romances catarinenses

Click here to load reader

Post on 16-Mar-2016

248 views

Category:

Documents

5 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Antologia de Romances Catarinenses organizada pelos estudantes de Letras Português a distância.

TRANSCRIPT

  • RomancesCatarinenses

    Antologia de Romances Catarinensesorganizada pelos estudantes do curso Letras Portugus a distncia para a disciplina Literatura Catarinense.

  • Escolhi o romance Memrias de um fingidor do autor catarinense Olsen Junior. Nasceu em

    Chapec (Oeste de Santa Catarina) no dia 06 de junho de 1955. formado em Direito pela FURB de

    Blumenau e tem ps-graduao em nvel de Mestrado, na UFSC de Florianpolis. jornalista e

    escritor.

    Na obra Memrias de um fingidor, todos os captulos comeam com manchetes de notcias

    publicadas em 04 de fevereiro de 2003 e no final de cada captulo h a indicao de um ano que

    alude a algum fato mencionado naquele perodo de 1958 at o ano de 2003 coincidindo com a data

    presente do narrador se encontra, terminando com o desfecho que permite entender o que foi

    resgatado da memria daquele nico dia, que se refere ao dia em teve que comparecer ao velrio da

    primeira mulher que amou. Depois da dolorosa despedida, o destino um bar, onde entra em ao a

    memria. Logo ele v que passou e descreveu 45 anos em uma fatdica tarde.

    O que eu mais gostei foi justamento do final, pois foi uma surpresa entender que manchetes to

    diversas constituram pano de fundo para a histria de amor do narrador.

    (Indicao: Alessandra Cristina Martins)

  • Ana Lusa de Azevedo Castro

    Romancista, poetisa, professora, diretora escolar e membro da Sociedade Ensaios Literrios.

    Destaque sobre a posio da mulher no mundo. Assim temos tambm uma referncia ao papel da

    mulher em seu romance onde lemos o seu pseudnimo Indgena do Ipiranga e seu romance D.

    Narcisa de Villar.

    D. Narcisa Vilar (1858 -1859) um romance com traos indianistas, sobre a opresso da

    mulher pela famlia e pela sociedade e sobre a escravido dos ndios pelos colonizadores. Os

    familiares pretendiam casar D. Narcisa com um conhecido de Lisboa. A jovem, porm, estava

    apegada ao filho da escrava Efignia, Leonardo. Destaco a seguinte parte:

    Uma noite de inverno, na minha infncia, achava-me com minha famlia na

    Ponta Grossa, onde estvamos hospedadas em casa de umas gentes as mais

    antigas do lugar. Ao p de um bom fogo, cujo calor saborevamos com

    delcias, pelo frio que fazia, e onde se assavam cars e batatas roxas que eu

    comia com delicioso prazer, eu ouvia tambm as histrias que me contavam

    duas ndias velhas, com seu falar pausado e cadencioso, com essa algaravia

    nica, em que se misturam as lnguas primitiva e a portuguesa adotada, que

    tanto me agradava. De vez em quando atiavam elas as chamas, e tiravam do

    braseiro, com tenazes de pau, cars e batatas to bem cozidos como se

    tivessem sido preparados no forno. Com a viveza prpria de meu carter, eu

    fazia mil perguntas tia Simoa e me Micaela, as duas irms ndias. Nessa

    noite ouvi muitos fatos interessantes acerca dos Padres Santos que seria

    longo narr-los. Porm, o que mais me impressionou, e que guardei fielmente

    na memria, foi uma legenda da ilha do Mel.

    Trata-se da narrativa de uma lenda da Ilha do Mel, em que a autora mostra situaes

    cotidianas e corriqueiras, ainda h a presena da f catlica. A escritora escolhe os oprimidos como

    principal temtica: a mulher e o ndio, D. Narcisa de Villar e Leonardo filho de uma ndia, uma de

    suas servas, Ifignia.

    A temtica da paixo proibida, uma vez que Narcisa empreender esforos para realizar seu

    amor idealizado ao lado do homem que ama e fugir do casamento arranjado pelos irmos. Para a

  • sociedade da poca no seria aceita a unio de um casal formado por uma fidalga e um ndio. Nesta

    condio, a autora apresenta a no-aceitao de uma sociedade, ou seja, o preconceito, o racismo.

    Referncias:

    Uma precursora: Ana Lusa de Azevedo Castro. CASTRO, Ana Lusa de Azevedo. D. Narcisa de

    Villar. 3. ed. Florianpolis: Mulheres, 1997.

    (Indicao: Anderson Costa Gonalves)

  • Com o objetivo de aumentar a lista dos romancistas catarinenses, gostaria de mencionar o

    poeta, romancista e cronista Carlos Henrique Schroeder, j mencionado anteriormente por ser

    um dos principais responsveis pela divulgao e incentivo da literatura em Jaragu do Sul, norte do

    Estado. Carlos Schroeder, natural de Trombudo Central, S.C., porm foi em Jaragu do Sul, que

    este escritor desenvolveu a maior parte de suas obras literrias. Atualmente responsvel pela Feira

    do Livro, que acontece anualmente em Jaragu do Sul, e editor executivo da Design Editora. Alm

    de romances, o escritor escreve poemas, contos, ganhando vrios prmios.

    O romance Ensaio do vazio conta a histria de um artista plstico e suas dificuldades e

    atrocidades dirias que envolvem esposa, amigo e outras pessoas. De acordo com Freitas apud Carlos

    Henrique Schroeder (2011), Schroeder nos reduz ao estado angustiante dos monlogos de Ricardo,

    o hedonista mergulhado em suas fantasias sexuais, descrenas e transgresses.

