HOSPITAL MUNICIPAL DR. MÁRIO GATTI ÁREA DE LICITAÇÕES ?· de toda a roupa processada) de modo que…

Download HOSPITAL MUNICIPAL DR. MÁRIO GATTI ÁREA DE LICITAÇÕES ?· de toda a roupa processada) de modo que…

Post on 01-Dec-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<ul><li><p> HOSPITAL MUNICIPAL DR. MRIO GATTI REA DE LICITAES AUTARQUIA MUNICIPAL CRIADA PELA LEI 4.426/74 CNPJ: 47.018.676/0001-76 Av. Prefeito Faria Lima, n 340 - Parque Itlia - C ampinas, SP CEP: 13036-902 - Telefone/fax: (19) 3772-5714 / 5821 / 5827 </p><p> 1 </p><p>EDITAL - PREGO PRESENCIAL N: 37/2.009 PROCESSO N. 1.247/2.009 OBJETO: Prestao de Servios de Lavanderia Hospitalar, envolvendo o processamento de roupas e tecidos em geral em todas as suas etapas, desde sua retirada at seu retorno em ideais condies de reuso, sob situaes higinico-sanitrias adequadas, mediante o sistema de registro de preos. INTERESSADO: Hospital Municipal Dr. Mario Gatti. TIPO DE LICITAO: Menor Preo MODALIDADE: PREGO PRESENCIAL FUNDAMENTAO LEGAL: Lei Federal n. 10.520/02 com aplicao subsidiri a da Lei n. 8.666/93 e Decreto Municipal n. 14.218/03, com sua s alteraes, DECRETO MUNICIPAL N. 11.447 DE 31/01/94, Lei Complementar 123 e Decreto Municipal n 16.187/08. O Hospital Municipal Dr. Mrio Gatti, Autarquia Municipal criada pela Lei n. 4.426/74, por intermdio da Coordenadoria de Suprimentos, comunica aos interessados que realizar licitao na modalidade PREGO PRESENCIAL, do tipo de menor preo por item. </p><p>O edital estar disposio dos interessados do ramo pertinente a partir do dia 09/12/2009, Av. Prefeito Faria Lima, n. 340 - 2 andar (Co mplexo Administrativo Procurador Ren Penna Chaves Filho), CEP: 13036-902, Parque Itlia, em Campinas, SP, nos horrios das 08:00h s 12:00h e das 13h00h s 16h30, ou pela internet, disponibilizado no site: www.hmmg.sp.gov.br/licitacoes ou enviando sua solicitao atravs do e-mail hmmg.licitacoes@campinas.sp.gov.br. </p><p>Os envelopes A (Proposta Comercial) e B (Documentos para Habilitao) devero ser entregues at s 14h00 do dia 21 de dezembro de 2009 na rea de Licitaes do HMMG, no endereo constante de seu prembulo. Aps data e hora estabelecidas, no mais sero aceitos tais envelopes e amostras. Imediatamente aps o encerramento desse prazo, no mesmo local ser dado incio conforme a programao seguinte: 1 DO OBJETO E DO PRAZO DE CONTRATAO. 1.1 O presente Prego Presencial tem por objeto a prestao de servios de Lavanderia Hospitalar, envolvendo o processamento de roupas e tecidos em geral em todas as suas etapas, desde sua retirada at seu retorno em ideais condies de reuso, sob situaes higinico-sanitrias adequadas, mediante o sistema de registro de preos, de acordo com as especificaes constantes do Anexo I. 1.2 O prazo de vigncia do Registro de Preo ser de 06 (seis) meses, com possibilidade de prorrogao de prazo por uma nica vez, fundamentando sua necessidade. Sendo que o quantitativo estimado para os servios de 180.000 kg, o que corresponde a um quantitativo estimado de 1.000 kg/dia. 2 - DOCUMENTOS INTEGRANTES DO EDITAL 2.1 - Integram o presente edital, como partes indissociveis: </p><p> Anexo I Descritivo do objeto; Anexo II Termo de Credenciamento; Anexo III Declarao de cumprimento dos requisitos de habilitao; Anexo IV Modelo de Termo de Cincia e Notificao; </p></li><li><p> HOSPITAL MUNICIPAL DR. MRIO GATTI REA DE LICITAES AUTARQUIA MUNICIPAL CRIADA PELA LEI 4.426/74 CNPJ: 47.018.676/0001-76 Av. Prefeito Faria Lima, n 340 - Parque Itlia - C ampinas, SP CEP: 13036-902 - Telefone/fax: (19) 3772-5714 / 5821 / 5827 </p><p> 2 </p><p>Anexo V Declarao de Condio de Microempresa ou Empresa de Pequeno Porte; Anexo VI Ata de Registro de Preos; Anexo VII Modelo de Atestado de visita tcnica. </p><p> 3 DESCRIO DOS SERVIOS 3.1. A prestao de servios de Lavanderia Hospitalar realizar-se- mediante a utilizao das dependncias da CONTRATADA, onde a roupa ser processada e entregue. Sendo que o horrio de retirada das roupas ser das 07:00 as 08:00 horas e das 16:00 as 17:00 horas, todos os dias inclusive sbados, domingos e feriados. 