migrações internas- cap. 16

Download Migrações internas- cap. 16

Post on 24-Feb-2016

59 views

Category:

Documents

2 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Prof. Jeferson C. de Souza. Migrações internas- cap. 16. Rio dos currais;. Surgimento de povoados. Tropeiros.  FONTE: PAIXÃO CÔRTES. interiorização. Objetivo: Povoamento dos Planaltos: MG, MT e GO. Ciclo da Borracha. Ocupação ao longo dos rios; Incorporação do AC. - PowerPoint PPT Presentation

TRANSCRIPT

Apresentao do PowerPoint

Migraes internas- cap. 16Prof. Jeferson C. de Souza

Rio dos currais;

Surgimento de povoados

FONTE: PAIXO CRTESTropeirosinteriorizaoObjetivo: Povoamento dos Planaltos: MG, MT e GO.Ciclo da Borracha

Ocupao ao longo dos rios;Incorporao do AC.Tratado de Petrpolis

Nordeste- repulso populacionalFogem da seca, da desnutrio e pelos altos ndices de mortalidade infantil;Desigualdade social, no Nordeste.

OS RETIRANTES PORTINARIFerrovias em spENEM 2010 - O suo Thomas Davatz chegou a So Paulo em 1855 para trabalhar como colono na fazenda de caf Ibicaba, em Campinas. A perspectiva de prosperidade que o atraiu para o Brasil deu lugar a insatisfao e revolta, queele registrou em livro. Sobre o percurso entre o porto de Santos e o planalto paulista, escreveu Davatz: As estradas do Brasil, salvo em alguns trechos, so pssimas. Em quase toda parte, falta qualquer espcie de calamento ou mesmo de saibro. Constam apenas de terra simples, sem nenhum benefcio. fcil prever que nessas estradas no se encontram estalagens e hospedarias como as da Europa. Nas cidades maiores, o viajante pode naturalmente encontrar aposento sofrvel; nunca, porm, qualquer coisa de comparvel comodidade que proporciona na Europa qualquer estalagem rural. Tais cidades so, porm, muito poucas na distncia que vai de Santos a Ibicaba e que se percorre em cinquenta horas no mnimo.Em 1867 foi inaugurada a ferrovia ligando Santos a Jundia, o que abreviou o tempo de viagem entre o litoral e o planalto para menos de um dia. Nos anos seguintes, foram construdos outros ramais ferrovirios que articularam o interior cafeeiro ao porto de exportao, Santos.DAVATZ, T. Memrias de um colono no Brasil. So Paulo: Livraria Martins, 1941 (adaptado).

Grandes migraes do sec. xx

Grandes migraes do sec. xxFluxo 1: busca por melhores condies de emprego e subsistncia, com a transferncia de populao de uma regio deprimida economicamente (sobretudo as reas rurais do serto nordestino) para uma regio de grande crescimento econmico (SP e RJ), decorrente da expanso dos processos de industrializao e consolidao como centro do capitalismo nacional, no sudeste e da concentrao fundiria no Nordeste

Central do brasil

Grandes migraes do sec. xxFluxo 2: ocorreu em busca de ocupao econmica, seja na forma de mo-de-obra (seringais, garimpos, explorao madeireira, projetos agropecurios etc.) seja como no assentamento e ocupao de reas rurais na condio de pequeno produtor familiar. A concentrao fundiria no Nordeste foi fator que, tambm, contribuiu tambm para este fluxo migratrio.

Grandes migraes do sec. xxFluxo 3: gerado pelos programas de incentivo ocupao do Centro-Oeste brasileiro, tendo como principal motor a construo de Braslia. Caracterizado pela migrao de mo-de-obra ocupada nas obras de expanso da infraestrutura (estradas, ferrovias, instalao de novas cidades) e como mo-de-obra agrcola.

Grandes migraes do sec. xxFluxo 4: expanso da fronteira agrcola para as regies Centro-Oeste e Norte do Brasil. Neste processo, podem se diferenciar, sobretudo, dois tipos de migrantes: os pequenos e mdios produtores rurais do Sul e Sudeste do Brasil que instalam propriedades no Centro-Oeste e trabalhadores rurais em busca de colocao na rea de expanso das atividades agropecurias. O valor da terras e as dificuldades de desmembramento das propriedades agrcolas, por herana, na segunda e terceira gerao foi fator que estimulou a dispora dos sulistas em direo ao Centro Oeste e Norte.

xodo rural

Consequncia:Capitalismo na produo agropecuria;grandes latifundirios;intensa mecanizao;Minifndios com baixo rendimento

Saldos atuais- mapa 2009

Tipos de migraesINTERREGIONAISEntre as regies;INTRARREGIONAISDentro das regies;

Urbana-urbanaCrescimento de cidades mdiasPolo industrialCaxias do Sul;Canoas;

Eixo industrial

Migrao de funcionrios para o Polo Naval preocupa lojistas

A empresa Estaleiros do Brasil S.A. aguarda apenas a licena ambiental da Fepam para iniciar as obras do estaleiro na cidade de So Jos do Norte... A previso gerar 24 mil empregos: 6 mil diretos e 18 mil indiretos. O mais impressionante que, de acordo com o ltimo Censo, So Jos do Norte possui exatos 25.474 habitantes.

http://wp.clicrbs.com.br/riogrande/tag/polo-naval/page/2/

Migrao sazonal ou transumncia temporria, onde o migrante sai de um determinado local, em determinado perodo do ano, e posteriormente volta, em outro perodo do ano. Ligada s:estaes do ano;Colheita;Grandes construes.

Migrao Pendular

Migrao PendularTrabalhadores saem todas as manhs de sua casa (em determinada cidade) em direo ao seu trabalho (que fica em outro municpio), retornando no final do dia.

Migrao Pendular cria:Cidade de moradia ou cidade dormitrio;Commutingd: o deslocamento pendular de um pas ao outro; Hora do rush: visvel quando pontos de nibus, estaes de metr, avenidas, viadutos e pontes que interligam cidades ficam repletas de pessoas no horrio da manh e do fim da tarde.

Recommended

View more >