observat³rio da natalidade e do envelhecimento portugal 1 ... observat³rio da natalidade e...

Download Observat³rio da Natalidade e do Envelhecimento Portugal 1 ... Observat³rio da Natalidade e do

Post on 10-Feb-2019

213 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

1 Copyright PremiValor Consulting 2016

Ordem dos Engenheiros

Telmo Francisco Vieira

Janeiro 2016

Observatrio da Natalidade

e do Envelhecimento

Portugal

1. edio

PR

EMIV

ALO

R

2 Copyright PremiValor Consulting 2016

1. Enquadramento

3 Copyright PremiValor Consulting 2016

Alguns indicadores relativos Natalidade - Europa

ndice sinttico de fecundidade na Europa

Em que pases h maior e menor nmero de filhos, em mdia, por mulher em

idade frtil?

Fonte: INE e PORDATA

4 Copyright PremiValor Consulting 2016

ndice sinttico de fecundidade

Alguns indicadores relativos Natalidade - Portugal

O ndice sinttico de fecundidade o

nmero mdio de crianas nascidas

por cada mulher em idade frtil, ou

seja, entre os 15 e os 49 anos de

idade.

Para que a substituio de geraes

seja assegurada, preciso que cada

mulher tenha, em mdia, 2,14 filhos.

3,2

20141,23

Fonte: INE e PORDATA

5 Copyright PremiValor Consulting 2016

Taxa bruta de natalidade

Quantos bebs nascem por 1.000 residentes?

Alguns indicadores relativos Natalidade - Portugal

3,2

Entre 1960 e 2014 observou-se uma tendncia de decrscimo da taxa bruta de natalidade em

Portugal, passando de 24,1 para 7,9 respetivamente.

20147,9

24,1

Fonte: INE e PORDATA

6 Copyright PremiValor Consulting 2016

Idade mdia da me ao nascimento de um filho

Qual a idade mdia das mes que tm filhos?

Alguns indicadores relativos Natalidade - Portugal

Idade mdia da me ao nascimento do primeiro filho

Com que idade, em mdia, as mulheres so mes pela primeira vez?

Fonte: INE e PORDATA

7 Copyright PremiValor Consulting 2016

Evoluo da esperana mdia de vida nascena: total e por sexo (1971-2013)

83,0 anos

77,2 anos

80,2 anos

Fonte: INE e PORDATA

Alguns indicadores relativos ao Envelhecimento - Portugal

8 Copyright PremiValor Consulting 2016

Indicadores de envelhecimento, segundo os Censos

Quantos idosos existem por cada 100 jovens?

Quantos idosos e/ou jovens existem por cada 100 pessoas em idade ativa?

Quantas pessoas com 75 e mais anos existem por cada 100 idosos?

Fonte: INE e PORDATA

Alguns indicadores relativos ao Envelhecimento - Portugal

9 Copyright PremiValor Consulting 2016

Alguns indicadores relativos ao Envelhecimento - Portugal

Evoluo da durao mdia das penses (1993-2013)

12,2 anos

+ 5,9 anos

18,1 anos

Fonte: INE e PORDATA

10 Copyright PremiValor Consulting 2016

65 79 anos

Mais de 80 anos

Percentagem de populao acima dos 65 anos no total da populao de cada

pas (1990 e 2010)

Alguns indicadores relativos ao Envelhecimento - Europa

Fonte: EUROSTAT. Active

aging and solidarity between

generations 2012 edition

2010

1990

11 Copyright PremiValor Consulting 2016

Alguns indicadores relativos Natalidade e Envelhecimento Mundo

Fonte: World Population Ageing 2015 United Nations

Evoluo da populao mundial por faixa etria (2000-2050 - estimativa)

12 Copyright PremiValor Consulting 2016

Alguns indicadores relativos Natalidade e Envelhecimento Estimativas a nvel mundial

Percentagem da populao com mais de 60 anos (2015 e 2050)

2015

2050

Em 2050, quase metade dapopulao mundial ir viver em

pases em que, pelo menos 20%

da populao, ter mais de 60

anos.

Fonte: World Population Ageing 2015 United

Nations

PR

EMIV

ALO

R

13 Copyright PremiValor Consulting 2016

2. Equilbrio e tendncias (alguns

dados e factos relevantes)

PR

EMIV

ALO

R

14 Copyright PremiValor Consulting 2016

Equilbrio e tendncias

Alteraes demogrficas

As tendncias demogrficas de um pas ou regio resultam , essencialmente, de um conjunto de interaces entre:

Taxa de fecundidade

Nveis de mortalidade (Esperana mdia de vida)

Dinmicas migratrias (numa escala consideravelmente menor)

Actualmente, em Portugal o equilbrio demogrfico encontra-se condicionado,essencialmente, devido a:

Reduo do ndice de fertilidade

Aumento da esperana mdia de vida

PR

EMIV

ALO

R

15 Copyright PremiValor Consulting 2016

Equilbrio e tendncias

Saldo migratrio

Segundo os dados do INE, houve 134.624 pessoas a sair de Portugal em 2014

Saram mais 6.516 pessoas do que em 2013.