3.2. O objeto inclui a retirada e o transporte da roupa suja da rea contaminada da lavanderia at as dependncias da CONTRATADA: lavagem da roupa suja, secagem e calandragem da roupa limpa, separao e transporte da roupa limpa rouparia da lavanderia do hospital responsvel pela centralizao e distribuio do enxoval aos setores da unidade. A CONTRATADA dever possuir lavanderia prpria para processamento da roupa, dotada de condies totais a suprir a necessidade (desinfeco, higienizao, acondicionamento e guarda de toda a roupa processada) de modo que garanta a qualidade dos servios prestados, bem como a remoo e entrega da roupa por meio de veculos adequados. 3.3. A prestao de servios de Lavanderia Hospitalar envolver todas as etapas do processo de higienizao das roupas, conforme o padro estabelecido no Manual de Lavanderia Hospitalar do Ministrio da Sade e suas atualizaes. 3.4. O processamento das roupas hospitalares abrange todas as etapas pelas quais as roupas passam, desde seu uso at seu retorno em ideais condies de reuso: </p><p> - Retirada da roupa suja no setor de expurgo da lavanderia; - Transporte da roupa suja para as dependncias da CONTRATADA; - Recebimento e acondicionamento da roupa suja na lavanderia; - Lavagem da roupa suja; - Secagem e calandragem da roupa limpa; - Separao e embalagem da roupa limpa; - Transporte e entrega da roupa limpa da lavanderia para o hospital. </p><p> 3.5. Coleta da roupa suja na lavanderia do hospital: </p><p>3.5.1. Para a efetiva execuo dos servios de retirada de roupa suja a CONTRATADA dever: </p><p> A coleta ser feita na rea suja da lavanderia do hospital HMMG por funcionrios da CONTRATADA devidamente treinados, uniformizados, e equipados com os EPIs (Equipamentos de Proteo Individual). Devero realizar a troca do uniforme de cor diferente para distribuio de roupa limpa. A coleta ser feita com a utilizao de carrinhos tipo container com tampa, lavvel, com dreno para eliminao de lquido e devidamente identificado, os quais NO devem servir distribuio de roupas limpas. As roupas retiradas, diariamente, devero ser devidamente acondicionadas, conforme normas de bio-segurana sob superviso da gerencia da lavanderia do hospital e C.C.I.H. (Comisso Controle de Infeco Hospitalar). Balana digital para pesar a roupa suja e sacos hampers de plsticos para embalar a roupa suja a ser retirada ser por conta da CONTRATANTE; A periodicidade de retirada e entrega da roupa dever ser das 7h s 8h e 16h s 17h, todos os dias inclusive aos sbados, domingos e feriados. </p></li><li><p> HOSPITAL MUNICIPAL DR. MRIO GATTI REA DE LICITAES AUTARQUIA MUNICIPAL CRIADA PELA LEI 4.426/74 CNPJ: 47.018.676/0001-76 Av. Prefeito Faria Lima, n 340 - Parque Itlia - C ampinas, SP CEP: 13036-902 - Telefone/fax: (19) 3772-5714 / 5821 / 5827 </p><p> 3 </p><p> O deslocamento da roupa suja at o veiculo que a transportar at as dependncias da CONTRATADA dever ser feito, por meio da rota de roupa suja, observando-se que, em hiptese alguma haja cruzamento entre roupa limpa e roupa suja. </p><p> 3.5.2. Separao e retirada da roupa suja: </p><p> A roupa suja dever ser separada seguindo critrios e tcnicas estabelecidas de acordo com o tipo de tecido e tipo de sujidade; O funcionrio que faz a separao da roupa deve usar mscara, avental, botas e luvas de borracha cobrindo os braos; Para diminuir a contaminao dos profissionais e do ar, a roupa suja deve ser manuseada com um mnimo de agitao possvel. Alm disto, para evitar acidentes com objetos perfurocortantes inadvertidamente coletados, recomendvel puxar as roupas pelas pontas, cuidadosamente, sem