universidade federal de santa catarina centro .fonoaudiologia) – coordenadoria...

Download UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO .Fonoaudiologia) – Coordenadoria Especial de Fonoaudiologia,

Post on 10-Dec-2018

216 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA

CENTRO DE CINCIAS DA SADE

COORDENADORIA ESPECIAL DE FONOAUDIOLOGIA

CURSO DE GRADUAO EM FONOAUDIOLOGIA

THAMY FERNANDES SCHMITT

CARACTERSTICAS DA FALA DE INDIVDUOS COM FISSURA TRANSFORAME

INCISIVO ATENDIDOS NO NAPADF-UFSC

FLORIANPOLIS

2013

1

THAMY FERNANDES SCHMITT

CARACTERSTICAS DA FALA DE INDIVDUOS COM FISSURA TRANSFORAME

INCISIVO ATENDIDOS NO NAPADF-UFSC

Trabalho de Concluso de Curso apresentado

ao curso de Fonoaudiologia como requisito

parcial para obteno do grau de Bacharel

em Fonoaudiologia na Universidade Federal

de Santa Catarina.

rea de concentrao: Motricidade Orofacial

Orientadora: Maria Isabel dvila Freitas

Coorientadora: Cristiane Gonalves

Montibeller

FLORIANPOLIS

2013

2

Ficha de identificao da obra elaborada pelo autor, atravs do Programa de Gerao Automtica da Biblioteca Universitria da UFSC.

Schmitt, Thamy Fernandes

Caractersticas da fala de indivduos com fissura transforame

incisivo atendidos no NAPADF-UFSC / Thamy Fernandes Schmitt ;

orientadora, Maria Isabel d'vila Freitas ; co-orientadora,

Cristiane Gonalves Montibeller. -

Florianpolis, SC, 2013.

73 p.

Trabalho de Concluso de Curso (graduao) - Universidade

Federal de Santa Catarina, Centro de Cincias da Sade.

Graduao em Fonoaudiologia.

Inclui referncias

1. Fonoaudiologia. 2. Fissura labiopalatina. 3. Fala.

4. Transtornos da articulao. I. Freitas, Maria Isabel d'vila

. II. Montibeller, Cristiane Gonalves. III. Universidade

Federal de Santa Catarina. Graduao em Fonoaudiologia. IV.

Ttulo.

3

4

Dedico este trabalho minha famlia que

esteve sempre presente em todos os

momentos da minha vida me auxiliando e

me apoiando;

Em especial aos meus amados pais, a

minha irm e ao meu namorado que so

os alicerces da minha vida e que so os

responsveis pela realizao deste sonho.

5

AGRADECIMENTOS

Deus, que guia, ilumina e abenoa meus caminhos todos os dias.

meus pais Zoraide e Loureno, minha irm Mayara e toda minha famlia, por

sempre acreditarem em mim e me ajudarem em toda trajetria da minha vida e pelo amor

incondicional.

Ao meu namorado, Philippe, por seu amor, carinho, compreenso e apoio.

Juliana Vill, amiga de infncia e irm de corao, pela amizade pura e incomparvel

de uma vida inteira.

minha orientadora Prof. Dra. Maria Isabel dvila Freitas, por toda dedicao em

me ajudar e tirar minhas dvidas em todo decorrer do trabalho, sempre com dicas e conselhos

indispensveis.

mestre Cristiane Gonalves Montibeller, pela coorientao deste trabalho, pela

transmisso dos seus conhecimentos com dedicao, pelo apoio e incentivo.

Eloisa Pinheiro Ferrari, pela parceria na confeco deste e de outros trabalhos

acadmicos.

s minhas amigas, Fernanda Pizani Dutra e Tatiane Moraes Garcez, pela companhia,

parceria, apoio e pelos momentos de muitas risadas nesses anos inesquecveis. Obrigada pela

amizade!

s minhas admirveis professoras, Helena Ferro Blasi, Maria Rita Pimenta Rolim,

Ana Paula O. Santana, Ana Maria Furkim, Maria Madalena C. Pinheiro, Simone Mariotti

Roggia e a todos os demais professores que passaram por minha formao acadmica, por

conseguirem passar seus conhecimentos to brilhantemente, concretizando sonhos como o

meu, de ser uma Fonoaudiloga.

Aos meus colegas de turma, que dividiram comigo esses quatro anos, sempre com

muito companheirismo e amizade. Vocs todos moram no meu corao.

Aos pacientes fissurados e toda equipe do NAPADF, por terem me recebido durante

todo desenvolvimento deste trabalho.

Agradeo a todos!

6

SCHMITT, T. F. Caractersticas da fala de indivduos com fissura transforame incisivo

atendidos no NAPADF-UFSC, 2013. 73 p. Trabalho de Concluso de Curso (Graduao em

Fonoaudiologia) Coordenadoria Especial de Fonoaudiologia, Universidade Federal de Santa

Catarina, 2013.

