projeto fazendo arte: na interface da arte, educação e culturaesp .trabalhamos como arte-educadora

Download Projeto Fazendo Arte: na interface da Arte, Educação e Culturaesp .Trabalhamos como arte-educadora

Post on 29-Nov-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Neidelene Pereira Projecto Fazendo ArteEx

    perie

    ncia

    s Com

    unita

    rias

    ET 1/1 julio-diciembre 2013

    130

    ISSN:2007-9729 DOI: www.espaciostransnacionales.org

    Uma Iniciativa que deu Certo.

    Sabemos muito bem que uma instituio se expressa mais na qualidade de suas iniciativas do que na proliferao estereoti-pada de suas experincias.

    (Varela, 1977, p. 55)

    Partindo desta afirmao de Nomia Varela, podemos refletir e verificar o ensino da arte no espao formal da educao nos leva a refletir sobre as propostas desenvolvidas nos espaos informais, no qual a arte vem ocupando o seu lugar de forma a garantir uma real experincia por parte das crianas e dos jovens atendidos. Trabalhamos como arte-educadora h 12 (doze) anos no Projeto Fazendo Arte viabilizada pela Lei de Incentivo Cultura

    de Minas Gerais, na cidade de Incentivo Estadual de Cultura em Divinpolis MG.

    Projeto Fazendo Arte: na interface da Arte, Educaoe Cultura

    Neidilene Maria Pereira *

    A expresso artstica mais legtima emanao da personalida-de e da vida social do ser humano. um campo irradiador de cultura, um patrimnio do ser social. O Projeto Fazendo Arte desenvolvido na rede de ensino pblica urbana e rural, com crianas e adolescentes em vulnerabilidade social, com ativi-dades que promovem o envolvimento artstico, cultural e social para educar e democratizar a vivncia da arte e o fazer artstico para a fruio, o protagonismo e a sensibilidade humana o re-presentante da sociedade civil, da cidade de Divinpolis (MG), juntamente com a Fundao Educacional de Divinpolis FU-NEDI - na Rede Latina Americana - Europia de Trabalho So-cial Transnacional RELETRAN Neste texto apresentamos o fundamentao terica que sustenta o projeto e resultado da experincia relatada pelos organizadores arte-educadores, alu-nos e familiares.

    Artistic expression is the most legitimate emanation of personali-ty and social life of human being. The project Fazendo Arte has been developed in the urban and rural public teaching net, with children and teenagers in condition of social vulnerability, with activities that promote the social, cultural and artistic develop-ment for education and democratization of the lived experience of art and artistic work, for the purpose of achieving human sensi-bility, protagonism and joy. Fazendo Arte is the representative in RELETRAN of civil society from Divinopolis City, in association with the Divinopolis Educative Foundation (FUNEDI). This paper presents the projects theoretical basis and the results of the expe-rience narrated by those art-educators who organize and teach, by those who learn and by its families.

    * Representante del Proyecto Fazendo Arte, Divinopolis (MG), Brasil.

    Como citar este artculo/Citation: PEREIRA, N. (2013). Projecto Fazendo Arte: na interface da Arte, Educao e Cultura. En Revista Espacios Transnacionales [En lnea] No. 1 Julio-Diciembre 2013, Reletran. Disponible en: http://www.espaciostransnacionales.org/experiencias-comunitarias/fazendoarte/

    Copyright: 2014. Este es un artculo de acceso abierto distribuido bajo los trminos de la licencia Creative Commons Attribution-Non Commercial (by-nc) International 4.0.

  • Com

    unid

    ad

    Neidelene Pereira Projecto Fazendo Arte

    131

    ET 1/1 julio-diciembre 2013

    Este projeto vem demonstrando o seu papel, desempenhado em suas propostas, especialmente, no que se refere ao envolvimento artstico, cultural e social com crianas e adolescentes, atividades que promovem, sobretudo, a incluso sociocultural, semeando em suas vidas maiores e melhores expectativas em relao ao seu futuro.

    Outros projetos de educao informal vm sendo des-envolvidos em diversas regies do pas. Em sua maioria, trazem a arte como centro de suas propostas pedaggi-cas. Cabe escola estabelecer uma parceria com este segmento da educao, tendo em vista que as crianas e os jovens atendidos por ela terminam por frequentar os dois espaos. Se as propostas pedaggicas em arte forem pensadas pela escola da mesma forma como vm sendo trabalhadas em certos espaos alternativos, como ongs. E projetos privados, no haver contradio, mas avano e contribuio efetiva e afetiva para a educao esttica dos seus frequentadores.

    O atual pensamento esttico que est sendo ges-tado substancialmente interdisciplinar, pois ope-ra na interface entre arte, educao e cultura. As vrias teorias, as propostas pedaggicas, os pro-jetos alternativos, bem como iniciativas pessoais e institucionais, esto formulando, a partir do seu fazer, desafiantes questes estticas.

    A conscincia poltica de que precisamos integrar arte, educao e cultura, nos faz perceber que tambm preciso criar uma proposta que priorize as necessidades de nosso povo, que atenda, pri-meiramente, as classes populares que so a maio-ria do contingente que frequenta nossas escolas. (Pillar, 1999, p. 132).

