toxicologia ocupacional - 2014/toxicologia/aula toxicologia... · • apresentação •...

Download TOXICOLOGIA OCUPACIONAL - 2014/toxicologia/Aula Toxicologia... · • Apresentação • Introdução

Post on 14-Nov-2018

232 views

Category:

Documents

3 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • TOXICOLOGIA OCUPACIONAL

    Nelly Mayumi Kon nellymkon@yahoo.com.br

  • Apresentao Introduo Exerccios Toxicologia Ocupacional Conceitos, toxicocintica, toxicodinmica Monitoramento Ambiental Monitoramento Biolgico Vigilancia a Sade NR e ACGIH Interpretao de resultados

    Proprosta de tpicos

  • TOXICOLOGIA o estudo dos efeitos nocivos de substncias estranhas sobre os seres vivos.

    TOXICIDADE a capacidade relativa de uma substncia provocar um dano a um sistema biolgico.

    rea da toxicologia, aplicada aos princpios e mtodos para identificao, gesto e controle dos compostos qumicos no ambiente de trabalho, visando o uso adequado e seguro de agentes qumicos, que oferea um ambiente salubre ao trabalhador.

    TOXICOLOGIA OCUPACIONAL

  • VIAS DE EXPOSIO

    Fonte: William Costa Rodrigues

  • Estudo da relao entre a quantidade de um agente txico que atua sobre o

    organismo e a concentrao dele no plasma.

    Relaciona os processos de absoro, distribuio e

    eliminao do agente, em funo do tempo.

    Relaciona a dose interna com a resposta do rgo alvo = EFEITO

    ADVERSO ATIVAO DESTOXIFICAO CITOPROTEO HOMEOSTASE

    Dose do AGENTE QUMICO

    Resposta Txica AGENTE QUMICO no Local de Ao

    TOXICOCINTICA TOXICODINMICA

    TOXICOCINTICA

    Comportamento do agente txico aps seu contato com o

    organismo. Absoro, transporte, distribuio, transformao,

    acumulao e excreo.

    TOXICODINMICA

    Mecanismos de ao txica exercida por substncias qumicas sobre o sistema

    biolgico.

  • Relao entre toxicocintica e toxicodinmica. RENWICK, in BALLANTYNE, 1999

    Relaciona a dose externa com a quantidade que alcana o

    rgo alvo = DOSE INTERNA biodisponibilidade clearance meia vida acmulo

    Relaciona a dose interna com a resposta do rgo alvo = EFEITO

    ADVERSO ativao destoxificao citoproteo homeostase

    Dose do AGENTE QUMICO

    Resposta Txica AGENTE QUMICO no Local de Ao

    TOXICOCINTICA TOXICODINMICA

  • TOXICOCINTICA E TOXICODINMICA

    Fonte: Raphael Mendona Guimares

  • FASES DA INTOXICAO

    Fonte: William Costa Rodrigues

  • TOXICIDADE AGUDA - Parmetros Efeitos potenciais agudos de uma substncia sobre um organismo.

    Os ndices utilizados para sua caracterizao so a Dose (DL50) ou Concentrao Letal (CL50): dose ou concentrao em que 50% dos organismos submetidos ao teste morrem.

    Dose Letal (DL50) - toxidade oral aguda: dose da substncia que administrada oralmente tem a probabilidade de provocar a morte de 50%.

    Dose Letal (DL50) - toxidade drmica aguda: dose administrada por contato contnuo com a pele, por 24 horas, tem a probabilidade de provocar a morte de 50%.

    Concentrao Letal (CL50) - toxidade aguda por inalao: concentrao que, administrada por inalao contnua, tem a probabilidade de provocar a morte de 50%.

    Fonte: Manual para interpretao de informaes sobre substncias qumicas - Jos Tarcsio Buschinelli

  • IPVS ou IDLH - Imediatamente Perigoso para Vida ou Sade o parmetro para toxicidade aguda mais importante em sade

    ocupacional. a concentrao da substncia no ar ambiente a partir da qual h risco

    evidente de morte, ou de causar efeito permanente sade, ou de impedir um trabalhador de abandonar uma rea contaminada.

    OSHA - respirador com reserva de ar ou ar mandado.

    A preocupao principal com substncias corrosivas, asfixiantes ou com efeitos agudos sobre o sistema nervoso central.

    Fonte: Manual para interpretao de informaes sobre substncias qumicas - Jos Tarcsio Buschinelli

    TOXICIDADE AGUDA - Parmetros

  • TOXICIDADE AGUDA IPVS ou IDLH - Imediatamente Perigoso para Vida ou Sade

    Comparando-se os valores de IPVS, pode-se ter uma ideia do risco de exposio de curto prazo.

    Fonte: Manual para interpretao de informaes sobre substncias qumicas - Jos Tarcsio Buschinelli

  • Os efeitos crnicos so geralmente persistentes e causados por exposies repetidas a baixas doses ou concentraes por longos perodos, de meses a anos => rgos alvo

    LOAEL (Lowest Observed Adverse Effect Level) - menor nvel em que se observa efeito adverso: a menor concentrao da substncia que causa uma reao considerada adversa.

    NOAEL (No Observed Adverse Effect Level) - nvel sem efeito adverso observado: a maior concentrao da substncia que no causa efeitos adversos observados.

    NOEL (No Observed Effect Level) - nvel sem efeito observado: a maior concentrao da substncia encontrada por observao e/ou observao que no causa alteraes fisiopatolgicas nos organismos tratados.

