neea - folha informativa 23 (2007)

of 4 /4
Já estamos em Bolonha... Rescaldo 2007 Filosofia do NEEA Secção Pedagógico-Formativa SICA XIII Directamente da Polónia... À conversa com… Myriam Lopes Agenda Indústria e Ambiente O NEEA informa... europeu de inovação ambiental. Neste contexto, a Indústria e Ambiente promove o Prémio Nacional de Inovação Ambiental no qual são escolhidos entre 3 a 4 candidatos nacionais ao prémio europeu. Os leitores são deciso- res, responsáveis e técnicos na área do ambiente, manutenção, qualidade, higiene e segurança e responsabilidade social, do sector industrial e empresarial, tanto público como privado. A Indústria e Ambiente é editada pela Publindústria, editora especializada em revistas e livros técnico-científicos. A Indústria e Ambiente é a revista portuguesa líder na área da engenharia e gestão ambiental. Cobre todos os aspectos ambientais relacionados com água, resíduos, ar, eficiência energética e energias reno- váveis, entre outros. É reconhecida pela Fundação para a Ciência e Tecnologia e está enquadrada no Estatuto do Mecenato Científico. Lançada em 1993, é desde 1998 o membro português da European Environmental Press (www.eep.org), que organiza o EEP Award – um prémio folha informativa Núcleo de Estudantes de Engenharia do Ambiente AAUAv Folha 23 Dezembro de 2007 500 Exemplares | Distribuição gratuita Patrocínios Apoios Departamento de Ambiente e Ordenamento universidade de aveiro http://famua.forumativo.com FAMUA, se não for um sucesso a culpa é tua! Caros colegas, Estamos de regresso para mais uma edição desta vossa Folha Informativa. O início deste ano lectivo, está a ser marcado pela implementação, por completo, do Processo de Bolonha, na Universidade de Aveiro. Desta forma, contamos com um esclarecimento por parte da Directora de Curso, a prof.ª Ana Isabel Miranda, alusivo às alterações verificadas no plano curricular. Com o mandato a acabar é tempo de fazer um balanço, a todas as actividades realizadas pela direcção do NEEA’07. Directamente da Polónia, chega-nos o testemunho de duas colegas a integrarem o programa ERASMUS – Joana Pinheiro e Mariana Pedro. Nesta 23ªFolha Informativa, destacamos também a tão conhecida Semana de Integração ao Caloiro de Ambiente, este ano com a sua XIII edição. Relativamente ao programa, de realçar um conjunto de fotos das principais actividades, como a Festa Parola, o passeio a S. Jacinto, o Casco Paper, o baptismo e respectivo jantar de curso e por último mas não menos importante, a Caça ao Biochoco. Podemos ainda contar com a colaboração da prof.ª Myriam Lopes, na rubrica “À conversa com…”. No espaço dedicado à secção Pedagógico-Formativa, apresenta-se o balanço da Conferência “novas soluções energéticas”. Este ano integrada no programa da SICA, o evento traduziu-se num grande êxito, dado o elevado número de pessoas presentes no Grande Auditório do Centro Cultural e de Congressos de Aveiro. Resta-nos desejar um bom ano lectivo para todos!. Até breve, Bruno Almeida Editorial SUMÁRIO agenda 8 design Henrique Loff .Francisco Vaz da Silva O NEEA informa... O NEEA informa que pode ser solicitada, junto do mesmo, a utilização dos cacifos disponíveis no DAO. Essa utilização envolve uma caução de 5 euros e o pagamento de 1 euro por semestre. Assim, todos os alunos que pretendam utilizar esta mais valia, devem dirigir-se ao NEEA de modo a procederem ao registo e obtenção da respectiva chave. Quando deixares de usar o cacifo ser-te-á devolvida a caução em troca da chave do mesmo. Cacifos no DAO Sabes qual é a diferença entre um membro do NEEA e um sócio efectivo do NEEA?... NÃO?!?… Muitas pessoas não sabem que existe uma diferença … mas há!! Todos os alunos inscritos em Engenharia do Ambiente passam, automaticamente, a ser membros do Núcleo. No entanto, para terem o estatuto de sócios efectivos terão de pagar uma quota anual de 3.5 euros. Se quiseres passa pelo NEEA (sala 225) e faz-te sócio ou actualiza as tuas quotas. Quotas Horário de Atendimento O Núcleo dispõe de um horário de atendimento para todos os alunos que queiram esclarecer as suas dúvidas acerca de conferências, congressos, visitas técnicas e muitas outras actividades realizadas pelo NEEA. Este atendimento, atendendo ao período de mudança de direcção, realiza-se somente as quartas-feiras, das 15 às 16 horas no Núcleo (sala 225 do DAO). Núcleo de Estudantes de Engenharia do Ambiente - AAUAv folha informativa P2 P4 P3 P6 P7 P8 5 DEZ’07 | Porto 11ªConferência Eficiência Energética e Cogeração www.cogenportugal.com GS GRUPO SONDAR UVW CENTRO DE MODELAÇÃO DE SISTEMAS AMBIENTAIS, LDA. 11 DEZ’07 | Gaia Seminário “Eficiência energética e gestão da procura” Mobilidade Sustentável [email protected] www.apea.pt 5 DEZ’07 | Porto Curso de projecto de parques eólicos www.garradhassan. com/training/ 5 e 6 DEZ’07 | Porto Curso: Energias Renováveis www.cenertec.pt 24 a 26 JAN’08 | Porto Seminário “Redes públicas, sustenta- bilidade e desempenho…” 2 a 4 ABR’08 | Cascais, Centro Cultural do Congresso Estoril 9ºCongresso da Água www.aprh.pt Indústria e Ambiente 30 JAN’08 | ISELisboa Podemos Prever um Tsunami? Ana Viana Baptista 26 MAR’08 Icebergues, Neve e muitos Pinguins: As razões do ano Polar Internacional José Xavier 18 JUN’08 | INETI Aquecimento Global: A caminho da autodestruição ou da Engenharia climática Planetária?

