vlt® da série 2800

162
VLT ® da Série 2800 Índice Introdução ao VLT 2800 ................................................................................. 3 Software version ....................................................................................................... 3 Advertência geral .................................................................................................... 4 Estas regras dizem respeito à sua segurança ........................................................... 4 Advertência contra partidas indesejadas .................................................................. 4 Tecnologia ................................................................................................................ 5 Etiqueta CE ............................................................................................................. 7 Formulário de pedido ............................................................................................... 8 Bobinas do motor ................................................................................................. 11 Números de pedido do VLT 2800 200-240 V ......................................................... 16 Números de pedido do VLT 2800 380-480 V ......................................................... 18 Formulário de pedido ............................................................................................ 20 Software para PC ................................................................................................... 21 Software para PC e comunicação serial ................................................................. 21 Acessórios do VLT 2800 ........................................................................................ 22 Unidade de controle ............................................................................................... 29 Inicialização manual ............................................................................................... 29 Manual Automático ............................................................................................... 30 Ajuste automático do motor .................................................................................. 31 A unidade de controle LCP 2, opção ...................................................................... 32 Seleção de parâmetro ............................................................................................ 35 Instalação ........................................................................................................... 37 Dimensões mecânicas .......................................................................................... 37 Instalação mecànica .............................................................................................. 39 Informações gerais sobre a instalação elétrica ........................................................ 40 Instalação elétrica correta da CEM ........................................................................ 42 Cabos de controle blindados de aterramento ......................................................... 44 Diagrama .............................................................................................................. 45 Instalação elétrica ................................................................................................... 46 Braçadeira de segurança ....................................................................................... 48 Pré-fusíveis ........................................................................................................... 48 Conexão à rede ..................................................................................................... 48 Conexão do motor ................................................................................................ 48 Interruptor de RFI ................................................................................................... 48 Sentido de rotação do motor ................................................................................ 49 Conexão de motores em paralelo .......................................................................... 49 Cabos do motor .................................................................................................... 49 Proteção térmica do motor .................................................................................... 50 Conexão do freio ................................................................................................... 50 Conexão do terra .................................................................................................. 50 Divisão de carga .................................................................................................... 50 Torque de aperto, Terminais de força ...................................................................... 50 Controle do freio mecânico ................................................................................... 51 Acesso aos terminais de controle .......................................................................... 51 Instalação elétrica, cabos de controle .................................................................... 51 Torques de aperto, cabos de controle .................................................................... 52 Instalação elétrica, terminais de controle ................................................................ 52 Conexão do relé .................................................................................................... 53 VLT Software Dialog .............................................................................................. 53 Exemplos de ligação .............................................................................................. 54 MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 1

Upload: luzia-aparecida-da-silva

Post on 18-Feb-2015

125 views

Category:

Documents


13 download

TRANSCRIPT

Page 1: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

■ Índice

Introdução ao VLT 2800 ................................................................................. 3Software version ....................................................................................................... 3Advertência geral .................................................................................................... 4Estas regras dizem respeito à sua segurança ........................................................... 4Advertência contra partidas indesejadas .................................................................. 4Tecnologia ................................................................................................................ 5Etiqueta CE ............................................................................................................. 7Formulário de pedido ............................................................................................... 8Bobinas do motor ................................................................................................. 11Números de pedido do VLT 2800 200-240 V ......................................................... 16Números de pedido do VLT 2800 380-480 V ......................................................... 18Formulário de pedido ............................................................................................ 20Software para PC ................................................................................................... 21Software para PC e comunicação serial ................................................................. 21Acessórios do VLT 2800 ........................................................................................ 22Unidade de controle ............................................................................................... 29Inicialização manual ............................................................................................... 29Manual Automático ............................................................................................... 30Ajuste automático do motor .................................................................................. 31A unidade de controle LCP 2, opção ...................................................................... 32Seleção de parâmetro ............................................................................................ 35

Instalação ........................................................................................................... 37Dimensões mecânicas .......................................................................................... 37Instalação mecànica .............................................................................................. 39Informações gerais sobre a instalação elétrica ........................................................ 40Instalação elétrica correta da CEM ........................................................................ 42Cabos de controle blindados de aterramento ......................................................... 44Diagrama .............................................................................................................. 45Instalação elétrica ................................................................................................... 46Braçadeira de segurança ....................................................................................... 48Pré-fusíveis ........................................................................................................... 48Conexão à rede ..................................................................................................... 48Conexão do motor ................................................................................................ 48Interruptor de RFI ................................................................................................... 48Sentido de rotação do motor ................................................................................ 49Conexão de motores em paralelo .......................................................................... 49Cabos do motor .................................................................................................... 49Proteção térmica do motor .................................................................................... 50Conexão do freio ................................................................................................... 50Conexão do terra .................................................................................................. 50Divisão de carga .................................................................................................... 50Torque de aperto, Terminais de força ...................................................................... 50Controle do freio mecânico ................................................................................... 51Acesso aos terminais de controle .......................................................................... 51Instalação elétrica, cabos de controle .................................................................... 51Torques de aperto, cabos de controle .................................................................... 52Instalação elétrica, terminais de controle ................................................................ 52Conexão do relé .................................................................................................... 53VLT Software Dialog .............................................................................................. 53Exemplos de ligação .............................................................................................. 54

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 1

Page 2: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Uso do controlador de PID interno - controle de processo de malha fechada ........ 56

Programação ..................................................................................................... 58Operação e Visor ................................................................................................... 58Definição da configuração ...................................................................................... 58Carga e motor ........................................................................................................ 66Frenagem CC ........................................................................................................ 71Referências e Limites ............................................................................................. 76Tratamento das referências ................................................................................... 76Função de referência .............................................................................................. 80Entradas e saídas ................................................................................................... 85Funções especiais .................................................................................................. 95Funções PID .......................................................................................................... 98Tratamento do feedback ...................................................................................... 100Comunicação serial para o VLT 2800 ................................................................... 107Palavra de controle conforme o protocolo FC ....................................................... 112Palavra de estado de acordo com o Perfil FC ....................................................... 114Palavra de controle conforme o protocolo profidrive ............................................. 116Palavra de estado conforme o protocolo Profidrive ............................................... 117Comunicação serial .............................................................................................. 119Funções técnicas ................................................................................................. 127

Tudo sobre o VLT 2800 .............................................................................. 131Condiçoes epseciais ............................................................................................ 131Isolamento galvànico (PELV) ................................................................................ 131Corrente de fuga â terra e relés RCD .................................................................... 131Condições extremas de operação ....................................................................... 132dU/dt no motor ................................................................................................... 132Chaveamento na entrada ..................................................................................... 132Ruído acústico .................................................................................................... 132Freqüência de chaveamento dependenteda temperatura .................................... 133"Derating" devido à pressão atmosférica .............................................................. 133"Derating" devido a baixa velocidade de funcionamento ....................................... 133"Derating" para cabos longos de motor ................................................................ 133Vibração e choque ............................................................................................... 134Umidade atmosférica .......................................................................................... 134Padrão UL ........................................................................................................... 134Eficiência ............................................................................................................. 134Interferência da rede de alimentação/harmônicas ................................................. 134Fator de potência ................................................................................................ 135Normas EMC genéricas/normas de produtos ....................................................... 136Emissão EMC ..................................................................................................... 136Imunidade CEM ................................................................................................... 137Emissão de corrente harmônica ........................................................................... 139Ambientes agressivos ......................................................................................... 139Display readout ................................................................................................... 140Mensagens de advertências/alarmes .................................................................. 140Palavras de aviso, palavras de estado estendido e palavras de alarme ................ 145Dados técnicos gerais .......................................................................................... 146Dados técnicos, alimentaçãode rede 1 x 220-240V/3x 200-240V ........................ 150Dados técnicos, alimentação de rede 3 x 380-480V ............................................ 151Literatura disponível ............................................................................................. 152Fornecido com a unidade ..................................................................................... 152Programação defábrica ........................................................................................ 153

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss2

Page 3: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Intr

oduç

ão a

o V

LT28

00

Série VLT 2800

Guia de ProjetoSoftware versões: 2.6x

Este Guia de Projeto pode ser utilizado com todos osconversores de freqüência VLT 2800 que tenham o softwareversão 2.6x. Vide número da versão do software noparâmetro 640 Nº da versão do software.

����

���

���

NOTA!:Este símbolo indica algo que deve serpercebido pelo leitor.

Indica uma advertência geral.

Este símbolo indica uma advertênciade alta tensão.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 3

Page 4: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

■ Advertência geral

As tensões do conversor de freqüênciasão perigosas sempre que o equipamentoestiver ligado à rede elétrica. A instalação

incorreta do motor ou do conversor de freqüênciapode causar danos ao equipamento, ferimentosgraves em pessoas ou morte. Portanto, as instruçõesdeste manual, bem como as normas nacionais elocais de segurança devem ser obedecidas.

■ Estas regras dizem respeito à sua segurança1. O conversor de freqüência deve ser desligado da

rede elétrica quando forem realizados reparos.Verifique se a rede elétrica foi desligada e se passouo tempo necessário antes de retirar as tomadasda ligação com o motor e a rede elétrica.

2. A tecla [STOP/RESET] no painel de controle doconversor de freqüência não desliga o equipamentoda rede elétrica e, portanto, não deve ser utilizadocomo interruptor de segurança.

3. A ligação à terra do equipamento deve estarinstalada, o operador deve estar protegido datensão de alimentação e o motor deve estarprotegido contra sobrecarga, conforme asnormas nacionais e locais aplicáveis

4. As correntes de fuga à terra são superiores a 3,5 mA.5. A proteção contra sobrecarga do motor não está

incluída na programação de fábrica. Se estafunção for necessária, configure o parâmetro 128Proteção térmica do motor para o valor de dadosETR trip ou o valor de dados ETR warning. Parao mercado norte-americano: As funções ETRproporcionam proteção de sobrecarga do motor,classe 20, em conformidade com a NEC.

6. Não remova as conexões do motor - e nem dafonte de alimentação enquanto o conversor defreqüência estiver conectado à rede elétrica.Verifique se a rede elétrica foi desligada e se passouo tempo necessário antes de retirar as tomadasda ligação com o motor e a rede elétrica.

7. Observe que o conversor de freqüência temoutras entradas de tensão, além de L1, L2 eL3, sempre que os terminais do bus CC foremusados. Verifique se todas as entradas de tensãoforam desconectadas e se foi aguardado o temponecessário antes de iniciar o trabalho de reparo.

■ Advertência contra partidas indesejadas1. O motor pode ser parado mediante comandos

digitais, comandos da via serial, referências ouparada local, enquanto o conversor de freqüênciaestiver ligado à rede. Se, por causa da segurançapessoal, for necessário garantir que partidasindesejadas não aconteçam, estas funçõesde parada não serão suficientes.

2. Durante a programação de parâmetros, omotor pode partir. Portanto, a tecla de parada[STOP/RESET] deve sempre estar ativada e, emseguida, os dados podem ser modificados.

3. Um motor que parou pode partir se ocorreremfalhas na eletrônica do conversor de freqüência,se houver uma sobrecarga temporária ouquando uma falha na alimentação da rede ouna alimentação do motor cessar.

195NA139.10

Advertência:Tocar nas partes elétricas pode ser fatal, mesmo depois doequipamento ter sido desenergizado. Verifique se todas asoutras entradas de tensão também estão desconectadasda divisão de carga, como o compartilhamento do circuitointermediário CC, por exemplo.

Utilizando o VLT 2800: aguarde pelo menos 4 minutos.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss4

Page 5: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Intr

oduç

ão a

o V

LT28

00

■ Tecnologia

■ Princípio de controleUm conversor de freqüência retifica a tensão CAda rede para uma tensão CC, após o que eletransforma essa tensão para uma tensão CA deamplitude e freqüência variáveis.Daí o motor recebe uma tensão e freqüência variáveisque permitem um controle de velocidade infinitamentevariável dos motores CA trifásicos e normais.

1. Tensão da rede1 x 220 - 240 V CA, 50 / 60 Hz3 x 200 - 240 V CA, 50 / 60 Hz3 x 380 - 480 V CA, 50 / 60 Hz

2. RetificadorRetificador trifásico tipo ponte que retifica acorrente CA em corrente CC.

3. Circuito intermediárioTensão CC √2 x tensão da rede [V].

4. Bobinas do circuito intermediárioUniformizam a corrente do circuito intermediário elimitam a carga na tensão da rede e nos componentes(transformador de linha, cabos, fusíveis e contactores).

5. Condensador do circuito intermediárioUniformiza a tensão no circuito intermediário.

6. InversorConverte a tensão CC em uma tensão CAvariável de freqüência variável.

7. Tensão do motorTensão CA variável, depende da fonte de alimentação.Freqüência variável: 0,2 - 132 / 1 - 1000 Hz.

8. Cartão de controleÉ aqui onde o computador controla o inversor que gerao padrão de pulso pelo qual a tensão CC é convertidaem uma tensão CA variável de freqüência variável.

■ Princípio de controle do VLT 2800Um conversor de freqüência é uma unidade eletrônicacapaz de controlar a rotação um motor CA devariação infinita. O conversor de freqüência controlaa velocidade do motor, convertendo a tensão e afreqüência normais da rede, 400 V / 50 Hz, porexemplo, em magnitudes variáveis. Hoje em dia,motores CA controlados por conversores de freqüênciajá existem em todas as fábricas automatizadas.O VLT da Série 2800 dispõe de um sistema decontrole do inversor chamado VVC (Voltage VectorControl). O VVC controla um motor de indução,energizando-o com uma freqüência variável e umatensão apropriada para ele. Se a carga do motormudar, mudam também sua energização e velocidade.É por isso que a corrente do motor está sendoconstantemente medida e é utilizado um modelode motor para calcular as reais necessidades detensão do motor, e seu escorregamento.

■ Entradas e saídas programáveis em quatroConfiguraçõesNo VLT da Série 2800 é possível programaras diferentes entradas de controle e saídas desinal, bem como selecionar quatro diferentesConfigurações, definidos pelo usuario, para a maioriados parâmetros. É fácil para o usuário programaras funções desejadas no painel de controle ou porintermédio da comunicação serial.

■ Proteção da tensão da redeO VLT da Série 2800 é protegido contra transientesque às vezes ocorrem na rede elétrica; caso o sistemaesteja acoplado com um sistema de compensação defase ou se os fusíveis abrirem durante a queda de raios.

A tensão nominal do motor e um torque plenopodem ser mantidos mesmo com valores deaproximadamente 10% abaixo da tensão da rede.

Como todas as unidades de 400 V no VLT daSérie 2800 têm bobinas no circuito intermediário,a quantidade de interferência das harmônicasprovocadas pela tensão da rede é muito pequena. Istoproporciona um bom fator de potência (corrente de picomais baixa), que reduz a carga na instalação da rede.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 5

Page 6: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

■ Proteções do conversor de freqüênciaA medição de corrente no circuito intermediáriorepresenta uma perfeita proteção do VLT da Série2800 caso ocorra um curto-circuito ou uma falhano aterramento da ligação do motor.Um monitoramento constante da corrente do circuitointermediário permite chaveamento na saída do motor,por exemplo, por intermédio de um contactor.Um eficiente monitoramento da tensão da redesignifica que a unidade irá parar caso haja umaqueda de fase. Dessa forma, o inversor e oscondensadores do circuito intermediário não ficarãosobrecarregados, coisa que reduziria drasticamentea vida útil do conversor de freqüência.O VLT da Série 2800 já vem com proteção detemperatura. Se houver uma sobrecarga térmica,essa função desliga o inversor.

■ Isolamento galvànico confiávelNo VLT 2800 todas as entradas/saídas digitais,entradas/saídas analógicas e os terminais decomunicação serial são fornecidos a partir de ouligados aos circuitos compatíveis com os requisitosPELV. O PELV é também compatível com osterminais dos relés, de forma que eles podem serconectados ao potencial da rede elétrica.Para obter mais informações, consulte a seçãoIsolamento galvànico (PELV).

■ Proteção avançada do motorO VLT da Série 2800 tem uma proteçãoeletrônica integral do motor.O conversor de freqüência calcula a temperatura domotor com base na corrente, na freqüência e no tempo.Ao contrário da tradicional proteção bimetálica, aproteção eletrônica é responsável pelo reduzidoresfriamento em baixas freqüências em funçãoda reduzida velocidade do ventilador (motorescom ventilador interno). Esta função não podeproteger os motores individualmente quando essesmotores estão ligados em paralelo. A proteçãotérmica do motor pode ser comparada a uminterruptor de proteção do motor, CTI.Para dar uma máxima proteção contrasuperaquecimento ao motor, quando cobertoou bloqueado, ou caso o ventilador falhe, vocêpode instalar um termistor e conectá-lo â entrada dotermistor do conversor de freqüência (Entrada digital).Consulte o paràmetro 128 Thermal motor protection

Consulte também a seção Isolação galvànica (PELV)para obter outras informações.

NOTA!:Esta função não pode proteger osmotores individuais no caso de motoresligados em paralelo.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss6

Page 7: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Intr

oduç

ão a

o V

LT28

00

■ CE labellingO que é a etiqueta CE?O objetivo das etiquetas CE é evitar obstáculostécnicos âs transações comerciais no àmbito dospaíses da EFTA e da UE (União Européia). A UEintroduziu a etiqueta CE como uma forma simplesde mostrar se um produto está em conformidadecom as diretivas relevantes da UE. A etiqueta CEnão informa acerca da qualidade ou especificaçõesdo produto. Os conversores de freqüência estãocobertos por três diretivas da UE:A diretiva de maquinaria (98/37/EEC)Todas as máquinas com peças móveis perigosassão abordadas pela diretiva de maquinaria, queentrou em vigor no dia 1º de janeiro de 1995. Oconversor de freqüência é essencialmente elétrico,por isto não é abrangido pela diretiva de maquinaria.No entanto, se um conversor de freqüência forfornecido com o intuito de ser usado em umamáquina, nós fornecemos as informações acerca dosaspectos de segurança que relativos ao conversorde freqüência. Estas informações são fornecidasatravés de uma declaração do fabricante.A diretiva de baixa tensão (73/23/EEC)Os conversores de freqüência devem ser dotadosda marca CE em conformidade com a diretiva sobrebaixa tensão que entrou em vigor em 1º de janeiro de1997. Essa diretiva aplica-se a todo equipamento eaparelhos elétricos que usem tensão de 50 a 1.000Volts CA e de 75 a 1.500 Volts CC. A Danfoss colocaas etiquetas CE de acordo com a diretiva e emite umadeclaração de conformidade mediante solicitação.A diretiva EMC (89/336/EEC)CEM é a abreviação de electromagnetic compatibility(compatibilidade eletromagnética). A presençada compatibilidade eletromagnética significaque a interferência mútua entre os diferentescomponentes/aparelhos é tão pequena que não chegaa afetar o funcionamento dos aparelhos.A diretiva EMC entrou em vigor no dia 1º de janeiro de1996. A Danfoss coloca as etiquetas CE de acordocom a diretiva e emite uma declaração de conformidademediante solicitação. Para que seja possível realizara instalação correta de acordo com a EMC, estemanual traz detalhadas instruções de instalação.Além disso, especificamos as normas com as quaisos nossos produtos são compatíveis. Oferecemosos filtros que podem ser vistos nas especificaçõese fornecemos outros tipos de assistência paraassegurar um ótimo resultado de EMC.

Na grande maioria dos casos, o conversor defreqüência é usado por profissionais da área, comoum componente complexo que faz parte de uma

instalação, sistema ou equipamento maior. Éimportante observar que a responsabilidade finalpelas propriedades de EMC no aparelho, sistemaou instalação reside no instalador.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 7

Page 8: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Esta seção simplifica seu processo de especificaçãoe pedido de um VLT 2800.

Escolha do conversor de freqüência

O conversor de freqüência deve ser escolhidocom base na corrente do motor, com a unidadesob carga máxima. A corrente nominal de saídado conversor de freqüência IINV. deve ser igual oumaior que a corrente exigida pelo motor.

Tensão da redeO VLT 2800 está disponível para duas faixas detensão da rede: 200-240 V e 380-480 V.

Selecione se o conversor de freqüência estáconectado a uma tensão da rede de:

- Alimentação 1 x 220 - 240 V CA monofásica- Alimentação 3 x 200 -240 V CA trifásica- Alimentação 3 x 380 - 480 V CA trifásica

Alimentação 1 x 220-240 Volts

Potência típica no eixoPINV.

Corrente máx. constantede saída IINV.

Potência de saída máx.constante a 230 V SINV.

Tipo [kW] [HP] [A] [kVA]2803 0.37 0.5 2.2 0.92805 0.55 0.75 3.2 1.32807 0.75 1.0 4.2 1.72811 1.1 1.5 6.0 2.42815 1.5 2.0 6.8 2.7Alimentação 3 x 200-240 Volts

Potência típica no eixoPINV.

Corrente máx. constantede saída IINV.

Potência de saída máx.constante a 230 V SINV.

Tipo [kW] [HP] [A] [kVA]2803 0.37 0.5 2.2 0.92805 0.55 0.75 3.2 1.32807 0.75 1.0 4.2 1.72811 1.1 1.5 6.0 2.42815 1.5 2.0 6.8 2.72822 2.2 3.0 9.6 3.82840 3.7 5.0 16.0 6.4Alimentação 3 x 380-480 Volts

Potência típica no eixoPINV.

Corrente máx. constantede saída IINV.

Potência de saída máx.constante a 400 V SINV.

Tipo [kW] [HP] [A] [kVA]2805 0.55 0.75 1.7 1.12807 0.75 1.0 2.1 1.72811 1.1 1.5 3.0 2.02815 1.5 2.0 3.7 2.62822 2.2 3.0 5.2 3.62830 3.0 4.0 7.0 4.82840 4.0 5.0 9.1 6.32855 5.5 7.5 12.0 8.32875 7.5 10.0 16.0 11.12880 11 15 24 16.62881 15 20 32 22.22882 18.5 25 37.5 26.0

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss8

Page 9: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Intr

oduç

ão a

o V

LT28

00

■ InvólucroTodas as unidades VLT 2800 são fornecidascom invólucro IP 20 por padrão.Esse nível de invólucro é ideal para a montagem dopainel em áreas onde é necessário um alto grau deproteção; ao mesmo tempo, os invólucros IP 20permitem instalação lado a lado, sem a necessidadede qualquer equipamento adicional de esfriamento.As unidades IP 20 podem ser atualizadas paraa NEMA 1 com o ajuste de uma tampa terminal.Veja o número do pedido da tampa terminal emAcessórios para o VLT 2800.

Além disso, as unidades VLT 2880-82 são fornecidascom invólucro Nema 1 por padrão.

■ FreioO VLT 2800 está disponível com ou sem ummódulo de freio integrado. Consulte também aseção intitulada Resistências de freio para fazer opedido de uma Resistência de freio .

■ Filtro RFIO VLT 2800 está disponível com ou sem um filtro 1ARFI integrado. O filtro 1A RFI integrado é compatívelcom as normas CEM EN 55011-1A.

Com um filtro RFI integrado, existe compatibilidadecom EN 55011-1B, com um cabo blindadodo motor de no máximo 15 metros no VLT2803-2815 1 x 220-240 Volts.O VLT 2880-82 com filtro 1B integral é compatívelcom a norma EMC EN 50011 - 1B

■ Filtro de harmônicasAs correntes de harmônicas não afetam diretamenteo consumo de energia elétrica, porém aumentam asperdas de calor na instalação (transformador, cabos).É por isso que, em um sistema com uma porcentagemrelativamente elevada de carga no retificador, éimportante manter as correntes de harmônicasem um nível baixo para evitar uma sobrecarga notransformador e uma alta temperatura no cabo.Com o objetivo de assegurar baixas correntes deharmônicas, o VLT 2822 3 x 200-240 V e o VLT2805-2882 380-480 V são equipados com indutoresno circuito intermediário por padrão. Isso reduz acorrente de entrada IRMS geralmente em 40 %.

Observe que as unidades 1 x 220-240 V não sãofornecidas com indutores no circuito intermediário.

■ Protocolo FCOs conversores de freqüência da Danfoss conseguemexecutar muitas funções diferentes em um sistema demonitoramento. O conversor de freqüência pode serdiretamente integrado a um sistema de vigilància global,que permite que os dados do processo detalhadossejam transferidos através de comunicação serial.O protocolo padrão é baseado em um sistemade barramento RS 485 com uma velocidade detransmissão máxima de 9.600 bauds. Por padrão, hásuporte para os seguintes perfis de unidade:- Unidade FC, que é um perfil adaptado

para a Danfoss.- Profidrive, que dá suporte ao perfil profidrive.

Consulte Comunicação serial para VLT 2800para obter mais detalhes sobre a estrutura dotelegrama e o perfil da unidade.

■ Opção FieldbusOs crescentes requisitos de informação no mercadotornam necessário coletar ou visualizar muitosdados de processo diferentes. Os importantesdados do processo ajudam o técnico do sistemano monitoramento diário do sistema. As grandesquantidades de dados envolvidos nos principaissistemas despertam o interesse por velocidades detransmissão superiores a 9.600 bauds.

ProfibusProfibus é um sistema de barramento de campo,que pode ser usado para conectar dispositivos deautomação como, por exemplo, sensores e atuadores,aos controles através de um cabo de dois condutores.O Profibus DP é um protocolo de comunicação muitorápido feito especialmente para comunicação entre osistema de automação e vários tipos de equipamentos.Profibus é uma marca registrada.

DeviceNetDeviceNet os sistemas de barramento de campopodem ser usados para conectar dispositivosde automação como, por exemplo, sensores eatuadores, aos controles através de um cabocondutor de quatro fios.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 9

Page 10: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

O DeviceNet é um protocolo de comunicaçãode média velocidade feito especialmente paracomunicação entre o sistema de automação evários tipos de equipamentos.As unidades com o protocolo DeviceNet não podemser controladas pelos protocolos FC e Profidrive.

O VLT Software Dialog pode ser usado noconector D-Sub.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss10

Page 11: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Intr

oduç

ão a

o V

LT28

00

■ Bobinas do motorAo ajustar o módulo de bobina do motor entre o VLT2800 e o motor, é possível usar até 200 metros de cabo

de motor não-blindado ou 100 metros de cabo demotor blindado. O módulo de bobina do motor possuium invólucro IP 20 e pode ser instalado lado a lado.

DDDDaaaaddddoooossss ttttééééccccnnnniiiiccccoooossss ppppaaaarrrraaaa bbbboooobbbbiiiinnnnaaaassss ddddoooo mmmmoooottttoooorrrr ddddoooo VVVVLLLLTTTT 2222888800003333––––2222888877775555Comprimento máx. do cabo (não-blindado) 1) 200 mComprimento máx. do cabo (blindado) 1) 100 mInvólucro IP 20Corrente nominal máx. 1) 16 ATensão máx.1) 480 V CADistància mín. entre o VLT e a bobina do motor Lado a ladoDistància mín. acima e abaixo da bobina do motor 100 mmDimensões A x L x P (mm) 200 x 90 x 152Peso 3,8 kg

1) Paràmetro 411 Freqüência de chaveamento= 4.500 Hz.

Veja o número do pedido do módulo de bobina domotor em Acessórios para o VLT 2800.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 11

Page 12: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

■ Filtro RFI 1BTodos os conversores de freqüência provocarãoruído eletromagnético na rede elétrica quandoestiverem funcionando. Um filtro de RFI(interferência de radiofreqüência) reduzirá o ruídoeletromagnético na rede elétrica.Sem um filtro de RFI, há um risco de que um conversorde freqüência danifique outros componentes elétricos

que estejam conectados â rede elétrica, causandoportanto interrupção no funcionamento.Ajustando um módulo de filtro RFI 1B entre a redeelétrica e o VLT 2800, este passa a ficar compatívelcom a norma de EMC, EN 55011-1B.

NOTA!:Para ficar compatível com a EN 55011-1B,o módulo de filtro RFI 1B deve ser colocadojuntamente com um VLT 2800, com

um filtro 1A RFI integrado.

DDDDaaaaddddoooossss ttttééééccccnnnniiiiccccoooossss ddddoooo ffffiiiillllttttrrrroooo RRRRFFFFIIII 1111BBBB ddddoooo VVVVLLLLTTTT 2222888800003333––––2222888877775555Comprimento máx. do cabo (blindado) 200-240 V 100 m (A 1A: 100 m)Comprimento máx. do cabo (blindado) 380-480 V 25 m (A 1A: 50 m)Invólucro IP 20Corrente nominal máx. 16 ATensão máx. 480 V CATensão máx. para a terra 300 V CADistància mín. entre o VLT e o filtro RFI 1B Lado a ladoDistància mín. acima e abaixo do filtro RFI 1B 100 mmDimensões A x L x P (mm) 200 x 60 x 87Peso 0,9 kg

Consulte o número do pedido do módulo de filtroRFI 1B em Acessórios para o VLT 2800.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss12

Page 13: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Intr

oduç

ão a

o V

LT28

00

■ Filtro RFI 1B/LCO filtro RFI 1B/LC contém um módulo RFIcompatível com EN 55011-1B e um filtro LCque reduz o ruído acústico.

Filtro LC

Quando um motor é controlado por um conversor defreqüência, às vezes você poderá ouvir o ruído acústicodo motor. O ruído, causado em função do projeto domotor, será gerado sempre que um dos contatos doinversor no conversor de freqüência for ativado. Afreqüência do ruído acústico, portanto, corresponde àfreqüência de conexão do conversor de freqüência.

O filtro reduz o tempo de acúmulo do du/dt da tensão,a tensão de pico Upico e a corrente de ripple Ipara o motor, de modo que a corrente e a tensãotêm uma forma quase senoidal. Logo, o ruídoacústico do motor é reduzido ao mínimo.

Devido à corrente de ripple nas bobinas, algumruído será emitido por elas. Este problema podeser completamente resolvido colocando-se o filtrodentro de um gabinete ou equivalente.

A Danfoss pode fornecer um filtro LC para o VLTda série 2800, que é capaz de abafar o ruídoacústico do motor. Antes que os filtros entremem funcionamento, verifique se:- a corrente nominal seja observada- a tensão da rede seja de 200-480 V- o parâmetro 412 Freqüência da portadora

dependente da freqüência de saída estejaprogrmado para Filtro LC instalado [3]

- a freqüência de saída máxima seja 120 Hz

Veja o desenho na próxima página.

