poesia 2010[1]

Click here to load reader

Post on 13-Aug-2015

315 views

Category:

Design

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  1. 1. PESSOA
    Nome ou adjetivo
    Poeta ou pensador
    Inspirao ou respirao
    Sentido do sonho
    Do sonho que voa
    Em busca da proa
    Relao obscura
    De dvida intensa
    Numa forte presena
    No caminho se ver
    Que um rudo ressoa
    No envolver de tal pessoa.
    Gilberto Simplcio
    Maio de 2010
  2. 2. MORADIA SOLIDO
    Sozinho num espao
    Cabea cheia de sentena
    Num corpo se faz presena
    Na espera de um abrao.
    A noite dura e fria
    Insnia aumenta a hora
    Pensamento aflora
    Onde sentimento novo abria.
    Parceiros dessa viagem
    Livro, computador
    E o vinho diminui a dor
    Na manh ou na simples miragem.
    Gilberto Simplcio
    Maio de 2010
  3. 3. SIMPLESMENTE MOS
    O toque d o sentido
    Da beleza que dela existe
    Esttica no vai suscitar
    O prazer da emoo
    Que dela observar
    Os poetas as usam
    Para uma arte expressar
    Os amantes se conhecem
    No caminho que se faz
    E que se satisfazem
    Marcas so presentes
    Muitashistrias a contar
    Ao encontro com certeza
    De uma dialtica to bela
    Da agonia eclareza
    Gilberto Simplcio
    Junho de 2010
  4. 4. Sentir a flor da pele
    Vivendo cada momento
    A paixo e o tormento
    Do amor que se repele
    Angstia que se levanta
    No muda o desejo
    Na imagem, eu vejo
    O que me encanta
    Com voc estar
    Mesmo sem ter
    Sinto o seu ser
    Mesmo sem te tocar
    Gilberto Simplcio
    Junho de 2010
    EMOES
  5. 5. Situaes criam encruzilhadas
    Caminhos tm que ser escolhidos
    Pessoas envolvidas
    Interesses divididos
    Autoritrio ou democrata
    Impor ou dialogar
    Usar ou ser usado
    Dureza ou compaixo
    Se houver um caminho correto?
    Azar o seu
    Pra uns a escolha foi errada.
    Voc escolheu o errado
    No escolheu os deles
    No fim s um resultado.
    Assume a culpa.
    Gilberto Simplcio
    Junho de 2010
    DECISO
  6. 6. ABSTRAO
    Pensamento vazio
    Em busca do nada ou do tudo
    Pensamento vagando
    Num mar de incertezas
    Pensamento preenchido
    De idias e de emoes
    No posso esperar
    O outro viver o meu sonho
    No posso esperar
    Que a vidasatisfaa o meu pensar
    No posso esperar
    Esperar
    Esperar
    Esperar
    Gilberto Simplcio
    Julho de 2010
  7. 7. OS NOSSOS HERIS
    Terroristas.
    No. Sobreviventes.
    Assassinos.
    No. Torturados.
    Turistas.
    No. Exilados.
    O que pensam de ns?
    O que sobrou de cada um de ns?
    Quem somos na histria?
    Somos simplesmente exilados da histria.
    Ou melhor, da falta de memria histrica.
    No fomos esquecidos. Fomos apagados.
    Somos andarilhos na estrada sem paisagem.
    Buscamos a nossa imagem.
    Perigosa no passado.
    Ignorada no presente.
    Acreditando na liberdade.
    No na liberdade medocre do capital.
    Mas na liberdade que humaniza .
    Na liberdade que se solidariza at na priso.
    Muitos nomes tivemos.
    Identidade, s uma.
    Sonhador.
    Endereos diversos.
    Ptria, s uma.
    Brasil.
    Gilberto Simplcio
    Novembro de 2010
  8. 8. O choro e o riso
    na memria se materializou
    O toque das mos e o cheiro
    de vida se presenciou
    Palavras surgem
    Significados sem sentidos
    Mas sentimentos interagem
    Em expresses nada contidos
    Hoje, outra a beleza
    Que ao crescer desenvolveu
    No mais s a minha princesa
    Menina, verdade, voc cresceu!
    Gilberto Simplcio.
    Dezembro de 2010