    Como, infelizmente, no pude ler esta obra dele ainda eu gostaria de destacar o texto da

    contracapa que me convida a apreciar esta obra:

    Um dos homens usava uma camisa vermelha xadrez ridcula que me parecia

    familiar. Enquanto nos revistavam, lembrei-me: um homem usava-a no

    nibus, eu gravava bem a camisa, pois j havia encontrado inmeras vezes

    com seu dono, por a. Estavam me seguindo, com certeza da SDI, filhos da

    puta! - Vocs dois dem o fora! Fernando quis falar algo e levou um soco no

    estmago, ficando agachado. Eu corri para fora, no havia o que fazer. Desci

    as escadas desesperadamente e ganhei a rua. Corria como um maratonista,

    mas no olhava para trs, tinha medo, precisa esquecer. O que aconteceria a

    Paulo e aos manifestos? (SCHROEDER, 2006, CC).

    Referncia

    SCHROEDER, Carlos Henrique. Biografia. Disponvel em: . Acesso em 21 nov. 2011.

    _______ Livros. Disponvel em: .

    Acesso em 21 nov. 2011.

    _______. Ensaio do Vazio. 2006. Disponvel em: Acesso em 21 nov.

    2011.

    (Indicao: Andreia Dalpiaz Pereira)

  • Urda Alice Klueger nasceu em 16 de fevereiro de 1952 na cidade de Blumenau/SC.

    Estudou nos Colgios So Jos e Pedro II, na cidade de Blumenau/SC. Licenciada, Bacharel e

    Especialista em Histria pela FURB, tambm de Blumenau/SC.

    Pertence Academia Catarinense de Letras; ao Instituto Histrico e Geogrfico de Santa

    Catarina; ANPUH Associao Nacional de Histria e Associao de Jornalistas e Escritores do

    Brasil.

    Foi professora de Histria para o Ensino Fundamental em Escolas Pblicas, nos anos de 2001

    e 2002, e Ensino Mdio em 2003.

    Est efetuando uma pesquisa sobre os Sambaquianos, antigos moradores de Santa Catarina,

    entre 6.000 a 2.000 anos atrs. A pesquisa iniciou em 1997 e deve ir, ainda, muito adiante. J gerou

    um Trabalho de Concluso de Curso, uma Monografia de especializao, um livro para didtico e

    est gerando um romance-histrico, e um projeto de pesquisa de Mestrado. Tal pesquisa j a levou,

    inclusive, a trabalho de campo no Sambaqui Jabuticabeira II, em Jaguaruna/SC, junto com a

    conceituada arqueloga Madu Gaspar.

    J publicou as seguintes obras:

    - Verde vale romance-histrico 1979 Editora Lunardelli Florianpolis/SC (em 10 edio); -

    As brumas danam sobre o espelho do rio romance-histrico 1981 editora Lunardelli

    Florianpolis/SC; - No tempo das tangerinas romance-histrico 1983 Editora Lunardelli

    Florianpolis/SC;

    - Vem, vamos remar relato da enchente de 1983, em Blumenau 1986 Editora Lunardelli

    Florianpolis/SC (em 4 edio);

    - Te levanta e voa romance 1989 Editora Lunardelli Florianpolis/SC;

    - Blumenau, a loira cidade no sul livro turstico 1989 Editora da Livraria Alem

    Blumenau/SC;

    - Cruzeiros do Sul romance-histrio 1991 Editora Lunardelli Florianpolis/SC (em 2 edio

    pela Editora Hemisfrio Sul Ltda.);

    - Recordaes de amar em Cuba II 1995 Relato de uma viagem a Cuba Editora Lunardelli

    Florianpolis/SC;

  • - A vitria de Vitria 1998 romance infantil Editora Hemisfrio Sul Ltda. Blumenau/SC (em

    2 edio);

    - Entre condores e lhamas 1999 relato de uma viagem a Bolvia e Peru Editora Hemisfrio Sul

    Ltda. Blumenau/SC;

    - Crnicas de Natal e Histrias de Minha Av livro de Natal 2001- Editora Hemisfrio Sul Ltda.

    (em 3 edio);

    - No tempo da Bolacha Maria 2002 crnicas memorialistas Editora Hemisfrio Sul Ltda.

    Blumenau/SC (em 2 edio);

    - Amada Amrica crnica de viagens feitas pela Amrica no-inglesa Editora Hemisfrio Sul

    Ltda. Blumenau/SC;

    - O povo das conchas 2004 para-didtico pr-histrico sobre o povo Sambaquiano Editora

    Hemisfrio Sul Ltda. Blumenau/SC.

    Urda representa muito bem o romance, mas com uma diferena, como afirma Luiz Carlos

    Amorim, ela escreve. Escreve coisas com sabor de poesia, com sabor de vida, uma fonte

    inesgotvel de emoo e sensibilidade. Ela escreve obras primas.

    As brumas danam sobre o espelho do rio um romance maravilhoso, uma cano de amor.

    Nos dias de hoje, com tantas novelas e romances, no fcil escrever uma histria de amor sem cair

    na famigerada gua com acar, mas Urda consegue e tem capacidade de sobra para escrever

    lindas histrias de amor. Sua obra consistente, grandiosa, com linguagem simples e potica,

    objetiva, plena de sensibilidade. Seu estilo inconfundvel.

    Em As brumas danam sobre o espelho, a autora deixou a saga dos colonizadores alemes,

    embora continue a correlao com a histria do Vale do Itaja, desta vez focal