manual pinhole

Download Manual Pinhole

Post on 22-Oct-2015

15 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Guia Prtico de Fotografia Pinhole

    Luciano de Sampaio Soares

  • Apresentao

  • 2bailarina

    Antes de mais nada, obrigado!

    Este material que est agora aberto na sua frente seja numa tela de computador ou impresso a partir do arquivo o fruto de alguns anos (3, para ser preciso) de pesqui-sa, muita experimentao e muitos olhares de o qu esse doido est fazendo? recebidos na rua. E isso algo que voc, ao sair com sua cmera de orifcio pela rua talvez tambm tenha que enfrentar. Normalmente, quando isso me acontece, eu falo cara, uma cmera fotogrfica!, o que mais do que suficiente para de vez em quando uma pessoa se interessar pela tcnica. Talvez at o seu interesse

    tenha surgido de uma ocasio dessas, quem sabe?

  • 3Sobre o AutorGraduando de Tecnologia em Artes Grficas pela UTFPR agora

    falta pouco! eu pesquiso e desenvolvo trabalhos em fotografia de

    orifcio desde 2005.

    Durante esse tempo, ministrei oficinas sobre a tcnica na prpria

    UTFPR e na Casa da Videira (em conjunto com a ONG Ns na Tela) e,

    desde 2008, fao parte da equipe de divulgao do Dia Mundial da Fo-

    tografia Pinhole.

    Com lentes, fui assistente de estdio de Andr Sade (Fundo Infinito)

    e atualmente atuo principalmente como free-lancer, com retratos e even-

    tos, alm de manter uma produo autoral.Autorretrato construindo uma cmera

  • 4Sumrio1 Guia Prtico de Fotografia Pinhole

    1 Apresentao2 Antes de mais nada, obrigado! 3 Sobre o Autor

    5 Introduo

    7 Camera Obscura9 Como transformar um quarto numa Camera Obscura 10 A Camera Obscura Porttil

    12 Cmeras com Papel14 A cmera de Lata de Leite17 A cmera de lata de leite

    19 Cmera 35mm

    25 Orifcio26 Mtodo Tradicional26 Mtodo Le Combe27 O mtodo high-tech28 O tamanho do orifcio29 Medio eletrnica

    30 Exposio32 Mas qual a funo dessevalor ? Para qu ele serve?

    34 Composiobatendo papo

  • Introduo

  • 6Neste material voc encontrar uma grande quantidade de informa-

    o, e ainda bem que a maioria de natureza prtica, sobre fotografia

    de orifcio. essa a funo de um Manual Prtico como este pretende

    ser, afinal de contas.

    As sees que voc encontra no ndice foram pensadas de forma a

    permitir um avano gradual dentro da tcnica, passando pela Camera

    Obscura, que no exatamente um aparelho fotogrfico, mas o prin-

    cpio original de todas as cmeras fotogrficas - com ou sem o uso de

    lentes; e por vrios tipos de cmeras de orifcio.

    Depois de mostrar as cmeras e como constru-las a partir de di-

    versos materiais, passamos para a alma da tcnica: o orifcio. Como

    existem vrias maneiras de se fazer um furo, apresentamos alguns pro-

    cessos de obteno do orifcio j utilizados por fotgrafos e cientistas

    para a obteno de imagens.

    A idia de separar a construo do corpo da cmera e do orifcio pre-

    tende motivar voc a utilizar a combinao que lhe trouxer melhores

    resultados com o menor gasto de tempo, esforo e material, de acordo

    com o que voc j tiver disponvel.

    Assim que voc tiver conhecido as cmeras e os orifcios quem

    sabe at j tenha construdo sua primeira cmera utilizando as infor-

    maes das duas sees anteriores comeamos a pensar especifica-

    mente em fotografia. Os dois principais fatores a serem considerados

    quando se fotografa com cmeras de orifcio sero explorados nesse

    captulo. Exposio a definio da quantidade de luz que deve atingir

    o papel ou filme da sua cmera para que voc obtenha uma imagem,

    e Composio ir trabalhar com que elementos sero expostos, ou seja,

    o tema de cada foto.

    A partir desse ponto, voc j tem em suas mos todos os elemen-

    tos necessrios para sair e fotografar, e caso j tenha construdo uma

    cmera, recomendamos que o faa! Por outro lado, se ainda no tiver

    colocado a mo na massa, pode comear construindo a cmera que

    voc encontra no final deste manual. s imprimir a planificao colo-

    cada na ltima pgina deste manual, e acompanhar as instrues de

    montagem.

    Espalhadas pelos captulos voc encontrar pequenas anotaes

    histricas, exemplificando as maneiras com que a tcnica da fotografia

    de orifcio ou em alguns casos, das imagens no-fotogrficas forma-

    das pelos furos foi importante para que chegssemos onde nos en-

    contramos hoje.

    isso. No parece difcil, concorda?