Upload: nucleo-estudantes-engenharia-ambiente

Post on 09-Mar-2016

218 views

Category:

Documents


1 download

DESCRIPTION

23ª edição da folha informativa do Núcleo de Estudantes de Engenharia do Ambiente.

TRANSCRIPT

Page 1: NEEA - Folha Informativa 23 (2007)

Já estamos em Bolonha...

Rescaldo 2007

Filosofia do NEEA

Secção Pedagógico-Formativa

SICA XIII

Directamente da Polónia...

À conversa com… MyriamLopes

Agenda

Indústria e Ambiente

O NEEA informa...

europeu de inovação ambiental.Neste contexto, a Indústria eAmbiente promove o PrémioNacional de Inovação Ambientalno qual são escolhidos entre

3 a 4 candidatos nacionais aoprémio europeu. Os leitores são deciso-res, responsáveis e técnicos na área doambiente, manutenção, qualidade,higiene e segurança e responsabilidadesocial, do sector industrial e empresarial,tanto público como privado. A Indústriae Ambiente é editada pela Publindústria,editora especializada em revistas e livrostécnico-científicos.

A Indústria e Ambiente éa revista portuguesa líderna área da engenharia egestão ambiental. Cobretodos os aspectos ambientaisrelacionados com água, resíduos, ar,eficiência energética e energias reno-váveis, entre outros. É reconhecida pelaFundação para a Ciência e Tecnologiae está enquadrada no Estatuto doMecenato Científico. Lançada em 1993,é desde 1998 omembro por tuguês da EuropeanEnvironmental Press (www.eep.org),que organiza o EEP Award – um prémio

folha informativa Núcleo de Estudantes de Engenharia do AmbienteAAUAv

Folha 23Dezembro de 2007500 Exemplares | Distribuição gratuita

Patrocínios

Apoios Departamento deAmbiente eOrdenamento

universidadede aveiro

http://famua.forumativo.com FAMUA, se não for um sucesso a culpa é tua!

Caros colegas,Estamos de regresso para mais uma edição desta vossa Folha Informativa. O início deste ano lectivo, está a sermarcado pela implementação, por completo, do Processo de Bolonha, na Universidade de Aveiro. Desta forma,contamos com um esclarecimento por parte da Directora de Curso, a prof.ª Ana Isabel Miranda, alusivo às alteraçõesverificadas no plano curricular.Com o mandato a acabar é tempo de fazer um balanço, a todas as actividades realizadas pela direcção do NEEA’07.Directamente da Polónia, chega-nos o testemunho de duas colegas a integrarem o programa ERASMUS – JoanaPinheiro e Mariana Pedro.Nesta 23ªFolha Informativa, destacamos também a tão conhecida Semana de Integração ao Caloiro de Ambiente,este ano com a sua XIII edição. Relativamente ao programa, de realçar um conjunto de fotos das principais actividades,como a Festa Parola, o passeio a S. Jacinto, o Casco Paper, o baptismo e respectivo jantar de curso e por últimomas não menos importante, a Caça ao Biochoco. Podemos ainda contar com a colaboração da prof.ª Myriam Lopes,na rubrica “À conversa com…”.No espaço dedicado à secção Pedagógico-Formativa, apresenta-se o balanço da Conferência “novas soluçõesenergéticas”. Este ano integrada no programa da SICA, o evento traduziu-se num grande êxito, dado o elevadonúmero de pessoas presentes no Grande Auditório do Centro Cultural e de Congressos de Aveiro.Resta-nos desejar um bom ano lectivo para todos!.

Até breve,Bruno Almeida

Editorial

SUMÁRIO

agenda

8

desi

gn H

enriq

ue L

off .

Fra

ncis

co V

az d

a S

ilva

O NEEA informa...

O NEEA informa que pode ser solicitada, junto do mesmo,a utilização dos cacifos disponíveis no DAO. Essa utilizaçãoenvolve uma caução de 5 euros e o pagamento de 1 europor semestre. Assim, todos os alunos que pretendam utilizaresta mais valia, devem dirigir-se ao NEEA de modo aprocederem ao registo e obtenção da respectiva chave.Quando deixares de usar o cacifo ser-te-á devolvida a cauçãoem troca da chave do mesmo.

Cacifos no DAO

Sabes qual é a diferença entre um membro do NEEA e umsócio efectivo do NEEA?... NÃO?!?… Muitas pessoas não sabemque existe uma diferença … mas há!!Todos os alunos inscritos em Engenharia do Ambiente passam,automaticamente, a ser membros do Núcleo. No entanto, paraterem o estatuto de sócios efectivos terão de pagar uma quotaanual de 3.5 euros. Se quiseres passa pelo NEEA (sala 225) efaz-te sócio ou actualiza as tuas quotas.

Quotas

Horário de AtendimentoO Núcleo dispõe de um horário de atendimento para todosos alunos que queiram esclarecer as suas dúvidas acerca deconferências, congressos, visitas técnicas e muitas outrasactividades realizadas pelo NEEA.Este atendimento, atendendo ao período de mudança dedirecção, realiza-se somente as quartas-feiras, das 15 às 16horas no Núcleo (sala 225 do DAO).

Núcleo de Estudantes de Engenharia do Ambiente - AAUAv folha informativa

P2

P4

P3

P6

P7

P8

5 DEZ’07 | Porto

11ªConferência

Eficiência Energética e

Cogeração

www.cogenportugal.com

GSGRUPOSONDAR

UVWCENTRO DE MODELAÇÃO DE SISTEMAS AMBIENTAIS, LDA.