    Fonte: Manual para interpretao de informaes sobre substncias qumicas - Jos Tarcsio Buschinelli

    TOXICIDADE CRNICA - Parmetros

  • Relembrando...

    Monitoramento Ambiental o que como feito para que o que LEO limite de exposio

    ocupacional cite exemplos NR e ACGIH

  • Relembrando...

    Monitoramento Biolgico o que para que serve qual a relao com o monitoramento

    ambiental caractersticas do indicador biolgico

    ideal o que LBE cite exemplo

  • Relembrando...

    Vigilncia a Sade o que para que serve qual a diferena do monitoramento

    biolgico qual a relao com o monitoramento

    ambiental e biolgico cite exemplos

  • Estratgias de Monitoramento Ocupacional

    Carter Preventivo Monitoramento Ambiental Monitoramento Biolgico

    Outras Estratgias Monitoramento Clnico

  • Fonte: Armando Meyer IESC/UFRJ

    Dose Externa

    Dose Interna

  • Preveno de Efeitos

    Dose Interna

    Exposio Externa

    Monitoramento Ambiental

    Efeitos Adversos

    Monitoramento Biolgico Vigilncia Sade

    Preveno de Efeitos Deteco de Efeitos

    Diagrama de monitoramentos - Lauwerys

    NA LTA

    LTB ou LBE

  • Monitorao Ambiental

    Determinao da CONCENTRAO DO TXICO NO AMBIENTE de trabalho (dose externa)

    Utiliza como critrio de aceitabilidade os valores mximos admissveis: LT (limite de tolerncia), TLV (threshold limit values), OEL (occupational exposure limits), MAK (maximale arbeitsplatz konzentration)

    Representam a maior concentrao de uma substncia qumica a que a quase totalidade dos trabalhadores pode estar exposta, ao longo da jornada de trabalho, sem que tenha efeito adverso para a sade.

    Fonte: Jos Tarcsio Buschinelli

  • LEOs - Limites de exposio ocupacional

    LT (Brasil) (Lei) a concentrao ou intensidade mxima ou mnima, relacionada com a natureza e o tempo de exposio ao agente, que no causar dano sade do trabalhador, durante a sua vida laboral (NR-15)

    LT-MPT: para jornada de 8h/dia e at 48h/semana TLV (ACGIH) (recomendao de uma ONG) as concentraes de substncias

    qumicas no ar, s quais, acredita-se, a maioria dos trabalhadores possa estar exposta, repetidamente, dia aps dia, durante toda uma vida de trabalho sem sofrer efeitos adversos sade

    Tipos de LEOs da ACGIH: TLV-TWA, TLV-STEL e TLV Ceiling TWA: jornada de 8h/dia, 40h/semana

    Fonte: Manual para interpretao de informaes sobre substncias qumicas - Jos Tarcsio Buschinelli

  • Limites de Exposio Ambientais de acordo com American Conference of Industrial Hygienists (ACGIH)

    TLV-TWA (Valor limite limiar - mdia ponderada no tempo): concentrao media ponderada no tempo (calculada para uma jornada de trabalho convencional de oito horas e/ou 40 horas de trabalho semanal) para as quais se acredita que quase todos os trabalhadores possam estar repetidamente expostos dia aps dia sem apresentar efeitos adversos.

    TLV-STEL (Valor limite limiar - limite para um breve perodo (tempo) de exposio): concentrao a qual se acredita que os trabalhadores possam estar expostos continuamente por um breve perodo de tempo sem que surjam irritaes, dano crnico ou irreversvel nos tecidos e reduo do estado de ateno.

    TLV-C (Valor limite limiar - Ceiling): concentrao que no deve ser superada durante qualquer momento da exposio da jornada de trabalho.

    Fonte: Jos Tarcsio Buschinelli

  • LEOs - Limites de exposio ocupacional

    Occupational Safety Health Administration - OSHA (EUA) (Lei) PEL (Permissible Exposure Limit)

    Health and Safety Executive - HSE (UK) (Lei) WEL (Workplace Exposure Limits)

    *A maior parte dos WEL so recomendaes European Agengy for Safety and Health at Work (EASHW), atravs do

    Scientific Committee on Occupational Exposure Limits (SCOEL) - Occupational Exposure Limits (OEL) sendo os obrigatrios (binding Occupational Exposure Limits Value (bOELV) e os indicativos ou recomendados: os indicative Occupational Exposure Limits Value (iOELV)

    *Os pases da EU podem adotar ou no os valores propostos pela SCOEL

    Fonte: Manual para interpretao de informaes sobre substncias qumicas - Jos Tarcsio Buschinelli

  • Quem no sabe o que procura no entende o que

    encontra

    Monitorao Biolgica

  • Monitorao Biolgica

    a determinao de agentes qumicos ou seus metablitos em tecidos, fluidos, secrees, excrees, ar expirado ou em quaisquer combinaes, conduzidas para avalar a EXPOSIO e o RISCO SADE, quando comparadas a uma referncia apropriada. (NIOSH / OSHA)

  • Monitorao Biolgica COMPLEMENTAR ao monitoramento ambiental.

    Avaliar o risco derivado da exposio no pela presena do agente no ambiente, mas em funo da quantidade que efetivamente penetrou no organismo.

    Sobre o prprio indivduo exposto.

    No deve ser confundido com os procedimentos que visam o diagnstico.

    um procedimento preventivo que deve ser aplicado de forma regular e repetitiva

Recommended

View more >