Instalaçoã do termistor (PTC)O filtro RFI 1B/LC tem um termistor integrado (PTC), queserá ativado caso ocorra um excesso de temperatura.O conversor de freqüência pode ser programado paraparar o motor e ativar um alarme via uma saída de reléou saída digital, caso o termistor seja ativado.

O termistor deve estar conectado entre o terminal 50(+10V) e uma das entradas digitais 18, 19, 27 e 29.No parâmetro 128 Proteção térmica do motorAdvertência do termistor [1] ou Trip do termistor[2] são selecionadosO termistor é conectado da seguinte forma:

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 13

Page 14: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

■ Filtro RFI 1B/LC

NOTA!:Para estar compatível com a EN 55011-1B, omódulo de filtro RFI 1B deve ser colocado emum VLT 2800, com um filtro 1A RFI integrado.

NOTA!:O filtro 1B/LC não é adequado para osdispositivos de 200 V devido â elevadacorrente de entrada 1Ø.

DDDDaaaaddddoooossss ttttééééccccnnnniiiiccccoooossss ddddoooo ffffiiiillllttttrrrroooo RRRRFFFFIIII 1111BBBB////LLLLCCCC ddddoooo VVVVLLLLTTTT2222888800003333----2222888844440000Comprimento máx. do cabo (blindado) 380-480 V 25 m (A 1A: 50 m)Invólucro IP 20Corrente nominal máx. 4,0 (Nº do pedido: 195N3100); 9,1 (Nº do pedido:

195N3101)Tensão máx. 480 V ACTensão máx. para a terra 300 V ACDistància mín. entre o VLT e o filtro RFI 1B/LC Lado a ladoDistància mín. acima e abaixo do filtro RFI 1B/LC 100 mmDimensões 195N3100 4.0 A A x L x P (mm) 200 x 75 x 168Dimensões 195N3101 9.1 A A x L x P (mm) 267,5 x 90 x 168Peso 195N3100 4.0 A 2,4 kgPeso 195N3101 9.1 A 4,0 kg

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss14

Page 15: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Intr

oduç

ão a

o V

LT28

00

■ Unidade de controleO VLT 2800 é sempre fornecido com umaunidade de controle integrada.Todos os dados são exibidos através de um displayde seis dígitos com LEDs que, em condições normaisde operação, pode mostrar continuamente um itemde dados operacionais. Como suplementos dodisplay, existem três indicadores luminosos de tensão(ON), advertência (WARNING) e alarme (ALARM).A maioria das configurações de paràmetros doconversor de freqüência pode ser imediatamentealterada pelo do painel de controle integrado.

Um painel de controle LCP 2 a ser conectadoatravés de um conector â parte frontal do conversorde freqüência está disponível como opcional. Opainel de controle LCP 2 pode ser instalado a até3 metros de distància do conversor de freqüência;por exemplo, em um painel frontal, por intermédiodo kit de montagem fornecido.Todos os dados são exibidos por intermédio deum display alfanumérico de quatro linhas que, emoperação normal, consegue mostrar 4 itens de dadosoperacionais e 3 modos de operação de formacontínua. Durante a programação, são exibidastodas as informações necessárias para uma rápida eeficiente configuração de paràmetros do conversorde freqüência. Como suplementos do display,existem três indicadores luminosos de tensão (ON),advertência (WARNING) e alarme (ALARM). A maioriadas configurações de paràmetros do conversor defreqüência pode ser imediatamente alterada pelo painelde controle LCP 2. Consulte também a seção intituladaA unidade de controle LCP 2 no Guia de design.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 15

Page 16: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

■ Números de pedido do VLT 2800 200-240 V

0,37 kW 1 x 220-240 V / 3 x 200-240 V

RFI Unidade Profibus

DP

DeviceNet No. de pedido

- ST - - 195N0001

- SB - - 195N0002

R1 ST - - 195N0003

R1 SB - - 195N0004

- ST - 195N0005

- SB - 195N0006

R1 ST - 195N0007

R1 SB - 195N0008

- ST - 195N0009

- SB - 195N0010

R1 ST - 195N0011

R1 SB - 195N0012

0,55 kW 1 x 220-240 V / 3 x 200-240 V

RFI Unidade Profibus

DP

DeviceNet No. de pedido

- ST - - 195N0013

- SB - - 195N0014

R1 ST - - 195N0015

R1 SB - - 195N0016

- ST - 195N0017

- SB - 195N0018

R1 ST - 195N0019

R1 SB - 195N0020

- ST - 195N0021

- SB - 195N0022

R1 ST - 195N0023

R1 SB - 195N0024

0,75 kW 1 x 220-240 V / 3 x 200-240 V

RFI Unidade Profibus DP DeviceNet No. de pedido

- ST - - 195N0025

- SB - - 195N0026

R1 ST - - 195N0027

R1 SB - - 195N0028

- ST - 195N0029

- SB - 195N0030

R1 ST - 195N0031

R1 SB - 195N0032

- ST - 195N0033

- SB - 195N0034

R1 ST - 195N0035

R1 SB - 195N0036

1,1 kW 1 x 220-240 V / 3 x 200-240 V

RFI Unidade Profibus DP DeviceNet No. de pedido

- ST - - 195N0037

- SB - - 195N0038

R1 ST - - 195N0039

R1 SB - - 195N0040

- ST - 195N0041

- SB - 195N0042

R1 ST - 195N0043

R1 SB - 195N0044

- ST - 195N0045

- SB - 195N0046

R1 ST - 195N0047

R1 SB - 195N0048

1,5 kW 1 x 220-240 V / 3 x 200-240 V

RFI Unidade Profibus DP DeviceNet No. de pedido

- ST - - 195N0049

- SB - - 195N0050

R1 ST - - 195N0051

R1 SB - - 195N0052

- ST - 195N0053

- SB - 195N0054

R1 ST - 195N0055

R1 SB - 195N0056

- ST - 195N0057

- SB - 195N0058

R1 ST - 195N0059

R1 SB - 195N0060

2,2 kW 3 x 200-240 V

RFI Unidade Profibus DP DeviceNet No. de pedido

- ST - - 195N0061

- SB - - 195N0062

R1 ST - - 195N0063

R1 SB - - 195N0064

- ST - 195N0065

- SB - 195N0066

R1 ST - 195N0067

R1 SB - 195N0068

- ST - 195N0069

- SB - 195N0070

R1 ST - 195N0071

R1 SB - 195N0072

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss16

Page 17: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Intr

oduç

ão a

o V

LT28

00

3,7 kW 3 x 200-240 V

RFI Unidade Profibus DP DeviceNet No. de pedido

- ST - - 195N0073

- SB - - 195N0074

R1 ST - - 195N0075

R1 SB - - 195N0076

- ST - 195N0077

- SB - 195N0078

R1 ST - 195N0079

R1 SB - 195N0080

- ST - 195N0081

- SB - 195N0082

R1 ST - 195N0083

R1 SB - 195N0084

ST: Unidade standard.SB: Unidade standard com freio integrado.R1: Com opção de filtro RFI, em conformidadecom EN 55011-1A.

NOTA!:Para o VLT 2803-2815 com filtro R1, só épossível conectar uma tensão monofásicade rede 1 x 220 - 240 Volts.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 17

Page 18: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

■ Números de pedido do VLT 2800 380-480 V

0,55 kW VLT 2805 3 x 380-480 V

RFI Unidade Profibus DP DeviceNet N° de pedido

- ST - - 195N1001

- SB - - 195N1002

R1 ST - - 195N1003

R1 SB - - 195N1004

- ST - 195N1005

- SB - 195N1006

R1 ST - 195N1007

R1 SB - 195N1008

- ST - 195N1009

- SB - 195N1010

R1 ST - 195N1011

R1 SB - 195N1012

0,75 kW VLT 2807 3 x 380-480 V

RFI Unidade Profibus DP DeviceNet N° de pedido

- ST - - 195N1013

- SB - - 195N1014

R1 ST - - 195N1015

R1 SB - - 195N1016

- ST - 195N1017

- SB - 195N1018

R1 ST - 195N1019

R1 SB - 195N1020

- ST - 195N1021

- SB - 195N1022

R1 ST - 195N1023

R1 SB - 195N1024

1,1 kW VLT 2811 3 x 380-480 V

RFI Unidade Profibus DP DeviceNet N° de pedido

- ST - - 195N1025

- SB - - 195N1026

R1 ST - - 195N1027

R1 SB - - 195N1028

- ST - 195N1029

- SB - 195N1030

R1 ST - 195N1031

R1 SB - 195N1032

- ST - 195N1033

- SB - 195N1034

R1 ST - 195N1035

R1 SB - 195N1036

1,5 kW VLT 2815 3 x 380-480 V

RFI Unidade Profibus DP DeviceNet N° de pedido

- ST - - 195N1037

- SB - - 195N1038

R1 ST - - 195N1039

R1 SB - - 195N1040

- ST - 195N1041

- SB - 195N1042

R1 ST - 195N1043

R1 SB - 195N1044

- ST - 195N1045

- SB - 195N1046

R1 ST - 195N1047

R1 SB - 195N1048

2,2 kW VLT 2822 3 x 380-480 V

RFI Unidade Profibus DP DeviceNet N° de pedido

- ST - - 195N1049

- SB - - 195N1050

R1 ST - - 195N1051

R1 SB - - 195N1052

- ST - 195N1053

- SB - 195N1054

R1 ST - 195N1055

R1 SB - 195N1056

- ST - 195N1057

- SB - 195N1058

R1 ST - 195N1059

R1 SB - 195N1060

3,0 kW VLT 2830 3 x 380-480 V

RFI Unidade Profibus DP DeviceNet N° de pedido

- ST - - 195N1061

- SB - - 195N1062

R1 ST - - 195N1063

R1 SB - - 195N1064

- ST - 195N1065

- SB - 195N1066

R1 ST - 195N1067

R1 SB - 195N1068

- ST - 195N1069

- SB - 195N1070

R1 ST - 195N1071

R1 SB - 195N1072

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss18

Page 19: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Intr

oduç

ão a

o V

LT28

00

4,0 kW VLT 2840 3 x 380-480 V

RFI Unidade Profibus DP DeviceNet N° de pedido

- ST - - 195N1073

- SB - - 195N1074

R1 ST - - 195N1075

R1 SB - - 195N1076

- ST - 195N1077

- SB - 195N1078

R1 ST - 195N1079

R1 SB - 195N1080

- ST - 195N1081

- SB - 195N1082

R1 ST - 195N1083

R1 SB - 195N1084

ST: Unidade standard.SB: Unidade standard com freio integrado.R1: Com opção de filtro RFI, em conformidadecom EN 55011-1A.

5,5 kW VLT 2855 3 x 380-480 V

RFI Unidade Profibus DP DeviceNet N° de pedido

- ST - - 195N1085

- SB - - 195N1086

R1 ST - - 195N1087

R1 SB - - 195N1088

- ST - 195N1089

- SB - 195N1090

R1 ST - 195N1091

R1 SB - 195N1092

- ST - 195N1093

- SB - 195N1094

R1 ST - 195N1095

R1 SB - 195N1096

7,5 kW VLT 2875 3 x 380-480 V

RFI Unidade Profibus DP DeviceNet N° de pedido

- ST - - 195N1097

- SB - - 195N1098

R1 ST - - 195N1099

R1 SB - - 195N1100

- ST - 195N1101

- SB - 195N1102

R1 ST - 195N1103

R1 SB - 195N1104

- ST - 195N1105

- SB - 195N1106

R1 ST - 195N1107

R1 SB - 195N1108

11 kW VLT 2880 3 x 380-480 V

RFI Unidade Profibus DP DeviceNet N° de pedido

- ST - - 195N1109

- SB - - 195N1110

R3 ST - - 195N1111

R3 SB - - 195N1112

- ST - 195N1113

- SB - 195N1114

R3 ST - 195N1115

R3 SB - 195N1116

- ST - 195N1117

- SB - 195N1118

R3 ST - 195N1119

R3 SB - 195N1120

15 kW VLT 2881 3 x 380-480 V

RFI Unidade Profibus DP DeviceNet N° de pedido

- ST - - 195N1121

- SB - - 195N1122

R3 ST - - 195N1123

R3 SB - - 195N1124

- ST - 195N1125

- SB - 195N1126

R3 ST - 195N1127

R3 SB - 195N1128

- ST - 195N1129

- SB - 195N1130

R3 ST - 195N1131

R3 SB - 195N1132

18.5 kW VLT 2882 3 x 380-480 V

RFI Unidade Profibus DP DeviceNet N° de pedido

- ST - - 195N1133

- SB - - 195N1134

R3 ST - - 195N1135

R3 SB - - 195N1136

- ST - 195N1137

- SB - 195N1138

R3 ST - 195N1139

R3 SB - 195N1140

- ST - 195N1141

- SB - 195N1142

R3 ST - 195N1143

R3 SB - 195N1144

ST: Unidade standard.SB: Unidade standard com freio integrado.R1: Com opção de filtro RFI, em conformidadecom EN 55011-1A.R3: Com opção de filtro RFI, em conformidadecom EN 55011-1B.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 19

Page 20: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss20

Page 21: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Intr

oduç

ão a

o V

LT28

00

■ Software para PC e comunicação serialA Danfoss oferece diversas opções para comunicaçãoserial. A utilização da comunicação serialpossibilita monitorar, programar e controlar umou vários conversores de freqüência a partirde um computador central.Além disso, todos os VLT 2800 têm uma porta RS485 como padrão, o que permite comunicação, porexemplo, com um PC; está disponível um programaintitulado VLT Software Dialog para esse objetivo.O VLT Software Dialog vem em três módulos e contémos programas incluídos no módulo Básico.

O módulo Básico abrange:TEST RUN é usado para controlar e intervir numconversor de freqüência, incluindo- Configuração do valor de referência.- visualização simultânea dos parâmetros

selecionados graficamente.- opção de vínculos DDE, por exemplo,

com uma planilha.

PARAMETER SETUP é usado para configuração etransferência de conjuntos de parâmetros, incluindo:- a configuração dos parâmetros do conversor

de freqüência.- conjuntos de parâmetros que podem ser obtidos

de e copiados para um conversor de freqüência.- documentação / impressão da configuração

incluindo gráficos.

HISTORY onde pode ser estudados os diferentesestágios de desenvolvimento do VLT Software dialog.

BUS ADDRESS SETUP só é utilizado paraendereçamento do VLT 2800.

O módulo "logging" abrange:LOGGING é usado para a captura e visualização dedados operacionais históricos ou em tempo real.- representação gráfica de determinados parâmetros

selecionados de vários conversores de freqüência.- captura de dados de registro para arquivos.- opção de vínculos DDE, por exemplo,

com uma planilha.

MODEM SETUP é usado para configurar o modemdo conversor de freqüência. O módulo configurao modem do conversor de freqüência através daporta de comunicação do PC.

O módulo "template" abrange:TEMPLATE SETUP é usado para configurar arquivos"template" para o PARAMETER SETUP.- o arquivo "template" funciona como uma tela

que limita o número de parâmetros à disposição,quando tiver que ser criado ou editado um arquivode parâmetros no PARAMETER SETUP.

- o arquivo "template" pode conter valorespré-ajustados dos parâmetros do conversorde freqüência.

NOTA!:Os módulos "Logging" e "Template"requerem a presença de um módulo Básicoinstalado no mesmo PC.

"Guided tour" abrange:"Guided tour" oferece uma demonstração doprograma VLT Software Dialog.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 21

Page 22: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

■ Acessórios do VLT 2800

Tipo Descrição CódigoBobina do motor O módulo da bobina do motor pode ser usado para VLT

2803-2875195N3110

Filtro RFI 1B O módulo do filtro RFI 1B pode ser usado para VLT2803-2875

195N3103

Filtro RFI 1B/LC 4 A O filtro RFI 1B/LC 4 A pode ser usado para VLT 2803-2805200-240 V e VLT 2805-2815 380-400 V

195N3100

Filtro RFI 1B/LC 9,1 A O filtro RFI 1B/LC 9,1 A pode ser usado para VLT 2807-2815200-240 V e VLT 2822-2840 380-400 V

195N3101

Cobertura do terminal NEMA1

VLT 2803-2815 200-240 V, VLT 2805-2815 380-480 V 195N1900

Cobertura do terminal NEMA1

VLT 2822 200-240 V, VLT 2822-2840 380-480 V 195N1901

Cobertura do terminal NEMA1

VLT 2840 200-240 V, VLT 2855-2875 380-480 V 195N1902

Unidade de controle LCP 2 LCP 2 para programação do conversor de freqüência 175N0131Cabo para a unidade decontrole LCP 2

Cabo da LCP 2 para o conversor de freqüência 175Z0929

Cabo DeviceNet Cabo para conexão DeviceNet 195N3113Kit de montagem remota daLCP 2

Kit de montagem remota da LCP 2 (incl. cabo de 3 m,excl. LCP 2)

175Z0850

LOP (Local Operation Pad) O LOP pode ser usado para programar a referênciae a partida/parada pelos terminais de controle.

175N0128

VLT Software Dialog Versão em CD-ROM1 175Z0953Dissipador de calor externo,pequeno

L x A x D = 222 x 450 x 65 mm3 195N3111

Dissipador de calor externo,grande

L x A x D = 288 x 450 x 71 mm3 195N3112

1) Incl. os módulos Basis, Logging, Template,Guided Tour em 6 idiomas (dinamarquês, inglês,alemão, italiano, espanhol e francês).2) Para obter mais informações, consulte VLT 2800Cold Plate Instruction MI28D102.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss22

Page 23: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Intr

oduç

ão a

o V

LT28

00

■ Frenagem dinâmicaCom o VLT 2800, a dinâmica qualidade de frenagemde uma aplicação pode ser melhorada ou com a ajudade resistores de freio ou com a frenagem CA.

A Danfoss oferece uma gama completa de resistores defreio para todos os conversores de freqüência VLT 2800.O resistor de freio serve para aplicar uma cargaao circuito intermediário durante a frenagem, daígarantindo que a potência do freio possa serabsorvida pelo resistor de freio.Sem um resistor de freio, a tensão do circuitointermediário do conversor de freqüência continuariaaumentando, até atingir o corte de proteção. Avantagem de se utilizar um resistor de freio é que asgrandes cargas podem ser freiadas rapidamente,como. por exemplo, uma esteira rolante.

A Danfoss escolheu uma solução na qual o resistor defreio não está integrado ao conversor de freqüência.Isto traz as seguintes vantagens para o usuário:- O ’cycle time’ do resistor pode ser selecionado

conforme necessário.- O calor gerado pela frenagem pode ser dissipado

para fora do gabinete do painel, onde a energiapossa eventualmente ser aproveitada.

- Não há superaquecimento dos componenteseletrônicos, mesmo que o resistor de freioesteja superaquecido.

Frenagem CA é uma função integrada usada nasaplicações em que há necessidade de uma frenagemdinâmica limitada. A função de frenagem CA permitereduzir a potência do freio no motor, em vez de reduzí-laem um resistor de freio. Esta função destina-se àsaplicações nas quais o torque de frenagem exigidoé 50% inferior ao torque nominal. Frenagem CA éselecionada no par. 400 Função de freio.

NOTA!:O freio CA não pode ser usado se o torquede frenagem exigido for superior a 50% dotorque nominal de frenagem. Nesses casos,

deve ser usado um resistor de freio.

■ Setup do FreioA figura mostra um Setup do freio com umconversor de freqüência.Nos parágrafos a seguir, podem ser vistasas expressões e siglas utilizadas na figurados Setups de freio.

■ Cálculo da resistência de freioO exemplo e a fórmula apresentados a seguir sóse aplicam ao VLT da Série 2800.Para assegurar que o conversor de freqüência nãoseja desligado por razões de segurança, quandoo motor frear, o valor da resistência é selecionadocom base no efeito do pico da frenagem e natensão do circuito intermediário:

Como pode ser visto, a resistência do freio dependeda tensão do circuito intermediário (UDC).Com os conversores de freqüência com tensão dealimentação de 3 x 380 - 480 Volts, o freio será ativadocom 770 Volts (UDC); se o conversor de freqüênciativer uma tensão de alimentação de 3 x 200 - 240Volts, o freio será ativado com 385 Volts (UDC).Você também pode optar por usar a resistência defreio recomendada pela Danfoss (RREC). Isso garanteque o conversor de freqüência seja capaz de frearno mais alto torque de freio (MBR). A resistênciarecomendada de freio pode ser vista na tabelade pedidos de resistores de freio.RREC calculada como:

NOTA!:Lembre-se de verificar se o resistor de freioé capaz de lidar com uma tensão de 850Volts ou 430 Volts - a menos que sejam

usados os resistores de freio da Danfoss.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 23

Page 24: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

ηmotor é tipicamente 0,90 e ?INV é tipicamente 0,98.Para os conversores de freqüência de 400 Voltse 200 Volts, respectivamente, R REC a 160% detorque de freio pode ser expressa como:

NOTA!:A resistência de freio selecionada deve ter umvalor ôhmico máximo 10% inferior ao valorrecomendado pela Danfoss. Se uma resistência

menor de freio for selecionada, há o risco de umasobrecarga de corrente que pode destruir a unidade.

■ Cálculo da potência de frenagemAo calcular a potência de frenagem, deve serassegurado que as potências média e de pico possamser dissipadas pelo resistor de freio. A potência médiaé determinada pela duração do processo, ou seja,durante quanto tempo o freio é aplicado com relaçãoao intervalo de tempo do processo. A potência depico é determinada pelo torque da frenagem, o quesignifica que durante a frenagem o resistor de freiodeve conseguir dissipar a entrada de energia. A figuramostra a relação entre as potências média e de pico.

■ Cálculo da potência de pico do resistor de freioPPEAK, MEC é a potência de pico através daqual o motor freia o eixo do motor. O cálculo érealizado da seguinte maneira:

PPEAK é o termo que descreve a potência de frenagemtransmitida aos resistores de freio quando o motoraplica a frenagem. PPEAK é menor que PPEAK, MEC,uma vez que a potência é reduzida pela eficiência

do motor e do conversor de freqüência. O efeitodo pico é calculado da seguinte maneira:

Se você selecionar o resistor de freio recomendadopela Danfoss (RREC), você terá a certeza de queo resistor de freio irá gerar um torque de freio,no eixo do motor, de 160%.

■ Cálculo da potência média no resistor de freioA potência média é determinada pela duração doprocesso, ou seja, por quanto tempo o freio é aplicadoem relação ao intervalo de tempo do processo.O ’duty cycle’ da frenagem é calculado daseguinte maneira:

Tp = O tempo de processo em segundos.Tb = O tempo de frenagem em segundos.

A Danfoss vende resistores de freio com duty cyclesmáximos de até 40%. Por exemplo, com um dutycycle de 10%, os resistores de freio conseguemabsorver Ppeak em 10% do período do processo.Os 90% restantes do intervalo de tempo são gastosna dissipação do calor excedente.A potência média com um duty cycle de 10% podeser calculada da seguinte maneira:

é

A potência média com um duty cycle de 40% podeser calculada da seguinte maneira:

é

Esses cálculos se aplicam a uma frenagem intermitentecom duração de até 120 segundos.

NOTA!:Intervalos de tempo mais longos que120 segundos podem levar a umsuperaquecimento do resistor.

■ Frenagem contínuaPara obtenção de uma frenagem contínua, deveser selecionado um resistor de freio cuja potência

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss24

Page 25: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Intr

oduç

ão a

o V

LT28

00

de frenagem constante não exceda a potênciamédia PAVG do resistor de freio.Para mais informações, entre em contato com Danfoss.

■ Frenagem ótima usando resistorA frenagem dinâmica é útil desde a velocidademáxima até aproximadamente 8% da velocidadenominal. Abaixo de velocidade, a frenagem CCpode ser aplicada, caso seja necessário.O método mais eficaz é mudar da frenagemdinâmica para a frenagem CC.

■ Cabo do freioComprimento máx. [m]: 20 mO cabo de conexão com o resistor de freio deve serblindado. Conecte a malha à placa traseira metálicado conversor de freqüência e ao gabinete metálico doresistor de freio por intermédio de braçadeiras do cabo.

NOTA!:Se não forem utilizados resistores de freio daDanfoss, deve ser assegurado que o resistorde freio esteja livre de induções.

■ Funções de segurança relacionadas à instalaçãoQuando é instalado um resistor de freio, todoempenho é indispensável para evitar sobrecargas,uma vez que o calor gerado por um resistor defreio pode implicar em risco de incêndio.

NOTA!:O resistor de freio deve ser instalado emum material não-inflamável.

Para proteção da instalação, é instalado um relétérmico que desliga o conversor de freqüência se a

corrente de freio estiver alta demais. Os resistoresde freios de 40% da Danfoss contém um interruptorKLIXON. Os resistores "flat pack" são de auto-proteção.

A configuração da corrente de freio no relé térmicoé calculada da seguinte maneira:

RBR é o valor da resistência de freio aqualquer momento.O desenho mostra uma instalação com um relé térmico.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 25

Page 26: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

■ Resistências de freio

Resistências de freio "flatpack" IP 54

Tipo Pmotor

[kW]RMIN

[ ]Tamanho [ ] / [W]

por itemCiclo de

trabalho %Pedido nº175Uxxxx

2803 (200 V) 0.37 297 330 / 100 W 30 10032805 (200 V) 0.55 198 220 / 100 W 20 10042807 (200 V) 0.75 135 150 / 100 W 14 10052811 (200 V) 1.10 99 100 / 100 W 8 10062815 (200 V) 1.50 69 72 / 200 W 16 00922822 (200 V) 2.20 43 50 / 200 W 9 09932840 (200 V) 3.70 21 50 / 200 W 11 2x09931

2805 (400 V) 0.55 747 830 / 100 W 20 10002807 (400 V) 0.75 558 620 / 100 W 14 10012811 (400 V) 1.10 387 430 / 100 W 8 10022815 (400 V) 1.50 297 310 / 200 W 16 09842822 (400 V) 2.20 198 210 / 200 W 9 09872830 (400 V) 3.00 135 150 / 200 W 5.5 09892840 (400 V) 4.00 99 240 / 200 W 11 2x09861

1Estes dois resistores devemser conectados em paralelo.Consulte as dimensões dos resistores defreio Flatpack na próxima página.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss26

Page 27: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Intr

oduç

ão a

o V

LT28

00

Resistores de freio de fio enrolado com interruptor KLIXON, ciclo de trabalho 40%

Tipo Pmotor

[kW]RMIN

[ ]RREC

[ ]Ppico

[kW]Pméd.

[kW]Pedido nº175U0xxx

2803 (200 V) 0.37 297 330 0.44 0.18 9002805 (200 V) 0.55 198 220 0.66 0.26 9012807 (200 V) 0.75 135 150 0.90 0.36 9022811 (200 V) 1.10 99 110 1.10 0.44 9752815 (200 V) 1.50 74 82 1.80 0.72 9032822 (200 V) 2.20 50 56 2.60 1.06 9042840 (200 V) 3.70 22 25 4.50 1.80 9252805 (400 V) 0.55 747 830 0.60 0.25 9762807 (400 V) 0.75 558 620 0.90 0.36 9102811 (400 V) 1.10 387 430 1.32 0.53 9112815 (400 V) 1.50 297 330 1.80 0.72 9122822 (400 V) 2.20 198 220 2.60 1.06 9132830 (400 V) 3.00 135 150 3.60 1.44 9142840 (400 V) 4.00 99 110 4.00 1.60 9792855 (400 V) 5.50 80 80 5.50 2.20 9772875 (400 V) 7.50 65 65 7.50 3.00 9782880 (400 V) 11.00 40 40 11.00 5.00 9972881 (400 V) 15.00 30 30 15.00 9.30 9982882 (400 V) 18.50 25 25 18.50 12.70 999

RREC = Resistência de freio recomendada.Ppico = Efeito máx. do freio a 160% de torque do freio.Pméd. = Potência média baseada no ciclo de trabalho.Consulte as dimensões dos resistores de freio defio enrolado nas instruções MI.50.D2.XX.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 27

Page 28: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

■ Dimensões dos resistores de freio Flatpack100 W 200 W

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss28

Page 29: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Intr

oduç

ão a

o V

LT28

00

■ Unidade de controleNa parte frontal do conversor de freqüência,existe um painel de controle .

O painel de controle é dividido em quatrogrupos de funções:1. Display de seis dígitos com LEDs.2. Teclas para alteração dos parâmetros e

mudança da função do display.3. Indicadores luminosos.4. Teclas de operação local.

Todos os dados são exibidos através de um display deseis dígitos com LEDs, que sob condições normais deoperação permitem mostrar continuamente um itemde dados operacionais. Como suplemento ao display,existem três indicadores luminosos para indicação deconexão com a rede (ON), advertência (WARNING) ealarme (ALARM). A maioria dos Setups de parâmetrosdo conversor de freqüência pode ser imediatamentealterada no painel de controle, a menos que estafunção tenha sido programada como Bloqueado [1] viaparâmetro 018 Bloqueio para a mudança de dados.

■ Teclas de controle[QUICK MENU] permite acesso aos parâmetrosusados para o menu Rápido.A tecla [QUICK MENU ] é também usada se não fornecessário realizar alteração de valores de parâmetros.Vide também [QUICK MENU] + [+].

[CHANGE DATA] é usada para alterar umaconfiguração.A tecla [CHANGE DATA ] é também usadapara confirmar uma alteração na configuraçãodos parâmetros.

[+] / [-] são usadas para selecionar parâmetros epara alterar os valores dos parâmetros.Essas teclas são também usadas no modo Displaypara selecionar a leitura de um valor operacional.

As teclas [QUICK MENU] + [+] devem serpressionadas ao mesmo tempo para dar acesso atodos os parâmetros. Vide Modo Menu

[STOP/RESET] é usado para parar o motorconectado ou para reinicializar o conversor defreqüência após um "trip".Pode ser selecionado como Ativo [1] ou Inativo [0]através do parâmetro 014 Parada/reinicializaçãolocal. No modo Display, o display piscará se afunção de parada estiver ativada.

NOTA!:Se a tecla [STOP/RESET ] houver sidoselecionada como Inativa [0] no parâmetro014 Parada/reinicialização local e se não

houver comando de parada nas entradas digitaisou na comunicação serial, o motor só poderáser parado desconectando-se a alimentação darede do conversor de freqüência.

[START] é usada para dar a partida no conversor defreqüência. Está sempre ativa, mas a tecla [START]não tem prioridade sobre um comando de parada.