  • Camera Obscura

  • 8Ainda que no seja uma cmera fotogrfica, a Camera Obscura (ou cmera escura, para aqueles que no gosta-rem do Latim) a me, av, tia-av e todos os outros an-tepassados das nossas mquinas. O seu funcionamento muito simples: a luz passa por uma abertura (seja um orif-cio ou uma lente) e projeta uma imagem em um anteparo.

    modelo 3D camera obscura em um quarto. foto 2008 luciano de sampaio

    Um dos primeiros sbios a falar sobre essa imagem pro-jetada foi um chins, chamado Mo Ti, por volta de 5000 a.C. No Ocidente, o grego Aristteles escreveu sobre o mesmo tema em seu livro Problemas nos idos de 330a.C., assim

    como o egpcio Alhazen usou orifcios como ferramentas para o estudo da tica na segunda dcada do sculo IX. A estes muitos se seguiram, e tantos que seria tedioso cit-los todos.

    Alm do carter ldico de se ver pessoas andando de cabea para baixo, ou pulando em dire-o ao cho, a camera obscura um excelente artifcio didtico para se mostrar como a ima-gem se forma dentro da cme-ra fotogrfica, e uma curiosida-de interessante, especialmente para quem fotografar em preto-e-branco, pois permite que se verifique a cor da imagem em sua projeo. Agora, pensando pela praticidade, quem usou (e alguns ainda usam) muito a c-mera escura foram os pintores e desenhistas, afinal bem mais fcil passar o lpis por cima de uma imagem projetada do que desenhar de olho sobre papel branco, no ?

    Moa com Brinco de Prola

    Este filme, lanado em 2003 e in-dicado a 3 Oscar, retrata um pero-do na vida do grande mestre holan-ds Johannes Vermeer, no qual ele pinta uma de suas obras-primas, o quadro do ttulo. Numa das cenas do filme, Vermeer apresenta para a criada responsvel pela limpeza de seu atelier uma camera obscura, e a moa se encanta e assusta ao ver a imagem projetada. O diretor Pe-ter Webber coloca como fato uma especulao de que muitos artis-tas da Renascena usavam camera obscuras para facilitar a pintura de detalhes. Essa discusso ainda no chegou concluso alguma, e pro-vavelmente no chegar to cedo.

    Moa com Brinco de Prola, 2003.

    Archer Street Productions . dirigido por Peter Webber.

  • 9E exatamente por facilitar o desenho que muitos pinto-res, entre eles Leonardo da Vinci, usaram camera obscuras para pesquisar novas maneiras de representar o mundo. Leonardo, inclusive, se utilizou de uma tcnica semelhante (mas que no dependia da caixa preta) para estudar pers-pectiva, o que originou a Perspectiva Artificial, to famo-sa em seus quadros.

    Agora, para a parte prtica, so duas as experincias mais simples de se fazer. A primeira especialmente inte-ressante para quem leciona fotografia ou fsica para crian-as e adolescentes, uma vez que envolve a todos de uma s vez.

    Como transformar um quarto numa Camera Obscura

    Exato! Por que no transformar um quarto inteiro em uma cmera escura? bem simples! Para isso, o material ne-cessrio :

    uma cortina opaca (do tipo black-out) ou uma lona preta pesada;

    uma tesoura ou estilete;

    fita adesiva (fita isolante ou outras fitas adesivas opacas so ideais);

    uma folha de carto preto.

    Ah, sim, e uma sala que possa ser facilmente impermea-bilizada luz (preferencialmente uma sala com apenas uma janela, e que no tenha muitos mveis em seu interior).

    Para fazer esse isolamento da luz, cubra a janela com a cortina black-out ou com a lona preta, de maneira que nenhuma luz entre pela janela. Preste ateno para as fres-tas nas laterais da cortina e, se possvel, aplique fita adesiva para impedir essas frestas. No meio da cortina, recorte um pequeno quadrado, formando um espao por onde a luz possa entrar.

    camera obscura wikipedia

  • 10

    No papel-carto, faa um furo pequeno e redondo (voc pode usar uma moeda de 1 centavo como guia. Se a distncia entre a janela e a parede oposta for muito pe-quena, voc pode ter que fazer um orifcio ainda menor), e novamente com a fita adesiva, coloque esse carto sobre a cortina, alinhando o quadrado feito anteriormente com o pequeno orifcio no carto.

    Em pouco tempo seus olhos se acostumaro com a iluminao fraca no interior do quarto, e se o dia estiver claro, em pouco tempo voc - e quem mais estiver com voc dentro do quarto - poder observar tudo o que esti-ver do lado de fora da janela projetado na parede oposta! Se voc tiver mais pessoas com voc, pea que algumas se mexam, pulem e andem em frente janela. Como isso s divertido para quem est dentro da cmera escura, depois de um tempo pea pra quem estava l fora entrar, e fique voc se mexendo em frente janela.

    Era esse tipo de construo que muitos dos sbios de antigamente usavam para estudar a luz e a formao de imagens.

    A Camera Obscura Porttil

    Esse dispositivo semelhante ao que os artistas da Renascena usavam para pintar paisagens e retratos.

    Com algumas alteraes nas instrues a seguir, voc mesmo poder construir uma cmera escura

    com essa funo. Entretanto, o objetivo aqui ape-nas fornecer um ponto de partida, e a construo desse equipamento bem mais simples do que a

    daquele usado para desenho. O material necessrio barato e fcil de conseguir:

    2 folhas de papel-carto com pelo menos uma face preta;

    tesoura ou estilete;

    cola basto ou fita adesiva.

    esquema de dobras e cortes folha #1 esquema de