mini híradó 23

Download Mini Híradó 23

Post on 09-Jan-2017

215 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • A organizao perfeita, as danas vibrantes e o apoio dos colaboradores deixaram a platia eufrica nas duas apresentaes. Que trabalho maravilhoso! Que noites inesquecveis! Que juventude de fibra!

    Aceitem os parabns e o reconhecimento do MINI HRAD!

    O MINI HRAD HOMENAGEIA OS ORGANIZADORES, OS DANARINOS, OS COLABORADORES E A PLATIA DO IX FESTIVAL SUL-AMERICANO

    DE DANAS FOLCLRICAS HNGARAS

    HRADInformativo da Associao Hngara - Braziliai Magyar Seglyegylet

    Ano 9 - n 23 - So Paulo, outubro de 2008

    MINI

    CONFIRA NESTA EDIO ESPECIAL:Organizadores ............................................................. 2Boas vindas ................................................................. 3Prospecto .................................................................... 5Histria ........................................................................ 6Grupos ........................................................................ 7Platia ....................................................................... 21

    Festa .......................................................................... 22Simpsio .................................................................... 25Comentrios .............................................................. 28Diploma ..................................................................... 37Convite ...................................................................... 38Anncio ..................................................................... 39

  • 2 - MINI HRAD

    OS ORGANIZADORESPedro, Loli e Letcia

    COMO FOI BOM ORGANIZAR O FESTIVAL DE DANAS!

    A organizao do festival foi algo bem trabalhoso... Porm muito prazeroso!

    Em meados de Fevereiro de 2007, Pedro sugeriu que comessemos a organizar o Festival Sul-Americano de Danas Folclricas Hngaras de 2008.Quem? S ns? Por que no? Mas e a Comisso Organizadora de 12 pessoas que existiu em 1997 (ltimo festival sul-americano no Brasil)? Pra que?E foi assim que comeamos...

    A idia inicial era pensarmos nas coisas mais demoradas para o festival acontecer:Definir datas... Convidar os grupos e professores...Achar um teatro...Achar um local para fazer o Simpsio...

    O resto foram detalhes...

    Percorremos mais de 500 km de estradas do interior de SP, a procura do local perfeito para o Simpsio. Tinha que ter um salo grande, piso liso, sem colunas, ventilado. Acomodaes com colches macios e chuveiros quentes. Comida substancial para alimentar os danarinos famintos que ensaiariam 6h por dia...E tinha que custar, no mximo US$ 100,00 os 6 dias de simpsio. Fcil? Enfim, achamos! E o lugar foi maravilhoso...

    E qual seria o teatro?Com alguns clculos e simulaes de custos (afinal Pedro e eu somos engenheiros e trabalhamos com projetos), chegamos a um nmero mnimo de pblico pagante necessrio que precisaramos para ajudar no oramento do Festival.

    Graas a alguns contatos que tenho, conseguimos o Teatro So Pedro, por um preo muito em conta, que no pesou no oramento do Festival e com uma quantidade tima de lugares para o pblico!

    A paixo pela organizao do festival, ento comeou a crescer...As idias brotavam animadas e j enxergvamos o festival acontecendo.Como seria o logotipo do festival? Qual seria a cor da camiseta? Quem faria a abertura do festival?

    As idias dos pequenos detalhes foram da Letcia. Uma sacola, um squeeze, um adesivo ...Detalhes que foram muito importantes e que todos gostaram.E tudo comeou a tomar forma...

    Cada final de semana, conversvamos sobre os detalhes de cada dia do festival, do cardpio dos jantares na Casa Hngara, da distribuio dos danarinos nas casas das famlias, do transporte deles... Quem vai para o aeroporto? Quando os uruguaios chegam? Os jaraguenses so quantos e ficam na Casa Hngara? Quem vai para o simpsio?E o festival se aproximava...Mas era maro de 2008 e j tnhamos o teatro e o local para o simpsio!

    Definimos ento a cor da camiseta, o logotipo, a cor do squeeze, a seqncia das danas, quem apresentaria, quem iria para o simpsio, qual seria o lanche dos danarinos, quem iria pegar os danarinos no aeroporto...

    O resto eram detalhes...

    O planejamento antecipado e minucioso fez com que consegussemos pensar em todos os detalhes. O fato de todos j termos participado de outros festivais ajudou muito a definir muita coisa. E a Letcia como produtora do evento transformou tudo em realidade.

    Enfim, o festival aconteceu. O simpsio aconteceu.Eventos como esse na Colnia Hngara fazem a gente sentir as nossas origens. um sentimento bvio, mas muito bonito. Faz resgatar a histria dos nossos pais, dos nossos avs que, todos sabemos, tiveram um passado difcil, fugindo da Hungria. Mas ao mesmo tempo, possibilitaram todo esse grande e maravilhoso trabalho que a Colnia Hngara no Brasil.Independente das discusses, problemas e dificuldades que enfrentamos por aqui, tudo vale a pena. Todos somos hngaros e nisso que temos que pensar e sentir.

