3.8 iso 3200

3 f/22 iso 3200

5. profundidade de campo

UUtilizando os conhecimentos já adquiridos de ISO, velocidade do obturador e abertura de diafragma, tire duas fotos em Modo Manual (M) da mesma cena:

uuma de um objeto ou pessoa no 1º plano, com um segundo plano distante, com uma abertura de diafragma grande (a maior da sua câmera, 1.4 por ex.); Para esta foto faça o controle do obturador e ISO para compensar a abertura.

mamantendo a mesma composição de cena diminua a abertura do diafragma (uma das menores da sua câmera, 22 por ex.) ajustando a velocidade e/ou o ISO para compensar a diminuição de entrada de luz.

PPercebe a diferença na profundidade de campo?

Com uma grande abertura no inicio, a fotografia não se tornou nítida por inteira, embora houvesse a possibilidade de focar algo no primeiro plano ou no segundo plano. ou no segundo plano.

Utilizando a menor abertura (f/22), tudo o que havia na cena se tornou nítido, sendo necessário compensar a iluminação com uma baixa velocidade - e um trtripé.

Page 8: FOTOMETRIA - DSLR

1/15 f/4 iso 3200

1/90 f/4 iso 3200

1/500 f/4 iso 6400

6. velocidadeTTire 3 fotos de algo em movimento (pessoa, carro, etc), variando a velocidade do obturador. Ao aumentar a velocidade você deverá ajustar a abertura e/ou ISO para equilibrar a luz

11 foto 1/15 (para esta foto procure apoiar a câmera eu algum suporte)

1 foto 1/100

1 foto 1/500

Com o obturador levando mais tempo para registrar a fotografia (1/15), ela tornou-se mais exposta, porém, a gata tornou-se um borrão.CCom velocidades mais rápidas, ficou mais fácil “congelar” o movimento da gata, porém, em uma situação de pouca luminosidade, não houve mais como compensar a alta velocidade do obturador.Neste caso, o ideal seria uma lente que obtivesse aberturas maiores que f/4.

Page 9: FOTOMETRIA - DSLR

parte 2 composição

Page 10: FOTOMETRIA - DSLR

1. regra dos terços

1 - Tire duas fotos de um mesmo objeto ou paisagem:

centralizando o tema;

pposicionando o objeto que você deseja destacar numa das intersecções da Regra dos Terços.

Qual das duas fotos ficou mais interessante?

Posicionada no canto inferior direito da composição, ainda mostra-se importante, mas de forma leve e quase subjetiva - deixando, assim, uma margem para reflexão.

A máquina de escrever mostra-se protagonista da cena, porém, de forma quase impositiva quando centralizada.

Page 11: FOTOMETRIA - DSLR

2. linhas e formas

1 – Observe as linhas e formas e tire 3 fotos ressaltando diferentes tipos de linhas:

a - horizontaisb -b - verticaisc - diagonaisd - curvas

Para realçar a forma de um objeto, foi possível utilizar de um recorte específico (como nas curvas da base de copos), assim como aproveitar dos pontos de fuga para destacar linhas horizontais, e também utilizar das regras dos terços para tornar linhas verticais ainda mais altivas.

Page 12: FOTOMETRIA - DSLR

3. ponto de vista1 - Selecione um objeto, uma pessoa ou animal e tire três fotos em diferentes pontos de vista:

na altura do objeto ou sujeito;

de cima;

de baide baixo.

O ponto de vista trouxe mensagens diferentes para cada fotografia. Na primeira entende-se, basicamente: “este é um baú.”

Na segunda, pode-se interpretar como; “encontramos um baú.”

Na terceira, pelo posicionamento inferior ao objeto, pode-se ler algo como: “olha lá! é um baú.”

O poO ponto de vista do observador/fotógrafo pode, então, trazer sentidos variados à imagem que ele está criando.

Page 13: FOTOMETRIA - DSLR

4. perspectivaFotografar 1 cena com perspectiva de 1 ponto de fuga.

Fotografar 1 cena com perspectiva de dois pontos de fuga.

Colocando-me em uma posição que deixou os objetos em perspectiva, a cena trouxe um segundo ponto de fuga, de certa forma tornando a composição mais dinâmica.

Posicionando-me com vista para a face frontal da cena/objeto, a imagem tende a criar um único ponto de fuga, direcionado à profundidade.

Page 14: FOTOMETRIA - DSLR

conclusão

Fotografia é um ato de decisão e criação: deve-se escolher por entre inúmeras variáveis, desde a exposição da fotografia até seu próprio ângulo e enquadramento para chegar no resultado desejado.

Nossas decisões transformam a mensagem que queremos ou não transmitir, comprovando que, de fato, não se tira uma foto - se cria.

Page 15: FOTOMETRIA - DSLR

renan cesar

prof. eliane weizmannistituto europeo di design são paulo

produção multimídia3am