11 DEZ’07 | Gaia

Seminário “Eficiência

energética e gestão da

procura”

Mobilidade Sustentável

[email protected]

www.apea.pt

5 DEZ’07 | Porto

Curso de projecto de

parques eólicos

www.garradhassan.

com/training/

5 e 6 DEZ’07 | Porto

Curso: Energias

Renováveis

www.cenertec.pt

24 a 26 JAN’08 | Porto

Seminário “Redes

públicas, sustenta-

bilidade e desempenho…”

2 a 4 ABR’08 | Cascais,

Centro Cultural do

Congresso Estoril

9ºCongresso da Água

www.aprh.pt

Indústria e Ambiente

30 JAN’08 | ISELisboa

Podemos Prever um

Tsunami?

Ana Viana Baptista

26 MAR’08

Icebergues, Neve e muitos

Pinguins: As razões do

ano Polar Internacional

José Xavier

18 JUN’08 | INETI

Aquecimento Global: A

caminho da

autodestruição ou da

Engenharia climática

Planetária?

Page 2: NEEA - Folha Informativa 23 (2007)

1º ciclo (Licenciatura)- Engenharia do Ambiente- Ciências do Mar2º ciclo (Mestrado)- Engenharia do Ambiente- Ciências do Mar e das ZonasCosteiras- Joint European Masterprogramme in EnvironmentalStudies (JEMES)- Sistemas Energéticos Sustentáveis3º ciclo (Doutoramento)- Engenharia do Ambiente- Ciências do Mar e do Ambiente

Núcleo de Estudantes de Engenharia do Ambiente - AAUAv folha informativa

2 3

Núcleo de Estudantes de Engenharia do Ambiente - AAUAv folha informativa

Já estamos em Bolonha e a transi-ção não foi (ou não está a ser) tãocomplexa quanto alguns antecipa-vam. Claro que o período de matrí-culas foi conturbado, principalmentepara os alunos em transição, e osseus planos de estudos ainda terãode ser revistos, aluno a aluno, paragarantir que, no final do percursode cada um, tudo decorreu correc-tamente do ponto de vista de for-mação académica. Ainda há muitotrabalho a fazer, mas a fase maiscrítica já passou...Todos já estamos conscientes daexistência de dois ciclos de forma-ção em Engenharia do Ambientena UA. Porém, actualmente, sãotrês os ciclos de formação já adap-tados aos critérios de Bolonha: (i)primeiro ciclo, de 3 anos, grau deLicenciado; (ii) segundo ciclo, de 2anos, grau de Mestre; e (iii) terceirociclo, de 4 anos, grau de Doutor.O primeiro ciclo, correspondenteaos 3 primeiros anos (num totalde 180 ECTS), permite a obtençãodo grau de Licenciado. Os alunostêm a formação básica em enge-nharia e nas disciplinas do ambientee áreas afins, ficando aptos para odesempenho de funções técnicas.Um licenciado de Bolonha podeoptar por se inserir no mundo dotrabalho, desenvolvendo actividadena área do ambiente, ou podedecidir continuar a sua formaçãonum segundo ciclo de estudos(num total de 120 ECTS), condu-cente ao grau de Mestre, aprofun-dando o conhecimento em Enge-nharia do Ambiente ou mudandoo seu percurso para um outromestrado (desde que as condiçõesde admissão permitam a candi-datura de licenciados em Engenha-ria do Ambiente).De acordo com o espírito de Bolo-nha, e visando facilitar a mobilidade,a selecção pelos alunos de diferen-tes percursos de formação, bemcomo a a formação ao longo davida, os 2 ciclos de formação em

Engenharia do Ambiente na UAnão constituem um mestrado inte-grado, mas são isso mesmo - 2ciclos de formação. Evidentementeque aos 2 ciclos de formação emEngenharia do Ambiente está as-sociada uma certa continuidadepedagógica e científica. Nesse sen-tido a Ordem dos Engenheirosreconhece, tal como reconhece oslicenciados em Engenharia do Am-biente pre-Bolonha da UA, comoEngenheiros os alunos que conclu-am com sucesso os 2 ciclos emEngenharia do Ambiente da UA.O 2º ciclo em Engenharia do Ambi-ente, para além da forte compo-nente científico-tecnológica, estáorganizado em três Percursos deFormação: (i) Gestão e Tratamentode Resíduos; (ii) Gestão e Trata-mento de Águas; (iii) PoluiçãoAtmosférica. Implica no segundoano o desenvolvimento dum traba-lho de Dissertação (42 ECTS).Só são admitidos no 2º ciclo deformação alunos com o grau deLicenciado. No entanto, será per-mitida a inscrição a alunos do 1ºciclo de Engenharia do Ambientea disciplinas do 2º ciclo em Enge-nharia do Ambiente, desde querespeitado o Regulamento deEstudos da UA. Depois de concluí-do o 1º ciclo, essas disciplinas serãocreditadas no 2º ciclo, caso o alunose venha a matricular no mestrado.Refira-se, porém, que não serápossível a inscrição de um alunodo 1º ciclo à Dissertação do planode estudos do 2º ciclo. Aliás, o temade dissertação deverá, sempre quepossível, inserir-se no Percurso deFormação do aluno no 2º ano do2º ciclo.Prevê-se o “livre” acesso ao 2º cicloem Engenharia do Ambiente dosalunos com o 1º ciclo concluído,também em Engenharia do Ambi-ente na UA. No caso de outrostrajectos formativos, as candidaturasserão analisadas e seriadas combase na formação académica e