■ Inicialização manualDesconecte a alimentação da rede elétrica.Mantenha pressionadas as teclas [QUICK MENU]+ [+] + [CHANGE DATA] enquanto ao mesmotempo religa a alimentação da rede. Solte asteclas; o conversor de freqüência foi programadocom a configuração de fábrica.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 29

Page 30: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

■ Estados de leitura do displayModo Display

No funcionamento normal, um item de dadosoperacionais pode ser continuamente exibido combase na escolha do próprio operador. Atravésdas teclas [+/-] podem ser selecionadas asseguintes opções no modo Display:- Freqüência de saída [Hz]- Corrente de saída [A]- Tensão de saída [V]- Tensão do circuito intermediário [V]- Potência de saída [kW]

Modo Menu

Para introduzir o modo Menu [QUICK MENU] + [+]devem ser ativados ao mesmo tempo.No modo Menu, é possível alterar a maioria dosparâmetros do conversor de freqüência. Faça arolagem dos parâmetros utilizando as teclas [+/-].Enquanto houver uma rolagem no modo Menu, onúmero do parâmetro estará piscando.

O display mostra que a programação do parâmetro102 Potência do motor, PM,N é 0,75. Paramodificar o valor de 0,75, [CHANGE DATA] deveser ativado primeiro; o valor do parâmetro podeser alterado através das teclas [+/-].

Se, para um determinado parâmetro, o displaymostrar três pontos à direita, isto indica que ovalor do parâmetro tem mais de três dígitos. Paravisualizar o valor, ative [CHANGE DATA].

O display mostra que no parâmetro 128 Proteçãotérmica do motor a seleção feita é Trip do termistor [2].

Menu Rápido

Utilizando a tecla [QUICK MENU], é possível obteracesso aos 12 parâmetros mais importantes doconversor de freqüência. Após a programação, oconversor de freqüência está pronto para funcionar, namaioria dos casos. Quando a tecla [QUICK MENU]é ativada no modo Display, o menu Rápido inicia.Faça uma rolagem do menu rápido utilizando as teclas[+/-] e altere os valores dos dados pressionandoprimeiro [CHANGE DATA] e, em seguida, alterandoo valor do parâmetro com as teclas [+/-].Os parâmetros domenu Rápido são:• Par. 102 Potência do motor PM,N

• Par. 103 Tensão do motor UM,N

• Par. 104 Freqüência do motor fM,N

• Par. 105 Corrente do motor IM,N

• Par. 106 Velocidade nominal do motor nM,N

• Par. 107 Adaptação automática do motor• Par. 204 Referência mínima RefMIN

• Par. 205 Referência máxima RefMAX

• Par. 207 Tempo de aceleração• Par. 208 Tempo de desaceleração• Par. 002 Operação local/remota• Par. 003 Referência local

Os parâmetros 102 - 106 podem ser lidos naplaca de identificação do motor.

■ Manual AutomáticoDurante a operação normal, o conversor de freqüênciaestá em modo Automático, no qual o sinal de referênciaé fornecido externamente, analógico ou digital, atravésdos terminais de controle. No entanto, no modoManual, é possível fornecer o sinal de referêncialocalmente através do painel de controle.

Nos terminais de controle, os seguintes sinaisde controle permanecerão ativos quando omodo Manual for ativado.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss30

Page 31: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Intr

oduç

ão a

o V

LT28

00

• Hand Start (LCP2)• Off Stop (LCP2)• Auto Start (LCP2)• Reset• Coasting Stop Inverse• Reset e Coasting Stop Inverse• Quick Stop Inverse• Stop Inverse• Reversing• DC Braking Inverse• Setup Select LSB• Setup Select MSB• Thermistor• Precise Stop Inverse• Precise Stop/Start• Jog• Stop Command Via Serial Comm.

Alternando entre os modos Automático e Manual:Ativando a tecla [Change Data] no [Display Mode], odisplay indicará o modo do conversor de freqüência.

Role para cima/para baixo para alternar parao modo Manual:

Quando o conversor de freqüência estiver em modoManual, a leitura será como esta:

e a referência poderá ser alterada por intermédiodas seguintes teclas:

NOTA!:Observe que o paràmetro 020 pode bloqueara escolha do modo.

Ajuste automático do motorO ajuste automático do motor (AMT) é realizadoda seguinte forma:

1. No parâmetro 107 Ajuste automático do motorselecione os valores de dados [2]. "107" agorapiscará e "2" não piscará.

2. O AMT é ativado ao pressionar-se start. "107"agora piscará e traços se deslocarão da esquerdapara a direita no campo de valores dos dados.

3. Quando "107" aparecer novamente com o valorde dados [0], o AMT estará concluído. Pressione[STOP/RESET] para salvar os dados do motor.

4. "107" então continuará a piscar com o valor dedados [0]. Agora você pode continuar.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 31

Page 32: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

■ A unidade de controle LCP 2, opção

O VLT 2800 pode ser combinado com uma unidade decontrole LCP (Local Control Panel-LCP 2) que constituiuma completa interface de operação e programaçãodo conversor de freqüência. A unidade de controleLCP 2 pode ser ligada a uma distância de até trêsmetros do conversor de freqüência, isto é, em umpainel frontal, usando um kit de acessórios.

O painel de controle é dividido em cincogrupos funcionais:1. Display.2. Tecals usadas para alterar a função do display.3. Teclas usadas para modificar os parâmetros

do programa.4. Indicadores luminosos.5. Teclas de controle local.

Todos os dados são indicados por intermédiode um display alfanumérico de quatro linhas que,numa operação normal, consegue mostrar 4 itensde dados operacionais e 3 modos de operaçãode forma contínua. Durante a programação, serãoexibidas todas as informações necessárias para umarápida e eficaz Configuração dos parâmetros doconversor de freqüência. Como suplemento ao display,existem três indicadores luminosos de tensão (ON),advertência (WARNING) e alarme (ALARM). Todos os

Setups de parâmetros do conversor de freqüênciapodem ser imediatamente alterados a partir do painelde controle, a menos que esta função tenha sidoprogramada como Bloqueado [ 1] via parâmetro018 Bloqueio para a mudança de dados.

■ Teclas de controle para a Configuraçãode parâmetrosAs teclas de controle são divididas em funções, deforma tal que as teclas entre o display e os indicadoresluminosos são usados para o Setup de parâmetros,incluindo a seleção do modo de visualização dodisplay durante a operação normal.

[DISPLAY/STATUS] é usada para selecionar o modode visualização do display ou para mudar de volta parao modo Display do menu Rápido ou Menu.

[QUICK MENU] proporciona acesso aos parâmetrosutilizados para o menu Rápido. É possível alternarentre o modo Rápido e o modo Menu.

[MENU] dá acesso a todos os parâmetros. É possívelalternar entre o modo Menu e o modo Rápido.

[CHANGE DATA] é utilizada para alterar umaprogramação selecionada no modo Menuou no menu Rápido .

[CANCEL] é utilizada caso não se deseje efetuaruma alteração no parâmetro selecionado.

[OK] é utilizada para confirmar uma alteraçãono parâmetro selecionado.

[+ / -] são usadas para selecionar parâmetros epara alterar os valores dos parâmetros.Essas teclas são também utilizadas no modo Displaypara alternar entre leituras de variáveis operacionais.

[< >] são utilizadas para selecionar um grupode parâmetros e para mover o cursor aoalterar valores numéricos.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss32

Page 33: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Intr

oduç

ão a

o V

LT28

00

■ Indicadores luminososUma lâmpada vermelha de alarme, uma lâmpadaamarela de advertência e uma lâmpada verdeindicando alimentação encontram-se na parteinferior do painel de controle.

Se determinados limiares de valores forem excedidos,a lâmpada de alarme e/ou advertência é ativada,ao mesmo tempo em que um texto de estado oude alarme é mostrado no display.

NOTA!:A lâmpada indicadora de alimentação éativada quando o conversor de freqüênciaé ligado à tensão da rede.

■ Local control

[STOP/RESET] é usada com a finalidade de parar omotor ou rearmar o conversor de freqüência depoisde um trip. Pode ser configurada como ativa ouinativa através do paràmetro 014 Local stop.Se a parada for ativada, a linha 2 do Display piscará.

NOTA!:Se nenhuma função de parada externa tiversido selecionada e se a tecla [STOP/RESET]tiver sido definida como inativa, o motor

só poderá ser parado desligando-se a tensão domotor ou do conversor de freqüência.

[JOG] muda a freqüência de saída para umafreqüência predefinida, enquanto a tecla estiverpressionada. Pode ser configurada como ativa ouinativa através do paràmetro 015 Local jog.

[FWD / REV] muda o sentido de rotação do motor,que é indicado por intermédio da seta no display.Pode ser configurada para ativa ou inativa através doparàmetro 016 Local reversing. A tecla [FWD/REV] sóé ativada se o paràmetro 002 Local/remote operationestiver configurado como Local control.

[START] é usada para dar partida no conversor defreqüência. Está sempre ativada, mas n ão podesubstituir um comando de parada.

NOTA!:Se as teclas de controle local forem selecionadascomo inativas, ambas ficarão ativas quandoo conversor de freqüência estiver configurado

como Local control e Remote control através doparàmetro 002 Local/remote operation, com exceçãode [FWD/REV], que só está ativa em Local control.

■ Modo do display

VAR 2 SETUP

1

STATUS

VAR 1.1 VAR 1.2 VAR 1.3

No funcionamento normal, até 4 diferentes itens dedados podem ser continuamente mostrados: 1,1;1,2; 1,3; 2. O estado operacional ou os alarmes eadvertências atuais que foram gerados são exibidosna linha 2 na forma de um número.Caso haja alarmes, eles são exibidos nas linhas3 e 4 com texto explicativo.Uma advertência aparecerá piscando na linha2 com o texto explicativo na linha 1. O displaytambém mostrará o Setup ativo.A seta indica o sentido selecionado de rotação. Aqui oconversor de freqüência mostra que ele tem um sinalativo de reversão. O corpo da seta desaparecerá sefor dado um comando de parada ou se a freqüênciade saída cair para menos de 0,1 Hz.A linha inferior exibe o estado do conversorde freqüência. A barra de rolagem mostra osdados operacionais que podem ser exibidos naslinhas 1 e 2 no modo Display. As alterações sãofeitas através das teclas [+ / -].

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 33

Page 34: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Dados operacionais UnidadeReferência resultante [%]Referência resultante [unidade]Feedback [unidade]Freqüência de saída [Hz]Freqüência de saída x escala [-]Corrente do motor [A]Torque [%]Potência [kW]Potência [HK]Tensão do motor [V]Tensão da barra CC [V]Temperatura do motor [%]Carga térmica [%]Horas de funcionamento [horas]Entrada digital [binário]Referência por pulso [Hz]Referência externa [%]Palavra de estado [hex]Temperatura do dissipador [°C]Palavra de alarme [hex]Palavra de controle [hex]Palavra de advertência [hex]Status word estendida [hex]Entrada analógica 53 [V]Entrada analógica 60 [mA]

Três itens de dados operacionais podem ser mostradosna primeira linha do display e uma variável operacionalpode ser mostrada na segunda linha do display.Programado por intermédio dos parâmetros 009,010, 011 e 012 Leitura do display.

■ Modos displayA unidade de controle LCP dispõe de diferentes modosde display que dependem do modo selecionadopara o conversor de freqüência.

Modo display I:Este modo display é padronizado após ostartup ou a inicialização.

50.0 HzFREQUENCY

MOTOR IS RUNNING

A linha 2 apresenta o valor dos dados de um itemde dados operacionais da unidade e a linha 1contém um texto que explica a linha 2. No exemplo,Freqüência foi selecionada para leitura através doparâmetro 009 Leitura grande no display. Duranteo funcionamento normal, outra variável pode ser lidaimediatamente através das teclas [+ / -].

Modo display II:

A alternância entre os modos Display I e II érealizada pressionando-se brevemente a tecla[DISPLAY / STATUS].

MOTOR IS RUNNING

50.0 Hz24.3% 30.2% 13.8A

Neste modo, são mostrados todos os valores dedados dos quatro itens de dados operacionais e suasrespectivas unidades, vide tabela. Neste exemplo,foram selecionados: Freqüência, Referência, Torque eCorrente a serem lidas na primeira e segunda linhas.

Modo display III:Este modo do display fica exibido enquanto a tecla[DISPLAY / STATUS] for mantida pressionada. Quandoa tecla é liberada, o sistema alterna de volta para omodo Display II, a menos que a tecla seja pressionadadurante menos de 1 segundo, quando, neste caso, osistema sempre reverte para o modo Display I.

50.0 Hz SETUP

1

MOTOR IS RUNNING

REF% TORQUE CURR A

Aqui podem ser lidos os nomes e unidadesdos parâmetros para os dados operacionaisna primeira e segunda linhas. A linha 2 dodisplay permanece invariável.

Modo display IV:Este modo do display pode ser exibido durantea operação, se uma outra Configuração tiver queser alterada, sem que o conversor de freqüênciaseja parado. Esta função é ativada no parâmetro005 Configuração da programação.

MOTOR IS RUNNING

50.0 Hz24.3% 30.2% 13.8A

SETUP

12

Aqui, a Configuração da programação número 2piscará à direita da Configuração ativa.

■ Configuração de ParâmetrosA abrangente área de trabalho de um conversor defreqüência pode ser acessada por meio de vários

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss34

Page 35: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Intr

oduç

ão a

o V

LT28

00

parâmetros, possibilitando a adaptação de suafuncionalidade para uma aplicação específica. Deforma a proporcionar uma melhor visão geral dosmuitos parâmetros, podem ser escolhidos dois modosde programação - Modo menu e modo Menu Rápido.O primeiro deles proporciona acesso a todos osparâmetros. O último mostra ao usuário todos osparâmetros, o que permite iniciar o funcionamento doconversor de freqüência na maioria dos casos, deacordo com a Configuração realizada. Independentedo modo de programação, uma mudança deparâmetro entrará em vigor e estará visível tanto nomodo Menu quanto no modo menu Rápido.

Estrutura do menu Rápido x modo MenuAlém de ter um nome, cada parâmetro é vinculado aum número que é o mesmo, independente do modode programação. No modo Menu, os parâmetrosserão separados em grupos, com o primeiro dígito(da esquerda) do número do parâmetro indicando onúmero do grupo do parâmetro em questão.

• Utilizando a tecla [QUICK MENU], é possível obteracesso aos parâmetros mais importantes doconversor de freqüência. Após a programação, oconversor de freqüência está pronto para funcionar,na maioria dos casos. Percorra o menu Rápidoutilizando as teclas [+ / -] e altere os valores dosdados pressionando [CHANGE DATA] + [OK].

• O modo Menu permite selecionar e alterar todos osparâmetros quando necessário. Entretanto, algunsparâmetros estarão "esmaecidos", dependendoda escolha no parâmetro 100 Configuração.

■ Menu rápido com unidade de controle LCP 2Inicie Quick Setup pressionando a tecla [QUICKMENU], que mostrará os seguintes valores no display:

50.0 Hz SETUP

1

QUICK MENU X OF Y

001 LANGUAGE

ENGLISH

Na parte inferior do display, o número e o nome doparâmetro são dados juntamente com o estado/valordo primeiro parâmetro abaixo do menu Rápido. Naprimeira vez que a tecla [QUICK MENU] for pressionadaapós a unidade haver sido ligada, a leitura semprecomeçará na posição 1 - ver tabela abaixo.

Pos. Parâmetro no. Unidade1 001 Idioma2 102 Potência do motor [kW]3 103 Tensão do motor [V]4 104 Freqüência do motor [Hz]5 105 Corrente do motor [A]6 106 Velocidade nominal do motor [rpm]7 107 AMT8 204 Referência mínima [Hz]9 205 Referência máxima [Hz]10 207 Tempo de aceleração [seg]11 208 Tempo de desaceleração [seg]12 002 Operação local/remota13 003 Referência local [Hz]

■ Seleção de parâmetroO modo Menu é iniciado pelo pressionamento da tecla[MENU], que produz a seguinte leitura no display:

50.0 HzFREQUENCY

0 KEYB.&DISPLAY

A linha 3 no display mostra o número e o nomedo grupo de parâmetros.

No modo Menu, os parâmetros estão divididosem grupos. A seleção do grupo de parâmetrosé efetuada mediante as teclas [< >].Há acesso aos seguintes grupos de parâmetros:

Grupo no. Grupo de parâmetros0 Operação e Display1 Carga e Motor2 Referências e Limites3 Entradas e Saídas4 Funções especiais5 Comunicação serial6 Funções técnicas

Quando o grupo de parâmetros desejado forselecionado, cada parâmetro pode ser escolhidomediante as teclas [+ / -]:

FREQUENCY

001 LANGUAGE

ENGLISH

50.0 Hz

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 35

Page 36: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

A terceira linha do display mostra o número e onome do parâmetro, enquanto o estado/valor doparâmetro selecionado é mostrado na linha 4.

Troca de dadosIndependente do modo pelo qual o parâmetrotenha sido selecionado: menu rápido ou modomenu, o procedimento para mudar os dados é omesmo. Apertando-se a tecla [CHANGE DATA],tem-se acesso à troca do parâmetro selecionado,após o que o sublinhado da linha 4 piscará nodisplay. O procedimendo para a mudança dos dadosdepende do parâmetro selecionado representar umvalor de dado numérico ou um texto.

Troca de valoresSe o parâmetro selecionado for um texto, este textopode ser modificado pelas teclas [+ / -].

50.0 HzFREQUENCY

001 LANGUAGE

ENGLISH

A linha inferior do display apresenta o valor que serámemorizado quando for confirmado pelo botão [OK].

Troca do valor numérico dos dadosSe o parâmetro selecionado for representado porum valor numérico dos dados, é primeiro escolhidoum dígito através das teclas [< >].

50.0 HzSETUP

1

FREQUENCY

130 START FREQUENCY

09.0 HZ

O dígito selecionado pode então ser alterado de formainfinitamente variável por intermédio das teclas [+ / -]:

50.0 HzSETUP

1

FREQUENCY

130 START FREQUENCY

10.0 HZ

O dígito escolhido piscará. A linha inferior do displaymostra o valor dos dados que serão memorizadosquando for confirmado através do botão [OK].

■ Inicialização manual

NOTA!:A inicialização manual não é possível naunidade de controle LCP 2 175N0131.Entretanto, é possível realizar uma inicialização

via par. 620 Modo de funcionamento:

Os seguintes parâmetros não são zerados pelainicialização via par. 620 Modo de operação.- par. 500 Endereço- par. 501 Taxa baud- par. 600 Horas de operação- par. 601 Horas de funcionamento- par. 602 Contador de kWh- par. 603 Número de energizações- par. 604 Número de superaquecimentos- par. 605 Número de sobretensões- par. 615-617 Registro das falhas

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss36

Page 37: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Inst

alaç

ão

■ Dimensões mecânicasOs desenhos abaixo mostram as dimensõesmecânicas. Todas as dimensões estão em mm.

VLT 2803-2815 200-240 VoltsVLT 2805-2815 380-480 Volts

VLT 2822 200-240 VoltsVLT 2822-2840 380-480 Volts

VLT 2840 200-240 VoltVLT 2855-2875 380-480 Volt

VLT 2880-2882 380-480 Volt

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 37

Page 38: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

■ Bobinas domotor (195N3110)

■ Filtro RFI 1B (195N3103)

■ Terminal coverO desenho abaixo dá as dimensões da tampa determinal NEMA 1 para o VLT 2803-2875.A dimensão ’a’ depende do tipo da unidade.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss38

Page 39: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Inst

alaç

ão

■ Instalação mecànica

Preste atenção aos requisitos que seaplicam â instalação.

O conversor de freqüênciaé refrigerado pela circulação do ar. Para que a unidadepossa liberar seu ar de refrigeração, a distànciamínima acima e abaixo da unidade deve ser deno mínimo 100 mm. Para proteger a unidadecontra o superaquecimento, é necessário garantirque a temperatura ambiente não ultrapasse atemperatura máxima do conversor de freqüência e quea temperatura média em 24 horas não seja excedida.A temperatura máxima e a média em 24 horaspodem ser obtidas em Dados técnicos gerais. Se atemperatura ambiente permanecer no intervalo entre45 °C e 55 °C, deverá ser realizada uma redução depotência (derating) no conversor de freqüência.Consulte a seção "Derating" para a temperaturaambiente. Observe que a durabilidade do conversorde freqüência será reduzida, a menos que sejarealizado o "derating" para a temperatura ambiente.

■ IntegraçãoTodas as unidades com invólucro IP 20 e NEMA1 são aprovadas para integração em gabinetes epainéis. O IP 20 não é adeguado para montagemremota. Em alguns países, como nos EstadosUnidos, as unidades com invólucro NEMA1 sãoaprovadas para montagem remota.

■ Espaços para a instalação mecànicaTodas as unidades requerem no mínimo 100 mm deespaço para ventilação entre outros componentese as aberturas de ventilação do invólucro.

■ Lado a ladoTodas as unidades VLT 2800 podem ser instaladaslado a lado e em qualquer posição, pois essasunidades não requerem ventilação lateral.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 39

Page 40: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

■ Advertência de alta tensão

A tensão do conversor de freqüência serásempre perigosa quando a unidade estiverligada na rede elétrica. Uma instalação

incorreta do motor ou do conversor de freqüênciapode danificar o equipamento ou causar ferimentosgraves e até a morte. Portanto, as instruções destemanual, bem como as normas nacionais e locais e asnormas de segurança devem ser obedecidas.Tocar as partes elétricas pode causar até a morte -mesmo depois de desligar o equipamento da redeelétrica: Aguarde pelo menos 4 minutos.

NOTA!:É responsabilidade do operador ou doeletricista garantir um correto aterramentoe demais proteções conforme as normas

e os padrões nacionais e locais.

■ AterramentoOs seguintes pontos básicos devem serconsiderados na instalação:

• Aterramento de segurança: Observe que oconversor de freqüência tem um valor elevadode corrente de fuga, devendo portanto serapropriadamente aterrado por razões desegurança. Aplique as normas locais de segurança.

• Aterramento da alta freqüência: O comprimentodos cabos de aterramento deve ser omais curto possível.

Conecte os diferentes sistemas de aterramento,dessa forma assegurando a mais baixa impedânciapossível do condutor. A menor impedância possíveldo condutor é conseguida mantendo-se o condutoro mais curto possível e pela utilização da maiorárea superficial possível. Um condutor plano, porexemplo, tem uma impedância de HF menor que ade um condutor circular, calculada para a mesmasecção transversal do condutor CVESS. Se váriasunidades estiverem instaladas em gabinetes, a placatraseira do gabinete, que deve ser feita de metal,deve ser utilizada como uma placa de referência deterra conjunto. Os gabinetes de metal das diferentesunidades devem estar conectados à placa traseirado gabinete na menor impedância de HF possível.Com esta característica, diferentes tensões deHF não aparecerão nas diferentes unidades e nãohaverá correntes espúrias nos cabos utilizados paraconectar as unidades. A irradiação do ruído seráreduzida. Para conseguir uma baixa impedância deHF, os parafusos de fixação das unidades podemser utilizados como conexão da HF com a placa

traseira. É necessário remover qualquer camada detinta isolante ou similares dos pontos de fixação.

■ CabosO cabo de controle o cabo de alimentação devemser instalados separadamente dos cabos domotor para evitar transferência de ruído. Comoregra, uma distância de 20 cm é suficiente, masrecomenda-se que a distância seja a maior possível,especialmente quando os cabos são instaladosem paralelo por grandes distâncias.

Para os cabos sensíveis aos sinais como cabostelefônicos e de transmissão de dados, recomenda-sea maior distância possível. Observe que a distânciaexigida depende da instalação e da sensibilidadedos cabos de sinais e que os valores exatos,portanto, podem não ser informados.

Ao serem dispostos nas canaletas de cabos, os cabosde sinais sensíveis não podem ser colocados namesma canaleta que o cabo do motor. Se os cabosde sinais passarem pelos cabos de potência, isto deveser feito em um ângulo de 90 graus. Lembre quetodos os cabos de entrada e saída sujeitos a ruídosem um gabinete devem ser blindados/reforçados.Veja também Instalação elétrica correta da CEM.

■ Cabos blindadosA malha de aterramento deve ter uma impedânciabaixa para HF, que é conseguida através de uma malhade aterramento trançada de cobre, alumínio ou ferro.Um reforço da malha de aterramento pretendido paraproteção mecânica, por exemplo, não é apropriadopara uma instalação correta da CEM.Veja também Uso dos cabos corretos para CEM.

■ Proteção extraRelês RCD , o aterramento de proteção múltiplapode ser usado como proteçãao extra, desde que asexigências de segurança locais sejam cumpridas. Nocaso de uma falha de aterramento, um conteúdo CCpode se desenvolver na corrente com defeito. Nuncause um RCD (relê ELCB), tipo A, pois não é adequadopara correntes CC com defeito. >Se relês RCD foremusados, as exigências locais devem ser cumpridas.Se forem utilizados relés ELCB, eles devem ser:

- Adequados para proteger equipamentocom conteúdo CC na corrente com defeito(Retificador de ponte trifásico).

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss40

Page 41: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Inst

alaç

ão

- Adequados a uma descarga rápida em forma depulso no momento da energização.

- Adequados para uma alta corrente de fuga.

N deve ser conectado antes de L1 para unidadesde corrente de fuga reduzida de 200 V de faseúnica (código de tipo R4).

■ Teste de alta tensãoUm teste de alta tensão pode ser efetuado colocandoem curto-circuito os terminais U, V, W, L1, L2 e L3e alimentando com no máximo 2160 V CC durante1 seg. entre o curto–circuito e o terminal 95.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 41

Page 42: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

■ Instalação elétrica correta da CEMPontos gerais a serem observados para garantira instalação elétrica correta da CEM.

- Use somente cabos reforçados/blindados para omotor e cabos de controle reforçados/blindados.

- Conecte ambas as extremidades da malhade proteção à terra.

- Evite a instalação com as extremidades da malhade proteção torcidas, pois isto pode danificaro efeito de blindagem em altas freqüências.Use braçadeiras para os cabos.

- É importante assegurar bom contato elétrico entrea placa de instalação, parafusos de instalação ea carcaça do conversor de freqüência.

- Use placas de instalação com discos dentadosgalvanicamente condutivos.

- Não use cabos que sejam não-reforçados/não-blindados do motor nas carcaças de instalação.

A ilustração abaixo mostra a instalação elétrica corretada CEM; o conversor de freqüência foi colocado emuma carcaça da instalação e conectado a uma PLC.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss42

Page 43: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Inst

alaç

ão

■ Uso de cabos compatíveis coma CEMPara estar compatível com a imunidade CEM dos cabosde controle e as emissões CEM dos cabos de motor,recomenda-se utilizar cabos blindados/reforçados.A capacidade de um cabo em reduzir a quantidadede irradiação de entrada e de saída do ruído elétricodepende da impedância de transferência (ZT). Amalha de aterramento de um cabo é normalmenteconcebida para reduzir a transferência da interferênciaelétrica e uma malha de aterramento com um ZT

mais baixo é mais eficaz do que uma malha deaterramento com um ZT mais alto.ZT raramente é informado pelos fabricantes de cabos,mas é geralmente possível estimar ZT pela observaçãoe avaliação do projeto físico do cabo.

ZT pode ser avaliado com base nos seguintes fatores:- a resistência de contato entre os condutores

individuais da malha de aterramento.- A abrangência da malha de aterramento, ou

seja, a área física do cabo coberta pela malha deaterramento é geralmente informada como umaporcentagem e deve ser pelo menos 85%.

- O tipo de malha de aterramento, ou seja, padrãotrançado ou entrelaçado. Recomenda-se umpadrão trançado ou ’closed pipe’.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 43

Page 44: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

■ Cabos de controle blindados de aterramento1. Aterramento correto

Os cabos de controle e os cabos de comunicaçãoserial devem estar conectados âs braçadeirasem ambas as extremidades para assegurar omáximo contato elétrico possível.

2. Aterramento incorretoNão use extremidades trançadas na blindagem(encaracolada), pois isso aumenta a impedàncianas freqüências mais altas.

3. Proteção com relação ao potencial deaterramento entre o PLC e o VLTSe o potencial de aterramento entre o conversorde freqüência do VLT e o PLC (etc.) for diferente,pode ocorrer algum ruído elétrico que irá interferirem todo o sistema. Este problema pode serresolvido ligando-se um cabo de equalização,colocado ao lado do cabo de controle. Seçãotransversal mínima do cabo: 16 mm2.

4. No evento de um loop de aterramentode 50/60 HzSe forem usados cabos muito longos, podemocorrer loops de aterramento de 50/60 Hz eeles podem interferir com todo o sistema. Esteproblema é resolvido pela conexão de umaextremidade da malha ao terra através de umcapacitor de 100 nF (de terminais curtos).

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss44

Page 45: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Inst

alaç

ão

■ Diagrama

* O filtro e o freio 1A RFI integrados são opcionais.** VLT 2803-2815 200-240 V não vem com abobina do circuito intermediário.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 45

Page 46: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

■ Instalação elétrica

VLT 2803-2815 200-240 V, 2805-2815 380-480 V

VLT 2822 200-240 V, 2822-2840 380-480 V

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss46

Page 47: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Inst

alaç

ão

VLT 2840 200-240 V, 2855-2875 380-480 V

VLT 2880-2882 380-480 V

Observe que as unidades serão fornecidascom duas placas inferiores; uma para buchasmétricas e uma para conduítes.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 47

Page 48: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

■ Braçadeira de segurança

Se o isolamento galvânico (PELV)entre os terminais de controle e osterminais de alta tensão tiver que ser

mantida, a braçadeira de segurança fornecidadeve ser usada no VLT 2803–2815, 200–240 Ve no VLT 2805–2815, 380–480 V.

■ Pré-fusíveisPara todos os tipos de unidades, pré-fusíveis externosdevem ser instalados na alimentação da rede doconversor de freqüência. Para aplicações UL/cULcom uma tensão da rede de 200-240 Volts, usepré-fusíveis tipo Bussmann KTN-R (200-240 volts)ou Ferraz Shawmut tipo ATMR (máx. 30 A). Paraaplicações UL/cUL com uma tensão de alimentaçãode 380-480 Volts, use pré-fusíveis do tipo BussmannKTS-R (380-480 volts). Consulte Dados técnicos paraobter o dimensionamento correto dos pré-fusíveis.

■ Conexão à redeObserve que com 1 x 220-240 Volt o fio do neutrodeve ser conectado ao terminal N (L2) e o fio de fasedeve estar conectado ao terminal L1 (L1).

