tg aula6 2008

Download Tg Aula6 2008

Post on 05-Jul-2015

1.374 views

Category:

Travel

1 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 1. Tcnicas Grficas em Jornalismo Professor mestre Artur Araujo (araujofamilia@gmail.com) Breve histrico da diagramao no Brasil

2. Antes, um recado:Hoje o ltimo dia para a entrega dotrabalho individual sobre publicaes.Quem entregar hoje ter 50% de descontona nota.A partir da prxima aula, vamos trabalharexclusivamente os exerccios dediagramao no laboratrio com vistas prova prtica de diagramao. 3. Como tudo comeou 4. As primeiras manchetes... 5. Folha da Noite - So Paulo - 1934fotografia Chega a 6. Folha da Noite - So Paulo - 1945 7. 1950: ano de revolues na imprensa Na dcada de 1950, o Rio de Janeiro, entocapital federal, testemunhou o surgimento detrs iniciativas que iriam revolucionar a artede fazer jornal no Brasil:O projeto Dirio Carioca, que inovou com acriao de uma imprensa sria que adotava umtom coloquial.O projeto ltima Hora, que inovou nadiagramao de jornais populares.O projeto Jornal do Brasil, que inovou nadiagramao da imprensa sria nacional. 8. O projeto ltima HoraO jornalista e empresrioSamuel Wainer contratou (1912-1980) Samuel Wainerum famoso diagramadorparaguaio, ento morandoem Buenos Aires, AndrsGuevara, que comeou asingularizar o jornaldesenhando um logotipo,com letras em cores azuis,alm de ressaltargraficamente as sees (1904-1963) Andrs Guevaratemticas originais que iamsurgindo do projetoeditorial da publicao. 9. Projeto grfico e uso racional do espao da diagramaoO artista grfico criou tambm os conceitosde diagramao de preciso para manter afidelidade do projeto grfico e estabelecer umuso racional do espao grfico. (1904-1963) Andrs Guevara 10. Dois trabalhos de Guevara 11. O projeto Jornal do Brasil, de Amlcar de Castro e Reynaldo JardimO Jornal do Brasil, cujaexpresso editorial estavana publicao de annciosclassificados (incluindo a Reynaldo Jardim - (*1926)primeira pgina),aprofundou as experinciasda ltima Hora e do DirioCarioca, afirmando-se por Amlcar de Castrouma renovao grfica na (1920-2002)qual textos e fotografiaspassaram a compor o novovisual das pginas de modoplanejado e criativo. 12. O projeto Jornal do Brasil, de Amlcar de Castro e Reynaldo JardimA reforma elaborada noJornal do Brasil ganhouuma expressohistrica,Reynaldo Jardim - (*1926) redimensionandoalguns conceitosarraigados noAmlcar de Castrosomente no Brasil.(1920-2002) 13. Projetos recentes de Amlcar de Castro 14. Fala Reynaldo Jardim...Reynaldo Jardim - (*1926) Entrevista de Reynaldo Jardim ao programa de Televiso Comit de Imprensa, da TV Cmara (dezembro/2006) 15. Jornal da Tarde Em 1966, em So Paulo, o Jornalda Tarde, do Grupo O Estado deS. Paulo, se tornou o grandeparadigma da excelncia grficae redacional da imprensabrasileira. Mino Carta (*1933) Murilo Felisberto(1939-2007) 16. Jornal da Tarde Uma das novidades do peridicofoi na estruturao grfica. Aidia era a de que a concepoda pgina no sasse (ou nosasse exclusivamente) dacabea de um diagramador.Mino Carta (*1933)Murilo Felisberto (1939-2007) 17. Jornal da Tarde: o depoimento de Ivan ngeloQuando ns chegamos aquiera o editor-chefe e o secretriode redao, o Mino Carta e oMurilo Felisberto, quedesenhavam as pginas,tentando encontrar uma linguagem Mino Carta (*1933)grfica para ojornal, uma Murilo Felisbertolinguagem (1939-2007) grfica prpria. 18. Jornal da Tarde: a capa-cartaz A capa-cartaz foi a principalmarca que o Jornal da Tardedeixou na histria das artesgrficas brasileiras. Mino Carta (*1933) Murilo Felisberto(1939-2007) 19. Correio BrazilienseRicardo NoblatO mais recente paradigma (* 1949)brasileiro na rea das artesgrficas o jornal CorreioBraziliense, de Braslia.A fase mais marcante dapublicao ocorreu entre 1994 e2002, sob a direo do editorexecutivo Ricardo Noblat e doento editor-executivo de arte dapublicao, o Francisco Amaral. Francisco Amaral 20. Correio Braziliense Ricardo NoblatAinda hoje, apesar das(* 1949)mudanas de pessoal, oCorreio Brazilense lidera nodesign de jornais brasileiros,seguindo o conceito de umjornal aberto s mudanas delinguagem nas publicaeseditoriais. Francisco Amaral