    Este movimento de projetos informais, com mtodos re-novados de ensino das artes nos espaos educativos, vem se solidificando ao longo dos ltimos 20 anos, e se harmo-niza plenamente com as possibilidades de contribuir com um instrumento, para provocar um choque de qualidade: estabelecendo a arte/cultura como mediadora dos saberes dentro da educao e no social. Alm de constituir tam-bm um instrumento fundamental para o estabelecimento

    da igualdade, sobretudo se considerarmos a juventude da periferia nos centros urbanos, a do meio rural, pensando, ento, diretamente e indiretamente nestes jovens.

    Talvez, na ao dos arte-educadores possamos tornar o ensino da arte uma prtica significante para quem dela participa. Se a arte na escola realmente for pensada como polticas pblicas de cultura, investindo na formao e qualificao de propostas culturais, e/ou o educador bus-car contedos suficientes para desenvolver um trabalho eficiente e com qualidade, que a arte deixar de ser aces-srio pedaggico de outras disciplinas, ou um meio utili-zado para animao de festas. Nesse sentido, as atividades devero ser pensadas como momento de criao esttica, articulado com os elementos especficos essenciais s lin-guagens artsticas. (Leo, 2012)

    Partindo dessas reflexes acerca do processo de ensino da Arte, no duplo enfoque de objetivos e mtodos, podemos inferir que os professores de Arte precisam, em primeiro lugar, de slidos conhecimentos tericos acerca das teorias da Ar-te-Educao, e de um modo de pensar acerca da Arte que possa ajud-los a definir as atividades artsticas na escola e a Arte na sociedade moder-na, sua funo e praticalidade. Isto os tornar capazes de perceber de que modo os mtodos de-vem mudar, se uma diferente Filosofia da Arte foi tomada como ponto de apoio. (Barbosa, 1976, p. 94).

    Alm de contar com profissionais bem formados, para que uma proposta pedaggica em arte possa alcanar os objetivos esperados, necessrio por parte dos educado-res uma doao pessoal, atravs de aes humanizadas. Com este perfil, os resultados no podem ser outro seno o sucesso de uma prtica em que a arte se torna prazerosa.

    Acredita-se que investir na educao e na cultura for-talece a viso de fato do sculo XXI. Assim, a educao ganha um significado mais profundo e mais amplo, por-que vai formar profissionais, cidados e pessoas melhores (Arajo, 2002).

  • Expe

    rienc

    ias C

    omun

    itaria

    s

    ET 1/1 julio-diciembre 2013

    Neidelene Pereira Projecto Fazendo Arte

    132

    ISSN:2007-9729 DOI: www.espaciostransnacionales.org

    Segundo Silveira apud Brant, (2003, p. 23), Cul-tura no um gasto, mas um investimento. Ela o ingrediente aparentemente de menor dosagem nas receitas que constroem as sociedades, mas o fermento que faz o bolo crescer.

    Entretanto, uma promoo na escola ou uma proposta de trabalho escolar pode ser o empurrozinho que falta para que jovens experimentem diferentes formas de ma-nifestaes culturais. importante que os alunos tenham liberdade de escolhas e autonomia no ambiente que fre-quentam. Isto tambm pode ser um gerador de auto-es-tima. E, sobretudo, o aluno tambm tem de ir atrs das oportunidades que lhe so oferecidas.

    claro que h impedimentos econ-micos no consumo de certos bens cul-turais. Livros e ingressos de cinema e espetculos podem ser caros. E o papel da famlia na formao do hbito tam-bm importante. Mas a escola deve ter a um papel determinante, estimulando e procurando viabilizar a vivncia cultural dos estudantes. Sem nenhum desses ele-mentos, a vida cultural de um jovem pode ficar bastante comprometida.

    Segundo Alcione Arajo (2002, p.27), A educao irm inseparvel da cultura. Afast-las mat-las de inanio limi-tar o homem sua face mais fria, ao seu corao mais duro. Ser que h a um ser humano na plenitude? Mas que ser huma-no este? Que educao esta?.

    Portanto, produzidas por meios diversos, as manifes-taes culturais oferecem a compreenso dos valores e hbitos da sociedade. Sua interface com a educao, por isso, bvia so reas irms, uma alimenta a outra.

    O Projeto Fazendo Arte ilustra esta relao, indicando que os benefcios para os alunos no se limitam aqui-sio de um repertrio cultural e artstico. No contexto

    educativo e social, a arte um veculo poderoso de incluso: fortalece vnculos com a famlia, a escola e entre os colegas. Diante disso, o Projeto Fazendo Arte se insere na sociedade com duas finalidades bem distintas e interligadas: a expe-rincia artstica e o desenvolvimento humano. A vivncia com a prtica revela que a arte tem o potencial de cumprir uma funo social de desenvolvimento humano que comea pelas oportunidades de acesso fruio e produo cul-tural.

    Do ponto de vista da experincia artstica, nossa proposta no tratar a arte como carter utilitrio. Entendemos que a arte est em cada um como potncia e, dessa forma, pro-cessos educativos que democratizem a vivncia da arte e do