pcm plano cicloviÁrio metropolitano da baixada santista agem – agencia metropolitana da baixada...

Download PCM PLANO CICLOVIÁRIO METROPOLITANO DA BAIXADA SANTISTA AGEM – AGENCIA METROPOLITANA DA BAIXADA SANTISTA MARÇO - 2010

Post on 17-Apr-2015

129 views

Category:

Documents

19 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Slide 1
  • PCM PLANO CICLOVIRIO METROPOLITANO DA BAIXADA SANTISTA AGEM AGENCIA METROPOLITANA DA BAIXADA SANTISTA MARO - 2010
  • Slide 2
  • OS MITOS DO PLANEJAMENTO CICLOVIRIO O VECULO O CICLISTA A CICLOVIA
  • Slide 3
  • TERMINOLOGIA Ciclorrota: caminho percorrido pelos ciclistas entre os pontos extremos de sua viagem. Ciclovia : espao exclusivo para o deslocamento de bicicletas, separado fisicamente da via de rolamento dos demais veculos. Ciclofaixa : espao para circulao de bicicleta junto pista de rolamento de veculos automotores. Vias compartilhadas : vias de rolamento que as bicicletas compartilham com veculos automotores ou outros veculos no motorizados ou, ainda, pedestres. RESPONSABILIDADE CIVIL DO ESTADO Objetiva No h necessidade da prova da culpa, bastando a existncia do dano, da conduta e do nexo causal entre o prejuzo sofrido e a ao do agente. A responsabilidade est calcada no risco assumido pelo lesante, em razo de sua atividade. Subjetiva Presente sempre o pressuposto culpa ou dolo. Portanto, para sua caracterizao devem coexistir os seguintes elementos: a conduta, o dano, a culpa e o nexo de causalidade entre a conduta e o dano. Conduta omissiva Ocorre quando o agente, tendo de agir de determinada maneira, deixa de faz-lo. Conduta comissiva Ocorre quando o agente age em desconformidade com a lei.
  • Slide 4
  • METAS DO PLANO PARA QUE? PARA QUEM? ACIDENTALIDADE OBJETIVOS CICLORROTAS RUAS AMIGVEIS (ZONA 30) ESTACIONAMENTOS TRFEGO COMPARTILHADO EDUCAO MARKETING PROMOO DA SADE LEGISLAO ESTATSTICAS BICICLETAS DE CARGA
  • Slide 5
  • DIRETRIZES PARA UMA INFRAESTRUTURA CICLOVIRIA COERNCIA A infraestrutura deve formar um conjunto coerente, estabelecendo conexes com todas as origens e destinos das viagens dos ciclistas ROTAS DIRETAS Rotas devem ser estabelecidas visando trajetos os mais diretos possveis entre os pontos extremos das viagens dos ciclistas. SEGURANA A infraestrutura deve garantir a segurana dos ciclistas e dos demais usurios do virio. CONFORTO A infraestrutura deve visar circulaes que minimizem os esforos fsicos dos ciclistas. ATRATIVIDADE A infraestrutura deve manter um bom relacionamento com o ambiente, permitindo viagens tranqilas e relaxadas. Generally speaking, if the minimum level of one or more of the five requeriments cannot be met, the infrastructure must be modified.(Dirk Kuijper Cycling-inclusive Policy development: A Handbook)
  • Slide 6
  • 85th PERCENTILE A maioria dos motoristas dirige em velocidade que considera razovel e segura para a estrada, o trfego e o ambiente. Limites de velocidade impostos pela geometria e condies de trfego, quer sejam maiores ou menores que aquela, so ignorados pelos motoristas. As aes normalmente seguras e competentes tomadas por uma pessoa razovel deve ser considerada legal. Um limite de velocidade deve ser estabelecido de tal forma que a maioria dos motoristas o observe Voluntariamente; as leis devem visar diretamente minoria que as desrespeitam.
  • Slide 7
  • Reginaldo A de Paiva Presidente Comisso de Bicicletas ANTP reginaldopai@gmail.com (11) 3293-4585 (11) 8942-9822