apertar nem recolher vrias peas de uma vez. O controle da roupa suja ser efetuado pelo funcionrio designado pela CONTRATANTE em conjunto com a CONTRATADA. A roupa dever ser pesada pela CONTRATADA na presena do funcionrio da CONTRATANTE. Dever ser elaborado um relatrio dirio pela CONTRATADA, informando o peso da roupa retirada (em kg). Este relatrio dever ser aprovado pelo funcionrio da CONTRATANTE. O relatrio acima dever ser emitido em 02 (duas) vias, conferidas e assinadas pelos responsveis pela CONTRATADA e CONTRATANTE. Uma das vias dever ficar com o responsvel pela CONTRATANTE. </p><p> 3.5.3. Transporte da roupa suja para as dependncias da CONTRATADA: </p><p> O transporte da roupa suja da CONTRATANTE at as dependncias da CONTRATADA dever ser feito por veculo adequado devidamente adaptado natureza da carga. A CONTRATADA tem a obrigao de manter o veculo em bom estado e realizar a manuteno preventiva e corretiva que se julgue necessria para o bom funcionamento do mesmo e preveno de potenciais acidentes. </p><p> 3.5.4. Recebimento e acondicionamento da roupa suja na lavanderia da contratada: </p><p> O recebimento e acondicionamento da roupa suja na lavanderia devem obedecer aos procedimentos constantes no Manual de Lavanderia Hospitalar do Ministrio da Sade e suas atualizaes. </p><p> 3.6. A lavagem das roupas: </p><p> A CONTRATADA dever utilizar o processo preconizado pela CCIH (Comisso de Controle de Infeco Hospitalar da Unidade) e Manual de Lavanderia Hospitalar do Ministrio da Sade e sua atualizaes). Os custos advindos do consumo de produtos qumicos e demais insumos do processo de lavagem so de responsabilidade da CONTRATADA. Para os produtos qumicos a serem empregados nos processamentos, suas propriedades e composio qumica, devero ser comprovadas mediante apresentao de cpia reprogrfica autenticada: frente e verso do certificado de registro dos mesmos nas D.I.S.A.D.S (Diviso de Produtos Saneantes Domissanitrios e Diviso Nacional de Vigilncia do Ministrio da Sade), sendo que a qualidade do produto dever manter o padro de cor ou de brancura e resistncias dos tecidos que sero testados a cada 60 (sessenta) dias. As dosagens dos produtos a serem utilizados devero seguir rigorosamente s instrues do fabricante, visando garantia do servio executado. </p></li><li><p> HOSPITAL MUNICIPAL DR. MRIO GATTI REA DE LICITAES AUTARQUIA MUNICIPAL CRIADA PELA LEI 4.426/74 CNPJ: 47.018.676/0001-76 Av. Prefeito Faria Lima, n 340 - Parque Itlia - C ampinas, SP CEP: 13036-902 - Telefone/fax: (19) 3772-5714 / 5821 / 5827 </p><p> 4 </p><p>3.7. Secagem e calandragem da roupa limpa: A roupa dever ser seca com a utilizao de equipamentos que melhor se adequam ao tipo de roupa e estrutura do tecido. Toda roupa limpa dever ser calandrada ou prensada a vapor com exceo das felpudas e roupas cirrgicas que devero ser entregues dobradas tecnicamente. </p><p> 3.8. Reparo e reaproveitamento de peas danificadas: </p><p> As peas danificadas, desgastadas, mas ainda dentro do padro de aceitabilidade sero definidas e reparadas por costureiras da CONTRATANTE. </p><p> 3.9. Separao e embalagem das roupas limpas: </p><p> No processo final do processamento das roupas, estas devem ser dobradas e embaladas garantindo a qualidade e higiene dos produtos entregues ou de acordo com as necessidades da CONTRATANTE. </p><p> 3.10. Transporte da roupa limpa da CONTRATADA para o hospital: </p><p> A roupa limpa dever ser transportada unidade CONTRATANTE em veculo adequado devidamente adaptado natureza da carga. O veculo deve estar devidamente higienizado para evitar a contaminao da roupa limpa, em conformidade com a legislao vigente. A CONTRATADA tem a obrigao de manter o veculo em bom estado e realizar a manuteno preventiva e corretiva que se julgue necessria para o bom funcionamento do mesmo e