livro contexto regional da baixada santista (alberto claro - org.)

Download Livro Contexto Regional da Baixada Santista (Alberto Claro - Org.)

Post on 25-Mar-2016

217 views

Category:

Documents

4 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Livro Contexto Regional da Baixada Santista (Alberto Claro - Org.)

TRANSCRIPT

  • CONTEXTO REGIONAL DA BAIXADA SANTISTA

  • Jos Alberto Carvalho dos Santos Claro

    Organizador

    CONTEXTO REGIONAL DA BAIXADA SANTISTA

    Santos, 2009

  • AGRADECIMENTOS

    (reservar espao para esse item)

  • Sumrio:

    CAPTULO 1 A TERCEIRA IDADE COMO FATOR DE DESENVOLVIMENTO

    ECONMICO E ESTIMULADOR DA COMPETITIVIDADE CIDADE DE SANTOS E

    REGIO.

    Julio Simes Junior

    Prof. Dr. Jos Alberto Carvalho dos Santos Claro

    CAPTULO 2 A comunicao visual da marca no ponto-de-venda.

    Maria Bernardete Caetano de Paiva Sarmento.

    Ricardo Pastore

    CAPTULO 3 - REGIO METROPOLITANA DE BAIXADA SANTISTA: SEUS

    INDICADORES SOCIAIS E SEU POSICIONAMENTO COMPETITIVO

    Luciano Antonio Prates Junqueira

    Jos Alberto Carvalho dos Santos Claro

    Erika Costa da Silva Gaudeoso

    CAPTULO 4 - Agenda Ambiental Porturia: Uma viso institucionalista.

    Vctor Hugo Martnez Ballesteros

    CAPTULO 5 - O Porto de Santos, a economia regional, vantagens competitivas regionais e a

    expanso das atividades porturias.

    Lo Tadeu Robles

    Renata Oliveira de Carvalho

    Aparecida Honrio Dias

    CAPTULO 6 - PLANO DE NEGCIOS E INCUBAO DE MICRO-EMPRESAS DE

    BASE TECNOLGICA: Indicadores de Desempenho da Incubadora de Empresas de Santos

    Leandro Nunes de Castro

    Jos Alberto Carvalho dos Santos Claro

    Carlos Lamberti Jnior

    Santiago Gonzalez Carballo

  • Apresentao

    (reservar espao correspondente a trs pginas)

  • CAPTULO 1 A TERCEIRA IDADE COMO FATOR DE DESENVOLVIMENTO

    ECONMICO E ESTIMULADOR DA COMPETITIVIDADE CIDADE DE SANTOS

    E REGIO.

    Julio Simes Junior

    Prof. Dr. Jos Alberto Carvalho dos Santos Claro

    INTRODUO

    Maturidade, melhor idade, terceira idade, essas e outras palavras so utilizadas para

    designar pessoas que tm 60 (sessenta) anos de idade, ou mais. Para efeito deste artigo,

    ficaremos com esta idade estabelecida na Lei n. 10741, de 01 de outubro de 2003, que dispe

    o Estatuto do Idoso. Para a Organizao Mundial da Sade OMS, organismo pertencente Organizao das Naes Unidas ONU, so considerados idosos aqueles indivduos com mais de 65 anos, nos pases desenvolvidos e 60 anos para os pases em desenvolvimento. A

    OMS ainda classifica o envelhecimento em quatro estgios:

    1. A meia-idade, que corresponde faixa etria de 45 a 59 anos; 2. O idoso, que so pessoas com idade entre 60 e 74 anos; 3. O ancio, aquelas pessoas com idade entre 75 e 90 anos, e 4. A velhice extrema, que o pblico com idade superior a 90 anos.

    As novas tecnologias, aplicadas nas mais diversas reas do conhecimento, tm

    proporcionado melhoria na qualidade de vida do ser humano, contribuindo para que a

    expectativa de vida aumente, tambm em nosso pas. Conseqentemente, surgem novas

    necessidades, demandadas por essas pessoas que aumentaram sua longevidade. Muitas vezes,

    no so dadas as devidas atenes a essa populao idosa que, possuindo recursos suficientes

    para sua sobrevivncia, buscam por produtos e/ou servios que sejam compatveis com suas

    condies de vida.

    Em decorrncia desse aumento da longevidade, e considerando a natureza de nossa

    economia, capitalista, constitui-se um problema a ser analisado o fato de que estariam nossos

    idosos vendo suas necessidades pessoais perfeitamente atendidas.

    Utilizando-se da pesquisa exploratria para se perceber melhor a situao do idoso,

    enquanto consumidor, e, portanto, possuidor de necessidades inerentes faixa etria em

    estudo, busca-se mostrar a importncia desse grupo de pessoas, como fonte geradora para

    novos negcios na cidade de Santos e Regio.

    Por outro lado, buscou-se ouvir alguns idosos na cidade de Santos, para se saber como

    eles vem a questo proposta neste artigo, de forma at a apontar nichos que possam vir a ser

    adequadamente explorados. Convm ressaltar, entretanto, que apesar da classificao de

    envelhecimento adotado pela OMS, citado acima, para efeito deste trabalho, sero

    consideradas como idoso as pessoas que possuem 60 anos ou mais.

    Neste trabalho, no vamos abordar a situao somente do idoso aposentado. Ser

    considerado todo aquele que, ativo ou inativo, tem necessidades que possam gerar novos

    negcios, ou incrementar os j existentes, constituindo-se importante nicho a ser explorado,

    principalmente em nossa cidade e regio.