profissional dos candidatos, queserá a referência para a elaboraçãodos seus planos de estudo especí-ficos.Para além do 2º ciclo em Engenha-ria do Ambiente, o Departamentode Ambiente e Ordenamento éresponsável, ou participa, nos se-guintes Mestrados: Sistemas Energé-ticos Sustentáveis, Ciências das Zo-nas Costeiras e do Mar e MestradoEuropeu Conjunto em EstudosAmbientais (JEMES – Joint Euro-pean Master in EnvironmentalStudies).O JEMES é um exemplo da mobili-dade, não só de alunos, mas tam-bém de docentes, pretendida como Processo de Bolonha. A UA, emconjunto com 3 Universidadeseuropeias (Hamburg University ofTechnology - Alemanha, Universityof Aalborg - Dinamarca e Autono-mous University of Barcelona -Espanha), lecciona este Mestrado,que tem a jancela da União Euro-peia, sendo considerado um Mes-trado Erasmus Mundus.Finalmente, a UA oferece os Pro-gramas de Doutoramento em En-genharia do Ambiente e em Ciên-cias do Mar e do Ambiente, decor-rendo este último em parceria coma Universidade do Porto.O Quadro 1 sintetiza as ofertasde formação na área do ambienteda UA.Sei que ainda várias dúvidas persis-tem nos vossos espíritos; são ine-rentes a qualquer processo de tran-

Prof. Doutora Ana Isabel Miranda

A Directora de Curso de Engenharia do Ambiente

Já estamos em Bolonha...

Secção Pedagógico-Formativa

Chegamos ao fim de uma maratona com maisde 42 km com muito para comentar e novasideias! A direcção do NEEA 2007, constituídapor nove elementos, não vai esquecer a expe-riência por todos partilhada.No primeiro semestre do ano de 2007, o NEEAorganizou duas visitas técnicas (ETAR do Freixoe Central Nuclear de Almaraz), uma acção deformação sobre técnicas de Procura de Em-

Rescaldo 2007

Como é do conhecimento da comunidade dosfuturos engenheiros do ambiente, o NEEA éum núcleo vinculado à AAUAv que desenvolveprojectos na área da formação dos estudantesda licenciatura e mestrado em Engenharia doAmbiente. Desde do ano 2001 (ano da suacriação), o núcleo tem procurado assumir umapostura dinâmica e pro-activa no seio da acade-mia que lhe permitiu atingir bons resultados aonível da organização de eventos, tais como oForum Nacional de Engenharia do Ambiente,realizado em 2004. O ano de 2005 foi um anode transição, na medida em que foram enqua-drados no plano de actividades do NEEA novos

prego, entre outras actividades de carácteracadémico e desportivo. Já no segundo semestrede 2007, a equipa uniu-se como nunca paraorganizar a XIII Semana de Integração ao Caloirode Ambiente que foi um sucesso em termosde participação! Durante a XIII SICA decorreua Conferência “novas soluções energéticas”sobre um tema bastante actual. Mais uma vez,o nível de participação foi surpreendente, sendoque se reuniram mais de 400 interessados namatéria no Centro Cultural e de Congressosde Aveiro para participar no evento.

Finalmente, com vista a complementar aformação académica dos estudantes deEngenharia do Ambiente realizou-se uma visitatécnica à Portucel, em Cacia. Um curso de curtaduração sobre “Avaliação de ImpactesAmbientais” está agendado para inícios deFevereiro.Como coordenador desta equipa dinâmica,gostaria de agradecer a todos os colaboradoresdo núcleo de todos os estudantes de Engenhariado Ambiente pela energia, esforço e confiançadepositada em todos os projectos realizados.

objectivos, numa perspectiva inovadora e criativa.Em 2007, procurou-se dar continuidade aotrabalho que tinha sido desenvolvido, atravésda manutenção da realização de visitas técnicas,cursos de formação, uma conferência, entreoutras actividades de carácter académico-desportivo. Na realidade, o espírito criativopotenciador de movimentos extra-curricularesmantém-se num novo cenário de transição.O Associativismo em Portugal terá de se adaptaràs exigências desta “era Bolonha”, através dacriação de novos mecanismos e metodologiasde funcionamento. Hoje em dia temos maistempo para nos dedicarmos enquanto estu-

dantes ao estudo e outras actividades, contudo,as novas regras do jogo, exigem de nós (en-quanto estudantes) uma maior autonomia eindependência intelectual.Acreditamos que 2008 será um ano de mudançano esquema de trabalho do nosso estimadonúcleo de curso, visto que através da projecçãode um calendário com actividades inovadorasdistribuídas ao longo do ano lectivo, investindoem períodos em que não decorrem avaliaçõescontínuas (ex: período de exames, férias, finsde semana), se poderá aumentar a eficiênciana produção de trabalhos ao nível académicoe do associativismo.

Filosofia do NEEA

sição curricular. Podem contar coma minha disponibilidade, como do-cente e como Directora dos 2ciclos em Engenharia do Ambiente,para vos elucidar e apoiar em tudoo que me for possível.Espero vivamente, que já no finaldo corrente ano lectivo, os alunose os docentes se sintam recompen-sados pelo esforço associado àtransição para Bolonha. Espero queo processo de aprendizagem tenhasido mais activo e participativo,fomentando o aprender a pensar,o aprender a aprender e o apren-der a ensinar e que os nossos En-genheiros do Ambiente se encon-trem ainda mais bem preparadospara os desafios, não só nacionaismas também internacionais, dumasociedade competitiva e exigente.

Quadro 1.