Esto a sair mais pessoas do que as que nasceram (82.367 nascimentos).

No ano 2014 emigraram 49.572 pessoas. (Emigrantes permanentes - dados Pordata).

Tipicamente, as pessoas que saem do pas esto em idade activa, que coincide

com a idade frtil.

Fonte: INE e Pordata

PR

EMIV

ALO

R

16 Copyright PremiValor Consulting 2016

Equilbrio e tendncias

Cenrio de desenvolvimento demogrfico Portugal em 2030

Tendo em conta que actualmente:

I. A esperana mdia de vida de 76,9 anos para os Homens e de 82,8 anos para as Mulheres (Pordata 2012).

II. A taxa de fecundidade em 2012 apresentou o valor de 1,28 tendo diminudo para 1,2 em 2013.

10.562.178

9.586.832

2011 (censos 2011)

2030 (Projeces FFMS)

29 idosos por cada 100 pessoas em idade

activa

41 idosos por cada 100 pessoas em idade

activa

A populao em Portugal diminuir com algum significado.

Fonte: FFMS-Projeces 2030 e o futuro

PR

EMIV

ALO

R

17 Copyright PremiValor Consulting 2016

Equilbrio e tendncias

Como contrariar a actual tendncia de envelhecimento populacional, combinado

com o decrscimo da populao total?

Fonte: FFMS-Projeces 2030 e o futuro

A Fundao Francisco Manuel dos Santos, apresenta um cenrio alternativo em termos de desenvolvimento demogrfico do pas para 2030, em que:

I. A esperana mdia de vida ser de 80 anos para os Homens e de 86 anos para as Mulheres .

II. A taxa de fecundidade ser de 2 filhos (em vez de 1,2).

10.562.178

10.171.541

2011 (censos 2011)

2030 (Projeces FFMS)

29 idosos por cada 100 pessoas em idade

activa

44 idosos por cada 100 pessoas em idade

activa

PR

EMIV

ALO

R

18 Copyright PremiValor Consulting 2016

Colocam-se, portanto, desafios estratgicos que importam

compreender e analisar os seus possveis impactos de modo a

salvaguardar a estabilidade e a sustentabilidade demogrfica em

Portugal.

Quais os principais fatores impulsionadores da Natalidade?

O que mais valorizamos como cidados no nosso processo deenvelhecimento?

Quais as principais necessidades e expectativas face ao processo de

envelhecimento?

Equilbrio e tendncias

Desafios

PR

EMIV

ALO

R

19 Copyright PremiValor Consulting 2016

3. Observatrio da Natalidade e do Envelhecimento em Portugal 1.

edio

PR

EMIV

ALO

R

20 Copyright PremiValor Consulting 2016

Apresentao do estudo

Observatrio da Natalidade e do Envelhecimento em Portugal 1. Edio

O Observatrio da Natalidade e do Envelhecimento em Portugal 1. Edio um

estudo cross sectional na rea da Natalidade e do Envelhecimento em Portugal.

PR

EMIV

ALO

R

21 Copyright PremiValor Consulting 2016

Coordenao cientfica

Observatrio da Natalidade e do Envelhecimento em Portugal 1. Edio

rea do envelhecimento

Prof. Doutor Manuel Oliveira Carrageta, Presidente na Sociedade Portuguesa de Geriatria e

Gerontologia.

rea da natalidade

Prof. Doutora Maria do Cu Soares Machado, Diretora do Departamento de Pediatria do Hospital

Santa Maria (CHLN) e Professora Associada de Pediatria da Faculdade de Medicina da

Universidade de Lisboa.

Comisso cientfica:

Prof. Dra. Maria Joo Quintela, Presidente da Associao Portuguesa de Psicogerontologia e Vice-

Presidente da Sociedade Portuguesa de Geriatria e Gerontologia

Dra. Teresa Tom, reconhecida especialista na rea da Natalidade, Pediatra, Neonatalogista e

atualmente Diretora do Servio de Pediatria da Maternidade Alfredo da Costa.

PR

EMIV

ALO

R

22 Copyright PremiValor Consulting 2016

Advisory board

Observatrio da Natalidade e do Envelhecimento em Portugal 1. Edio

O advisory board, na vertente de Comunicao Institucional do Observatrio da Natalidade e do

Envelhecimento em Portugal 1. edio, conta com a colaborao da Dra. Raquel Mendes da

EDP Renovveis (EDPR).

Faz ainda parte do advisory board o Prof. Doutor Asghar Zaidi, professor de Poltica Social

Internacional e Cincias Sociais na Universidade de Southampton, associado ao Centro de

Investigao sobre o Envelhecimento e investigador convidado da London School of Economics.

PR

EMIV

ALO

R

23 Copyright PremiValor Consulting 2016

1. Publicao

Ser publicado um documento onde sero vertidos os resultadosinerentes ao estudo de cada uma das reas em apreo.

Recommended

View more >