No. N(L2) N(L1) (L3) Tensão de rede 1 x 220-240 VN L1

No. 95 Conexão de aterramento

No. N(L2) N(L1) (L3) Tensão de rede 3 x 220-240 VL2 L1 L3

No. 95 Conexão de aterramento

No. 91 92 93 Tensão de rede 3 x 380-480 VL1 L2 L3

No. 95 Conexão de aterramento

NOTA!:Verifique se a tensão da rede ajusta-se à tensãode rede do conversor de freqüência, o quepode ser visto na placa de identificação.

As unidades de 400 volts com filtros RFIpodem não ser conectadas à alimentaçãode rede onde a tensão entre fase e

terra seja superior a 300 volts. Observe que paraa rede de TI e o aterramento delta a tensão darede não pode ultrapassar 300 volts entre fase eaterramento. As unidades com código de tipo R5podem ser conectadas a redes de alimentação comaté 400 volts entre fase e aterramento.

Consulte Dados técnicos para obter odimensionamento correto da secção transversal docabo. Consulte também a seção intitulada Isolamentogalvânico para obter mais detalhes.

■ Conexão do motorConecte o motor aos terminais 96, 97, 98.Conecte o terra ao terminal 99.

Nr. 96 97 98 Tensão do motor 0-100%U V W da tensão de alimentação.

Nr. 99 Conexão do terra

Veja na seção Dados técnicos o corretodimensionamento da secção transversal dos cabos.

Todos os tipos de motores padrão assíncronostrifásicos podem ser conectados a um conversor defreqüência. Normalmente, os motores pequenos sãoconectados em estrela (230/400 V, / Y). Os motoresgrandes são conectados em delta (400/690 V, /Y). O modo de conexão e a tensão correta podemser lidos na placa de identificação do motor.

NOTA!:Nos motores sem papel de isolamento defase, deve ser instalado um filtro LC na saídado conversor de freqüência.

■ Interruptor de RFIAlimentação da rede isolada da terra:Se o conversor de freqüência for fornecido a partirde uma alimentação da rede isolada (alimentação darede IT), o interruptor de RFI poderá ser desligado(OFF). Na posição OFF, as capacidades de RFI internas(capacitores de filtro) entre o chassi e o circuito

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss48

Page 49: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Inst

alaç

ão

intermediário são cortadas para evitar danos ao circuitointermediário e para reduzir as correntes de capacidadede terra (de acordo com a norma IEC 61800-3).

NOTA!:O interruptor de RFI não deve ser operadocom a alimentação da rede conectada àunidade. Verifique se a alimentação da rede foi

desconectada antes de operar o interruptor de RFI.

NOTA!:O interruptor de RFI desconecta os capacitoresgalvanicamente da terra.

O interruptor Mk9, colocado próximo ao terminal 96,deve ser removido para desconexão do filtro RFI.O interruptor RFI está disponível apenasno VLT 2880-2882.

■ Sentido de rotação do motor

A programação de fábrica é para a rotação no sentidohorário com a saída do transformador do conversorde freqüência ligada da seguinte maneira:

Terminal 96 ligado à fase U.

Terminal 97 ligado à fase V.

Terminal 98 ligado à fase W.

O sentido de rotação pode ser trocado invertendoduas fases nos terminais do motor.

■ Conexão de motores em paralelo

O conversor de freqüência é capaz de controlardiversos motores ligados em paralelo. Se for precisoque os motores tenham valores de rotação diferentes,os mesmos deverão possuir valores de rotaçãonominais diferentes. A rotação do motor é mudadasimultaneamente, o que significa que a relação entreos valores da rotação nominal é mantido em toda agama. O consumo total de corrente dos motoresnão deve ultrapassar a corrente de saída nominalmáxima IINV para o conversor de freqüência.

Podem ocorrer problemas na partida e com baixosvalores de rotação se as potências dos motoresforem muito diferentes. Isto porque a resistênciaohmica relativamente alta no estator do motorpequeno necessita de uma tensão mais alta napartida, com baixos valores de rotação.

Nos sistemas com motores ligados em paralelo,o relé térmico eletrônico (ETR) do conversor defreqüência não pode ser utilizado como proteçãopara um motor individual. Conseqüentemente,é necessária uma proteção de motor adicional,como termistores em cada motor ou relés térmicosindividuais. (Disjuntores não servem como proteção.)

NOTA!:O parâmetro 107 Adaptação automática domotor, AMT não pode ser usado quando osmotores estão conectados em paralelo. O

parâmetro 101 Característica do torque deve serconfigurado como Característica especial do motor [8]quando os motores estão conectados em paralelo.

■ Cabos do motorVeja na seção Dados técnicos o corretodimensionamento do comprimento e da secçãotransversal do cabo do motor. Obedeçasempre as normas nacionais e locais sobre asecção transversal do cabo.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 49

Page 50: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

NOTA!:Se for usado um cabo não-blindado,alguns requisitos de CEM não estarãoem conformidade; veja Resultados do

teste CEM no Guia de Design.

Para obedecer as especificações CEM em relaçãoà emissão, o cabo do motor deve ser blindado,exceto quando for indicado de modo diferente parao filtro RFI em questão. Se os níveis de ruído e decorrente de fuga tiverem que ser mantidos no mínimo,o cabo do motor deverá ser o mais curto possível.A blindagem do cabo do motor deve ser ligadaao gabinete metálico do conversor de freqüênciae à carcaça do motor. As ligações da blindagemdevem ser efetuadas com a maior superfície possível(prensa cabo). Isto é possível graças a diferentesdispositivos de instalação em diferentes conversoresde freqüência. A montagem com pontas soltas damalha de blindagem deve ser evitada, porque estasreduzirão o efeito da blindagem nas altas freqüências.Se for necessário interromper a blindagem para instalaruma proteção para o motor ou os relés do motor,a blindagem deve continuar com uma impedânciade alta freqüência a mais baixa possível.

■ Proteção térmica do motorO relé térmico eletrônico nos conversores de freqüênciarecebeu a aprovação UL para a proteção individualdo motor, quando o parâmetro 128 Proteção térmicado motor houver sido programado para ETR Trip eo parâmetro 105 Corrente do motor, IM, N houversido programada com a corrente nominal do motor(veja a placa de identificação do motor).

■ Conexão do freio

No. 81 82 Resistência de freioR- R+ terminais

O cabo de conexão com a resistência de freiodeve ser blindado/reforçado. Conecte a malha aogabinete metálico do conversor de freqüência eao gabinete metálico da resistência de freio porintermédio das braçadeiras do cabo. Dimensionea secção transversal do cabo de freio de formaa coincidir com o torque do freio.

Veja no Guia de Design o dimensionamentodas resistências do freio.

NOTA!:Note que podem ser observadas tensõesde até 850 V CC nos teminais.

■ Conexão do terraComo a corrente de fuga â terra pode ser maiordo que 3,5 mA, o conversor de freqüência deveestar sempre aterrado de acordo com as normaslocais e nacionais. Para garantir que o cabo deaterramento tenha uma boa conexão mecànica como terminal 95, sua seção transversal deve ser de pelomenos 10 mm2 ou 2 fios-terra que sejam terminadosseparadamente. Para aumentar a segurança, vocêpode instalar um RCD dispositivo de corrente residual(Residual Current Device), que garante que o conversorde freqüência entre em trip quando a corrente defuga for demasiadamente alta. Consulte também odocumento RCD Application Note MN.90.GX.02.

■ Divisão de cargaA divisão de carga permite conectar os circuitosintermediários CC de vários conversores defreqüência. Isto exige que a instalação sejaestendida usando fusíveis extras e bobinas CA(consulte o desenho a seguir). Para o parâmetrode divisão de carga 400 Função do freio deve serajustada para Divisão de carga [5].Use pinos Faston de 6,3 mm para CC (Divisão de carga).Entre em contato com a Danfoss ou consulteas instruçõess no. MI.50.N1.02 para obtermais informações.

No. 88 89 Divisão de carga- +

Observe que podem ocorrer níveisde tensão de até 850 V CC entre osterminais 88 e 89.

■ Torque de aperto, Terminais de forçaOs terminais de força e de aterramento devem serapertados com os seguintes torques:

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss50

Page 51: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Inst

alaç

ão

VLT Terminais Torque [Nm]Freio da rede elétrica 0.5–0.62803–

2875 Aterramento 2–3Freio da rede elétrica 1.2–1.52880–

2882 Aterramento 2–3

■ Controle do freio mecânicoNas aplicações de elevação/abaixamento, você precisaser capaz de controlar um freio eletromagnético.O freio é controlado através de uma saída de reléou saída digital (terminal 46). A saída deve sermantida fechada (sem tensão) durante o períodoem que o conversor de freqüência não for capaz de’suportar’ o motor devido, por exemplo, ao fato deque a carga é grande demais. Selecione Controledo freio mecânico nos parâmetros 323 ou 341 paraas aplicações com freio eletromagnético.Quando a saída de freqüência exceder o valor deinterrupção definido no par. 138, o freio será liberadose a corrente do motor exceder o valor predefinido noparâmetro 140. O freio é ativado quando a freqüênciade saída for menor que a freqüência de ativaçãodo freio, que é definida no par. 139.Se o conversor de freqüência for colocado em estadode alarme ou em uma situação de sobretensão, ofreio mecânico será religado imediatamente.

NOTA!:Esta aplicação só vale para levantamento/abaix-amento sem contra-peso.

■ Acesso aos terminais de controleTodos os terminais para os cabos de controle estãolocalizados embaixo da tampa frontal de proteçãodo conversor de freqüência. Remova a tampa deproteção empurrando-a para baixo (veja o desenho).

■ Instalação elétrica, cabos de controle

Os cabos de controle devem ser blindados. Amalha deve estar conectada ao chassi do conversorde freqüência por intermédio de uma braçadeira.Normalmente a malha também deve estar conectadaao chassi da unidade de controle (use as instruçõesda unidade em questão). Se forem usados cabosde controle muito longos e sinais analógicos, emcasos raros, dependendo da instalação, poderãoocorrer malhas de aterramento de 50/60 Hz devidoao ruído transmitido pelos cabos de alimentaçãoda rede. Por este motivo poderá ser necessárioabrir a malha e talvez inserir um condensador de100 nF entre a malha e o chassi.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 51

Page 52: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

■ Torques de aperto, cabos de controleOs cabos de controle devem ser conectados comum torque de aperto de 0,22-0,25 Nm.

■ Instalação elétrica, terminais de controleConsulte a seção intitulada Aterramento de cabos decontrole entelados/blindados no Guia de Design paraobter os terminais corretos dos cabos de controle.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss52

Page 53: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Inst

alaç

ão

No. Função01-03 As saídas de relê 01-03 podem ser

usadas paraindicando status e alarmes/avisos.

12 Tensão de alimentação 24 V CC.18-33 Entradas digitais.20, 55 Quadro comum para terminais

de entrada e de saída.42 Saída analógica para exibir freqüência,

referência, corrente ou torque.461 Saída digital para exibir status,

avisos ou alarmes, além dasaída de freqüência.

50 alimentação +10 V CC.tensão para potenciômetro ou termistor.

53 Entrada de tensão analógica 0 - 10 V CC.60 Entrada de corrente analógica 0/4 - 20

mA.671 Tensão de alimentação +5 V CC.

para o Profibus.68,691

RS 485, Comunicação serial.

701 Quadro para terminais 67, 68 e 69.Normalmente este terminal não deve serusado.

1. Os terminals não são válidos para DeviceNet.Consulte o manual DeviceNet, MG.90.BX.YYpara obter mais detalhes.

■ Conexão do reléVeja no parâmetro 323 Saída do relé aprogramação da saída do relé.

Nr. 01 - 02 1 - 2 fechar (normalmenteaberto)

01 - 03 1 - 3 interromper (normalmentefechado)

NOTA!:Observe que a camisa do cabo do relé devecobrir a primeira linha de terminais do cartãode controle - caso contrário, a isolamento

galvanico (PELV) não pode ser mantida. Diâmetromáximo do cabo: 4 mm. Veja o desenho.

■ Interruptores 1-4O interruptor (dip switch) está localizado somente nocartão de controle de comunicação do Profibus DP.A posição do interruptor mostrado é aprogramação de fábrica.

Os interruptores 1 e 2 são utilizados como terminaçãodo cabo para a interface RS 485. No primeiro e noúltimo conversores de freqüência no sistema de bus,os interruptores 1 e 2 devem estar na posição ON. Nosdemais conversores de freqüência, os interruptores1 e 2 devem estar na posição OFF.Os interruptores 3 e 4 não são usados.

■ VLT Software DialogConexão com os terminais 68-70 ouD-Sub:- PIN 3 GND- PIN 8 P-RS 485- PIN 9 N-RS 485

■ Conector D-Sub

Uma unidade de controle LCP 2 pode serconectada ao conector D-Sub no cartão de controle.Número de pedido: 175N0131.A unidade de controle LCP com número de pedido175Z0401 não deve ser conectada.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 53

Page 54: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

■ Exemplos de ligação

■ Partida/paradaPartida/parada usando o terminal 18 e paradapor inércia usando o terminal 27.

Par. 302 Entrada digital = Partida [7]Par. 304 Entrada digital = Parada porinércia invertida [2]

Para a Partida/parada precisa, são feitas asseguintes configurações:

Par. 302 Entrada digital = Partida/paradaprecisa [27]Par. 304 Entrada digital = Parada porinércia invertida [2]

■ Partida/parada de pulsoPartida de pulso usando o terminal 18 e paradade pulso usando o terminal 19. Além disso, afreqüência de jog é ativada via terminal 29.

Par. 302 Entrada digital = Partida de pulso [8]Par. 303 Entrada digital = Parada inversa [6]Par. 304 Entrada digital = Parada porinércia invertida [2]Par. 305 Entrada digital= Jog [13]

■ Aceleração e desaceleraçãoAceleração e desaceleração usando os terminais 29/33.

Par. 302 Entrada digital = Partida [7]Par. 303 Entrada digital = Referência congelada [14]Par. 305 Entrada digital = Aceleração [16]Par. 307 Entrada digital = Desaceleração [17]

■ Referência do potenciômetroReferência de tensão através de um potenciômetro.

Par. 308 Entrada analógica = Referência [1]Par. 309 Terminal 53, escala mín. = 0 VoltPar. 310 Terminal 53, escala máx. = 10 Volts

■ Conexão de um transmissor de dois fiosConexão de um transmissor de dois fios comofeedback para o terminal 60.

Par. 314 Entrada analógica = Feedback [2]Par. 315 Terminal 60, escala mín. = 4 mAPar. 316 Terminal 60, escala máx. = 20 mA

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss54

Page 55: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Inst

alaç

ão

■ Referência de 4-20 mAReferência de 4-20 mA no terminal 60 e sinal defeedback de velocidade no terminal 53.

Par. 100 Configuração = Velocidade,malha fechada [1]Par. 308 Entrada analógica = Feedback [2]Par. 309 Terminal 53, escala mín. = 0 VoltPar. 310 Terminal 53, escala máx. = 10 VoltPar. 314 Entrada analógica = Referência [1]Par. 309 Terminal 60, escala mín. = 4 mAPar. 310 Terminal 60, escala máx. = 20 mA

■ 50 Hz no sentido anti-horário a 50 Hzno sentido horário

Par. 100 Configuração = Regulação develocidade, malha aberta [0]

Par. 200 Gama da freqüência de saída =Ambos sentidos, 0-132 Hz [1]Par. 203 Gama de referência = Ref. mín.- Ref. máx. [0]Par. 204 Ref. mínima = - 50 HzPar. 205 Ref. máxima = 50 HzPar. 302 Entrada digital = Partida [7]Par. 304 Entrada digital = Parada porinércia invertida [2]Par. 308 Entrada analógica = Referência [1]Par. 309 Terminal 53, escala mín. = 0 VoltPar. 310 Terminal 53, escala máx. = 10 Volts

■ Referências pré-ajustadasAlternam entre 8 referências pré-ajustadas via duasentradas digitais e Setup 1 e Setup 2.

Par. 004 Setup ativo = Setup múltiplo 1 [5]Par. 204 Referência mínima = 0 HzPar. 205 Referência máxima = 50 HzPar. 302 Entrada digital = Partida [7]Par. 303 Entrada digital = Seleção de Setup, lsb [31]Par. 304 Entrada digital = Parada porinércia invertida [2]Par. 305 Entrada digital = Ref. pré-ajustada, lsb [22]Par. 307 Entrada digital = Ref. pré-ajustada,msb [23]

Setup 1 contém as seguintes referências pré-ajustadas:Par. 215 Referência pré-ajustada 1 = 5,00%Par. 216 Referência pré-ajustada 2 = 10,00%Par. 217 Referência pré-ajustada 3 = 25,00%Par. 218 Referência pré-ajustada 4 = 35,00%

Setup 2 contém as seguintes referências pré-ajustadas:Par. 215 Referência pré-ajustada 1 = 40,00%Par. 216 Referência pré-ajustada 2 = 50,00%Par. 217 Referência pré-ajustada 3 = 70,00%Par. 218 Referência pré-ajustada 4 = 100,00%

Esta tabela mostra qual é a freqüência de saída:

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 55

Page 56: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Ref. pré-ajustada,

msb

Ref. pré-ajustada,

lsb

Seleçãodo Setup

Freqüência desaída[Hz]

0 0 0 2,50 1 0 51 0 0 101 1 0 17,50 0 1 200 1 1 251 0 1 351 1 1 50

■ Conexão do freio mecànico

Par. 302 Digital input = Start [7]Par. 304 Digital input = Coasting stop inverted [2]Par. 323 Relay output = Mechanicalbrake control [25]

Mechanical brake control [25] = ’0’ => Ofreio está fechado.Mechanical brake control [25] = ’1’ => Ofreio está aberto.Consulte as configurações dos paràmetros maisdetalhadas em Controle do freio mecànico.

■ Contador de paradas via terminal 33O sinal de partida (terminal 18) deve estar ativo, ouseja, lógico ’1’, até que a freqüência de saída sejaigual à referência. O sinal de partida (terminal 18 =lógico ’0’) deve ser então removido antes que o valordo contador no parâmetro 344 tenha conseguidoparar o conversor de freqüência VLT.

Par. 307 Entrada digital = Entrada de pulsos [30]Par. 343 Função de parada precisa = Contadorde paradas com reset [1]Par. 344 Valor do contador = 100000

■ Uso do controlador de PID interno - controlede processo de malha fechada1. Conecte o conversor de freqüência à rede e

aos cabos do motor como sempre.2. Conecte o transmissor (sinal de feedback) ao +

terminal 12 e – terminal 60 (aplica-se a transmissoresde 2 fios 4-20 mA). (Conecte os transmissores com0-10 V CC ao + terminal 53 e - terminal 55).

NOTA!:Conecte o terminal 55 como - e o terminal60 como + para o sinal de corrente (0/4-20mA) e o terminal 53-55 para sinal de

tensão(0-10 V CC) se forem usados transmissorescom tensão de alimentação separada.

3. Conecte o sinal de partida entre os terminais 12 e18, 12-27 devem estar conectados ou definidospara nenhuma função (parâmetro 304 = 0).

4. Defina todos os parâmetros no Quick Menu eentre no Main Menu (para entrar no Main Menu:Pressione Quick Menu e + simultaneamente).

5. Defina os seguintes parâmetros:

100 = Malha fechada do controlador de processo [3]101 = Torque variável médio [3]Se usado com bombas centrífugas e ventiladores.308 = Feedback [2] (para transmissoresCC de 0-10 V) or314 = Feedback [2] (para transmissores de 4-20 mA )414 = Escala de feedback mínimo, deve serdefinida para o valor de feedback mínimo415 = Escala de feedback máximo, deve serdefinida para o valor de feedback máximoExemplo: Transmissor de pressão 0-10bar: 414 = 0 e 415 = 10416 = Unidades de processo: Como mostrado nopainel de controle local (exemplo: bar [4])437 = Normal [0]: A freqüência de saída deve serreduzida quando o sinal de feedback aumentaInverso [1]: A freqüência de saída deve aumentarquando o sinal de feedback aumenta440 = Ganho proporcional (P-gain) 0,3-1,0(valor experimentado)441 = Tempo de integração (I-time) 3-10s (valor experimentado)442 = Tempo de diferenciação (D-time) 0-10s (valor experimentado)205 = A definição da referência máxima deve serigual ao parâmetro 415 (exemplo: 10 bar)

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss56

Page 57: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Inst

alaç

ão

215 = Referência predefinida 1. Programe areferência predefinida para o mínimo valor dereferência (exemplo: 5 bar)(Os parâmetros 205 e 215 são mostrados naunidade de processo escolhida no parâmetro 416)Entre colchetes [] estão os valores de dadoscorrespondentes à função desejada. Exemplo:Parâmetro 308 Sinal de feedback = [2]Se o motor deve funcionar sempre na velocidademínima, isso pode ser selecionado no parâmetro204 = limite mínimo da freqüência de saída. (Paraserviços de bomba normalmente é 15-20 Hz).Com as conexões e programações acima, todasas aplicações normais de bombas e ventiladoresfuncionarão corretamente. Em determinadoscasos poderá ser necessário otimizar o controladorPID (parâmetros 440, 441 e 442), além dosvalores experimentados mencionados.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 57

Page 58: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

■ Operação e Visor

001 Idioma(IDIOMA)

Valor:✭ Inglês (ENGLISH) [0]

Alemão (DEUTSCH) [1]Francês (FRANCAIS) [2]Dinamarquês (DANSK) [3]Espanhol (ESPANOL) [4]Italiano (ITALIANO) [5]

Funcão:Este parâmetro é utilizado para escolher o idiomaa ser usado no display sempre que a unidade decontrole LCP estiver conectada.

Descricão da selecão:Há uma opção dos idiomas mostrados. Aprogramação de fábrica pode variar.

002 Operação local/remota

(OPERATION SITE)

Valor:✭ Operação remota (REMOTE) [0]

Operação local (LOCAL) [1]

Funcão:Há dois modos de operação do conversor defreqüência; Operação remota [0] ou Operação local[1]. Veja também o parâmetro 013 Controle localse Operação local [1] for escolhida.

Descricão da selecão:Se Operação remota [0] for selecionada, o conversorde freqüência é controlado via:1. Os terminais de controle ou via comunicação serial.2. A tecla [START]. Entretanto, esta tecla não pode

ignorar comandos de parada vindos das entradasdigitais ou via comunicação serial.

3. As teclas [STOP/RESET] e [JOG], desdeque estejam ativas.

Se Operação local [1], for selecionada, o conversorde freqüência é controlado via:1. A tecla [START]. Entretanto, esta tecla não pode

ignorar comandos de parada vindos das entradasdigitais (vide parâmetro 013 Controle local).

2. As teclas [STOP/RESET] e [JOG], desdeque estejam ativas.

3. A tecla [FWD/REV], desde que tenha sidoselecionada como parâmetro ativo no parâmetro016 Reversão local, e que o parâmetro 013 Controle

local tenha sido configurado como Controle local emalha aberta [1] ou Controle local como parâmetro100 [3]. O parâmetro 200 Gama da freqüência desaída é configurado para Ambas as direções.

4. Parâmetro 003 Referência local onde a referênciapode ser configurada usando-se as teclas [+] e [-].

5. Um comando de controle externo que podeser conectado às entradas digitais (vide oparâmetro 013 Controle local).

NOTA!:As teclas [JOG] e [FWD/REV] estão localizadasna unidade de controle LCP.

003 Referência local(LOCAL REFERENCE)

Valor:Par.013 Controle local deve ser configuradopara [1] ou [2]:0 - fMAX (par. 202) ✭ 000.000,000

Par. 013 Controle local deve ser configuradopara [3] ou [4] e o parâmetro 203 Faixa dereferência/feedback para [0]:RefMIN - RefMAX (par. 204-205) ✭ 000.000,000

Par. 013 Controle local deve ser configuradopara [3] ou [4] e o parâmetro 203 Faixa dereferência/feedback para [1]:- RefMAX - + RefMAX (par. 204-205) ✭ 000.000,000

Funcão:Neste parâmetro, a referência local pode serconfigurada manualmente. A unidade da referêncialocal depende da configuração selecionada noparâmetro 100 Configuração.

Descricão da selecão:A fim de proteger a referência local, o parâmetro002 Operação local/remota deve ser configuradocomo Operação local [1]. A referência local podeser configurada via comunicação serial.

■ Definição da configuraçãoHá uma opção entre quatro configurações (paràmetroSetups), que podem ser programados independentesum do outro. A configuração ativa pode serselecionada no paràmetro 004 Active Setup. Quandouma unidade de controle LCP 2 está conectada, onúmero da configuração ativa aparecerá no display

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss58

Page 59: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Pro

gram

ação

abaixo de "Setup". Também é possível predefinir oconversor de freqüência para Multisetup , de formaque seja possível mudar de configuração usandoas entradas digitais ou a comunicação serial. Amudança de configuração pode ser usada em umainstalação onde, por exemplo, uma configuraçãoseja usada durante o dia e outra durante a noite.No paràmetro 006 Setup copying é possível copiaruma configuração para outra. Usando o paràmetro007 LCP copy, todas as configurações podem sertransferi das de um conversor de freqüência parao outro, movendo-se o painel de controle LCP 2.Primeiro, todos os valores do paràmetro são copiadospara o painel de controle LCP 2 e, em seguida,podem ser movidos para um outro conversor defreqüência. Aqui, todos os valores dos paràmetrospodem ser copiados da unidade de controle LCP2 para o conversor de freqüência.

■ Mudança de configuração

- Seleção de configuração via terminais 29 e 33.

Par. 305 Digital input = Selection of Setup, lsb [31]Par. 307 Digital input = Selection of Setup, msb [32]Par. 004 Active setup = Multi Setup [5]

004 Configuração ativa

(ACTIVE SETUP)

Valor:Configuração de fábrica (FACTORY SETUP) [0]

✭ Configuração 1 (SETUP 1) [1]Configuração 2 (SETUP 2) [2]Configuração 3 (SETUP 3) [3]Configuração 4 (SETUP 4) [4]Multi Configuração (MULTI SETUP) [5]

Funcão:O parâmetro ativo de Configuração é selecionadoaqui. Todos os parâmetros podem ser programadosem quatro configurações individuais de parâmetros.Pode-se alternar entre as Configurações nesteparâmetro através da entrada digital ou dacomunicação serial.

Descricão da selecão:Configuração de Fábrica [0] contém os valores daconfiguração de fábrica. Configuração 1-4 [1]-[4]são quatro Configurações individuais que podem serselecionadas conforme necessário. Multi Configuração[5] é usado onde se necessita alternar, por controleremoto, entre as quatro Configurações através de umaentrada digital ou através de uma comunicação serial.

005 Configuração da programação

(EDIT SETUP)

Valor:Configuração de fábrica (FACTORY SETUP) [0]Configuração 1 (SETUP 1) [1]Configuração 2 (SETUP 2) [2]Configuração 3 (SETUP 3) [3]Configuração 4 (SETUP 4) [4]

✭ Configuração Ativa (ACTIVE SETUP) [5]

Funcão:Você pode selecionar a Configuração que desejaprogramar durante a operação (aplicado atravésdo painel de controle e da porta de comunicaçãoserial). É possível, por exemplo, programarConfiguração 2 [2], enquanto a Configuraçãoativa está definida como Configuração 1 [1] noparâmetro 004 Configuração Ativa.

Descricão da selecão:Programação de Fábrica [0] contém os dadosprogramados na fábrica e podem ser usados comofonte de dados, se as outras Configurações tiveremque ser resetadas para um estado conhecido.Configuração 1-4 [1]-[4] são Configuraçõesindividuais que podem ser livremente programadasdurante a operação. Se Configuração Ativa [5] forselecionada, a Configuração programada será igualao parâmetro 004 Configuração Ativa.

NOTA!:Se os dados forem modificados ou copiadospara a Configuração ativa, as modificações têmum efeito imediato na operação da unidade.

006 Cópia da configuração

(SETUP COPY)

Valor:✭ Sem cópia (NO COPY) [0]

Copiar para Configuração 1 a partir de #(COPY TO SETUP 1) [1]Copiar para Configuração 2 a partir de #

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 59

Page 60: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

(COPY TO SETUP 2) [2]Copiar para Configuração 3 a partir de #(COPY TO SETUP 3) [3]Copiar para Configuração 4 a partir de #(COPY TO SETUP 4) [4]Copiar para todas as Configurações a partir

de # (COPY TO ALL) [5]

Funcão:Você pode copiar a partir da Configuração ativaselecionada no parâmetro 005 Configuração daprogramação para a Configuração ou Configuraçõesselecionadas neste parâmetro.

NOTA!:Só é possível copiar na Parada (motor paradorelacionado a um comando de parada).

Descricão da selecão:A cópia é iniciada quando a função de cópia requeridahouver sido selecionada e a tecla [OK]/[CHANGEDATA] houver sido pressionada. O andamentoda cópia é indicado no display.

007 LCP copy

(LCP COPY)

Valor:✭ No copying (NO COPY) [0]

Upload all parameters (UPL. ALL PAR.) [1]Download all parameters (DWNL. ALL PAR.) [2]Download size-independent parameters(DWNL.OUTPIND.PAR.) [3]

Funcão:O paràmetro 007 LCP copy é usado quando vocêdeseja usar a função de cópia integral do painelde controle LCP 2. Esta função é usada quandovocê deseja copiar todas as configurações dosparàmetros de um conversor de freqüência para ooutro, movendo o painel de controle LCP 2.

Descricão da selecão:Selecione Upload all parameters [1] para transferirtodos os valores de paràmetros para o painel decontrole. Selecione Download all parameters [2],se todos os valores de paràmetros transferidosprecisarem ser copiados para o conversor defreqüência ao qual o painel de controle está conectado.Selecione Download size-independent par. [3], paracopiar somente os paràmetros independentes dotamanho. É usado ao copiar para um conversor defreqüência de potência nominal diferente da potênciade origem da configuração dos paràmetros.

NOTA!:A transferência/cópia só pode ser realizadano modo de parada. A cópia só pode serrealizada para um conversor de freqüência com

o mesmo número de versão do software. Consulteo paràmetro 626 Database identification no.

008 Escala da freqüência de saída no display

(FREQUENCY SCALE)

Valor:0.01 - 100.00 ✭ 1.00

Funcão:Neste parâmetro é selecionado o fator pelo quala freqüência de saída deve ser multiplicada. Ovalor é exibido na tela, desde que os parâmetros009-012 Leitura no display tenham sido configuradospara Freqüência de saída x escala [5].