preveno de potenciais acidentes. </p><p> 3.11. A entrega da roupa limpa rouparia da unidade: </p><p> O tempo entre a retirada e a devoluo da roupa no poder ser superior a 24 (vinte e quatro) horas. A roupa processada deve ser entregue junto rouparia da unidade CONTRATANTE, separada por tipos de peas e natureza de uso, de acordo com as necessidades da unidade. Quando da entrega da roupa processada, esta dever ser pesada na presena de um empregado da CONTRATADA e outro da CONTRATANTE. O peso da roupa limpa no dever ser inferior ao peso do mesmo lote de roupa suja multiplicado por (1ndice de sujidade) definido pela Unidade CONTRATANTE. Os valores desse ndice devem estar entre 8% e 15%. As roupas limpas, quando de sua entrega, devero vir acompanhadas de uma relao geral, na qual conste o rol da roupa entregue (nmero total de cada pea) e peso da roupa limpa; As relaes acima devero ser emitidas em 02 (duas) vias, conferidas e assinadas pelos responsveis pela CONTRATADA e CONTRATANTE. Uma das vias dever ficar com o responsvel pela CONTRATANTE. As roupas entregues, diariamente, devero ser devidamente acondicionadas, conforme normas de bio-segurana sob superviso da C.C.I.H. (Comisso Controle de Infeco Hospitalar). Toda roupa limpa que apresentar qualidade de limpeza insatisfatria dever ser separada, retornando para a seo de rouparia para que seja feito, pela CONTRATADA, um novo processo de lavagem ou remoo de manchas, e desinfeco, ficando isento de nova pesagem, no havendo nus para a CONTRATANTE. </p><p> 3.12. A CONTRATADA dever se responsabilizar pela adequao dos processos de lavagem utilizada, sempre que comprovadamente se fizer necessrio e sem nus para o CONTRATANTE. </p></li><li><p> HOSPITAL MUNICIPAL DR. MRIO GATTI REA DE LICITAES AUTARQUIA MUNICIPAL CRIADA PELA LEI 4.426/74 CNPJ: 47.018.676/0001-76 Av. Prefeito Faria Lima, n 340 - Parque Itlia - C ampinas, SP CEP: 13036-902 - Telefone/fax: (19) 3772-5714 / 5821 / 5827 </p><p> 5 </p><p>3.13. Fica reservado ao CONTRATANTE o direito de visita s dependncias da CONTRATADA, para a superviso, sempre que julgar necessrio. 3.14. Caber CONTRATADA a devoluo de roupas e objetos de propriedade da Unidade Hospitalar ou dos pacientes, que porventura forem misturados roupa hospitalar devendo ser devolvidos ao hospital. 3.15. Fica a cargo da CONTRATADA as despesas com a correta destinao dos resduos slidos,segundo legislao vigente. 3.16. Devero ser rigorosamente observados os prazos de execuo dos servios previamente estabelecidos. 3.17. Apresentar listagem de seus fornecedores, produtos e marcas utilizados, com fichas tcnicas, no ato da assinatura do Contrato e sempre que solicitado pela CONTRATANTE. 3.18. A CONTRATADA alm do fornecimento da roupa processada para uso imediato, obriga-se a: </p><p>3.18.1. Responsabilizar-se integralmente pelos servios contratados, nos termos da legislao vigente; 3.18.2. Possuir capacidade tcnica operativa e profissional (equipe tcnica) para o processamento das roupas hospitalares, de modo a manter o abastecimento adequado e as condies necessrias para desinfeco, higienizao, acondicionamento de toda a roupa processada de maneira a garantir a qualidade dos servios prestados, bem como a retirada e entrega da roupa por meio de veculos adequados conforme legislao vigente. 3.18.3. Por sua conta e responsabilidade exclusiva, fornecer toda mo de obra capacitada e necessria, as instalaes, mquinas e equipamentos, os produtos qumicos e insumos para execuo dos servios ora contratados. 3.18.4. Manter seu pessoal uniformizado, identificando-os mediante crachs com fotografia recente e provendo-os dos Equipamentos de Proteo Individual; 3.18.5. Prestar os servios dentro dos parmetros e rotinas estabelecidos, fornecendo todos os produtos qumicos, materiais, e equipamentos em quantidade, q...</p></li></ul>