    A organizao do festival me fez sentir mais perto de tudo isso. Esse resgate s origens foi uma experincia inesquecvel e muito marcante no s para mim, mas para cada danarino que participou. Acredito que cada um deles, mesmo os que no so descendentes de hngaros, ou aqueles que so pequenos e ainda no entendem a dimenso de um acontecimento como esse, tiveram o mesmo sentimento.Cada olhar, cada sorriso, cada passo, cada batida na bota e cada garrafa equilibrada na cabea tinha o mesmo objetivo: continuar a tradio hngara herdada dos nossos pais !Obrigado a todos !

    Uma coisa que nunca vou esquecer, um momento nico, que significou que finalmente o festival tinha se tornado realidade: a noite da abertura do Festival (na Casa Hngara). Eram mais de 200 pessoas e danarinos (sem gua!) e no Terem tocava uma msica de Mezsgi Tnc, com todos danando muito animados, virei e falei:

    Pedro! O festival est acontecendo! Est acontecendo!

    E j se foi...

    Tirczka Loli

  • HIRAD uma publicao da Associao Hngara Braziliai Magyar Seglyegylet

    Fundador: Gedeon PillerEquipe da Redao: Hilda Budavri, K.J. GombertDiagramao e composio: Renata Tubor

    Diretoria da Associao Hngara:Presidente: Francisco Tibor Dnes; Vicepresidente: Madalena Judite Rth; 1 Secretria: Charlotte Nmeth; 2 Secretria: Carolina Vargha; 1 Tesoureiro: rpd Joo Koszka; 2 Tesoureiro: Albert Kiss

    Endereo: Rua Gomes de Carvalho, 823 Vila Olmpia So Paulo SP CEP 04547-003Telefone / Fax 55-11-3849-0293 E-mail: 30desetembro@uol.com.br

    MINI HRAD - 3

    BOAS VINDAS - NA CASA HNGARABienvenido al 9. Festival!

    Bailarines!Estamos esperando a todos los bailarines para realizar el festival de danzas hngaras

    una vez ms, ahora nuevamente en So Paulo.

    Es con mucho cario y dedicacin que la Comisin Organizadora espera realizar esta gran fiesta que es el festival de bailes hngaros!

    Prepara tus botas, tus faldas, tus sombreros e tus kuriants!

    Bem-vindo ao 9 Festival Sul-americano de Danas Folclricas Hngaras!Danarinos ! Tncosok!

    Aguardamos todos os danarinos para realizar mais um festival de danas hngaras , agora novamente em So Paulo.

    A Comisso Organizadora est preparando com muito carinho e dedicao e espera fazer uma grande festa!

    Preparem suas botas, suas saias, seus cabelos, chapus e seus kuriants!

  • 4 - MINI HRAD

    Loli gritou: Pedro ! O festival est acontecendo ! Est acontecendo !

  • MINI HRAD - 5

    PROSPECTO - O prospecto foi entregue no teatroArte e diagramao: Katarina Anna Maria Tirczka

    INTRODUO

    O Festival Sul-americano de Danas Folclricas Hngaras realizado a cada dois anos, reunindo grupos da Argentina, Brasil, Uruguai e Venezuela, pases onde as colnias hngaras so mais numerosas. Nesta edio, o festival tambm ter a participao especial de um grupo da Hungria.

    Aps 22 anos de existncia, o festival ainda mantm seu objetivo principal: preservar as tradies e costumes da Hungria que foram trazidos aos pases para onde os hngaros emigraram. Esse festival tornou-se, de fato, um intercmbio cultural riqussimo que j ultrapassou as fronteiras do continente.

    A beleza, a riqueza e a variedade das danas folclricas hngaras interessam cada vez mais pessoas no mundo inteiro.

    A DANA HNGARA

    As danas hngaras mais antigas datam da Idade Mdia e caracterizam-se principalmente pelas danas de roda tambm conhecidas como danas circulares. O Karikz (karika = anel) executada apenas por moas um exemplo disso. Alm

    do karikz, outros estilos desenvolveram-se nessa poca como o grs e as danas de cajados (botol), realizados at os dias de hoje pelos pastores.

    Karikz grsAs danas mais modernas desenvolveram-se entre os sculos XVII e XIX. Dentre elas temos, por exemplo, o verbunk, que surgiu como uma forma de recrutamento militar do Imprio Austro-hngaro.

    VerbunkOutro estilo moderno que surgiu nesta poca foi o mundialmente conhecido Csrds. O nome csrds usado como um termo geral para as danas de pares. No entanto, devido a um desenvolvimento desigual pelas diferentes regies folclricas da Hungria, o nmero de variaes do csrds incontvel.

  • 6 - MINI HRAD

    Kalocsai npviselet

    O PROSPECTO CONTA UM POUCO DA HISTRIA DA HUNGRIA

  • MINI HRAD - 7

    O PROSPECTO CONTA UM POUCO SOBRE A HISTRIA DOS GRUPOS DE DANAS

    CSILLAGSZEM Olhos de estrela Budapest Hungria

    Sua histria e fotos de suas apresentaes:

    O Csillagszem foi criado em 1992 pelo casal de danarinos profissionais da Hungria, Sndor e Bske Timr.

    Galgamenti verbunk s forgs

    Atualmente, composto por 500 crianas e considerado um dos grupos mais prestigiados da Hungria, tomando parte em vrios programas de danas e festivais, principalmente pela influncia de seus professores e enorme fama em toda Europa.

    Kalotaszegi mulatsg

  • 8 - MINI HRAD

    O grupo representa