publica†•es cientficas da fonoaudiologia .7 artigos (17,8%). dentre as 11 reas da...

PUBLICA‡•ES CIENTFICAS DA FONOAUDIOLOGIA .7 artigos (17,8%). Dentre as 11 reas da Fonoaudiologia:
Download PUBLICA‡•ES CIENTFICAS DA FONOAUDIOLOGIA .7 artigos (17,8%). Dentre as 11 reas da Fonoaudiologia:

Post on 10-Dec-2018

214 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

Concluso

Padronizar um protocolo de avaliao utilizando parmetros dafuno respiratria e da polissonografia auxilia no acompanha-mento e na adaptao dos pacientes com DNM VNI.

http://dx.doi.org/10.1016/j.slsci.2016.02.113

41986

PUBLICAES CIENTFICAS DA FONOAUDIOLOGIAVOLTADAS APNEIA OBSTRUTIVA DO SONO

Camila de Castro Corra, Luciana Paula Maximino,Silke Anna Theresa Weber

Faculdade de Odontologia de Bauru-USPE-mail address: camila.ccorrea@hotmail.com (C. de Castro Corra)

Resumo

INTRODUO

A Apneia Obstrutiva do Sono (AOS) reflete no estado geral desade do indivduo, bem como nos Distrbios da Comunicao. Acaracterizao das publicaes permite o avano da atuao destaprofisso na avaliao, tratamento, preveno e promoo desade na AOS.

OBJETIVO

Analisar as publicaes da Fonoaudiologia na interface com aAOS e seu nvel de evidncia.

Mtodos

Realizada uma busca na literatura nas bases de dados Lilacs,Pubmed e Scopus; com as palavras-chave Apneia do Sono TipoObstrutiva, Fonoaudiologia, Audiologia, Linguagem, Voz,Fonoterapia, Geriatria, Sade Pblica e Transtornos da Deglu-tio. Tambm utilizaram os termos livres: Exerccios Orofarngeos,Fonoaudiologia do Trabalho, Fonoaudiologia Educacional, Fonoau-diologia Neurofuncional. Como critrio de incluso, o artigo deveriatratar como eixo principal da atuao fonoaudiolgica na AOS.Quanto aos critrios de excluso, eliminaram estudos especficos aoutros procedimentos; texto de editorial e carta ao editor. Os artigosselecionados foram analisados quanto a rea correlata da Fonoau-diologia e atribudo o nvel de evidncia, em que o menor foi clas-sificado em 1 e o maior, 10, segundo o delineamento da pesquisa.

Resultados

Por meio das estratgias adotadas houve a localizao de 983artigos, sendo considerados 39, 7 localizados na Pubmed/Scopus(17,9%), 9 de origem na Scopus (23,1%), 8 na Pubmed (20,5%),6 localizados na Lilacs (15,4%) e 1 localizado na Lilacs/Scopus(2,6%); enquanto que 8 artigos (20,5%) foram localizados nas re-ferncias. Verificaram-se que as evidncias 10, 9, 8 e 6 apre-sentaram 2 artigos em cada (5,2%); o nvel 5 foi elegido para 17artigos (43,6%), o nvel 4 para 7 publicaes (17,8%) e o nvel 1 para7 artigos (17,8%). Dentre as 11 reas da Fonoaudiologia: 20 artigos

contemplaram a Motricidade Orofacial, 7 a rea da Voz, 4 a Lin-guagem, 2 a Audiologia, 2 a Neuropsicologia, 2 a FonoaudiologiaNeurofuncional, 1 a Sade Coletiva e 1 a Gerontologia.

CONCLUSO

Verificou-se que a Motricidade Orofacial apresentou maispublicaes relacionadas AOS, sendo que o nvel de evidncia5 foi o mais frequente dessas publicaes, correspondendo ao tipode Estudo Observacional (transversal).

http://dx.doi.org/10.1016/j.slsci.2016.02.114

43506

QUALIDADE DE SONO, SONOLNCIA DIURNA,FADIGA,SINTOMAS DEPRESSIVOS E ATIVIDADE DA DOENAEM PACIENTES COM ARTRITE REUMATOIDE

Pedro Felipe Carvalhedo de Bruin,Fernando Henrique Azevedo Lopes,Francisco Girleudo Coutinho da Silva, Max Victor Carioca Freitas,Veralice Meireles Sales de Bruin

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARE-mail address: girleudocoutinho@hotmail.com (F.G.C. da Silva)

Resumo

Introduo e objetivos

A Artrite Reumatoide (AR) uma doena inflamatria crnica au-toimune, mais frequente no sexo feminino, que acomete cerca de 1% dapopulao mundial. Os principais sintomas da doena so dor e rigidezarticular, que apresentam clara variao circadiana, sendo mais intensosno incio da manh. Alteraes do sono foram descritas na AR e podemafetar negativamente o quadro clnico e as atividades diurnas, emboratenham sido insuficientemente investigadas. Pacientes com AR podemapresentar sintomas depressivos que costumam estar associados a fa-diga e problemas de sono. O objetivo do presente estudo foi avaliar aqualidade de sono, fadiga, sonolncia diurna e sintomas depressivos nospacientes com AR, em funo da atividade da doena.

Mtodos

A atividade da AR foi avaliada pelo Escore de Atividade deDoena Baseado em 28 Articulaes (DAS-28) e escores maioresque 3,2 foram considerados indicativos de atividade moderada/alta. Qualidade do sono foi avaliada pelo ndice de Qualidade deSono de Pittsburgh, fadiga pela Escala de Gravidade da Fadiga,sonolncia diurna pela Escala de Sonolncia de Epworth e sinto-mas depressivos pelo Inventrio de Depresso de Beck (BDI-II).

Resultados

Foram incluidos consecutivamente 82 pacientes com diagnsticoprvio de AR (91,5% mulheres; idade mdia7DP52,6712,6 anos),em acompanhamento ambulatorial. Participantes com atividade mode-rada/alta (n44), comparados queles em remisso/baixa atividade(n38), apresentaram maior frequncia de m qualidade do sono(respectivamente, 86,4% vs 55,3%), fadiga (54,5% vs 42,1%), sonolncia

Abstracts of XV Brazilian Sleep Congress / Sleep Science 8 (2015) 169255226

Outline placeholderOutline placeholderConcluso

PUBLICAES CIENTFICAS DA FONOAUDIOLOGIA VOLTADAS APNEIA OBSTRUTIVA DO SONOResumoINTRODUOOBJETIVOMtodosResultadosCONCLUSO

QUALIDADE DE SONO, SONOLNCIA DIURNA,FADIGA, SINTOMAS DEPRESSIVOS E ATIVIDADE DA DOENA EM PACIENTES COM ARTRITE...ResumoIntroduo e objetivosMtodosResultados