pontifcia universidade cat“lica de minas gerais (2) (1)

Download PONTIFCIA UNIVERSIDADE CAT“LICA DE MINAS GERAIS (2) (1)

Post on 11-Jul-2015

28 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

Unidade Corao Eucarstico Engenharia Eletrnica e de Telecomunicao 2 Semestre de 2011 - 1 Perodo/Noite

Estao de Tratamento de gua Residencial

Artur Cota Alto Guilherme Bortolini Matoso Jssica Cristina dos Santos Leandro Bandeira dos Santos Nayara Louise Avelino de Lima Zaides Pereira dos Santos

Belo Horizonte, 17 de novembro de 2011.1

Artur Cota Alto Guilherme Bortolini Matoso Jssica Cristina dos Santos Leandro Bandeira dos Santos Nayara Louise Avelino de Lima Zaides Pereira dos Santos

Estao de Tratamento de gua Residencial

Projeto de pesquisa apresentado ao Instituto Politcnico da Pontifcia Universidade Catlica de Minas Gerais, como requisito parcial de aprovao nas disciplinas do curso de Graduao em Engenharia Eletrnica e de Telecomunicao. Orientador: Telma...

Belo Horizonte, 17 de novembro de 2011.2

Artur Cota Alto Guilherme Bortolini Matoso Jssica Cristina dos Santos Leandro Bandeira dos Santos Nayara Louise Avelino de Lima Zaides Pereira dos Santos

Estao de Tratamento de gua Residencial

Projeto de pesquisa apresentado ao Instituto Politcnico da Pontifcia Universidade Catlica de Minas Gerais, como requisito parcial de aprovao nas disciplinas do curso de Graduao em Engenharia Eletrnica e de Telecomunicao. Orientador: Telma...

1 Examinador

2 Examinador

Belo Horizonte, 17 de novembro de 2011.3

AGRADECIMENTOS s professoras de Qumica: Jaqueline e Marcela, pela orientao e apoio nas decises e atividades prticas. professora Telma pelo impulso que contribuiu a realizao do projeto. Aos colegas de classe pelos auxlios Tcnicos. A todos os profissionais que no foram citados, mas que ajudaram na elaborao deste.

4

gua que nasce na fonte serena do mundo E que abre um profundo groto gua que faz inocente riacho e desgua na corrente do ribeiro guas escuras dos rios que levam a fertilidade ao serto guas que banham aldeias e matam a sede da populao guas que caem das pedras no vu das cascatas, ronco de trovo E depois dormem tranqilas no leito dos lagos, no leito dos lagos guas dos igaraps, onde Iara "me d'gua" misteriosa cano gua que o sol evapora, pro cu vai embora, virar nuvens de algodo Gotas de gua da chuva, alegre arco-ris sobre a plantao Gotas de gua da chuva, to tristes so lgrimas da inundao guas que movem moinhos so as mesmas guas que encharcam o cho E sempre voltam humildes pro fundo da terra, pro fundo da terra Terra, planeta gua; Terra, planeta gua... Guilherme Arantes5

RESUMO

O presente relatrio tem como objetivo apresentar o trabalho realizado pelo grupo para a Feira de Integrao Curricular. possvel encontrar o alinhamento de aplicao prtica sustentabilidade e responsabilidade social, tornando acessvel a instalao e manuteno de uma Estao de Tratamento de gua Residencial que reutiliza guas residuais e colete gua da chuva. Para que isso seja possvel, o projeto articula-se entre referencial terico de livros e artigos que servem para subsidiar os aspectos da realizao prtica do projeto. O domnio interdisciplinar garante que o projeto torne-se, no somente um projeto de otimizao de sistemas, mas sim um possvel salto na incluso intelectual social, equalizando a sociedade de maneira que esta atue de forma comunitria na corrida pela gua.

Palavras-chave: Reaproveitamento. gua no potvel. gua Tratada.

6

LISTA DE ABREVIATURASONU Organizao das Naes Unidas COPASA MG - Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Companhia)

7

GLOSSRIO

gua bruta: gua retirada do rio, lago ou lenol subterrneo. gua potvel ou salubre: gua que contem sais e que pode ser consumida pelo ser humano. gua no potvel: gua tratada de qualidade inferior inadequada para o consumo do ser humano, mas que pode entrar em contato com o mesmo. gua tratada: aps a captao a gua passa por procedimentos que eliminam caractersticas indesejveis que a tornam potvel. gua usada ou esgoto bruto: gua de qualidade inferior a gua tratada devido a sua utilizao. guas cinzas gua proveniente do esgoto residencial exceto esgotamento sanitrio. guas negras gua do esgotamento sanitrio guas residurias: guas provenientes de esgotos sanitrios, efluentes industriais e guas pluviais e guas de infiltrao. Reuso de gua: a utilizao da gua de diversas atividades, por exemplo, a gua do lavatrio, do chuveiro, do vaso sanitrio e as demais da rede hidrulica, haja vista que esta pode ser submetida a algum tipo de tratamento.