Descricão da selecão:Configurar o fator de escala desejado.

009 Large display readout

(DISPLAY LINE 2)

Valor:Nenhuma saída (NENHUMA) [0]Referência resultante [%](REFERENCE [%]) [1]Referência resultante [unidade](REFERÊNCIA [UNIDADE]) [2]Feedback [unidade] (FEEDBACK [UNIDADE]) [3]

✭ Freqüência [Hz] (FREQÜÊNCIA [HZ]) [4]Freqüência de saída x escala(FREQUENCY X SCALE) [5]Corrente do motor [A](CORRENTE DO MOTOR [A]) [6]Torque [%] (TORQUE [%]) [7]Potência [kW] (POTÊNCIA [KW]) [8]Potência [HP] (POTÊNCIA [HP][US]) [9]Voltagem do motor [V](VOLTAGEM DO MOTOR [V]) [11]Tensão de ligação CC [V](TENSÃO DE LIGAÇÃO CC [V]) [12]Carga térmica no motor [%](TEMPERATURA DO MOTOR [%]) [13]Carga térmica [%](FC. THERMAL[%]) [14]Horas de funcionamento [Horas](RUNNING HOURS]) [15]Entrada digital [Bin](ENTRADA DIGITAL [BIN])

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss60

Page 61: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Pro

gram

ação

[16]Entrada analógica 53 [V](ENTRADA ANALÓGICA 53 [V]) [17]Entrada analógica 60 [mA](ENTRADA ANALÓGICA 60 [MA]) [19]Referência por pulso [Hz](REF. POR PULSO [HZ]) [20]Referência externa [%](REF. EXTERNA [%]) [21]Palavra de estado [Hex](PALAVRA DE ESTADO [HEX]) [22]Temperatura do dissipador de calor [°C](TEMP. DO DISSIPADOR DE CALOR [°C]) [25]Palavra de alarme [Hex](PALAVRA DE ALARME [HEX]) [26]Palavra de controle [Hex](PALAVRA DE CONTROLE [HEX]) [27]Palavra de advertência [Hex](PALAVRA DE ADVERTÊNCIA [HEX]) [28]Palavra de estado estendida [Hex](ESTADO EST. [HEX]) [29]Advertência de cartão de opção de

comunicação (COMM OPT WARN [HEX]) [30]Contador de pulsos(PULSE COUNTER) [31]

Funcão:Neste paràmetro você pode selecionar o valor dosdados que deseja exibir na linha 2 do display daunidade de controle LCP, quando o conversor defreqüência estiver ligado. O display também seráincluído na barra de rolagem no modo Display. Nosparàmetros 010-012 Leitura do display, você aindapode selecionar mais três valores de dados, queserão exibidos na linha 1 do display.

Descricão da selecão:Sem leitura só pode ser selecionado nos paràmetros010-012 Leitura pequena no display.

Referência resultante [%] dá, em porcentagem, areferência resultante no intervalo de Referência mínima,Ref.MIN até a referência Máxima, Ref.MAX.

Referência [unidade] dá a referência resultantena unidade Hz em Malha aberta. Em Malhafechada, a unidade de referência é selecionada noparàmetro 416 Unidades de processo.

Feedback [unidade] dá o valor resultante do sinalusando a unidade/escala selecionada no paràmetro414 Feedback mínimo, FBLOW, 415 Feedback máximo,FBHIGH e 416 Unidades de processo.

Freqüência [Hz] dá a freqüência de saída doconversor de freqüência.

Freqüência x escala de saída [-] corresponde âfreqüência de saída atual fM multiplicada pelofator definido no paràmetro 008 Escala dafreqüência de saída no display.

Corrente do motor [A] dá a corrente de fase domotor medida como valor eficaz.

Torque [%] indica a carga atual do motor comrelação ao torque nominal do motor.

Potência [kW] dá a potência atual que o motorestá absorvendo em kW.

Potência [HP] dá a potência atual que o motorestá absorvendo em HP.

Tensão do motor [V] dá a tensão fornecida ao motor.

Tensão de ligação CC [V] dá a tensão do circuitointermediário do conversor de freqüência.

Carga térmica no motor [%] dá a cargacalculada/estimada no motor. 100 % é olimite de interrupção.

Carga térmica [%] Dá a carga térmicacalculada/estimada no conversor de freqüência.100 % é o limite de interrupção.

Horas de funcionamento [Horas] dá o númerode horas de funcionamento do motor desde oúltimo reset ocorrido no paràmetro 619 Reset docontador das horas de funcionamento.

Entrada digital [Código binário] dá o estado do sinaldas 5 entradas digitais (18, 19, 27, 29 e 33). Oterminal 18 corresponde ao bit da extrema esquerda.

` 0’ = sem sinal,̀ 1’ = sinal de conectado.

Entrada analógica 53 [V] dá o valor da tensãono terminal 53.

Entrada analógica 60 [mA] dá o valor dacorrente no terminal 60.

Referência por pulso [Hz] dá a referência emHz conectada ao terminal 33.

Referência externa [%] dá a soma das referênciasexternas como uma porcentagem (soma dacomunicação analógica/por pulsos/serial) nointervalo de Referência mínima, Ref.MIN até aReferência máxima, Ref.MAX.

Palavra de estado [Hex] dá uma ou váriascondições de estado em um código hexadecimal.Consulte Comunicação serial no Guia de designpara obter mais informações.

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 61

Page 62: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Temp. do dissipador de calor [°C] dá a temperaturaatual do dissipador de calor do conversor defreqüência. O limite de interrupção é 90 a 100°C,enquanto a religação ocorre a 70 ± 5°C.

Palavra de alarme [Hex] dá um ou vários alarmes emcódigo hexadecimal. Consulte Comunicação serial noGuia de design para obter mais informações.

Palavra de controle [Hex] dá a palavra de controle doconversor de freqüência. Consulte Comunicação serialno Guia de design para obter mais informações.

Palavra de aviso [Hex] dá um ou vários avisos emcódigo hexadecimal. Consulte Comunicação serial noGuia de design para obter mais informações.

Palavra de estado estendida [Hex] dá um ouvários modos de estado em código hexadecimal.Consulte Comunicação serial no Guia de designpara obter mais informações.

Advertência do cartão de opção de comunicação [Hex]dá uma palavra de advertência se houver uma falhano barramento de comunicação. Ativo somente se asopções de comunicação estiverem instaladas.Caso não haja opções de comunicação, 0Hex será exibido.

Contador de pulsos dá o número de pulsosregistrados pela unidade.

010 Leitura pequena no display 1,1

(DISPLAY LINE 1.1)

Valor:Vide o par. 009 Leitura grande no display

✭ Referência [%] [1]

Funcão:Neste parâmetro, o primeiro de três valores de dadospode ser selecionado para ser exibido no displayda unidade de controle LCP, linha 1, posição 1.Essa função é útil, por exemplo, ao configurar oregulador PID, uma vez que ela dá uma visão dasreações do processo às mudanças de referência.A leitura do display é ativada pressionando-sea tecla [DISPLAY STATUS].

Descricão da selecão:Vide o parâmetro 009 Leitura grande no display.

011 Leitura pequena no display 1,2

(DISPLAY LINE 1.2)

Valor:Vide o parâmetro 009 Leitura grande no display

✭ Corrente do motor [A][6]

Funcão:Veja a descrição funcional mostrada no parâmetro010 Leitura pequena no display.

Descricão da selecão:Vide o parâmetro 009 Leitura grande no display.

012 Leitura pequena no display 1,3

(DISPLAY LINE 1.3)

Valor:Vide o parâmetro 009 Leitura grande no display

✭ Potência [kW][8]

Funcão:Veja a descrição funcional mostrada no parâmetro010 Leitura pequena no display.

Descricão da selecão:Vide o parâmetro 009 Leitura grande no display.

013 Controle local(LOC CTRL/CONFIG.)

Valor:Local não ativo (DISABLE) [0]Controle local e malha aberta(LOC CTRL/OPEN LOOP) [1]Controle operado remotamente e malha aberta(LOC+DIG CTRL/AS P100) [2]Controle local como parâmetro 100(LOC CTRL/AS P100) [3]

✭ Controle operado remotamente como parâmetro 100(LOC+DIG CTRL/AS P100) [4]

Funcão:É aqui que a função necessária é selecionadase, no parâmetro 002 Operação local/remota,Operação local [1] tiver sido escolhida.

Descricão da selecão:Se for selecionado Local não ativo [0], não serápossível configurar uma referência através doparâmetro 003 Referência local .A fim de permitir a mudança para Local não ativo [0],o parâmetro 002 Operação local/remota deve estarconfigurado como Operação remota [0].

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss62

Page 63: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Pro

gram

ação

Controle local e malha aberta [1] é usado se avelocidade do motor tiver que ser configurada atravésdo parâmetro 003 Referência local. Quando estaescolha é feita, o parâmetro 100 Configuraçãoautomaticamente passa para Regulação develocidade, malha aberta [0].

Controle operado remotamente e malha aberta[2] funcionam da mesma forma que Controlelocal e malha aberta [1]; entretanto, o conversorde freqüência também pode ser controladoatravés das entradas digitais.

Controle local como parâmetro 100 [3] é usado quandoa velocidade do motor tiver que ser configuradaatravés do parâmetro 003 Referência local, mas sem oparâmetro 100 Configuração passar automaticamentepara Regulação de velocidade, malha aberta [0].

Controle operado remotamente como parâmetro100 [4] funciona da mesma forma que Controlelocal como parâmetro 100 [3]; entretanto, oconversor de freqüência pode ser controladotambém através das entradas digitais.

Alternar de Operação remota para Operaçãolocal no parâmetro 002 Operação local/remota,quando este parâmetro tiver sido configurado paraControle operado remotamente e malha aberta [1]:A freqüência atual do motor e o sentido de rotaçãoserão mantidas. Se o sentido de rotação atual nãoresponder ao sinal de reversão (referência negativa),a referência será configurada como 0.

Alternar de Operação local para Operação remotano parâmetro 002 Controle local/remoto, quandoeste parâmetro tiver sido configurado comoControle operado remotamente e malha aberta[1]: A configuração selecionada no parâmetro 100Configuração ficará ativa. A transição será suave.

Alternar de Controle remoto para Controle localno parâmetro 002 Operação local/remota, quandoeste parâmetro tiver sido configurado para Controleoperado remotamente como parâmetro 100 [4]: areferência atual será mantida. Se o sinal de referênciafor negativo, a referência local será configurada para 0.

Alternar de Operação local para Operação remotano parâmetro 002 Operação local/remota, quandoeste parâmetro tiver sido configurado para Operaçãoremota: A referência local será substituída pelo sinalde referência operado remotamente.

014 Parada local(LOCAL STOP)

Valor:Não ativa (DISABLE) [0]

✭ Ativa (ENABLE) [1]

Funcão:Neste parâmetro, a tecla local [STOP] pode serativada ou desativada no painel de controle eno painel de controle LCP.

Descricão da selecão:Se Não ativa [0] for selecionada neste parânetro,a tecla [STOP] ficará desativada.

NOTA!:Se Não ativa [0] for selecionada, o motor nãopoderá ser parado através da tecla [STOP].

015 Jog local

(LOCAL JOGGING)

Valor:✭ Não ativa (DISABLE) [0]

Ativa (ENABLE) [1]

Funcão:Neste parâmetro, a função jog no painel de contorleLCP pode ser ativada/desativada.

Descricão da selecão:Se Não ativa [0] for selecionado neste parâmetro,a tecla [JOG] ficará desativada.

016 Reversão local(LOCAL REVERSING)

Valor:✭ Não ativa (DISABLE) [0]

Ativa (ENABLE) [1]

Funcão:Neste parâmetro você pode selecionar/desselecionara função de reversão no painel de controle LCP.A tecla só pode ser usada se o parâmetro 002Operação local/remota estiver configurado comoOperação local [1] e se o parâmetro 013 Controlelocal como Controle local, malha aberta [1] ouControle local como parâmetro 100 [3].

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 63

Page 64: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Descricão da selecão:Se Desativar [0] houver sido selecionado nesteparâmetro, a tecla [FWD/REV] será desativada. Vejatambém o parâmetro 200 Gama da freqüência de saída.

017 Inicialização local

(LOCAL RESET)

Valor:Não ativa (DISABLE) [0]

✭ Ativa (ENABLE) [1]

Funcão:Neste parâmetro, a função de reinicialização do painelde controle pode ser ativada/desativada.

Descricão da selecão:Se Não ativa [0] for selecionado neste parâmetro,a função de reinicialização ficará inativa.

NOTA!:Selecione Não ativa [0], apenas se um sinalexterno de reinicialização tiver sido conectadoatravés das entradas digitais.

018 Travar contra alteração dos dados

(DATA CHANGE LOCK)

Valor:✭ Destravado (NOT LOCKED) [0]

Travado (LOCKED) [1]

Funcão:Neste parâmetro, é possível ’travar’ os controlespara desabilitar alterações de dados atravésdas teclas de controle.

Descricão da selecão:Se Travado [1] for selecionado, as alterações dedados nos parâmetros não poderão ser feitas; noentanto, ainda será possível fazer alterações dedados através da comunicação serial. O Parâmetro009-012 Dispositivo de saída de dados pode seralterado via painel de controle.

019 Modo de operação na operação localde alimentação

(POWER UP ACTION)

Valor:Reinicialização automática, use referência

gravada (AUTO RESTART) [0]✭ Parada forçada, use referência gravada

(LOCAL=STOP) [1]

Parada forçada, defina referência como 0(LOCAL=STOP, REF=0) [2]

Funcão:Configuração do modo de operação necessário quandoa voltagem da rede elétrica é conectada. Esta funçãosó pode ficar ativa se Operação local [1] tiver sidoselecionada no parâmetro 002 Operação local/remota.

Descricão da selecão:Reinicialização automática, use ref. gravada [0] éselecionado se o conversor de freqüência tiver quecomeçar usando a referência local (configurada noparâmetro 003 Referência local) e o estado de start/stopdado através das teclas de controle imediatamenteantes da queda do fornecimento de energia elétrica.Parada forçada, use ref. gravada [1] é selecionadose o conversor de freqüência tiver que permanecerparado quando a rede elétrica estiver ativada,até que a tecla [START] seja ativada. Depois deum comando de partida, a velocidade do motoré aumentada até o valor da referência gravadano parâmetro 003 Referência local.Parada forçada, defina referência como 0 [2] éselecionado se o conversor de freqüência tiverque ficar parado quando a voltagem da redeelétrica for restabelecida. O parâmetro 003Referência local deve ser zerado.

NOTA!:Na operação remota (parâmetro 002 Operaçãolocal/remota) o estado partida/paradano momento da conexão à rede elétrica

dependerá dos sinais de controle externos. Sefor selecionado Pulso de partida [8] no parâmetro302 Entrada digital, o motor permanecerá paradoapós a conexão à rede elétrica.

020 Travar para modo Manual

(LOCK HAND MODE)

Valor:✭ Not active (DISABLE) [0]

Active (ENABLE) [1]

Funcão:Neste paràmetro é possível selecionar se deve serpossível alternar ou não entre o modo Automáticoe o Manual. No modo Automático o conversorde freqüência é controlado por sinais externos,enquanto no modo Manual ele é controladoatravés de uma referência local diretamente apartir da unidade de controle.

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss64

Page 65: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Pro

gram

ação

Descricão da selecão:Se Not active [0] for selecionado neste paràmetro,o modo Manual ficará inativo. Se Active [1] forselecionado, você poderá alternar entre o modoAutomático e o Manual. Consulte a seção Unidadede controle para obter outras informações.

024 Userdefined Quick Menu(USER QUICKMENU)

Valor:✭ Not active (DISABLE) [0]

Active (ENABLE) [1]

Funcão:Neste paràmetro você pode optar pela configuraçãopadrão da tecla Quick menu no painel de controlee no painel de controle LCP 2.Usando esta função, no paràmetro 025 QuickMenu setup o usuário pode selecionar até 20paràmetros para a tecla Quick Menu.

Descricão da selecão:Se not active [0] for selecionado, a configuraçãopadrão da tecla Quick Menu estará ativa.Se Active [1] for selecionado, o Quick Menudefinido pelo usuário estará ativo.

025 Quick Menu setup

(QUICK MENU SETUP)

Valor:[Index 1 - 20] Valor: 0 - 999 ✭ 000

Funcão:Neste paràmetro você define os paràmetrosnecessários para o Quick Menu, quando oparàmetro 024 User-defined Quick Menu estiverprogramado para Active [1].́Até 20 paràmetros podem ser selecionados parao Quick Menu definido pelo usuário.

NOTA!:Observe que este paràmetro só pode serprogramado usando-se um painel de controleLCP 2. Consulte Formulário de pedido.

Descricão da selecão:O Quick Menu é configurado da seguinte forma:1. Selecione o paràmetro 025 Quick Menu setup

e pressione [CHANGE DATA].2. Index 1 indica o primeiro paràmetro no Quick

Menu. Role os números do índice usando asteclas [+ / -]. Selecione Index 1.

3. Usando [< >] você pode rolar entre os trêsnúmeros. Pressione a tecla [<] uma vez e oúltimo dígito do número do paràmetro podeser selecionado usando as teclas [+ / -].Defina o Index 1 a 100 para o paràmetro100 Configuration.

4. Pressione [OK] quando Index 1 tiver sidodefinido como 100.

5. Repita as etapas 2 a 4 até que todos osparàmetros obrigatórios tenham sido definidospara a tecla Quick Menu.

6. Pressione [OK] para concluir a configuraçãodo Quick Menu.

Se o paràmetro 100 Configuration for selecionadono Index 1, o Quick Menu será iniciado com esseparàmetro sempre que o Quick Menu for ativado.

Observe que o paràmetro 024 User-definedQuick Menu e o paràmetro 025 Quick Menusetup são reinicializados para a programação defábrica durante a inicialização.

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 65

Page 66: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

■ Carga e motor

■ ConfiguraçãoA escolha da configuração e das característicasdo torque tem um efeito sobre os parâmetros quepodem ser vistos no display. Se Malha aberta [0]for selecionado, todos os parâmetros relacionadosà regulação PID serão filtrados. Isto significa que ousuário só vê os parâmetros que forem relevantespara uma determinada aplicação.

100 Configuração

(CONFIGURAÇÃO)

Valor:✭ Controle de velocidade, malha aberta

(SPEED OPEN LOOP) [0]Controle de velocidade, malha fechada(SPEED CLOSED LOOP) [1]Controle de processo, malha fechada(PROCESS CLOSED LOOP) [3]

Funcão:Este parâmetro é utilizado para selecionar aconfiguração para a qual o conversor de freqüênciadeve ser adaptado. Isto simplifica a adaptação parauma determinada aplicação, porque os parâmetrosque não forem utilizados na configuração em questãoestarão sombreados (não ativos).

Descricão da selecão:Caso Controle de velocidade, malha aberta [0]for selecionado, é obtido controle de velocidadenormal (sem sinal de feedback) com compensaçãoautomática de carga e de escorregamentopara garantir uma velocidade constante comcargas variadas. As compensações estão ativas,mas podem ser desativadas no parâmetro 134LOAD COMPENSATION e parâmetro 136 SLIPCOMPENSATION conforme necessário.

Se Controle de velocidade, malha fechada [1] forselecionado, é obtida melhor precisão de velocidade.Um sinal de feedback deve ser adicionado eo regulador PID deve ser definido no grupo deparâmetros 400 Funções especiais.

Caso Controle do processo, malha fechada [3]seja selecionado, o regulador interno de processoserá ativado, permitindo o controle preciso de umprocesso em relação a um determinadodado sinal deprocesso. O sinal de processo pode ser programadona unidade do processo em questão ou como umaporcentagem. Deve ser adicionado um sinal de

feedback do processo e o regulador de processodeve ser programado no grupo de parâmetros400 Funções especiais. Processo, malha fechadanão estará ativo se uma placa DeviceNet estivermontada e a instância 20/70 ou 21/71 for escolhidano parâmetro 904 Tipos de instâncias.

101 Características do torque

(TORQUE CHARACT)

Valor:✭ Torque constante

(TORQUE CONSTANTE) [1]Torque variável baixo(TORQUE: LOW) [2]Torque variável médio(TORQUE: MED) [3]Torque variável alto(TORQUE: HIGH) [4]Torque variável baixo com torque de partida(VT LOW CT START) [5]Torque variável médio com torque de partida(VT MED CT START) [6]Torque variável alto com torque de partida(VT HIGH CT START) [7]Modo especial do motor(SPECIAL MOTOR MODE) [8]

CT = Torque constante

Funcão:Este parâmetro permite a escolha do princípio deadaptação das características U/f do conversorde freqüência para a característica do torque dacarga. Vide par. 135 Relação U/f.

Descricão da selecão:Caso Torque constante [1] seja selecionado, umacaracterística U/f dependente da carga é obtida, naqual a tensão de saída e a freqüência de saída sãoaumentadas no caso de aumento das cargas, demodo a manter constante a magnetização do motor.

Selecione Torque variável baixo [2], Torque variávelmédio [3] ou Torque variável alto [4], se a carga forvariável (bombas centrífugas, ventiladores).Torque variável - baixo com torque de partida [5], -médio com torque de partida [6] ou alto com torquede partida [7], devem ser selecionados, se for exigidoum torque maior que aquele que pode ser obtido comas três primeiras características mencionadas.

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss66

Page 67: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Pro

gram

ação

NOTA!:A compensação de carga e de escorregamentonão estarão ativadas se o torque variável ou omodo especial do motor forem selecionados.

Selecione Modo especial do motor [8], se for necessárioum ajuste U/f especial que deva ser adaptado aomotor atual. Os "break points" são programados nosparâmetros 423-428 Tensão/freqüência.

NOTA!:Note que se um valor definido nos parâmetros102-106 da placa de identificação foralterado, haverá uma mudança automática

nos parâmetros 108 Resistência do estator e109 Reatância do estator.

102 Potência do motor PM,N

(MOTOR POWER)

Valor:0,25 - 22 kW ✭ Depende da unidade

Funcão:Você deve definir aqui um valor de potência [kW]PM,N, que corresponda à potência nominal do motor.A fábrica programa um valor de potência nominal[kW] PM,N, que depende do tipo de unidade.

Descricão da selecão:Selecione um valor igual ao da placa de identificaçãodo motor. As programações de um tamanhoabaixo e um tamanho acima da programaçãode fábrica são possíveis.

103 Tensão do motor UM,N

(MOTOR VOLTAGE)

Valor:Para as unidades de 200 V: 50 - 999 V ✭ 230 V

Para as unidades de 400 V: 50 - 999 V ✭ 400 V

Funcão:Aqui é configurada a tensão nominal do motor UM,N

para a ligação estrela Y ou delta .

Descricão da selecão:Selecione um valor que corresponda aos dados daplaca de identificação do motor, independente datensão de alimentação do conversor de freqüência.

104 Freqüência do motor fM,N

(MOTOR FREQUENCY)

Valor:24-1000 Hz ✭ 60 Hz

Funcão:Aqui é selecionada a freqüência nominal do motor fM,N.

Descricão da selecão:Selecione um valor que corresponda aos dadosda placa de identificação do motor.

105 Corrente do motor IM,N

(MOTOR CURRENT)

Valor:0,01 - IMAX ✭ Depende da escolha do motor

Funcão:A corrente nominal do motor IM,N faz parte dos cálculosdas características do conversor de freqüência, ouseja, do torque e da proteção térmica do motor.

Descricão da selecão:Selecione um valor que corresponda aos dados daplaca de identificação do motor. Programe a correntedo motor IM,N levando em conta se o motor estáconectado em estrela Y ou em delta .

106 Velocidade nominal do motor(MOTORNOM. SPEED)

Valor:100 - fM,N x 60 (máx. 60000 rpm)

✭ Depende do parâmetro 102 Potência do motor, PM,N

Funcão:Aqui é programado o valor que corresponde àvelocidade nominal do motor nM,N que pode servista nos dados da placa de identificação.

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 67

Page 68: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Descricão da selecão:Selecione um valor que corresponda aos dadosda placa de identificação do motor.

NOTA!:O valor máx. é igual a fM,N x 60. fM,N quedeve ser programado no parâmetro 104Freqüência do motor, fM,N.

107 Ajuste automático do motor , AMT

(AUTO MOTOR TUN.)

Valor:✭ Otimização desligada (AMT DESLIGADO) [0]

Otimização ligada (AMT START) [2]

NOTA!:O AMT não é possível no VLT 2880-2882

Funcão:O ajuste automático do motor é um algoritmoque mede a resistência do estator RS sem queo eixo do motor gire. Isto significa que o motornão está aplicando qualquer torque.O AMT pode ser usado de forma benéfica nainicialização das unidades quando os usuáriosdesejam otimizar o ajuste do conversor de freqüênciano motor que está sendo usado. É usadoparticularmente quando a programação de fábricanão abrange suficientemente o motor.

Para obter-se o melhor ajuste possível do conversorde freqüência, recomenda-se que o AMT sejarealizado em um motor frio. Deve-se observar queas repetidas execuções do AMT podem causarum aquecimento do motor, resultando em umaumento na resistência do estator RS. Via de regra,no entanto, isso não é um problema.

O AMT é realizado da seguinte forma:

Iniciar o AMT:1. Dar um sinal STOP.2. O paràmetro 107 Ajuste automático do motor é

configurado no valor [2] Otimização ligada.3. É dado um sinal START e o paràmetro 107 Ajuste

automático do motor será reinicializado para [0]quando o AMT tiver sido concluído.

Concluir o AMT:O AMT é concluído dando-se um sinal RESET.O paràmetro 108 Resistência do estator, Rs éatualizado com o valor otimizado.

Interrompendo o AMT:O AMT pode ser interrompido durante o procedimentode otimização, dando-se um sinal STOP.

Ao usar a função AMT, os seguintes pontosdevem ser observados:- Para que o AMT possa definir o melhor possível

os paràmetros do motor, devem ser digitadosnos paràmetros 102 a 106 os dados corretosda placa de identificação do motor conectadoao conversor de freqüência.

- Aparecerão alarmes no display, caso surjamfalhas durante o ajuste do motor.

- Via de regra, a função AMT poderá medir osvalores RS dos motores que são 1 a 2 vezesmaiores ou menores do que o tamanho nominaldo conversor de freqüência.

- Para interromper o ajuste automático do motor,pressione a tecla [STOP/RESET].

NOTA!:O AMT não pode ser realizado em motoresconectados em paralelo, nem podem serfeitas alterações na configuração enquanto

o AMT estiver sendo realizado.O procedimento de AMT controlado a partir do SLCP:Consulte a seção Unidade de controle.

Descricão da selecão:Selecione Otimização ligada [2] para que o conversorde freqüência realize um ajuste automático do motor.

108 Resistência do estator RS

(STATOR RESISTAN)

Valor:0,000 - X,XXX

✭ Depende da escolha do motor

Funcão:Depois de programar os parâmetros 102-106 Dadosda placa de identificação, uma série de ajustes devários parâmetros é automaticamente efetuada,inclusive para a resistência do estator RS. Um RS

manualmente introduzido deve ser aplicado a um motorfrio. O desempenho no eixo pode ser melhorado comum ajuste fino de RS e XS, vide o procedimento abaixo.

NOTA!:Parâmetros 108 Resistência do estator RS e109 Reatância do estator XS não devem sernormalmente alterados se os dados da placa

de identificação houverem sido programados.

Descricão da selecão:RS pode ser programado da seguinte forma:

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss68

Page 69: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Pro

gram

ação

1. Utilize a programação de fábrica de RS que opróprio conversor de freqüência escolhe com basenos dados da placa de identificação do motor

2. O valor é definido pelo fornecedor do motor.3. O valor é obtido através de medição manual:

RS pode ser calculado medindo a resistênciaRPHASE-PHASE entre dois bornes de fase. OndeRPHASE-PHASE é menor que 1-2 Ohms (normalmentepara motores > 5,5 kW, 400 V), deverá ser utilizadoum ohmímetro especial (ponte de Thomson ousimilar). RS = 0,5 x RPHASE-PHASE.

4. RS é automaticamente definido quando oAMT for completado. Vide parâmetro 107Adaptação automática do motor.

109 Reatância do estator XS

(STATOR REACTANCE)

Valor:0.00 - X,XX

✭ Depende da escolha do motor

Funcão:Depois de programar os parâmetros 102-106 Dadosda placa de identificação, uma série de ajustes devários parâmetros é automaticamente efetuada,inclusive para a reatância do estator XS. O desempenhono eixo pode ser melhorado com um ajuste fino deRS e XS, vide o procedimento abaixo.

Descricão da selecão:XS pode ser programado da seguinte forma:

1. O valor é definido pelo fornecedor do motor.2. O valor é obtido através de medições manuais

XS é obtido ligando o motor à rede elétricae medindo a tensão de fase a fase UM bemcomo a corrente neutra .

3. Utilize a programação de fábrica de XS que opróprio conversor de freqüência escolhe com basenos dados da placa de identificação do motor.

117 Amortecimento de ressonância(RESONANCE DAMPING)

Valor:OFF - 100% [OFF - 100]

✭ OFF %. [OFF]

Funcão:O amortecimento de ressonância pode serotimizado no modo CT. O grau de influênciaé ajustado neste parâmetro.

O valor pode ser definido entre 0% (OFF) e 100%.100% corresponde a 50% de redução na relação U/f.O valor padrão é OFF.

Ajustes internos (fixos):O filtro de ressonância fica ativo quando atinge ousupera 10% da velocidade nominal.Nesse caso, 5Hz ou acima.Velocidade para o nível de fluxo ir de 0 anominal: 500 msVelocidade para o fluxo de nível ir de nominal a 0: 500ms

Descrição de funcionalidade:O filtro monitora a corrente do motor ativo e altera atensão do motor de acordo com a figura abaixo. O filtroreage em níveis em relação à corrente nominal do motor.

Se a corrente do motor ativo estiver abaixo de 10%,a tensão do motor será diminuída pela velocidademencionada acima até que atinja a definição doparâmetro 117. Se a corrente do motor ativo passarde 20%, a tensão será aumentada pela velocidademencionada acima. Se a corrente do motor ativoatingir 40%, a tensão do motor será aumentadaimediatamente para seu nível normal.A redução na tensão do motor depende dadefinição do parâmetro 117.

Descricão da selecão:Ajuste o grau de influência da corrente do motor[Imact] na relação U/F entre 0% (OFF) e 100%.100% corresponde a 50% de redução na relaçãoU/f. O valor padrão é OFF.