Ricardo Carvalho

Coordenador

No passado dia 10 de Outubro o NEEAorganizou uma conferência subordinada ao tema“Energia & Ambiente - Gestão, Inovação eSustentabilidade”, pretendendo explorar as ideiasque estão na base da “Estratégia Nacional paraa Energia” e que terão aplicação na vida doscidadãos e das empresas. O evento decorreupelas 21H00 no Grande Auditório do CentroCultural e de Congressos de Aveiro.A sessão de abertura esteve a cabo da Prof.ªDr.ª Ana Paula Gomes como vice-presidente doConselho Directivo do Depar tamento deAmbiente e Ordenamento da Universidade deAveiro. A referida conferência teve como mo-derador o Prof. Dr. Luís Tarelho representandoo Departamento de Ambiente e Ordenamentoda Universidade de Aveiro.

Os diferentes painéis apresentados foram:1º Painel: “Energias alternativas em Portugal”Orador: ASilvaMatos, pelo Eng.ºPedro Pinheiro.2º Painel: “Ecoeficiência energética em edifícios”Orador: Ecoinside, pelo Doutor Joaquim Guedes.3º Painel: “Os biocombustíveis e a mobilidadesustentável” Orador : Prio Advanced Fuels -Grupo Martifer, pela Engenheira Cristina Correia.

Com vista a complementar a formação adquiridaao longo da licenciatura, o NEEA está a organizarpara os inícios de Fevereiro, um curso de curtaduração de 12horas sobre “Avaliação em ImpactesAmbientais”. Esta iniciativa inicialmente esteveprogramada para meados de Novembro masdevido a problemas logísticos acabou mesmopor ser adiada.

Contactos – David Silva [email protected] | João Simões [email protected]

Page 3: NEEA - Folha Informativa 23 (2007)

5

Núcleo de Estudantes de Engenharia do Ambiente - AAUAv folha informativaNúcleo de Estudantes de Engenharia do Ambiente - AAUAv folha informativa

4

Comentários à SICAComentários à SICAParabéns também ao NEEA por proprocinar

2 semanas inesquecíveis de pura diversão…

(Rafael Silva)Simplesmente brilhante!

(Ana Rita Correia)

Ambiente é que é!

(Ana Lúcia)Fantástica!!

(Teresa Salada)

Espero que se tenham divertido e que no futuro

sejam vocês a organizar este grande evento…

(Pedro Almeida)Foi uma coisa fora do normal!! Já passei por muitas

coisas e esta de certeza que nunca esquecerei…

(Joana Madaleno)

Foi das melhores semanas de sempre…muito

alcool… muita festa… muitos amigos…

(Diana Oliveira)

Parabéns a todos os veteranos que de uma forma ou

outra contribuiram para estas duas semanas inesquecíveis…

(Elisabete Martins)

… Se keres melhor estudásses!

(anónimos)

Semanas espectaculares!

Ambiente sempre à frente,

Pessoal todo altamente.

Semanas que ficam para sempre.

(Franscisco)Em S.Jacinto dancei,Fui praxada até fartar.

Quem a SICA inventou é Rei,

E deve por isso um prémio ganhar.

(Cátia Baptista)

Duas semanas cheias de sorte!

SICA XIII é a maior!!(Isabel Machado)

Outubro, o mês mais integrável e menos intragável do ano. Se do três ao seis seriam os da associação,nós, os do Ambiente, dedicamos duas semanas de lazer aos recém-chegados. A começar na segunda-feira, dia 8 e a arrastar-se até quinta-feira, dia 18, com o estratégico “desmame” a interpor-se pelomeio a bem da nossa rica saúde.

Segunda-feira, dia 08 de Outubro de 2007E porque não se atiram os pas-sarinhos parafora do ninho sem os ensinar a voar (poracaso até atiram), havia que equipar os catraiose instruí-los minimamen-te acerca do que sepretendia para a edição do presente ano.Numa sessão de abertura que se dividiu porentre programações, camisolas, guiões e fitascom cartões, fez-se da pequena lavagem aocérebro uma grande lavagem à carteira eentre inscrições para jantares e passeios pelaria, ainda se levou um punhado de novosassociados.

Segunda-Feira, dia 15 de Outubro de 2007O primeiro dia do resto da parolice de vidaque a maior parte vai ter. A festa que celebrao saloio que há em cada um de nós teve umaadesão como nunca se verificara. O requintefoi deixado de lado, excepto nas pinturas queessas sempre foram exageradas, o orgulhoexibido nas faces dos presentes faria relembrarum domingo gordo num qualquerhipermercado nacional. Mais ou menosaprumados, saudamos os 187 parolos presentese esperamos que se deixem libertar e libertemmais uns quantos, no próximo ano!

Quarta-Feira, dia 31 de Outubro de 2007O assalto final contra as hostesbiodesagradáveis. Do armamento faziam-secerca de 4 mil munições e um batalhão de300 soldados em formação tartaruga. Aestratégia passava pelo extermínio absolutodo inimigo complementada com as habituaiscelebrações de vitória. A história seguiu avontade dos Deuses e Eng. Ambienteesmagou a praga bioshoca. A U. A. poderespirar livremente durante mais um ano.

E nesta que foi a 13ª edição afastou-se toda e qualquer superstição, o azarremeteu-se para aqueles que quiseramfaltar e não desfrutaram dos bonsmomentos que se proporcionaram.Esperemos que não se tenhadesintegrado a integridade integraldos que ao nosso cuidado estiveram.Terminada a SICA, fiquem com SECAque são as aulas e os exames. Destevosso exsicador,

P’lo NEEA*, da Secção Académico Desportiva,Pedro Almeida e Martinho Martins.

(*com a colaboração de Margarida Caria)

Terça-Feira, dia 09 de Outubro de 2007Uma vez que somos pessoas de fé, difundimos a palavra do Senhor.Nesse sentido, optámos por uma terça-feira mais dedicada à devoção.Foram escolhidos cinco locais de culto a serem descobertos peloscrentes aos quais foram entregues os roteiros sagrados. Quando napresença da santíssima trindade eram convidados a tomar o cálice,celebrando assim o corpo e sangue de Baco.