8

SUMRIO1. INTRODUO .......................................................................................................... 10 2. JUSTIFICATIVA ....................................................................................................... 11 3. OBJETIVO GERAL .................................................................................................. 12 4. OBJETIVOS ESPECFICOS.................................................................................... 13 5. REFERENCIAL TERICO ..................................................................................... 14 5.1. A disposio da gua .......................................................................................... 14 5.2. A gua e o Homem .............................................................................................. 15 5.3. O uso da gua ...................................................................................................... 17 5.4. gua da chuva ..................................................................................................... 18 5.4.1. Tratamento convencional e esgoto ..................................................... 18 6. METODOLOGIA....................................................................................................... 19 6.1. Planejamento da estao de tratamento ........................................................... 19 6.2. Utilizao prevista .............................................................................................. 19 6.3. Volume de esgoto que ser tratado ................................................................... 20 6.4. Processos de tratamento ..................................................................................... 20 6.5. Equipamentos e compartimentos de reservao e de distribuio ................ 24 7. ANLISE DE RESULTADOS .................................................................................. 24 8. CONCLUSO............................................................................................................. 26 REFERENCIAL TERICO ..................................................................................... 27

9

1. INTRODUO

Uma questo que tem tido enfoque na atualidade a utilizao de gua nas residncias, principalmente nos centros urbanos, onde, nas ltimas dcadas e em quase todo o mundo, tem havido a tendncia de adensamento e urbanizao da populao. De acordo com Barreto (2008) no Brasil as pesquisas sobre o uso das guas nas residncias ainda so incipientes, e o que se tem so trabalhos orientados para solucionar a falta de saneamento bsico nas cidades. O reaproveitamento o processo em que a gua no potvel passa para ser tratada ou no e essa gua reutilizada com a finalidade de reduzir o consumo da prpria que ser tratada. Essas guas podem ter uso para fins no potveis nas cidades, tais como rega, limpeza e lavagem de ruas, ou mesmo em descargas de bacias sanitrias de banheiros pblicos. Com este trabalho pretende-se, atravs do clculo de consumo de gua, dos gastos com equipamentos, da economia proporcionada pelo sistema e do perodo de retorno do investimento estudar a implantao de um sistema de reaproveitamento da gua da casa em geral. Reaproveitando, por exemplo, a gua do lavatrio, do chuveiro, do vaso sanitrio e demais componentes de uma rede hidrulica. A preocupao com o uso exagerado e inadequado de recursos hdricos naturais, juntamente com o aumento populacional mundial, props a otimizao de um projeto cientifico exploratrio de meios e processos de tratamento de gua. possvel encontrar diversos projetos de Estaes de Tratamento de gua, contudo, a desigualdade social faz com que projetos como estes no sejam utilizados por comunidades carentes, devido ao seu elevado custo de execuo. Foi visada a similaridade com o sistema de tratamento de gua residual convencional da cidade de Belo Horizonte - COPASA MG, assim os processos empregados so os mesmos utilizados pela empresa. Porm, a gua reaproveitada no presente projeto no ser utilizada para consumo humano, como ser aduzido no decorrer do trabalho.

10

2. JUSTIFICATIVA

J que a gua um recurso natural renovvel, por que os noticirios falam tanto em escassez? O que seria a corrida pela gua? Seria a gua a moeda em disputa na provvel terceira guerra mundial? O uso inadequado, exagerado, inconseqente e irracional da gua, juntamente com o aumento populacional mundial, se encaixam perfeitamente nestas indagaes e causa uma grande preocupao para a sociedade. H muitos anos foram criadas as estaes de tratamento de gua, que alm de tratarem as guas subterrneas, pluviais e provenientes de afluentes, tratam o esgoto residual residencial e industrial, aumentando o ciclo de reutilizao de gua. H tambm projetos de estaes residenciais, prediais, ou industriais, que alm de visarem economia de gua, focam em sua viabilidade econmica, j que a gua tratada pelas estaes de tratamento convencionais comercializada. Providos de equipamentos de ultima gerao, que garantem a qualidade na execuo dos processos de tratamento de gua para a reutilizao com consumo no potvel, torna sua adequao invivel, quando relacionada demanda total pela gua (ex.: residncias com poucos moradores inviabilizam o projeto uma vez que o custo da gua no Brasil ainda baixo) e a acessibilidade, devido ao seu elevado custo. Diante destas situaes se faz necessria a implantao de uma Estao de Tratamento de gua Residen

View more >