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 69

Page 70: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

119 Alto torque de partida

(HIGH START TORQ.)

Valor:0,0 - 0,5 seg ✭ 0,0 seg

Funcão:Para assegurar um alto torque de partida é permitidoum valor de aprox. 1.8 x IINV. durante um máximo de0,5 seg. A corrente, no entanto, está limitada pelo limitede segurança do (inversor do) conversor de freqüência.0 seg corresponde a nenhum alto torque de partida.

Descricão da selecão:Defina durante quanto tempo é necessárioum alto torque de partida.

120 Retardo da partida

(START DELAY)

Valor:0,0 - 10,0 seg. ✭ 0,0 seg.

Funcão:Este parâmetro ativa um retardo no tempo dapartida depois que as condições da partidahouverem sido satisfeitas. Quando o tempo houvertranscorrido, a freqüência de saída começará aacelerar até atingir a referência.

Descricão da selecão:Programe o tempo necessário antes de iniciara aceleração.

121 Função da partida

(START FUNCTION)

Valor:Retenção CC durante o tempo de retardo da partida(DC HOLD/DELAY TIME) [0]Freio CC durante o tempo de retardo da partida(DC BRAKE/DELAY TIME) [1]

✭ Movimento por inércia durante o tempo deretardo da partida (COAST/DELAY TIME) [2]Freqüência/tensão de partida no sentido horário(CLOCKWISE OPERATION) [3]Freqüência/tensão de partida na sentido da

referência (VERTICAL OPERATION) [4]

Funcão:Aqui é selecionado o estado desejado durante o retardoda partida (parâmetro 120 Tempo de retardo da partida).

Descricão da selecão:Selecione Retenção CC durante o tempo deretardo da partida [0] para energizar o motor comuma tensão de retenção CC durante o tempode retardo da partida. Programe a tensão noparâmetro 137 Tensão de retenção CC.

Escolha Freio CC durante o tempo de retardo da partida[1] para energizar o motor com uma tensão de freio CCdurante o tempo de retardo da partida. Programe atensão no parâmetro 132 Tensão do freio CC.

Escolha Movimento por inércia durante o tempo deretardo da partida [2] e o motor não será controladopelo conversor de freqüência durante o tempo deretardo da partida (inversor desligado).

Escolha Freqüência/tensão de partida no sentidohorário [3] para obter a função descrita no parâmetro130 Freqüência de partida e 131 Tensão de partidadurante o tempo de retado da partida.Independente do valor assumido pelo sinal dereferência, a freqüência de saída iguala-se àprogramação do parâmetro 130 Freqüência de partidae a tensão de saída corresponderá à programação doparâmetro 131 Tensão de partida. Esta funcionalidadeé normalmente utilizada em aplicações comguindastes. Ela é usada especialmente em aplicaçõesde motores com armação em cone, em que o sentidoda rotação deve iniciar no sentido horário, seguidapela rotação no sentido da referência.

Selecione Freqüência/tensão de partida na direçãoda referência [4] para obter a função descrita noparâmetro 130 Freqüência de partida e 131 Tensão departida durante o tempo de retardo da partida.A direção da rotação do motor seguirá sempre nadireção da referência. Se o sinal de referência for igual azero, a freqüência de saída será igual a 0 Hz, enquantoque a tensão de saída corresponderá à programaçãodo parâmetro 131 Tensão de partida. Se o sinal dereferência for diferente de zero, a freqüência de saídaserá igual ao parâmetro 130 Freqüência de partida e atensão de saída será igual ao parâmetro 131 Tensãode partida. Esta funcionalidade é normalmente usadaem aplicações de guindastes com contra-peso. Ela éusada especialmente em aplicações de motores comarmação em cone. O motor com armação em conepode se partir pelo uso do parâmetro 130 Freqüênciade partida e do parâmetro 131 Tensão de partida.

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss70

Page 71: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Pro

gram

ação

122 Função na parada

(FUNCTION AT STOP)

Valor:✭ Movimento por inércia (COAST) [0]

Retenção CC (DC HOLD) [1]

Funcão:Aqui é possível selecionar a função do conversorde freqüência após a freqüência de saída ter caídopara um valor inferior ao valor do parâmetro 123Freqüência mínima para ativação da função naparada ou após um comando de parada ou quandoa freqüência de saída houver caído para 0 Hz.

Descricão da selecão:Selecione Movimento por inércia [0] se o conversor defreqüência tiver que ’soltar’ o motor (inversor desligado).

Selecione Retenção CC [1] se o parâmetro 137 Tensãode retenção CC tiver que ser ativado.

123 Freqüência mínima para ativar afunção na parada

(MIN.F.FUNC.STOP)

Valor:0,1 - 10 Hz ✭ 0,1 Hz

Funcão:Este parâmetro define a freqüência na qual afunção selecionada no parâmetro 122 Funçãona parada deve ser ativada.

Descricão da selecão:Defina a freqüência desejada de saída.

■ Frenagem CCDurante a frenagem CC, uma tensão contínua éfornecida ao motor e isso fará com que o eixo sejaparado completamente. No parâmetro 132 TensãoCC de freio a tensão de frenagem CC pode serpré-ajustada de 0-100%. Máx. A tensão de freio CCdepende dos dados selecionados do motor.No parâmetro 126 Tempo de frenagem CC o tempode frenagem CC é determinado e no parâmetro 127Freqüência de ativação da frenagem CC é selecionadaa freqüência na qual a frenagem CC torna-se ativa. Seuma entrada digital for programada para FrenagemCC inversa [5] e ela mudar do estado lógico ’1’ para oestado lógico ’0’, a frenagem CC será ativada. Quandoum comando de parada for ativado, a frenagemCC será ativada quando a freqüência de saída formenor que a freqüência de reativação.

NOTA!:A frenagem CC não pode ser usada se ainércia no eixo do motor for mais de 20 vezessuperior à inércia interna do motor.

126 Tempo de frenagem CC

(DC BRAKING TIME)

Valor:0 - 60 seg. ✭ 10 seg

Funcão:Este parâmetro define o tempo de frenagem CCno qual o parâmetro 132 Tensão de frenagemCC deve ser ativado.

Descricão da selecão:Programe o tempo desejado.

127 Freqüência de ativação para o freio DC

(DC BRAKE CUT-IN)

Valor:0.0 (OFF) - par. 202 Limite máximo dafreqüência de saída, fMAX ✭ OFF

Funcão:Neste parâmetro, é ajustado uma freqüênciade ativação para o freio DC, o qual deve estarligado a um comando de parada.

Descricão da selecão:Ajuste a frequencia desejada..

128 Proteção térmica do motor

(MOT.THERM PROTEC)

Valor:✭ No protection (NO PROTECTION) [0]

Advertência do termistor(THERMISTOR WARN) [1]Trip do termistor (THERMISTOR TRIP) [2]Advertência do ETR 1 (ETR WARNING 1) [3]Trip do ETR 1 (ETR TRIP 1) [4]Advertência do ETR 2 (ETR WARNING 2) [5]Trip do ETR 2 (ETR TRIP 2) [6]Advertência do ETR 3 (ETR WARNING 3) [7]Trip do ETR 3 (ETR TRIP 3) [8]Advertência do ETR 4 (ETR WARNING 4) [9]Trip do ETR 4 (ETR TRIP 4) [10]

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 71

Page 72: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Funcão:O conversor de freqüência pode monitorar atemperatura do motor de duas formas diferentes:

- Via termistor PTC acoplado ao m otor. O termistoré conectado entre o terminal 50 (+10V) e um dosterminais de entrada digital 18, 19, 27 ou 29.Consulte o paràmetro 300 Entradas digitais.

- Cálculo da carga térmica (ETR - Electronic ThermalRelay ), baseado na carga e no tempo atuais. Éfeita uma comparação com a corrente nominal domotor IM,N e a freqüência nominal do motor f M,N.Os cálculos levam em conta a necessidade deuma carga menor em velocidades menores devidoâ redução da ventilação interna do motor.

As funções ETR 1 a 4 só começam a calculara carga após você mudar para a Configuraçãoem que elas foram selecionadas. Isto si gnificaque você pode usar a função ETR mesmo aoalternar entre dois ou mais motores.

Descricão da selecão:Selecione No protection [0] se não desejaruma advertência ou trip quando o motorestiver sobrecarregado.Selecione Advertência do termistor [1] se desejarreceber uma advertência quando o termistorconectado esquentar demasiadamente.Selecione Trip do termistor [2] se for necessário umtrip quando o termistor conectado esquentardemasiadamente.Selecione Adv. ETR para receber uma advertênciaquando o motor estiver sobrecarregado de acordocom os cálculos. Também é possível programaro conversor de freqüência para enviar um sinal deadvertc;ncia através da saída digital.Selecione Trip ETR se for necessário um tripquando o motor estiver sobrecarregado, deacordo com os cálculos.Selecione Advertência do ETR 1-4 se for necessáriaadvertência quando o motor estiver sobrecarregado,de acordo com os cálculos. Também é possívelprogramar o conversor de freqüência para enviarum sinal de advertência através de uma dassaídas digitais. Selecione Trip do ETR Trip 1-4se for necessário um trip quando o motor estiversobrecarregado de acordo com os cálculos.

NOTA!:Esta função não protege os motores individuaisno caso de motores ligados em paralelo.

130 Freqüência da partida

(START FREQUENCY)

Valor:0,0 - 10,0 Hz ✭ 0,0 Hz

Funcão:A freqüência da partida é ativada durante o tempoprogramado no parâmetro 120 Retardo na partida,após um comando de partida. A freqüência de saída’salta’ para o próximo valor pré-definido. Algunsmotores do tipo de rotor cônico precisam de umatensão / freqüência de partida adicional na partidade forma a desengatar o freio mecânico. Para estepropósito, utilize os parâmetros 130 Freqüênciada partida e 131 Tensão de partida.

Descricão da selecão:Programe a freqüência de partida desejada.Presume-se que o parâmetro 121 Função na partida,tenha sido programado como Freqüência/tensão departida no sentido horário [3] ou Freqüência/tensão departida na direção da referência [4] e que no parâmetro120 Retardo de partida tenha sido programado umtempo e que um sinal de referência esteja presente.

131 Tensão de partida

(INITIAL VOLTAGE)

Valor:0,0 - 200,0 V ✭ 0,0 V

Funcão:Tensão de partida está ativa durante o tempoprogramado no parâmetro 120 Retardo na partida,após um comando de partida. Este parâmetropode ser usado, por exemplo, em aplicações delevantamento/abaixamento (motores de rotor cônico).

Descricão da selecão:Programe a tensão necessária para desengatar ofreio mecânico. Presume-se que o parâmetro 121Função na partida, tenha sido programado comoFreqüência/tensão de partida no sentido horário[3] ou Freqüência/tensão de partida na direção dareferência [4] e que no parâmetro 120 Retardo departida tenha sido programado um tempo e queum sinal de referência esteja presente.

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss72

Page 73: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Pro

gram

ação

132 Tensão de frenagem CC

(DC BRAKE VOLTAGE)

Valor:0 - 100% da tensão máx. de frenagem CC ✭ 0

Funcão:Este parâmetro é utilizado para programar a tensãode frenagem CC que deve ser ativada na paradaquando a freqüência de frenagem CC programada noparâmetro 127 Freqüência de ativação da frenagemCC for alcançada ou se Frenagem CC inversa forativado através de uma entrada digital ou de umacomunicação serial. A partir daí, a tensão de frenagemCC estará ativa durante o tempo programado noparâmetro 126 Tempo de frenagem CC.

Descricão da selecão:Para ser programado como um valor percentualda tensão máxima de frenagem CC, quedepende do motor.

133 Tensão de partida

(START VOLTAGE)

Valor:0,00 - 100,00 V ✭ Depende da unidade

Funcão:É possível obter-se um torque maior de partida,aumentando-se a tensão da partida. Os motorespequenos (< 1,0 kW) normalmente requeremuma tensão de partida alta.

Descricão da selecão:O valor é selecionado prestando-se atenção aofato de que a partida do motor com a cargaatual é pouco provável.

Advertência: Se houver exagero no usoda tensão de partida, isto pode levara um excesso de energização e a um

superaquecimento do motor e o conversor defreqüência pode parar de funcionar.

134 Compensação de carga

(LOAD COMPENSATIO)

Valor:0,0 - 300,0% ✭ 100,0%

Funcão:Neste parâmetro é programada a característicada carga. Pelo aumento da compensação decarga, o motor recebe um suplemento adicionalde tensão e freqüência em valores crescentes decarga. Usado em motores/aplicações em que háuma grande diferença entre a corrente de carga totale a corrente de carga neutra do motor.

NOTA!:Se o valor programado for alto demais,o conversor de freqüência pode parar defuncionar por causa da sobrecorrente.

Descricão da selecão:Se a programação de fábrica não for adequada,a compensação de carga deve ser programadapara permitir que o motor parta com aqueladeterminada carga.

Advertência: Uma compensação decarga demasiadamente alta pode levara uma instabilidade.

135 Relação U/f

(U/F RATIO)

Valor:0,00 - 20,00 em Hz ✭ Depende da unidade

Funcão:Este parâmetro permite mudanças na relação entrea tensão de saída (U) e a freqüência de saída (f) demodo linear, de forma a garantir a correta energizaçãodo motor, garantindo portanto a dinâmica, precisão eeficiência ideais. A relação U/f só afeta a característicada tensão caso tenha sido selecionado Torqueconstante [1] parâmetro 101 Característica do torque.

Descricão da selecão:A relação U/f só deve ser modificada se não for possívelprogramar os dados corretos do motor no parâmetro102-109. O valor programado na configuração defábrica é baseado na operação normal.

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 73

Page 74: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

136 Compensação de escorregamento

(SLIP COMP.)

Valor:-500 - +500% da compen-sação nominal de escorregamento

✭ 100%

Funcão:A compensação de escorregamento é calculadaautomaticamente, com base na velocidade nominaldo motor nM,N. Neste parâmetro, a compensação deescorregamento pode ser ajustada, compensando,portanto, as tolerâncias no valor de n M,N. Acompensação de escorregamento só estará ativa sefor selecionada Regulaçãode velocidade, malha aberta[0] no parâmetro Configuração e Torque constante[1] no parâmetro 101 Característica do torque.

Descricão da selecão:Digite um valor de %.

137 Tensão de retenção CC

(DC HOLD VOLTAGE)

Valor:0 - 100% da tensão máx. de retenção CC ✭ 0%

Funcão:Este parâmetro é utilizado para manter o motor(torque de retenção) em partida/parada.

Descricão da selecão:Este parâmetro só pode ser utilizado se for selecionadoRetenção CC no parâmetro 121 Função da partida ou122 Função na parada. Para ser programado comoum valor percentual da tensão máxima de retençãoCC, que depende da escolha do motor.

138 Valor de desconexão do freio(BRAKE CUT OUT)

Valor:0,5 - 132,0/1000,0 Hz ✭ 3,0 Hz

Funcão:Aqui você seleciona a freqüência na qual o freio externoé liberado, através da saída definida no parâmetro 323Relé 1-3, saída ou 341 Saída digital, terminal 46.

Descricão da selecão:Defina a freqüência desejada.

139 Freqüência de religação

(BRAKE CUT IN)

Valor:0,5 - 132,0/1000,0 Hz ✭ 3,0 Hz

Funcão:Aqui você seleciona a freqüência na qual o freioexterno está ativado; isto ocorre através da saídadefinida no parâmetro 323 Relé 1-3, saída ou341 Saída digital, terminal 46.

Descricão da selecão:Defina a freqüência desejada.

140 Corrente, valor mínimo

(CURRENT MIN VAL)

Valor:0 % do intervalo - 100 % do intervalo ✭ 0 %

Funcão:Este é o local onde o usuário seleciona a correntemínima do motor funcionando para que o freio sejaliberado. O monitoramento da corrente só fica ativodesde a parada até o ponto em que o freio é liberado.

Descricão da selecão:Esta é uma precaução adicional de segurança queobjetiva garantir que a carga não seja perdida durante oinício de uma operação de levantamento/abaixamento.

142 Reatância dispersa XL

(LEAK. REACTANCE)

Valor:0.000 - XXX,XXX

✭ Depende da escolha do motor

Funcão:Após a configuração dos parâmetros 102-106 Dadosda placa de identificação, são automaticamenterealizados os ajustes de vários parâmetros, inclusive areatância dispersa XL. O desempenho do eixo pode sermelhorado pelo ajuste fino da reatância dispersa XL.

NOTA!:Parâmetro 142 A reatância dispersa XL nãodeve ser normalmente modificada se osdados da placa de identificação houverem

sido programados, parâmetros 102-106.

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss74

Page 75: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Pro

gram

ação

Descricão da selecão:XL pode ser programado da seguinte forma:

1. O valor é definido pelo fornecedor do motor.2. Use a programação de fábrica de XL que o próprio

conversor de freqüência escolhe com base nosdados da placa de identificação do motor.

143 Controle interno do ventilador(FAN CONTROL)

Valor:✭ Automático (AUTOMATIC) [0]

Sempre ligado (ALWAYS ON) [1]Sempre desligado (ALWAYS OFF) [2]

Funcão:Este parâmetro pode ser configurado para que oventilador interno seja ligado e desligado. Vocêpode também definir o ventilador interno para estarpermanentemente ligado ou desligado.

Descricão da selecão:Se Automático [0] estiver selecionado, o ventiladorinterno será ligado ou desligado dependendoda temperatura ambiente e da carga doconversor de freqüência.Se Sempre ligado [1] ou Sempre desligado [2]estiver selecionado, o ventilador interno estarápermanentemente ligado ou desligado.

NOTA!:Se Sempre desligado [2] estiver selecionadoem combinação com uma alta freqüênciade chaveamento, cabos longos do motor

ou uma alta potência de saída, a vida útil doconversor de freqüência é reduzida.

144 Ganho do freio CA(GAIN AC BRAKE)

Valor:1,00 - 1,50 ✭ 1,30

Funcão:Este parâmetro é usado para configurar o freioCA. Usando o par. 144, é possível ajustar o valordo torque do gerador que pode ser aplicado aomotor, sem que a tensão do circuito intermediárioultrapasse o nível de advertência.

Descricão da selecão:O valor é aumentado se for necessário um torquede freio maior possível. Se for selecionado 1,0,isto corresponde a inativar o freio CA.

NOTA!:Se o valor do par. 144 for aumentado,simultaneamente aumentará a corrente domotor quando forem aplicadas cargas ao

gerador. Portanto, esse parâmetro só deve sermudado se for garantido, durante a medição,que a corrente do motor em todas as situaçõesoperacionais jamais excederá a corrente máximapermitida no motor. Observe: a corrente nãopode ser lida a partir do display.

146 Tensão de reset, Vetor

(RESET VETOR)

Valor:*Desligado (OFF) [0]Reset (RESET) [1]

Funcão:Quando o vetor de tensão é resetado, ele édefinido para o mesmo ponto de partida cada vezque começa um novo processo.

Descricão da selecão:Selecione reset (1) ao executar processos exclusivoscada vez que eles surgirem. Isto permitirá umaprecisão repetitiva ao parar para melhorar. SelecioneDesligado (0), por exemplo, para operações delevantamento/abaixamento ou de motores síncronos.É sempre vantajoso que o motor e o conversor defreqüência estejam sempre sincronizados.

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 75

Page 76: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

■ Referências e Limites

200 Freqüência de saída gama

(OUT FREQ. RNG/ROT)

Valor:✭ Somente no sentido horário, 0 - 132 Hz

(132 HZ CLOCK WISE ) [0]Ambos sentidos, 0 -132 Hz(132 HZ BOTH DIRECT) [1]Anti-clockwise only, 0 - 132 Hz(132 HZ COUNTER CLOCK) [2]Clockwise only, 0 - 1000 Hz(1000 HZ CLOCK WISE) [3]Both directions, 0 - 1000 Hz(1000 HZ BOTH DIRECT) [4]Anti-clockwise only, 0 - 1000 Hz(1000 HZ COUNTER CLOCK) [5]

Funcão:Este paràmetro garante proteção contra inversõesindesejadas. Além disso, pode ser selecionadaa freqüência máxima de saída a ser aplicadaindependentemente das programações dos outrosparàmetros. Este paràmetro não tem função seProcess regulation, closed loop tiver sido selecionadono paràmetro 100 Configuration.

Descricão da selecão:Selecione o sentido desejado da rotação, bem como afreqüencia máxima de saída. Observe que seClockwiseonly [0]/[3] ou Anti-clockwise only [2]/[5] for selecionado,a freqüência de saída ficará limitada â gama fMIN-f MAX. Se Both directions [1]/[4] for selecionado, afreqüência de saída ficará limitada ao intervalo ± f

MAX (a freqüência mínima não é significativa).

201 Limite mínimo da freqüência de saída, fMIN

(MIN OUTPUT FREQ)

Valor:0,0 - fMAX ✭ 0,0 Hz

Funcão:Neste parâmetro, pode ser selecionado um limitemínimo de freqüência do motor que correspondeà velocidade mínima na qual o motor funciona.Se ambas direções tiver sido selecionado noparâmetro 200 Gama da freqüência de saída, afreqüência mínima não será significativa.

Descricão da selecão:O valor escolhido pode variar de 0,0 Hz até afreqüência máxima selecionada no parâmetro 202Limite máximo da freqüência de saída, fMAX.

202 Limite máximo da freqüência de saída, fMAX

(MAX OUTPUT FREQ)

Valor:fMIN - 132/1000 Hz (par. 200Gama da freqüência de saída)

✭ 132 Hz

Funcão:Neste parâmetro pode ser selecionado um limitemáximo de freqüência de saída que corresponde àmaior velocidade na qual o motor funciona.

NOTA!:A freqüência de saída do conversor defreqüência jamais poderá assumir um valorsuperior a 1/10 da freqüência de chaveamento

(parâmetro 411 Freqüência de chaveamento).

Descricão da selecão:Pode ser selecionado um valor de fMIN atéo valor escolhido no parâmetro 200 Gamada freqüência de saída.

■ Tratamento das referênciasO tratamento das referências está descrito nodiagrama de blocos abaixo. O diagrama de blocosmostra como uma mudança em um parâmetropode afetar a referência resultante.

Parâmetros 203 a 205 Referência e o parâmetro214 Função de referência definem como sepode realizar o tratamento das referências. Osparâmetros mencionados podem estar ativos noscasos de malha aberta ou fechada.

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss76

Page 77: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Pro

gram

ação

As referências controladas remotamentesão definidas como:- Referências externas como, por exemplo, as

entradas analógicas 53 e 60, referências de pulso viaterminal 33 e as referências da comunicação serial.

- Referências pré-ajustadas.

A referência resultante pode ser mostrada nodisplay da unidade de controle, selecionando-seReferência [%] nos parâmetros 009-012 Leiturado display e pode ser mostrada como umaunidade selecionando-se Referência [unidade].A soma das referências externas pode ser mostradano display da unidade de controle LCP como umaporcentagem da área que vai desde Referência mínima,RefMIN até Referência máxima, RefMAX. SelecioneReferência externa, % [25] nos parâmetros 009-012Leitura do display se desejar realizar uma leitura.

É possível ter as ambas as referências e as referênciasexternas simultaneamente. No parâmetro 214Função de referência pode ser feita uma seleção paradeterminar-se como as referências pré-ajustadasdevem ser adicionadas às referências externas.

Há também uma referência local independente noparâmetro 003 Referência local, na qual a referênciaresultante é definida utilizando-se as teclas [+/-].Quando a referência local houver sido selecionada,a gama da freqüência de saída fica limitada peloparâmetro 201 Limite mínimo da freqüência desaída, fMIN e pelo parâmetro 202 Limite máximoda freqüência de saída, fMAX.

A unidade de referência local depende da seleçãodo parâmetro 100 Configuração.

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 77

Page 78: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

203 Gama de referência(REFERENCE RANGE)

Valor:✭ Referência mín -Referência máx (MIN - MAX) [0]

-Referência máx.- Referência máx.(-MAX - +MAX) [1]

Funcão:Neste parâmetro você seleciona se o sinal de referênciadeve ser positivo ou se ele pode ser tanto positivocomo negativo. O limite mínimo pode ser um valornegativo, a menos que no parâmetro 100 Configuraçãotenha sido selecionado Regulação de velocidade,malha fechada. Você deve selecionar Ref. mín. - Ref.máx. [0], se Regulação de processo, malha fechada [3]tiver sido selecionada no parâmetro 100 Configuração.

Descricão da selecão:Selecione a gama desejada.

204 Referência mínima , RefMIN

(MIN.REFERENCE)

Valor:Par. 100 Config. = Malha aberta [0].-100.000,000 - par. 205 RefMAX ✭ 0,000 Hz

Par. 100 Config. = Malha fechada [1]/[3].-Par. 414 Feedback mínimo - par. 205 RefMAX

✭ 0,000 rpm/par 416

Funcão:A referência mínima indica o valor mínimo que podeser assumido pelo soma de todas as referências.Se no parâmetro 100 Configuração, houver sidoselecionado Regulação de velocidade, malha fechada[1] ou Regulação de processo, malha fechada [3],a referência mínima será limitada pelo parâmetro414 Feedback mínimo. A referência mínima seráignorada se a referência local estiver ativa.

A unidade de referência pode ser determinadaa partir da seguinte tabela:

Par. 100 Configuração UnidadeMalha aberta [0] HzReg velocidade, malha fechada [1] rpmReg processo, malha fechada [3] Par. 416

Descricão da selecão:A referência mínima é pré-ajustada se o motortiver que funcionar a uma velocidade mínima,independente da referência resultante ser 0.

205 Referência máxima, RefMAX

(MAX.REFERENCE)

Valor:Par. 100 Config. = Malha aberta [0].Par. 204 RefMIN - 1000,000 Hz ✭ 50,000 Hz

Par. 100 Config. = Malha fechada [1]/[3].Par. 204 RefMIN - Par. 415 Feedback máximo

✭ 50,000 rpm/par 416

Funcão:A referência máxima indica uma expressão do maiorvalor que pode ser assumido pela soma de todas asreferências. Se Malha fechada [1]/[3] é selecionadano parâmetro 100 Configuração, a referênciamáxima não deve exceder o valor selecionado noparâmetro 415 Feedback máximo.A referência máxima será ignorada se areferência local estiver ativa.

A unidade de referência pode ser definida apartir da seguinte tabela:

Par. 100 Configuração UnidadeMalha aberta [0] HzReg velocidade, malha fechada [1] rpmReg processo, malha fechada [3] Par. 416

Descricão da selecão:A referência máxima será configurada se a velocidadedo motor tiver que assumir o o valor máximodefinido, independente da referência resultanteser maior que a referência máxima.

206 Tipo de rampa

(RAMP TYPE)

Valor:✭ Linear (LINEAR) [0]

Em forma de S (S-SHAPED) [1]Senoidal2 (S 2) [2]

Funcão:Você pode escolher entre um processo derampa linear, em forma S e S2.

Descricão da selecão:Selecione o tipo de rampa desejado, dependendodo processo de aceleração/desaceleração.

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss78

Page 79: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Pro

gram

ação

207 Tempo de aceleração 1

(RAMP-UP TIME 1)

Valor:0,02 - 3600,00 seg. ✭ 3,00 seg.

Funcão:O tempo de aceleração é o tempo que a freqüêncialeva para ir de 0 Hz até a freqüência nominal domotor fM,N (parâmetro 104 Freqüência do motor,fM,N). Isto pressupõe que a corrente de saída nãoatinge o limite de corrente (definido no parâmetro221 Limite de corrente ILIM).

Descricão da selecão:Programe o tempo desejado de aceleração.

208 Tempo de desaceleração 1

(RAMP DOWN TIME 1)

Valor:0,02 - 3600,00 seg. ✭ 3,00 seg.

Funcão:O tempo de desaceleração é o tempo que a freqüêncialeva para cair da freqüência nominal do motor fM,N

(parâmetro 104 Freqüência do motor, fM,N) até 0 Hz,desde que não haja sobrecarga de tensão no inversorcausada pela operação de geração do motor.

Descricão da selecão:Programe o tempo desejado de desaceleração.

209 Tempo de aceleração 2

(RAMP UP TIME 2)

Valor:0,02 - 3600,00 seg. ✭ 3,00 seg.

Funcão:Vide a descrição do parâmetro 207 Tempode aceleração 1.

Descricão da selecão:Programe o desejado tempo de aceleração. Acomutação entre a rampa 1 e a rampa 2 é efetuada pelaativação de Rampa 2 através de uma entrada digital.

210 Tempo de desaceleração 2

(RAMP DOWN TIME 2)

Valor:0,02 - 3600,00 seg. ✭ 3,00 seg.

Funcão:Vide descrição do parâmetro 208 Tempode desaceleração 1.

Descricão da selecão:Programe o tempo desejado de desaceleração. Acomutação entre a rampa 1 e a rampa 2 é efetuada pelaativação de Rampa 2 através de uma entrada digital.

211 Tempo de rampa para o jog

(JOG RAMP TIME)

Valor:0,02 - 3600,00 seg. ✭ 3,00 seg.

Funcão:O tempo de rampa para o jog é o tempo deaceleração/desaceleração de 0 Hz até a freqüêncianominal do motor fM,N (parâmetro 104 Freqüênciado motor, fM,N). Supõe-se que a corrente de saídanão atinja o limite de corrente (programado noparâmetro 221 Limite de corrente ILIM).

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 79

Page 80: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

O tempo de rampa para o jog inicia se um sinal de jogfor dado através do painel de controle LCP, de uma dasentradas digitais ou via porta de comunicação serial.

Descricão da selecão:Programe o tempo desejado de rampa.

212 Tempo de parada rápida

(Q STOP RAMP TIME)

Valor:0,02 - 3600,00 seg. ✭ 3,00 seg.

Funcão:O tempo de parada rápida é o tempo de desaceleraçãoda freqüência nominal do motor até 0 Hz, desdeque nenhuma sobrecarga de tensão ocorra noinversor por causa da operação de geração domotor ou se a corrente gerada ultrapassar o limitede corrente do parâmetro 221 Limite de correnteILIM. A parada rápida é ativada através de uma dasentradas digitais ou via comunicação serial.

Descricão da selecão:Programe o tempo desejado de desaceleração.

213 Freqüência de jog

(JOG FREQUENCY)

Valor:0,0 - Par. 202 Limite máx-imo da freqüência de saída, fMAX

✭ 10,0 Hz

Funcão:A freqüência de jog fJOG significa uma freqüência fixade saída fornecida pelo conversor de freqüência aomotor quando a função de Jog estiver ativada. O jogpode ser ativado via entradas digitais, comunicaçãoserial ou pelo painel de controle LCP, sob a condiçãode que ele esteja ativo no parâmetro 015 Jog local.