Quinta-Feira,dia 11 de Outubro de 2007Nisto já se entrava no último dia daprimeira semana dedicado à integração,vai daí que apostamos novamente emcultivar as criaturas. As poucas queestavam disponíveis, porque lá doscubículos fazem mais questão do quenós em que estejam todos presentesnão vá algum declarar-se “anti-aulas”,tiveram a oportunidade de visitar o“semi-museu” de Aveiro. Por entreandaimes e artistas da construção civil,estou certo que a arte barraca, perdãobarroca, os deve ter deliciado para avida. Já a noite reser-varia um convívionocturno, do qual pouco mais seespremeu que as laranjas que para láse levaram.

Fim-de-semana,dias 12-14 de Outubro de 2007O final da semana perspectivou-se no sentido mais familiar. Oregresso das crias aos proge-nitores, a reunião em volta dafogueira, o contar das fantásticas aventuras e daquelas primeirasexperiências que se têm para a vida… (estava a falar de andarde lancha).

Terça-Feira, dia 16 de Outubro de 2007As pragas, regra geral, não são benéficas para oHomem. O que implica que, sendo o “bioshockusanimalius” um espécime que gruda e paira epelo campus, deixando o cheiro terrível de nomede código “Cacia”, tenha que ser eliminado sobpena de possíveis coimas da ASAE por falta decondições de higiene. Infelizmente este ano, a“rainha-mestra” da “bioshocogália” não estavadisponível, provavelmente a tratar das unhas oudos dentes, então que se adiou o inevitávelextermínio para dia 31 de Outubro.

Quarta-Feira, dia 17 de Outubro de 2007Inicialmente tida como a data do tradicional“Casco-paper”, houve necessidade de alteraro programa, pois foi o dia escolhido para oGrande Secão, perdão, Aluvião, e portanto nãopodíamos colidir com outros organismosinternos. Espero que se tenham divertido todos.

Quinta-Feira, dia 18 de Outubro de 2007O último dia. E se ao fim de tanto tempo, aparte da Integração falhou, então a SICA foium fracasso, mas pelo menos a SCA foi umsucesso. Para se fazer parte da grande famíliado Ambiente, há que seguir os seus rituais.O Cristo foi Baptizado no rio Jordão, osnossos são encharcados na proceder àscelebrações individuais de cada indivíduohaviam sido criteriosamente seleccionadospelas alminhas em busca de salvação, ou vice-versa, conforme o caso. Para que se desseinício às festividades, bastava que chegassemos cardeais e o Sumo Pontífice, que até entãoestavam reunidos a tratar dos problemas domundo e a consumir o sangue do outrosantinho. A cerimónia fez-se dentro danormalidade, como quem diz, foi o caos e adesorganização total. Uma última ceia marcariao encerro da semana e do evento.

Quarta-Feira, dia 10 de Outubro de 2007Se a todo o bom muçulmano é exigidoque, pelo menos uma vez na vida, vá aMECA, a todo o medíocre caloiro deAmbiente é imposta a sua presença emSão Jacinto. Na idade média faziam a viagema nado, hoje em dia existem meios legaisque nos impedem de dar continui-dade àtradição e por isso vai todo o mundodevidamente acondicionado no transporteque estiver disponível. O que se diz e fazem S. Jacinto, fica em S. Jacinto, daí que senão foram… estudassem.

Page 4: NEEA - Folha Informativa 23 (2007)

Núcleo de Estudantes de Engenharia do Ambiente - AAUAv folha informativa

6 7

Núcleo de Estudantes de Engenharia do Ambiente - AAUAv folha informativa

BILHETE DE IDENTIDADE

Nome: Myriam Alexandra dos Santos Batalha Dias Nunes Lopes.Ocupação Actual: Professora Auxiliar Convidada da UA.

NEEA: Qual o seu percursoprofissional?Depois de terminar a licenciaturaem Engenharia do Ambiente, em1994, estive a trabalhar como técnicasuperior no IDAD. Simultaneamente,matriculei-me na Faculdade deEngenharia da Universidade doPorto num mestrado em Engenhariado Ambiente na área de tratamentode águas residuais, pois já na alturaambicionava seguir a carreira dedocente universitária. Entretanto foicriado o mestrado em PoluiçãoAtmosférica aqui na UA, que paraalém da proximidade, era numa áreaem que tinha feito projecto de fimde curso e pela qual sentia já algumaafinidade. Em 1996 tornei-mebolseira de mestrado da GNICT(hoje FCT) e integrei o grupo deinvestigação em Emissões, Modelaçãoe Alterações Climáticas (GEMAC),onde me encontro até hoje. Em1998, comecei o doutoramento emCiência Aplicadas ao Ambiente.Comecei a actividade docente em2001, primeiro como assistente,tendo passado a Professora AuxiliarConvidada depois de terminar odoutoramento em 2005. Sou aindamembro integrado do LaboratórioAssociado Centro de Estudos doAmbiente e do MAR (CESAM),inserida na linha de investigaçãoQualidade da Atmosfera.

NEEA:Ter um bom percursoprofissional e simultaneamente umaboa vida académica é algoincompatível?Na minha opinião, um bom percursoprofissional significa seguir umcaminho que nos faça sentir, a cadamomento, felizes com o que fazemose com estimulo e capacidade parafazermos cada vez melhor o nossotrabalho, aproveitando cada novaoportunidade para irmos mais longena realização dos nosso projectos.