RESUMO

Introduo: A fissura labiopalatina uma malformao frequente e se caracterizada por um

erro na fuso dos processos faciais embrionrios responsveis pela formao da face. Dentre

os tipos de fissura, a fissura transforame incisivo, por sua extenso, a que demanda o

tratamento mais longo e participao de diversos profissionais em sua reabilitao. A

produo da fala dos indivduos com fissura labiopalatina pode ser afetada de diversas

formas, sendo os sintomas mais comuns relacionados articulao e ressonncia, podendo

trazer prejuzos significativos inteligibilidade da fala, comprometendo assim, a sua

comunicao. Objetivo: Caracterizar a fala de um grupo de indivduos com fissura

transforame incisivo atendidos no Ncleo de Atendimento a Pacientes com Deformidades

Faciais (NAPADF) da Disciplina de Ortodontia na Universidade Federal de Santa Catarina

(UFSC), assim como, conhecer a ocorrncia de alteraes articulatrias e de ressonncia

associadas fala, classificando a funo velofarngea e a inteligibilidade da fala desses

pacientes. Mtodos: Participaram do estudo 12 pacientes com fissura labiopalatina do tipo

transforame incisivo reparada cirurgicamente. Os participantes foram submetidos anamnese,

avaliao miofuncional orofacial, teste de emisso de ar nasal, teste de hipernasalidade e

hiponasalidade. Alm disso, foi realizada anlise da fala a partir de gravao em vdeo da fala

espontnea e fala dirigida, a fim de observar possvel ocorrncia de presena de emisso ar

nasal audvel, fraca presso intraoral, mmica facial associada e distrbio articulatrio

compensatrio (DAC). Resultados: A mdia de idade dos participantes foi de 19,17 anos.

No houve predominncia quanto ao gnero neste estudo. Todos os pacientes apresentaram

resultado positivo no teste de emisso de ar nasal e a hipernasalidade foi encontrada em

66,67% dos pacientes. Na anlise da fala encontrou-se emisso de ar audvel (50%), fraca

presso intraoral (58,33%) mmica facial associada (50%) e DACs (41,67%). O golpe de glote

foi o DAC de maior ocorrncia neste estudo. Quanto inteligibilidade de fala, 50% dos

pacientes apresentaram inteligibilidade preservada, 8,33% levemente prejudicada, trs 25%

prejudicada, um 8,33% muito prejudicada e um 8,33% apresentou fala ininteligvel. A funo

velofarngea foi classificada como adequada em 25% dos pacientes, marginal em 33,33%, e

7

inadequada em 41,67%. Concluso: A hipernasalidade, a emisso de ar nasal audvel, a fraca

presso intraoral, a mmica facial associada e a presena de DACs so alteraes

caractersticas na fala dos pacientes com fissura labiopalatina transforame incisivo atendidos

no NAPADF. A inteligibilidade de fala dos pacientes deste estudo foi prejudicada,

principalmente, pela emisso de ar nasal e hipernasalidade. A funo velofarngea inadequada

foi a mais encontrada nesses pacientes.

Palavras-chave: Fissura labiopalatina. Fala. Transtornos da articulao. Fonoaudiologia.

8

ABSTRACT

Introduction: Cleft lip and palate is a frequent malformation and its characterized by an

error in the fusion of embryonic facial processes, which is responsible for the facial

formation. Among the types of cleft, the cleft lip and palate, by its extension, therefore,

requires longer treatment and participation of several professionals in their rehabilitation. The

speech production of individuals with cleft palate can be affected in various ways, but the

most common symptoms are related to articulation and resonance, which can reflect in

significant prejudice to the speech intelligibility, compromising the communication.

Objective: Characterize the speech of a group of individuals with cleft lip and palate treated

at the Center for Care of Patients with Facial Deformities (NAPADF) Department of

Orthodontics at the Federal University of Santa Catarina (UFSC), as well as to understand the

occurrence of resonance and articulatory alterations associated with speech, classify

velopharyngeal function and speech intelligibility of these patients. Methods: The study

included 12 patients with cleft lip and palate repaired surgically. Participants were submitted

to anamnesis, miofunctional test, nasal air emission, hypernasality test and hyponasality.

Furthermore, we analyzed the speech from video recording of spontaneous speech and speech

directed to observe possible occurrence of the presence of audible nasal air emission, weak

intraoral pressure, grimace and associated compensatory articulation (DAC). Results: The

mean age of participants was 19.17 years. There was no predominance of gender in this study.

All patients had positive results to the test of nasal air emission and the hypernasality was

found in 66.67% of patients. The analysis of speech showed audible air emission (50%), weak

intraoral pressure (58.33%) associated facial (50%) and DACs (41.67%). The glottal stop was

the higher incidence of DAC in this study. As for speech intelligibility, 50% of patients had

preserved intellig