Descricão da selecão:Programe a freqüência desejada.

■ Função de referênciaO exemplo mostra como a referência resultante écalculada quando Preset references é usado junto comSum e Relative no paràmetro 214 Reference function.A fórmula para o cálculo da referência resultante podeser vista na seção Tudo sobre o VLT 2800. Consultetambém o desenho em Tratamento das referências.

Os seguintes paràmetros são predefinidos:Par. 204 Minimum reference 10 HzPar. 205 Maximum reference 50 HzPar. 215 Preset reference 15 %Par. 308 Term. 53, Analogue input ReferencePar. 309 Term. 53, min. scaling 0 VPar. 310 Term. 53, max. scaling 10 V

Quando o paràmetro 214 Reference function édefinido como Sum [0] uma das Preset references(par. 215-218) predefinidas é adicionada âs referênciasexternas como uma porcentagem da gama dereferências. Se for aplicada uma corrente naentrada analógica no terminal 53, uma tensão de4 Volts será a referência resultante:

Par. 214 Reference function = Sum [0]:Par. 204 Minimum reference 10,0 HzContribuição da referência em 4Volts

16,0 Hz

Par. 215 Preset reference 6,0 HzReferência resultante 32,0 Hz

Quando o paràmetro 214 Reference function é definidocomo Relative [1] as Preset references (par. 215-218)predefinidas são adicionadas como uma porcentagemdo total das referências externas atuais. Se for aplicadauma corrente na entrada analógica no terminal 53,uma tensão de 4 Volts será a referência resultante:

Par. 214 Reference function = Relative [1]:Par. 204 Minimum reference 10,0 HzEfeito da referirc;ncia em 4 Volts 16,0 HzPar. 215 Preset reference 2,4 HzReferência resultante 28,4 Hz

O gráfico mostra a referência resultante com relaçãoâ referência externa, que varia de 0 a 10 Volts. Oparàmetro 214 Reference function está programadopara Sum [0] e Relative [1] respectivamente. Também émostrado um gráfico em que o paràmetro 215 Presetreference 1 está; programado para 0 %.

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss80

Page 81: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Pro

gram

ação

214 Função de referência

(REF FUNCTION)

Valor:✭ Soma (SUM) [0]

Relativo (RELATIVE) [1]Externo/pré-ajustado (EXTERNAL/PRESET) [2]

Funcão:É possível definir como as referências pré-ajustadasdevem ser somadas às outras referências; para estafinalidade, use Soma ou Relativo. Além disso, tambémé possível - utilizando a função Externo/pré-ajustado -selecionar se deve ser feita uma comutação entre asreferências externas e as referências pré-ajustadas.A referência externa é o somatório das referênciasanalógicas, referências de pulso e qualquer referênciaoriunda da comunicação serial.

Descricão da selecão:Se for selecionado Soma [0], uma das referênciaspré-ajustadas (parâmetros 215-218 Referênciapré-ajustada) é sumarizada na forma de umaporcentagem da gama de referência (RefMIN - RefMAX),somada às outras referências externas.Se for selecionado Relativo [1] for selecionado, umadas referêncisa pré-ajustadas (parâmetros 215-218Referênica pré-ajustada) é sumarizada na forma de umaporcentagem da soma das atuais referências externas.Se for selecionado Externo/pré-ajustado [2], épossível via uma entrada digital comutar entrereferências externas e referências ajustadas. Asreferências pré-ajustadas são um valor percentualda gama de referência.

NOTA!:Se for selecionado Soma ou Relativo, umadas referências pré-ajustadas sempre estaráativada. Se as referências pré-ajustadas não

tiverem que ter influência, elas devem ser programadaspara 0% (como na programação de fábrica).

215 Referência pré-ajustada 1 (PRESET REF. 1)

216 Referência pré-ajustada 2 (PRESET REF. 2)

217 Referência pré-ajustada 3 (PRESET REF. 3)

218 Referência pré-ajustada 4 (PRESET REF. 4)

Valor:-100,00% - +100,00% ✭ 0,00%da gama de referência/referência externa

Funcão:Quatro diferentes referências pré-ajustadaspodem ser programadas nos parâmetros 215-218Referência pré-ajustada.A referência pré-ajustada é apresentada como umaporcentagem da gama de referência (RefMIN - RefMAX)ou como uma porcentagem das outras referênciasexternas, dependendo da seleção efetuada noparâmetro 214 Função de referência. A seleçãoentre as referências pré-ajustadas pode ser feita viaentradas digitais ou via comunicação serial.

Ref. pré-ajustada, msb

Ref. pré-ajustada lsb

0 0Ref. pré-ajustada 1

0 1Ref. pré-ajustada 2

1 0Ref. pré-ajustada 3

1 1Ref. pré-ajustada 4

Descricão da selecão:Programe a(s) referência(s) pré-ajustada(s) quedeve(m) ser as opções.

219 Referência Catch up /Slow down

(CATCH UP/SLW DWN)

Valor:0,00 - 100% da referência em questão ✭ 0

Funcão:Este parâmetro possibilita a introdução de um valorpercentual que pode ser somado ou subtraído dasreferências controladas remotamente.

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 81

Page 82: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

A referência controlada remotamente é a soma dasreferências pré-ajustadas, referências analógicas,referências de pulso e qualquer referência oriundada comunicação serial.

Descricão da selecão:Se Catch up estiver ativo mediante uma entradadigital, o valor percentual no parâmetro 219 ReferênciaCatch up/Slow down será somado ao valor dareferência controlada remotamente.Se Slow down estiver ativo mediante uma entradadigital, o valor percentual no parâmetro 219Referência Catch up/Slow down será subtraído dareferência remotamente controlada.

221 Limite de corrente , ILIM

(CURRENT LIMIT)

Valor:0 - XXX,X % de par. 105 ✭ 160 %

Funcão:Este é o local onde deve ser programada a máximacorrente de saída ILIM. O valor programado de fábricacorresponde à máxima corrente de saída IMAX. Se olimite de corrente tiver que ser usado como proteçãodo motor, programe a corrente nominal do motor.Se o limite de corrente for programado acima de100% (a corrente nominal de saída do conversorde freqüência, IINV.), o conversor de freqüência sópode lidar com uma carga intermitentemente, ouseja, durante curtos intervalos de tempo. Depois quea carga consumir mais que IINV., deve-se assegurarque durante um intervalo de tempo ela seja inferior aIINV. Note que se o limite de corrente for programadocom um valor inferior a IINV., o torque de aceleraçãoserá reduzido na mesma proporção.

Descricão da selecão:Programe a necessária corrente máxima de saída ILIM.

223 Advertência: Baixa corrente, ILOW

(WARN. CURRENT LO)

Valor:0,0 - par. 224 Advertência:Corrente alta, IHIGH

✭ 0,0 A

Funcão:Se a corrente de saída ficar abaixo do limitepré-ajustado ILOW será dada uma advertência.Os parâmetros 223-228 Funções de advertênciaestão sem função durante a aceleração após um

comando de partida e após um comando de paradaou durante a parada. As funções de advertênciasão ativadas quando a freqüência de saída houveratingido a referência resultante. As saídas de sinalpodem ser programadas para um sinal de advertênciano terminal 46 e na saída do relé.

Descricão da selecão:O limite inferior de sinal da corrente de saída ILOW

deve ser programado dentro da gama normal deoperação do conversor de freqüência.

224 Advertência: Alta corrente, IHIGH

(WARN. CURRENT HI)

Valor:Par. 223 Advert.: Baixa corrente, ILOW - IMAX ✭ IMAX

Funcão:Se a corrente de saída exceder o limite pré-ajustadoIHIGH uma advertência será dada.Os parâmetros 223-228 Funções de advertênciaficam sem função durante a aceleração após umcomando de partida e após um comando de paradaou durante a parada. As funções de advertênciasão ativadas quando a saída de freqüência houveralcançado a referência resultante. As saídas desinal podem ser programadas para dar um sinal deadvertência no terminal 46 e na saída do relé.

Descricão da selecão:O limite superior do sinal da corrente de saída IHIGH

deve ser programado dentro da gama normal deoperação do conversor de freqüência. Vide desenhono parâmetro 223 Advertência: Baixa corrente, ILOW.

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss82

Page 83: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Pro

gram

ação

225 Advertência: Baixa freqüência, fLOW

(WARN.FREQ. LOW)

Valor:0,0 - par. 226 Advert.: Freqüência alta, fHIGH✭ 0,0 Hz

Funcão:Se a freqüência de saída estiver abaixo do limitepré-ajustado fLOW, uma advertência é dada.Os parâmetros 223-228 Funções de advertênciaficam sem função durante a aceleração após umcomando de partida e após um comando de paradaou durante a parada. As funções de advertênciasão ativadas quando a saída de freqüência houveralcançado a referência resultante. As saídas desinal podem ser programadas para dar um sinal deadvertência no terminal 46 e na saída do relé.

Descricão da selecão:O limite inferior do sinal da freqüência de saída fLOW

deve ser programado dentro da gama normal deoperação do conversor de freqüência. Vide desenhono parâmetro 223 Advertência: Baixa corrente, ILOW.

226 Advertência: Alta freqüência fHIGH

(WARN.FREQ.HIGH)

Valor:Par. 200 Gama de freqüência = 0-132 Hz [0]/[1].par. 225 fLOW - 132 Hz ✭ 132,0 Hz

Par. 200 Gama de freqüência = 0-1000 Hz [2]/[3].par. 225 fLOW - 1000 Hz ✭ 132,0 Hz

Funcão:Se a freqüência de saída estiver acima do limitepré-ajustado fHIGH será dada uma advertência.Os parâmetros 223-228 Funções de advertência nãofuncionam durante a aceleração após um comandode partida e após um comando de parada ou durantea parada. As funções de advertência são ativadasquando a saída de freqüência houver alcançadoa referência resultante. As saídas de sinal podemser programadas para dar um sinal de advertênciano terminal 46 e na saída do relé.

Descricão da selecão:O limite superior do sinal da freqüência de saída fHIGH

deve ser programado dentro da gama normal deoperação do conversor de freqüência. Vide desenhono parâmetro 223 Advertência: Baixa corrente, ILOW.

227 Advertência: Baixo feedback, FBLOW

(WARN. FEEDB.LOW)

Valor:-100.000,000 - par. 228 Advert.:FBHIGH✭ -4000,000

Funcão:Se o sinal de realimentacão estiver abaixo do limitepré-ajustado FBLOW , uma advertência é dada.Os parâmetros 223-228 Funções de advertência ficamsem função durante a aceleração após um comandode partida e após um comando de parada ou durantea parada. As funções de advertência são ativadasquando a saída de freqüência houver alcançadoa referência resultante. As saídas de sinal podemser programadas para dar um sinal de advertênciano terminal 46 e na saída do relé. A unidade derealimentacão em malha fechada é programada noparâmetro 416 Unidades de processo.

Descricão da selecão:Programe o valor necessário dentro da gama derealimentacão (parâmetro 414 Feedback mínimo,FBMIN e 415 Feedback máximo, FBMAX).

228 Advertência: Alto feedback, FBHIGH

(WARN. FEEDB. HIGH)

Valor:Par. 227 Advert.: FBLOW - 100.000,000✭ 4000,000

Funcão:Se o sinal de realimentacão estiver acima do limitepré-ajustado FBHIGH, será dada uma advertência.Os parâmetros 223-228 Funções de advertência ficamsem função durante a aceleração após um comandode partida e após um comando de parada ou durantea parada. As funções de advertência são ativadasquando a saída de freqüência houver alcançadoa referência resultante. As saídas de sinal podemser programadas para dar um sinal de advertênciano terminal 46 e na saída do relé. A unidade derealimentacão em malha fechada é programada noparâmetro 416 Unidades de processo.

Descricão da selecão:Programe o valor requerido dentro da gama derealimentacão (parâmetro 414 Feedback mínimo,FBMIN e 415 Feedback máximo, FBMAX).

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 83

Page 84: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

229 Freqüência de bypass, largura de faixa

(FREQ BYPASS B.W.)

Valor:0 (OFF) - 100 Hz ✭ 0 Hz

Funcão:Alguns sistemas precisam evitar algumas freqüênciasde saída por causa de problemas de ressonânciamecânica no sistema. Nos parâmetros 230-231Freqüência de bypass essas freqüências de saídapodem ser programadas. Neste parâmetro podeser definida uma largura de faixa em ambosos lados dessas freqüências.

Descricão da selecão:A freqüência programada neste parâmetro serácentralizada em torno dos parâmetros 230 Freqüênciade bypass 1 e 231 Freqüência de bypass 2.

230 Freqüência de bypass 1 (FREQ. BYPASS 1)

231 Freqüência de bypass 2 (FREQ. BYPASS 2)

Valor:0 - 1000 Hz ✭ 0,0 Hz

Funcão:Alguns sistemas precisam evitar algumasfreqüências de saída por causa de problemas deressonância mecânica no sistema.

Descricão da selecão:Introduza as freqüências a serem evitadas.Vide também o parâmetro 229 Freqüência debypass, largura de faixa.

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss84

Page 85: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Pro

gram

ação

■ Entradas e saídas

EEEEnnnnttttrrrraaaaddddaaaassss ddddiiiiggggiiiittttaaaaiiiissss TTTTeeeerrrrmmmm.... nnnnºººº 111188881111 111199991111 22227777 22229999 33333333

ppppaaaarrrr.... nnnnºººº 333300002222 333300003333 333300004444 333300005555 333300007777Valor:Sem função (NO OPERATION) [0] [0] [0] [0] ✭ [0]Reset (RESET) [1] [1] [1] [1] [1]Parada por inércia inversa (MOTOR COAST INVERSE) [2] [2] [2] [2] [2]Redefinir e parada por inércia inversa (RESET AND COAST INV.) [3] [3] ✭ [3] [3] [3]Parada rápida inversa (QUICK-STOP INVERSE) [4] [4] [4] [4] [4]Frenagem CC inversa (DC-BRAKE INVERSE) [5] [5] [5] [5] [5]Parada inversa (STOP INVERSE) [6] [6] [6] [6] [6]Partida (START) ✭ [7] [7] [7] [7] [7]Partida de pulso (LATCHED START) [8] [8] [8] [8] [8]Reversão (REVERSING) [9] ✭ [9] [9] [9] [9]Reversão e partida (START REVERSING) [10] [10] [10] [10] [10]Partida no sentido horário (ENABLE FORWARD) [11] [11] [11] [11] [11]Partida no sentido anit-horário (ENABLE REVERSE) [12] [12] [12] [12] [12]Jog (JOGGING) [13] [13] [13] ✭ [13] [13]Congelar referência (FREEZE REFERENCE) [14] [14] [14] [14] [14]Congelar freqüência de saída (FREEZE OUTPUT) [15] [15] [15] [15] [15]Aceleração (SPEED UP) [16] [16] [16] [16] [16]Desaceleração (SPEED DOWN) [17] [17] [17] [17] [17]Alcançar (CATCH-UP) [19] [19] [19] [19] [19]Reduzir a velocidade (SLOW-DOWN) [20] [20] [20] [20] [20]Rampa 2 (RAMP 2) [21] [21] [21] [21] [21]Ref predefinida, LSB (PRESET REF, LSB) [22] [22] [22] [22] [22]Ref predefinida, MSB (PRESET REF, MSB) [23] [23] [23] [23] [23]Referência predefinida ativada (PRESET REFERENCE ON) [24] [24] [24] [24] [24]Termistor (THERMISTOR) [25] [25] [25] [25]Parada precisa, inversa (PRECISE STOP INV.) [26] [26]Partida/parada precisa (PRECISE START/STOP) [27] [27]Referência de pulso (PULSE REFERENCE) [28]Feedback de pulso (PULSE FEEDBACK) [29]Entrada de pulso (PULSE INPUT) [30]Seleção de configuração, lsb (SETUP SELECT LSB) [31] [31] [31] [31] [31]Seleção de configuração, msb (SETUP SELECT MSB) [32] [32] [32] [32] [32]Redefinição e partida (RESET AND START) [33] [33] [33] [33] [33]Partida do contador de pulsos (PULSE COUNTER START) [34] [34]

1. Todas as funções dos terminais 18 e 19 sãocontrolados por um interruptor, o que significa que aprecisão repetitiva do tempo de resposta é constante.Podem ser usados para partida/parada, chave deconfiguração e especialmente para alteração dapredefinição digital, ou seja, para obter um ponto deparada reproduzível ao usar velocidade de arrasto.Para obter mais informações consulte VLT 2800Instrução para parada precisa, MI28C102.

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 85

Page 86: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Funcão:Nesses parâmetros 302-307 Entradas digitais épossível escolher entre as diferentes funções ativadasrelativas às entradas digitais (terminais 18-33).

Descricão da selecão:No operation é selecionado se o conversorde freqüência não deve reagir aos sinaistransmitidos para o terminal.

Reset reajusta o conversor de freqüência depoisde um alarme; no entanto, alguns alarmes nãopodem ser reajustados (desarme travado) semprimeiro desconectar a alimentação da rede ereconectar. Consulte a tabela em Lista de avisose alarmes. O reajuste é ativado na extremidademais avançada do sinal.

Parada por inércia inversa é usado para fazer oconversor de freqüência "soltar" o motor imediatamente(os transistores de saída são "desligados"), o quesignifica que o motor gira livremente até parar.Lógica ’0’ conduz à inércia para parar.

Redefinir e parada por inércia inversa são usadas paraativar a parada por inércia do motor simultaneamentecom a redefinição. Lógica ’0’ significa paradapor inércia e redefinição. A redefinição é ativadana borda de descida do sinal.

Parada rápida inversa a desaceleração na paradarápida programada no parâmetro 212 Tempode desaceleração para parada rápida. O estado’0’ lógico leva à parada rápida.

Frenagem CC inversa é usada para parar o motordando-lhe energia com corrente contínua duranteum certo tempo, consulte os parâmetros 126, 127e 132 Freio de CC. Observe que esta função estaráativa somente se o valor no parâmetro 126 tempo defrenagem CC e 132 voltagem do freio CC for diferentede 0. O estado ’0’ lógico conduz à frenagem CC.

Parada inversa, 0 lógico significa que a velocidade domotor é reduzida até parar pela rampa selecionada.

Nenhum dos comandos de paradamencionados acima deverão ser usadoscomo interruptores de reparo. Observe

que o conversor de freqüência tem mais entradasde corrente do que L1, L2 e L3 quando os terminaisde barramento CC são usados. Verifique se todasas entradas de corrente estão desconectadas ese o tempo prescrito (4 min.) passou antes deo trabalho de reparos começar.

Partida é selecionado se um comando departida/parada for necessário. ’1’ lógico =partida, ’0’ lógico = parada.

Partida memorizada, se um pulso for aplicado 14min, o conversor de freqüência dará partida nomotor, desde que nenhum comando de paradatenha sido dado. O motor pode ser paradoativando-se brevemente Parada inversa.

Reversão é usado para alterar a direção de rotaçãodo eixo do motor. O estado ’0’ lógico não irá levar areversão . O estado lógico ’1’ levará à reversão. O sinalde reversão modifica somente a direção de rotação. Elenão ativa a partida. Ele não está ativo em Regulaçãode processo, loop fechado. Consulte também oparâmetro 200 Gama/direção da freqüência de saída.

Reversão e partida é usado para partida/parada epara reverter com o mesmo sinal. Nenhum comandode partida ativo é permitido ao mesmo tempo.Ele não está ativo em Regulação de processo,loop fechado. Consulte também o parâmetro 200Gama/direção da freqüência de saída.

Partida no sentido horário é usada se você desejarque o eixo do motor seja capaz de girar somente nosentido horário quando for dada a partida. Não deveser usada para Regulação de processo, loop fechado.

Partida no sentido anit-horário é usada se você desejarque o eixo do motor seja capaz de girar somenteno sentido anti-horário quando for dada a partida.Não deve ser usada para Regulação de processo,loop fechado. Consulte também o parâmetro 200Gama/direção da freqüência de saída.

Jog é usado para substituir a freqüência de saídapara a freqüência de jog definida no parâmetro 213Freqüência de jog. Jog está ativo independentementede ter sido dado um comando de partida, porémnão quando Parada por inércia, Parada rápidaou Frenagem CC estiverem ativas.

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss86

Page 87: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Pro

gram

ação

Congelar referência congela a referência atual. Areferência agora só pode ser alterada pela Aceleraçãoe Desaceleração. Se congelar referência estiver ativa,ela será salva após um comando de parada e nocaso de falha de alimentação da rede.

Congelar referência congela a referência de saída atual(em Hz). A freqüência de saída agora só pode seralterada pela Aceleração e Desaceleração.

NOTA!:Se Congelar saída estiver ativa, o conversorde freqüência só poderá ser parado se forselecionado Parada por inércia do motor,

Parada rápida ou Frenagem CC por uma entrada digital.

Aceleração e Desaceleração estarão selecionadasse for requerido controle digital da velocidade deaceleração/desaceleração. Esta função estaráativa somente se Congelar referência ou Congelarfreqüência de saída tiverem sido selecionados.Se Aceleração estiver ativo, a referência ou freqüênciade saída aumentará e se Desaceleração estiverativo, a referência ou freqüência de saída seráreduzida. A freqüência de saída é alterada pormeio dos tempos de aceleração predefinidos nosparâmetros 209-210 Rampa 2.Um pulso (estado ’1’ lógico altura mínima para 14 mine um período de interrupção mínimo de 14 min levarãoa uma alteração de velocidade de 0,1 % (referência)ou 0,1 Hz (freqüência de saída). Exemplo:

Term.29

Term.33

Congelarref./saídacongelada

Função

0 0 1 Sem alteração develocidade

0 1 1 Aceleração1 0 1 Desaceleração1 1 1 Desaceleração

Congelar referência pode ser alterado mesmose o conversor de freqüência tiver parado. Areferência também será salva se a alimentaçãoda rede for desconectada.

Alcançar/Reduzir a velocidade é selecionado se o valorde referência for aumentado ou reduzido por um valorde porcentagem programável definido no parâmetro219 Alcançar/Reduzir a velocidade de referência.

Reduzir avelocidade

Alcançar Função

0 0 Velocidade inalterada0 1 Aumentar em % do valor1 0 Reduzir em % do valor1 1 Reduzir em % do valor

Rampa 2 é selecionado se for necessária umamudança entre rampa 1 (parâmetros 207-208) e rampa2 (parâmetros 209-210). ’0’ lógico conduz à rampa1 e o estado ’1’ lógico conduz à rampa 2.

Referência predefinida, lsb e Referência predefinida,msb torna possível selecionar uma das quatroreferências predefinidas, consulte a tabela a seguir:

Ref.predefinida.

msb

Ref.predefinida.

lsb

Função

0 0 Ref predefinida1

0 1 Ref predefinida2

1 0 Ref predefinida3

1 1 Ref predefinida4

A referência predefinida em é usada para mudarentre referência de controle remoto e referênciapredefinida. Presume-se que Externo/predefinido [2]tenha sido selecionado no parâmetro 214 Funçãode referência. Estado ’0’ lógico = referências decontrole remoto estão ativas, estado ’1’ lógico =uma das quatro referências predefinidas está ativa,como pode ser visto na tabela acima.

Termistor deverá ser selecionado se um termistorpossivelmente integrado no motor precisar pararo conversor de freqüência se o motor apresentarsuperaquecimento. O valor de desligamentopor sobrecarga é 3 k .

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 87

Page 88: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Se um motor usar um interruptor térmico Klixon,ele também poderá ser conectado à entrada.Se os motores operarem em paralelo, ostermistores/interruptores térmicos poderão serconectados em série (resistência total inferior a 3 k ).Parâmetro 128 Proteção térmica do motor deve serprogramada Aviso do termistor [1] ou Desarme dotermistor [2] e o termistor deve ser conectado entreuma entrada digital e terminal 50 (alimentação + 10 V).

Parada precisa, inversa é selecionada para obter umgrau de precisão mais alto quando um comandode parada é repetido. Um estado 0 lógicosignifica que a velocidade do motor é reduzidaaté parar pela rampa selecionada.

Partida/parada precisa é selecionada para obterum alto grau de precisão quando um comandode partida e parada é repetido.

Referência de pulso é selecionado se o sinal dereferência aplicado for um trem de pulsos (freqüência).0 Hz corresponde ao parâmetro 204 Referênciamínima, RefMIN. A freqüência definida no parâmetro327 Referência/feedback de pulso corresponde aoparâmetro 205 ">Referência máxima RefMAX.

Feedback de pulso é selecionada se o sinal defeedback usado for um trem de pulsos (freqüência).INo parâmetro 327 Referência/feedback de pulso afreqüência de feedback de pulso máxima é definida.

Entrada de pulso é selecionada se um número depulsos específico conduzir a uma Parada precisa,consulte o parâmetro 343 Parada precisa e oparâmetro 344 Valor do contador.

Seleção de configuração, lsb e Seleção deconfiguração, msb dá a possibilidade de selecionaruma das quatro configurações. Porém, é umacondição para a qual o parâmetro 004 estáconfigurado para Ajustes múltiplos.

Redefinição e partida pode ser usado como umafunção de partida. Se 24 V estiverem conectadosà entrada digital, isto fará com que o conversorde freqüência seja redefinido e o motor acelereaté a referência predefinida.

Partida do contador de pulsos é usado para iniciara seqüência de parada do contador com um sinal

de pulso. O pulso deve ter no mínimo 14 ms e nãopode ser maior que o período e contagem. Consultetambém o parâmetro 343 e a instrução, MI28CXYY.

308 Terminal 53, tensão analógica de entrada

(AI [V]53 FUNCT)

Valor:Sem função (NO OPERATION) [0]

✭ Referência (REFERENCE) [1]Feedback (FEEDBACK) [2]

Funcão:Neste parâmetro é possível selecionar a função queprecisa ser conectada ao terminal 53. A escala do sinalde entrada é feita no parâmetro 309 Terminal 53, escalamín. e no parâmetro 310 Terminal 53, escala máx.

Descricão da selecão:Sem função [0]. É selecionada se con-versor de freqüência não tiver que rea-gir aos sinais conectados ao terminal.Referência [1]. Se esta função for selecionada,a referência pode ser modificada por intermédio de umsinal analógico de referência. Se os sinais de referênciaestiverem conectados a mais de uma entrada,esses sinais de referência devem ser somados.Se um sinal de tensão de feedback estiver conectado,selecione Feedback [2] no terminal 53.

309 Terminal 53 Escala mín.(AI 53 SCALE LOW)

Valor:0,0 - 10,0 Volts ✭ 0,0 Volts

Funcão:Este parâmetro é utilizado para programação do valordo sinal que deve corresponder à referência mínimaou ao feedback mínimo, parâmetro 204 Referênciamínima, RefMIN / 414 Feedback mínimo, FBMIN.

Descricão da selecão:Configurar o valor de tensão desejado. Por razõesde exatidão, as perdas de tensão no sinal em caboslongos devem ser compensadas. Se a funçãotime out tiver que ser utilizada (parâmetro 317Time out e 318 Função após o time out), o valorprogramado deve ser superior a 1 Volt.

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss88

Page 89: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Pro

gram

ação

310 Terminal 53 Escala máx.(AI 53 SCALE HIGH)

Valor:0 - 10,0 Volts ✭ 10,0 Volts

Funcão:Este parâmetro é utilizado para programar ovalor do sinal que deve corresponder ao valorda referência máxima ou ao feedback máximo,parâmetro 205 Referência máxima, RefMAX/414Feedback máximo, FBMAX.

Descricão da selecão:Configurar o valor da tensão desejada. Por razõesde exatidão, as perdas de tensão de sinal em caboslongos devem ser compensadas.

314 Terminal 60, Entrada analógica de corrente

(AI [MA] 60 FUNCT)

Valor:✭ Sem função (NO OPERATION) [0]

Referência (REFERENCE) [1]Feedback (FEEDBACK) [2]

Funcão:Este parâmetro permite a escolha entre as diferentesfunções disponíveis para a entrada, terminal 60. Aescala do sinal de entrada é efetuada no parâmetro315 Terminal 60, escala mín. e no parâmetro316 Terminal 60, escala máx.

Descricão da selecão:Sem função [0]. é selecionado se oconversor de freqüência não tiver quereagir aos sinais conectados ao terminal.Referência [1]. Se esta função for selecionada, areferência pode ser alterada por intermédio de um sinalanalógico de referência. Se os sinais de referênciaestiverem conectados a mais de uma entrada,esses sinais de referência devem ser somados.Se um sinal de corrente de feedback estiver conectado,selecione Feedback [2] no terminal 60.

315 Terminal 60 Escala mínima(AI 60 SCALE LOW)

Valor:0,0 - 20,0 mA ✭ 0,0 mA

Funcão:Neste parâmetro você pode programar o valor dosinal que corresponderá à referência mínima ou ao

feedback mínimo, parâmetro 204 Referência mínima,RefMIN / 414 Feedback mínimo, FBMIN.

Descricão da selecão:Configurar o valor da corrente desejada. Se afunção time out tiver que ser utilizada (parâmetro317 Time out e 318 Função após o time out) o valorprogramado deve ser superior a 2 mA.

316 Terminal 60 Máxima escala(AI 60 SCALE HIGH)

Valor:0,0 - 20,0 mA ✭ 20,0 mA

Funcão:Este parâmetro é utilizado para programar o valor dosinal que deve corresponder ao valor da referênciamáxima, parâmetro 205 Referência máxima, RefMAX.

Descricão da selecão:Configurar o valor da corrente desejada.

317 Time out(LIVE ZERO TIME O)

Valor:1 - 99 seg. ✭ 10 seg.

Funcão:Se o valor do sinal de referência ou o sinal de feedbackconectado a um dos terminais de entrada 53 ou60 cair abaixo de 50 % da escala mínima por umperíodo mais longo do que o tempo programado, afunção selecionada no parâmetro 318 Função apóso time-out será ativada. Esta função só está ativa seno parâmetro 309 Terminal 53, escala mínima houversido selecionado um valor superior a 1 Volt ou se noparâmetro 315 Terminal 60, escala mínima houversido selecionado um valor superior a 2 mA.

Descricão da selecão:Configurar o tempo desejado.

318 Função após o time-out

(LIVE ZERO FUNCT.)