À conversa com… Myriam Lopes

Obviamente, que existe implícita umamelhoria das condições de trabalho,financeiras é claro, mas também aonível dos recursos materiais e deambiente de trabalho. Para arealização profissional contribui muitoo reconhecimento e camaradagemdos nossos colegas.Talvez por isso, considere que a vidaacadémica, na dimensão do convívio,da partilha e interajuda entre colegase amigos, é ela própria um espaçode aprendizagem e troca deconhecimento humano que nosprepara como seres sociais e comocidadãos. Eu julgo ter vividointensamente a minha vida académicamas de forma equilibrada: um tempopara gozar e outro para estudar. Tiveainda a sorte de participar noprograma ERASMUS e através deleconhecer um outro sistema deensino, outras pessoas e culturas, eacredito que esta experiênciacontribuiu determinantemente parao meu desenvolvimento pessoal eprofissional.Se tivesse prescindido desta vidaacadémica poderia ter terminado ocurso com uma média melhor e, porventura, teria um percurso profissionalmais promissor, mas seria sem dúvidauma pessoa mais pobre, com umvazio de recordações para a velhice…por isso se pudesse voltar atrás nãomudava nada!

NEEA: Será a média com que setermina o curso um factorpreponderante no processo de selecçãopor parte dos empregadores.O aluno deve encarar a média decurso como um reconhecimento dosresultados alcançados, do seuempenho, esforço e dedicação e porisso deve ser um incentivo ao seutrabalho enquanto aluno. Acima deum determinado patamar (12-13valores) não creio que seja um factorpreponderante na selecção,principalmente se o candidato soubervalorizar as suas capacidades e a suavontade de trabalhar. Cada vez mais,nas empresas e entidades públicas, aselecção faz-se através de entrevistase aí uma má impressão podemanchar uma boa média. No entanto,há que ter em conta que algumas

carreiras só estão acessíveis a quemtem médias mais elevadas (acima de14 ou até 16 valores). São exemplosas carreiras na investigação, em áreasde inovação ou em empresas detecnologia de ponta.

NEEA: Estará o Processo de Bolonhaa ser implementado da melhor forma?Essa é uma pergunta que só teráresposta efectiva daqui a algumtempo, talvez anos. Com qualquerprocesso de mudança acarretadificuldades, mas também desafios.Da minha experiência e percepção,há um grande empenho dosdocentes (e até demaiscolaboradores do DAO) para queesta transição se faça de formaconstrutiva, colaborando numamelhor articulação dentro e entreas várias disciplinas, quer ao níveldos conteúdos quer dasmetodologias e momentos deavaliação (o que se calhar não évisível para os alunos). A maiordificuldade para nós será mudar omodo de ensino necessariamentemais centrado no aluno e no seupercurso de aprendizagem (aaprendizagem colaborativa), diferenteda prática que tínhamos. O desafioestá em aproveitar estaoportunidade para reflectir no queestava mal e no que queríamos queficasse melhor, deixando para trásum sistema de ensino antiquado eultrapassado, em que os alunos eram,muitas vezes, meros espectadores(parte do trabalho já o fizemos,quando tivemos de repensar oscurrículos). O maior desafio de todosé envolver e convencer os alunos aparticipar neste projecto demudança. Problemas seguramenteexistem e outros mais virão, mascom a compreensão necessária e oempenho de todos serãoseguramente ultrapassados

NEEA: Na sua opinião, não estranharáo facto de a área do Ambiente darmais emprego a outras engenharias,do que propriamente à Eng.ª doAmbiente.O Ambiente é por natureza umaárea transversal e multidisciplinar.Os problemas ambientais sãosempre complexos e a sua resoluçãorequer abordagens interdisciplinaresque considerem as várias dimensõesdas suas causas e efeitos. Parece-mepois natural que outros profissionais,engenheiros ou não, sejam chamados

a colaborar na resolução dosproblemas ambientais e num sentidomais lato na gestão ambiental. Notrabalho de investigação querealizamos, no GEMAC, no CESAM,em projectos nacionais e europeus,essa interdisciplinaridade éfundamental. Eu não sobreviveriasem a ajuda e colaboração do meucolega Informático, dometeorologista, do químico ou doplaneador. Cada um deles, com osseus conhecimentos e saberespermitem-me focalizar no que meinteressa e melhor conheço,contribuindo para a realização domeu trabalho.

NEEA: Qual a sua opinião acerca doassociativismo estudantil?Genericamente defendo aparticipação activa das pessoas comoexercício de cidadania, quer ela sefaça na comissão de moradores, emassociações de solidariedade, gruposprofissionais, partidos políticos…são um meio de veicularmos a nossaopinião e defender os nossosinteresses e ideais, mas também detrabalhar por uma causa comum.Desde os meus tempos deestudante tenho procurado dar omeu contributo colaborando, comnúcleos de estudantes, com aAssociação Portuguesa dosEngenheiros do Ambiente (APEA),mais recentemente com a associaçãode pais das escola dos meus filhos.O associativismo estudantil é muitasvezes o primeiro passo nesteexercício de cidadania, é simultanea-mente um direito e um dever, comotal, deve ser incentivado e apoiado.

NEEA: Por fim, uma mensagem quegostaria de deixar a todos osestudantes de Eng.ª do Ambiente.Eu tenho o privilégio de acompanharos estudantes de EA ao longo dos3 últimos anos do curso. São muitosnomes e também muitas caras, mascada uma única e singular. Dosnomes esqueço-me, mas raramentedas pessoas que essas caras repre-sentam. Espero que ao longo dessepercurso eu possa contribuir paratornar-vos bons profissionais e boaspessoas, do mesmo modo que cadaum de vós contribui para que euseja uma melhor professora, colegae talvez um dia amiga. Lutem paraserem felizes e pela realização dosvossos sonhos... mas acima de tudo,não percam a capacidade de sonhar!