    A prpria situao geogrfica da Regio Metropolitana da Baixada Santista, com sua

    configurao plana, bom clima, belezas naturais, tem feito com que sejamos cada vez mais

  • procurados, colaborando para o aumento de nossa populao. Em decorrncia dessa

    populao mais idosa, preciso que se esteja atento para criar negcios que atendam a essas

    pessoas que tm necessidades de trabalhar, viajar, exercitar-se, alimentar-se, vestir-se, etc.

    Dessa forma, o objetivo principal dessa pesquisa exploratria chamar a ateno para

    um mercado consumidor que se apresenta com grande potencialidade, esperando que sejam

    desenvolvidos negcios que atendam s suas necessidades.

    1 REVISO DA LITERATURA

    A populao brasileira est envelhecendo em ritmo acelerado e at 2050 quase 30% da

    populao do pas ter acima de 60 anos e a expectativa de vida dever chegar aos 81 anos.

    Por sua vez, o nmero de pessoas entre 0 e 14 anos se encontra em declnio. Com taxa de

    fecundidade abaixo do nvel de reposio, nascem cada vez menos crianas no pas

    (CASTILHOS, 2008).

    O intuito do ser humano sempre foi de viver mais. O trabalho nesse momento reside no

    fato de como obter melhor qualidade de vida nesses anos conquistados a mais. Pesquisas tm

    sido feitas no sentido de esclarecer os fatores que contribuem para o chamado

    envelhecimento bem-sucedido (GARRIDO, 2002). Este seria uma condio individual e grupal de bem-estar fsico e social referenciada aos ideais da sociedade, s condies e aos

    valores existentes no ambiente em que o indivduo envelhece e s circunstncias de sua

    histria pessoal e seu grupo etrio (GARRIDO apud NERI, 1995).

    O envelhecimento um processo natural, dinmico, progressivo e irreversvel, e que

    acompanha o ser humano desde o seu nascimento, por todo o tempo de vida possvel,

    terminando com a sua morte. Esse processo acaba por provocar no indivduo a perda

    gradativa da capacidade de funcionamento dos rgos e sistemas, ressaltando-se, no entanto,

    que essas alteraes nem sempre se convertem em incapacidades, e que a ocorrncia e a

    intensidade com que essas alteraes podem ocorrer, variam de pessoa para pessoa.

    Envelhecer com qualidade de vida tem sido preocupao constante do ser humano,

    constituindo-se hoje compromisso pessoal a busca contnua de uma vida saudvel,

    desenvolvida luz de um bem-estar indissocivel das condies do modo de viver, como:

    sade, moradia, educao, lazer, transporte, liberdade, trabalho, auto-estima, entre outras

    (SANTOS, 2002).

    Muito embora o conceito de qualidade de vida possa variar de pessoa para pessoa,

    considerara-se uma qualidade de vida boa ou excelente aquela que oferece um mnimo de

    condies para que os indivduos possam desenvolver o mximo de suas potencialidades,

    vivendo, sentindo ou amando, trabalhando, produzindo bens ou servios; fazendo cincia ou

    artes; vivendo apenas enfeitando, ou simplesmente existindo (SANTOS, 2002).

    No Brasil, a Lei n. 10741 de 01 de outubro de 2003, em seu artigo primeiro, conceitua

    quem considerado idoso:

    Art. 1. -

    institudo o Estatuto do Idoso, destinado a regular os

    direitos assegurados s pessoas com idade igual ou superior a 60

    (sessenta) anos.

    Essa lei, que ficou popularmente conhecida como o Estatuto do Idoso, passou a regular os direitos inerentes pessoa com mais de 60 anos, dando-lhes melhor condio de

    vida e modificando as relaes de consumo com essa parcela da populao.

    Em relao ao crescimento populacional da Regio Metropolitana da Baixada Santista -

    RMBS, a mesma vem se destacando como plo de desenvolvimento econmico e cultural,

  • contando com diversas Universidades particulares e pblicas; sediar a Unidade de Negcios

    da Bacia de Santos do setor de Petrleo e Gs, alm de contar com um comrcio importante e

    o maior porto da Amrica Latina.

    Considerando-se a populao dos nove municpios que compem a RMBS, de acordo

    com a contagem populacional realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatsticas IBGE em 2007 so mais de 1.650.000 habitantes, dos quais 160.000 esto na faixa etria igual

    ou acima de 60 anos. Destes, perto de 65.000 vivem na cidade de Santos.

    A condio geogrfica da cidade, o clima, as praias, enfim outros recursos que

    permitem uma melhor qualidade de vida tm atrado para nossa cidade e regio um nmero

    considervel de pessoas idosas.

    Pesquisas realizadas pelo Ncleo de Pesquisas e Estudos Socioeconmicos da

    UNISANTA NESE, a respeito do Emprego e Desemprego na cidade de Santos, tm apontado um considervel nmero de pessoas aposentadas (onde se encontram uma boa parte

    dos idosos) que ainda permanecem no mercado de trabalho, portanto aferindo renda atravs

    de salrios. Outros vivem de benefcios pagos pelo Instituto Nacional da Seguridade Social INSS.

    Verifica-se, portanto, que existe uma populao considervel de pessoas idosas que

    possuem algum tipo de renda e que, portanto, esto no mercado em condies de consumir

    bens e servios.

    O termo terceira idade de origem recente, tendo-se popularizado rapidamente no quotidi