Decidimos participar no programa Erasmuscom o intuito de ter oportunidade de estudar,adquirir e partilhar conhecimentos, culturas eexperiências, que nos completam tanto a nívelpessoal como académico num país, tambémele, diferente e em desenvolvimento.Wroclaw, na Polónia, foi a nossa opção vistotratar-se de um país diferente na cultura, noclima, no modo e nível de vida e além do maiscom uma cultura histórica interminável.

Chegada ao país de acolhimentoApós uma viagem de avião, com escala noaeropor to de Londres e daí par tida paraWroclaw, chegamos ao destino esperado. Aliesperava-nos um estudante polaco (amigo daMariana), que tinha feito Erasmus na nossauniversidade. Seguimos directamente para aresidência que iria ser o nosso tecto nestaaventura de nove meses. Após fazer o chek-in,fomos almoçar o famoso prato “pierogi” ... quenão sendo muito do nosso agrado, nunca édemais experimentar!Quando chegamos à residência, ansiosas porum momento de descanso, fomos calorosa-mente recebidas pelos estudantes que já seencontravam presentes.Todos queriam saberas mesmas coisas, “what´s your name?”, “whereare you from?”,”What do you study?”...A residência tem 10 andares, os pisos 7 e 8estão reservados só para o pessoal de Erasmus(ihihih!). Cada piso tem cerca de 50 pessoas,vindas de países como Espanha, Portugal, Turquia,Holanda, Bélgica, Finlândia, Hungria, México,Alemanha, França e Índia. Somos quase comouma família já, invadimos os quartos uns dosoutros e andamos sempre juntos. Nas horasdas refeições, a cozinha torna-se no nosso pontode encontro!

A cidadeWroclaw é uma cidade muito bonita, recheadade monumentos históricos e de uma naturezaincrível para desfrutar: espaços verdes, parquese um rio que com os seus canais designaWroclaw, a Veneza da Polónia. Como curio-sidade, Wroclaw possui 127 pontes onde sepode apreciar uma paisagem fantástica.As ruas da cidade estão sempre preenchidaspor jovens. Wroclaw tem 640 mil habitantes,possuindo cerca de 240 mil estudantes!O clima, apesar de não ser muito húmido nemventoso, é muito frio, com temperaturas exage-radamente negativas (-25º), o Inverno é superrigoroso e com neve permanente, porém todas

as habitações e edifícios estão devidamenteaquecidos. No Verão as temperaturas alcançamos 25ºC.Wroclaw é uma cidade minimamente segura,onde não há grande perigo andar nas ruas pelanoite. Ainda assim há sempre meios detransporte disponíveis como autocarros, ou“tram”.A bicicleta é outro meio de transportemuito utilizado por aqui, podendo-se comprarem segunda mão, o que sai sempre mais barato!A opção de viajar é óptima já que a cidade estálocalizada na Europa Central, obtendo boasligações com o resto da Europa a preços razoa-velmente baixos e com condições razoáveis.Alemanha, República Checa, Hungria, Eslováquia,Ucrânia… são tudo destinos a visitar. EmWroclaw, a integração do estudante do progra-ma Erasmus não é muito complicada, pois éuma cidade universitária e um destino eleitopara se participar no programa. Encontram-semuitos estudantes na mesma situação e nativosque estão 100% dispostos a ajudar. Basta serdetentor de um espírito aventureiro e comunica-tivo para que adaptação se resuma a uns dias.

Custo de vidaO custo de vida na Polónia é, mais baixocomparativamente a Portugal, relativamente atransportes, alimentação, cinema, teatros, museus,bares e discotecas. A moeda utilizada é o zlotye a taxa de conversão é 1euro que equivale a,aproximadamente, 4 zlotys.

Tempos livresWroclaw é uma cidade repleta de belos ehistóricos monumentos que se tornam pontosde visita, bem como de parques dotados deuma natureza fantástica. A cidade oferece imensasiniciativas culturais como festas temáti-cas, teatro,concertos musicais, óperas e exposi-ções,paraalém dos monumentos e museus.

Existem também estâncias de esqui próximasda cidade, onde se podem passar uns bonsmomentos!Quanto á vida social e nocturna é uma varianteque está disponível e aconselhável, já queWroclaw está recheada de bares, pubs ediscotecas animadas com uma decoração criativae deslumbrante. A noite começa cedo, por voltadas 10h, os bares e discotecas já estão a“bombar”. Todos os dias existem diversas festase em simultâneo, é só escolher!

A Universidade de acolhimentoA nossa universidade é a Universidade Técnicade Wroclaw, esta possui 12 faculdades que noseu conjunto alberga 32,000 estudantes. Osprofessores disponibilizaram-se a organizar aulasespecíficas para os alunos de Erasmus, leccio-nadas em inglês e de acordo com os conteúdosdas nossas disciplinas. Todos os professores sãomuito acessíveis, sempre prontos a ajudar!As cadeiras aqui podem conter diversas compo-nentes de avaliação: teórica, prática, exercícios,projecto e seminário, tornando mais interessantee motivador aprender.Passou um mês e meio, e já se estabeleceramimensas amizades, conhecimentos e experiênciasque ficarão para sempre na nossa memória.Mas ainda temos muito para viver, conviver, dar,receber, trocar, aprender, conhecer, ajudar eamar! =)Tem sido uma prova de crescimento, ondeiremos certamente enriquecer a nível cultural,pessoal e académico.

Um beijinho e um Xi-coração a todos os colegas,amigos e professores do DAO!

Muitas Saudades...das erásmicas,Joana e Mariana.

Directamente da Polónia...Joana Nobre e Mariana Pedro