Valor:✭ Sem função (NO OPERATION) [0]

Freqüência de saída congelada(FREEZE OUTPUT FREQ.) [1]Parada (STOP) [2]

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 89

Page 90: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Jog (JOG) [3]Máx. velocidade (MAX SPEED) [4]Parada e trip (STOP AND TRIP) [5]

Funcão:Este parâmetro permite a escolha da função a serativada após a expiração do time-out (parâmetro317 Time out). Se ocorrer uma função time-out aomesmo tempo que uma função de time-out do bus(parâmetro 513 função Tempo limite do bus), a funçãotime-out no parâmetro 318 será ativada.

Descricão da selecão:A freqüência de saída do conversor defreqüência pode ser:- congelada com a freqüência atual [1]- substituída por uma parada [2]- substituída pela freqüência de jog [3]- substituída pela freqüência máxima de saída [4]- substituída por uma parada com um trip

subseqüente [5]

319 Saída analógica terminal 42

(AO 42 FUNCTION)

Valor:Sem função (NO OPERATION) [0]Referência externa mín.-máx. 0-20 mA(REF MÍN-MÁX = 0-20 MA) [1]Referência externa mín.-máx. 4-20 mA(REF MÍN-MÁX = 4-20 MA) [2]Feedback mín.-máx. 0-20 mA(FB MÍN-MÁX = 0-20 MA) [3]Feedback mín.-máx. 4-20 mA(FB MÍN-MÁX = 4-20 MA) [4]Freqüência de saída 0-máx 0-20 mA(0-FMÁX = 0-20 MA) [5]Freqüência de saída 0-máx 4-20 mA(0-FMÁX = 4-20 MA) [6]

✭ Corrente de saída 0-IMAX. 0-20 mA(0-IMAX = 0-20 MA) [7]Corrente de saída 0-IMAX. 4-20 mA(0-IMAX = 4-20 MA) [8]Potência de saída 0-PM,N 0-20 mA(0-PNOM = 0-20 MA) [9]Potência de saída 0-PM,N 4-20 mA(0-PNOM = 4-20 MA) [10]Temperatura do inversor 20-100 °C 0-20 mA(TEMP 20-100 C=0-20 MA) [11]Temperatura do inversor 20-100 °C 4-20 mA(TEMP 20-100 C=4-20 MA) [12]

Funcão:A saída analógica pode ser utilizada para determinarum valor de processo. É possível escolher dois tiposde sinais de saída 0 - 20 mA ou 4 - 20 mA.Se utilizada como saída de tensão (0 - 10 V), deve serligado um resistor pull-down de 500 ao comum(terminal 55). Se a saída for usada como saída decorrente, a impedância resultante do equipamentoconectado não deve exceder 500 .

Descricão da selecão:Sem função. É selecionada se a saída analógicanão tiver que ser usada.

Ref. externa RefMIN - RefMAX 0-20 mA/4-20 mA.É obtido um sinal de saída proporcional aovalor de referência resultante no intervalo entreReferência mínima , RefMIN - Referência máxima,RefMAX (parâmetros 204/205).

FBMIN-FBMAX 0-20 mA/ 4-20 mA.É obtido um sinal de saída proporcional ao valor defeedback no intervalo Feedback mínimo, FBMIN -Feedback máximo, FBMAX (parâmetros 414/415).

0-fMAX 0-20 mA/4-20 mA.É obtido um sinal de saída proporcional à freqüênciade saída no intervalo 0 - fMAX (parâmetro 202 Limitemáximo da freqüência de saída, fMAX).

0 - IMAX. 0-20 mA/4-20 mA.É obtido um sinal de saída proporcional à correntede saída no intervalo 0 - IMAX.

0 - PM,N 0-20 mA/4-20 mA.É obtido um sinal de saída proporcional à potência desaída atual. 20 mA corresponde ao valor programadono parâmetro 102 Potência do motor, PM,N.

0 - Temp.MAX 0-20 mA/4-20 mA.É obtido um sinal de saída proporcional à atualtemperatura do dissipador de calor. 0/4 mAcorresponde a uma temperatura inferior a 20 °C nodissipador de calor e 20 mA corresponde a 100 °C.

323 Saída do relê 1-3(RELAY 1-3 FUNCT.)

Valor:Sem função (NO OPERATION) [0]

✭ Unidade pronta (UNIT READY) [1]Ativar/sem aviso (ENABLE/NO WARNING) [2]Funcionando (RUNNING) [3]

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss90

Page 91: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Pro

gram

ação

Funcionando em referência, sem aviso(RUN ON REF/NO WARN) [4]Funcionando, sem avisos(RUNNING/NO WARNING) [5]Funcionando em referência, sem avisos(RUN IN RANGE/ NO WARN) [6]Pronto - tensão da rede dentro da faixa(RDY NO OVER/UNDERVOL) [7]Alarme ou aviso(ALARM OR WARNING) [8]Corrente mais alta do que o limite de

corrente, par. 221(CURRENT LIMIT) [9]Alarme (ALARM) [10]Freqüênca de saída mais alta do que o par. 225 fLOW

(ABOVE FREQUENCY LOW) [11]Freqüênca de saída mais baixa do que o par. 226 fHIGH

(BELOW FREQUENCY HIGH) [12]Corrente de saída mais alta do que o par. 223 ILOW

(ABOVE CURRENT LOW) [13]Corrente de saída mais baixa do que o par. 224 IHIGH

(BELOW CURRENT HIGH) [14]Feedback mais alto do que o par. 227 FBLOW

(ABOVE FEEDBACK LOW) [15]Feedback mais baixo do que o par. 228 FBHIGH

(UNDER FEEDBACK HIGH) [16]Relê 123 (RELAY 123) [17]Reversão (REVERSE) [18]Aviso térmico (THERMAL WARNING) [19]Operação local (LOCAL MODE) [20]Fora do intervalo de freqüência par. 225/226(OUT OF FREQ RANGE) [22]Fora da faixa de corrente(OUT OF CURRENT RANGE) [23]Fora da faixa de feedback(OUT OF FDBK. RANGE) [24]Controle mecânico dos freios(MECH. BRAKE CONTROL) [25]Control word bit 11(CONTROL WORD BIT 11) [26]

Funcão:A saída do relé pode ser utilizada para dar o estadoatual ou a advertência. A saída é ativada (1–2)quando uma dada condição é satisfeita.

Descricão da selecão:Sem função. É selecionado se o conversor defreqüência não reage aos sinais.

Unidade pronta, há uma tensão de alimentação naplaca de controle do conversor de freqüência e oconversor de freqüência está pronto para operação.

Ativar/sem aviso, o conversor de freqüência estápronto para operação, mas nenhum comandode partida foi dado. Sem aviso.

Funcionando, foi dado um comando de partida.Ativo também durante a desaceleração.

Funcionando na referência, sem advertênciasvelocidade de acordo com a referência.

Funcionando, sem aviso, um comando departida foi dado. Sem aviso.

Pronto - tensão da rede dentro da faixa, o conversorde freqüência está pronto para o uso; a placa decontrole está recebendo uma tensão de alimentação;e não há sinais de controle ativos nas entradas. Atensão da rede está dentro dos limites de tensão.

Alarme ou aviso, a saída é ativada por umalarme ou aviso.

Limite de tensão, a corrente de saída é maisalta do que o valor programado no parâmetro221 Limite de corrente ILIM.

Alarme, a saída é ativada por um alarme.

A freqüência de saída é mais alta do que fLOW,afreqüência de saída é superior ao valor definido noparâmetro 225 Aviso: Freqüência baixa, fLOW.

A freqüência de saída é mais baixa do que fHIGH, afreqüência de saída é inferior ao valor definido noparâmetro 226 Aviso: Alta freqüência, fHIGH.

A corrente de saída é mais alta do que ILOW, acorrente de saída é superior ao valor definido noparâmetro 223 Aviso: Baixa corrente, ILOW.

A corrente de saída é mais baixa do que IHIGH, acorrente de saída é inferior ao valor definido noparâmetro 224 Aviso: Alta corrente, IHIGH.

Feedback mais alto do que FBLOW, o valor defeedback é superior ao valor definido no parâmetro227 Aviso: Feedback baixo, FBLOW.

Feedback mais baixo do que FBHIGH, o valor defeedback é inferior ao valor definido no parâmetro228 Aviso: Alta corrente, IHIGH.

Relê 123 é usado somente em conexão com Profidrive.

Reversão, A saída do relê é ativada quando a direção darotação do motor é anti-horária. Quando a direção darotação do motor é no sentido horário, o valor é 0 V DC.

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 91

Page 92: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Aviso térmico, acima do limite de temperatura nomotor ou no conversor de freqüência ou de umtermistor conectado a uma saída digital.

Operação local, a saída está ativa quando noparâmetro 002 Operação local/remota, Operaçãolocal [1] foi selecionada.

Fora da faixa de freqüência, a freqüência de saídaestá fora da faixa de freqüência programadanos parâmetros 225 e 226.

Fora da faixa de corrente, a corrente do motor estáfora da faixa programada nos parâmetros 223 e 224.

Fora da faixa de feedback, o feedback está fora dafaixa programada nos parâmetros 227 e 228.

Controle mecânico dos freios, permite controlarum freio mecânico externo (consulte a seção sobrecontrole do freio mecânico no Guia de Design).

327 Feedback de pulso/referência

(PULSE REF/FB MAX)

Valor:150 - 67600 Hz ✭ 5000 Hz

Funcão:Este parâmetro é utilizado para programação do valordo sinal que corresponde ao valor máximo programadono parâmetro 205 Referência máxima, RefMAX oupara o valor máximo de feedback programado noparâmetro 415 Feedback máximo, FBMAX.

Descricão da selecão:Configurar a referência desejada de pulso ou ofeedback de pulso para ser conectado ao terminal 33.

328 Pulso máximo 29(MAX PULSE 29)

Valor:150 - 67600 Hz ✭ 5000 Hz

Funcão:Esse parâmetro é utilizado para ajuste do valor dosinal que corresponde ao valor máximo definido noparâmetro 205 Referência máxima, RefMAX ou aovalor máximo de feedback definido no parâmetro415 Feedback máximo, FBMAX.

NOTA!:Relevante apenas para DeviceNet. ConsulteMG90BXYY para obter mais informações.

341 Saída digital terminal 46

(DO 46 FUNCTION)

Valor:Unidade pronta (UNIT READY) [0]Parâmetro [0] - [20] consulte parâmetro 323Referência de pulso (PULSE REFERENCE) [21]Parâmetro [22] - [25] consulte parâmetro 323Feedback de pulso (PULSE FEEDBACK) [26]Freqüência de saída (PULSE OUTPUTFREQ) [27]Corrente de pulso (PULSE CURRENT) [28]Potência de pulso (PULSE POWER) [29]Temperatura de pulso (PULSE TEMP) [30]

Funcão:A saída digital pode ser usada para dar o estadoatual ou advertência. A saída digital (terminal46) dá um sinal de 24 V CC quando umadeterminada condição é preenchida.O parâmetro 342 define a freqüência máxima de pulso.

Descricão da selecão:Referência de pulso RefMIN - RefMAX

É obtido um sinal de saída, proporcional ao valorde referência resultante no intervalo Referênciamínima, RefMIN - Referência máxima , RefMAX

(parâmetros 204/205).

Feedback de pulso FBMIN-FBMAX

É obtido um sinal de saída, proporcional ao valorde feedback no intervalo Feedback mínimo, FBMIN -Feedback máximo, FBMAX (parâmetros 414/415).

Freqüência de saída 0-fMAX.É obtido um sinal de saída, proporcional à freqüênciade saída no intervalo 0 - fMAX (parâmetro 202Freqüência de saída, limite alto, fMAX).

Corrente de pulso 0 - IINV..É obtido um sinal de saída, proporcional à correntede saída no intervalo 0 - IINV.

Potência de pulso 0 - PM,N.É obtido um sinal de saída, proporcional à potência desaída atual. O par. 342 corresponde ao valor definidono parâmetro 102 Potência do motor, PM,N.

Temperatura de pulso - Temp.MAX.É obtido um sinal de saída, proporcional à temperaturaatual do dissipador de calor. 0 Hz corresponde a

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss92

Page 93: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Pro

gram

ação

uma temperatura inferior a 20 °C no dissipador decalor e 20 mA corresponde a 100 °C.

NOTA!:O terminal de saída 46 não está disponívelno DeviceNet.

342 Terminal 46, saída máxima de pulso

(DO 46 MAX. PULS)

Valor:150 - 10000 Hz ✭ 5000 Hz

Funcão:Este parâmetro é utilizado para programar a máximafreqüência do sinal de saída de pulso.

Descricão da selecão:Programe a freqüência desejada.

343 Função de parada precisa

(PRECISE STOP)

Valor:✭ Parada precisa de rampa (NORMAL) [0]

Contador de paradas com reset(COUNT STOP RESET) [1]Contador de paradas sem reset(COUNT STOP NO RESET) [2]Parada compensada por velocidade(SPD CMP STOP) [3]Contador de paradas compensadas por

velocidade com reset(SPD CMP CSTOP W. RES) [4]Contador de paradas compensadas por

velocidade sem reset(SPD CMP CSTOP NO RES) [5]

Funcão:Neste parâmetro você seleciona a função de paradaque é realizada em resposta a um comando deparada. Todas as seis seleções de dados contêmuma rotina de parada precisa, daí assegurandoum alto nível de exatidão na repetição.As seleções são uma combinação das funçõesdescritas abaixo.

NOTA!:A partida de pulso [8] não pode ser usadajuntamente com a função de parada precisa.

Descricão da selecão:Parada precisa de rampa [0] é selecionadapara alcançar um alto nível de precisão darepetição no ponto de parada.Contador de parada. Assim que receber um sinal departida de pulsos, o conversor de freqüência funcionaráaté que o número de pulsos programados pelo usuáriotenha sido recebido no terminal 33 de entrada. Destaforma, um sinal de parada interna ativará o temponormal de desaceleração (parâmetro 208).A função do contador é ativada (começa a cronometrar)na transição do sinal de partida (quando ele começaa mudar de parada para partida).Parada compensada por velocidade. Para pararexatamente no mesmo ponto, independentementeda velocidade atual, um sinal de parada recebidoserá atrasado internamente quando a velocidadeatual for menor que a velocidade máxima(definida no parâmetro 202).Reset. Contador de paradas e Parada compensada porvelocidade podem ser combinadas com ou sem reset.Contador de paradas com reset [1]. Após cadaparada precisa, o número de pulsos contados durantea desaceleração até 0 Hz é resetado.Contador de paradas sem reset [2]. O número depulsos contados durante a desaceleração até 0 Hz édeduzido do valor do contador no parâmetro 344.

344 Valor do contador(PULSE COUNT PRE.)

Valor:0 - 999999 ✭ 100000 pulsos

Funcão:Neste parâmetro você pode selecionar o valordo contador a ser usado na função integrada deparada precisa (parâmetro 343).

Descricão da selecão:A programação de fábrica vem com 100000 pulsos.A freqüência mais alta (máx. resolução) que podeser registrada no terminal 33 é 67,6 kHz.

349 Retardo comp velocidade

(SPEED COMP DELAY)

Valor:0 ms - 100 ms ✭ 10 ms

Funcão:Neste parâmetro, o usuário pode definir o tempo deretardo do sistema (Sensor, PLC, etc.). Se você estiver

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 93

Page 94: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

executando uma parada compensada por velocidade,o tempo de retardo em diferentes freqüências tem umamaior influência na forma como você efetua a parada.

Descricão da selecão:A programação de fábrica vem com 10 ms. Istosignifica que fica presumido que o retardo totaldo Sensor, PLC e outros elementos do hardwarecorrespondem a esta configuração.

NOTA!:Só é ativo para a parada compensadapor velocidade.

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss94

Page 95: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Pro

gram

ação

■ Funções especiais

400 Função de freio

(FUNÇÃO DE FREIO)

Valor:Desligado (OFF) [0]Resistor de freio(RESISTOR) [1]Freio CA (FREIO CA) [4]Divisão de carga (LOAD SHARING) [5]

Programação de fábrica depende do tipo da unidade.

Funcão:Resistor de freio [1] é selecionado se o conversorde freqüência tiver um transistor de freio integrale se um resistor de freio estiver conectado aosterminais 81, 82. A conexão de um resistor de freiopermite uma maior tensão do circuito intermediáriodurante a frenagem (operação geradora) quandoé conectado um resistor de freio.Freio CA [4] pode ser selecionado para melhorar afrenagem sem usar os resistores de freio. Note queFreio CA [4] não é tão eficaz quanto Resistor de freio [1].

Descricão da selecão:Selecione Resistor de freio [1] se um resistorde freio estiver conectado.Selecione Freio CA [4] se ocorrerem cargas geradasde curta duração. Vide parâmetro 144 GanhoCA do freio para configurar o freio.

Selecione Divisão de carga [5] caso seja utilizada.

NOTA!:Uma mudança na seleção não estaráativa até que a tensão da rede tenha sidodesconectada e reconectada.

405 Função de reset

(RESET MODE)

Valor:✭ Reset manual (MANUAL RESET) [0]

Reset automático x 1(AUTOMATIC X 1) [1]Reset automático x 3(AUTOMATIC X 3) [3]Reset automático x 10(AUTOMATIC X 10) [10]Reset na alimentação(RESET AT POWER UP) [11]

Funcão:Este parâmetro permite selecionar se o reset e oreinício após um trip devem ser manuais ou se oconversor de freqüência deve ser resetado e reiniciadoautomaticamente. Além do mais, é possível selecionaro número de vezes que um reinício deve ser tentado. Otempo entre cada tentativa é programado no parâmetro406 Tempo de uma nova partida automática.

Descricão da selecão:Caso Reset manual [0] seja selecionado, o reset deveser realizado através da tecla [STOP/RESET], deuma entrada digital ou da comunicação serial. Casoo conversor de freqüência deva realizar um resetautomático e da uma nova partida após um trip,selecione os dados de valores [1], [3] ou [10].Caso Reset na alimentação [11] seja selecionado,o conversor de freqüência realizará um resetse tiver havido uma falha associada à conexãocom a rede elétrica.

O motor pode partir inadvertidamente.

406 Tempo de uma nova partida automática

(AUTORESTART TIME)

Valor:0 - 10 seg. ✭ 5 seg.

Funcão:Este parâmetro permite a programação do tempodepois do trip até que a função de reset automáticoinicie. Supõe-se que o reset automático tenha sidoselecionado no parâmetro 405 Função de reset.

Descricão da selecão:Programe o tempo desejado.

409 Trip delay overcurrent, ILIM

(TRIP DELAY CUR.)

Valor:0 - 60 s (61=OFF) ✭ OFF

Funcão:Quando o conversor de freqüência registra que acorrente de saída atingiu o limite de corrente ILIM

(paràmetro 221 Current limit) e permanece nesse valordurante o tempo predefinido, ele é desconectado.

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 95

Page 96: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Pode ser usado para proteger a aplicação, como oETR protegerá o motor se for selecionado.

Descricão da selecão:Selecione o tempo durante o qual o conversor defreqüência deve manter a corrente de saída no limitede corrente ILIM antes do desligamento. Em OFF, oparàmetro 409 Trip delay overcurrent, ILIM não estáfuncionando, ou seja, o desligamento não ocorrerá.

411 Switching frequency

(SWITCH FREQ.)

Valor:3000 - 14000 Hz (VLT 2803 - 2875) ✭ 4500 Hz3000 -10000 Hz (VLT 2880 -2882) ✭ 4500 Hz

Funcão:O valor programado determina a freqüência dechaveamento do inversor. Se a freqüência dechaveamento for alterada, isso poderá ajudar aminimizar possíveis ruídos acústicos do motor.

NOTA!:A freqüência de saída do conversor defreqüência nunca pode assumir um valorsuperior a 1/10 da freqüência de chaveamento.

Descricão da selecão:Quando o motor está funcionando, a freqüência dechaveamento é ajustada no paràmetro 411 Switchingfrequency até ser obtida a freqüência na qual omotor terá o ruído mais baixo possível.

NOTA!:A freqüência de chaveamento éautomaticamente reduzida em funçãoda carga. Consulte Freqüência de chaveamento

dependente da temperatura em Condições especiais.Quando LC-filter connected for selecionadono paràmetro 412, a freqüência mínima dechaveamento será de 4,5 kHz.

412 Freqüência da portadora dependenteda freqüência de saída

(VAR CARRIER FREQ.)

Valor:✭ Sem filtro LC (WITHOUT LC-FILTER) [2]

Filtro LC instalado(LC-FILTER CONNECTED) [3]

Funcão:O parâmetro deve ser configurado como Filtro LCinstalado se um filtro LC houver sido instalado entreo conversor de freqüência e o motor.

Descricão da selecão:Filtro LC instalado [3] deve ser usado se houversido instalado um filtro LC entre o conversor defreqüência e o motor, caso contrário o conversor defreqüência não poderá proteger o filtro LC.

NOTA!:Quando o filtro LC estiver selecionado,a freqüência de chaveamento é mudadapara 4,5 kHz.

413 Fator de sobremodulação

(OVERMODULATION)

Valor:Desligado (OFF) [0]

✭ Ligado (ON) [1]

Funcão:Este parâmetro permite a conexão do fator desobremodulação na tensão de saída.

Descricão da selecão:Desligado [0] indica que não há sobremodulação datensão de saída, o que signfica que o "ripple" detorque do eixo do motor é evitado. Este pode ser umbom recurso, por exemplo, nas máquinas lixadeiras.Ligado [1] significa que pode ser obtida uma tensão desaída maior que a tensão da rede (até 5 % superior).

414 Feedback mínimo , FBMIN

(MIN. FEEDBACK)

Valor:-100.000,000 - par. 415 FBMAX ✭ 0

Funcão:Parâmetro 414 Feedback mínimo, FBMIN e 415Feedback máximo, FBMAX são utilizados para alternaro texto do display de forma a fazê-lo mostrar osinal de feedback em uma unidade de processoproporcional ao sinal de entrada.

Descricão da selecão:Programe o valor a ser exibido no display como o valorde sinal de feedback mínimo na entrada de feedbackselecionada (parâmetros 308/314 Entradas analógicas).

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss96

Page 97: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Pro

gram

ação

415 Feedback máximo, FBMAX

(MAX. FEEDBACK)

Valor:FBMIN - 100.000,000 ✭ 1500,000

Funcão:Vide a descrição do parâmetro 414 Feedbackmínimo, FBMIN.

Descricão da selecão:Programe o valor a ser exibido no displayquando o feedback máximo houver sido obtidona entrada de feedback selecionada (parâmetro308/314 Entradas analógicas).

416 Unidades de processo

(REF/FEEDB. UNIT)

Valor:✭ Nenhuma ( NO UNIT) [0]

% (%) [1]ppm (PPM) [2]rpm (RPM) [3]bar (BAR) [4]ciclos/min (CYCLE/MI) [5]Pulsos/s (PULSE/S) [6]Unidades/s (UNITS/S) [7]Unidades/min. (UNITS/MI) [8]Unidades/h (UNITS/H) [9]°C (°C) [10]Pa (PA) [11]l/s (L/S) [12]m3/s (M3/S) [13]l/min. (L/M) [14]m3/min. (M3/MIN) [15]l/h (L/H) [16]m3/h (M3/H) [17]Kg/s (KG/S) [18]Kg/min. (KG/MIN) [19]Kg/hora (KG/H) [20]Ton/min. (T/MIN) [21]Ton/hora (T/H) [22]Metros (M) [23]Nm (NM) [24]m/s (M/S) [25]m/min. (M/MIN) [26]°F (°F) [27]Em wg (IN WG) [28]gal/s (GAL/S) [29]Pés3/s (FT3/S) [30]Gal/min. (GAL/MIN) [31]Pés3/min. (FT3/MIN) [32]Gal/h (GAL/H) [33]

Pés3/h (FT3/H) [34]Lb/s (LB/S) [35]Lb/min. (LB/MIN) [36]Lb/hora (LB/H) [37]Lb por pés (LB FT) [38]Pés/s (FT/S) [39]Pés/min. (FT/MIN) [40]

Funcão:Escolha entre as diferentes unidades a seremmostradas no display. A unidade será lida se umaunidade de controle LCP puder ser conectadae se Unidade de [referência] [2] ou Unidade de[feedback ] [3] houver sido selecionada em umdos parâmetros 009-012 Leitura do display, e nomodo Display. A unidade é utilizada em Malhafechada também como uma unidade para referênciaMínima/Máxima e feedback Mínimo/Máximo.

Descricão da selecão:Selecione a unidade desejada para o sinalde referência/feedback.

■ Reguladores do VLT 2800O VLT 2800 tem dois reguladores PID embutidos:um para regular a velocidade e outro pararegular os processos.Regulação de volocidade e regulação de processorequerem um sinal de feedback de volta a umaentrada. Há uma grande quantidade de configuraçõespara os dois reguladores PID realizadas nosmesmos parâmetros, mas a escolha do tipo deregulador afetará as opções que precisam serfeitas nos parâmetros compartilhadosNo parâmetro 100 Configuração é possívelselecionar o tipo de regulador, Regulação develocidade, malha fechada [1] ou Regulação deprocesso, malha fechada [3].

Regulação de velocidadeEsta regulação PID foi otimizada para ser usadaem aplicações que tenham a necessidade demanter uma certa velocidade no motor. Osparâmetros específicos do regulador de velocidadesão os parâmetros de 417 a 421.

Regulação de processoO regulador PID mantém um modo de processoconstante (pressão, temperatura, fluxo, etc.)e ajusta a velocidade do motor com base nareferência/setpoint e no sinal de feedback.Um transmissor proporciona ao regulador PID um sinalde feedback do processo, como uma expressão do

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 97

Page 98: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

modo real do processo. O sinal de feedback varia namedida em que varia a carga do processo.Isto significa que há uma variância entre areferência/setpoint e o modo real do processo. Avariância é compensada pelo regulador PID porintermédio da freqüência de saída que é regulada paramais ou para menos em relação à variância entre areferência/setpoint e o sinal de feedback.

O regulador PID integrado ao conversor de freqüênciafoi otimizado para ser usado em aplicações deprocesso. Isto significa que há diversas funçõesespeciais disponíveis no conversor de freqüência.Anteriormente era necessário obter um sistema paramanipular essas funções especiais pela instalaçãoadicional de módulos de I/O e pela programaçãodo sistema. Com o conversor de freqüência, anecessidade de instalar módulos adicionais pode serevitada. Os parâmetros específicos para o Reguladorde Processo são os parâmetros de 437 a 444.

■ Funções PIDUnidade de referência/feedback

Quando Regulação de velocidade, malha fechadaestiver selecionada no parâmetro 100 Configuração aunidade de referência/feedback será sempre rpm.Quando Regulação de processo, malha fechada estiverselecionada no parâmetro 100 Configuração a unidadeserá definida no parâmetro 416 Unidades de processo.

FeedbackUma gama de feedback deve ser pré-definida paraambos os reguladores. Ao mesmo tempo estagama de feedback limita a gama de referência dopotencial, de forma que se o somatório de todasas referências estiver fora da gama de feedback, areferência ficará restrita à gama do feedback.O sinal de feedback deve estar conectado aum terminal no conversor de freqüência. Sefeedback estiver selecionado em dois terminaissimultaneamente, esses sinais serão adicionados.Utilize a tabela baixo para verificar que terminaisdevem ser usados e que parâmetros precisamser programados.

Tipo feedback Terminal ParâmetrosPulso 33 307, 327Tensão 53 308, 309, 310Corrente 60 314, 315, 316

Pode ser feita uma correção em função de perdasde tensão em cabos longos para transmissãode sinais, quando um transmissor for usado com

uma saída de tensão. Isto é feito no grupo deparâmetros 300 Escala mínima/máxima.

Parâmetros 414/415 Feedback mínimo/máximodevem ser também pré-ajustados para um valor,na unidade de processo, que corresponda aosvalores de escalas mínima e máxima para ossinais conectados ao terminal.

ReferênciaNo parâmetro 205 Referência máxima, RefMAX

é possível pré-ajustar uma referência máximaque faça uma escala de todas as referências,ou seja, a referência resultante.A referência mínima no parâmetro 204 é umaexpressão do valor mínimo que a referênciaresultante pode assumir.Todas as referências serão adicionadas e essa somaserá a referência comparada com a qual a regulaçãoocorrerá. É possível limitar a gama de referênciapara uma faixa de valores inferior à da gama defeedback. Isto pode ser vantajoso se você quiserevitar uma mudança inadvertida em uma referênciaexterna, fazendo com que a soma das referências seafaste demais do valor ideal de referência. A gama dereferência não pode ultrapassar a gama de feedback.Se as referências pré-ajustadas forem desejadas,elas serão pré-ajustadas nos parâmetros 215 a 218Referência pré-ajustada. Vide descrição em Funçãode referência e Tratamento das referências.Se um sinal de corrente for usado como sinalde feedback, só será possível usar tensão comoreferência analógica. Utilize a tabela baixo paraverificar que terminais devem ser usados e queparâmetros precisam ser programados.

Tipo dereferência

Terminal Parâmetros

Pulso 33 307, 327Tensão 53 308, 309, 310Corrente 60 314, 315, 316Referênciaspré-ajustadas

215-218

Referência deBus

68+69

Observe que a referência de bus só pode serpré-ajustada via comunicação serial.

NOTA!:É melhor pré-ajustar os terminais que não estãosendo usados com Sem função [0].

Limite de ganho do diferenciador

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss98

Page 99: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Pro

gram

ação

Se ocorrerem variações muito rápidas no sinal dereferência ou no sinal de feedback de uma aplicação,a variação entre referência/setpoint e o modo realdo processo mudarão rapidamente. O diferenciadorpode então tornar-se demasiadamente predominante.Isto ocorre porque ele está reagindo ao desvio entrea referência e o modo real do processo e, quantomais rápidas forem as mudanças na variância, maispoderosa se torna a contribuição de freqüênciapara o diferenciador. A contribuição de freqüênciado diferenciador pode estar limitada de forma talque podem ser pré-ajustados, tanto um temporazoável de diferenciação para as mudanças lentas,como também uma contribuição apropriada defreqüência para as mudanças rápidas. Isto é feitoutilizando-se a regulação de velocidade no parâmetro420 Limite de ganho diferencial da velocidade PID eem Regulação de processo no parâmetro 443 Limitede ganho diferencial no processo PID.

Filtro passa baixaSe houver muito ruído no sinal de feedback, ele podeser amortecido pela utilização de umfiltro passa baixaintegrado. Uma constante de tempo adequada épré-ajustada para o filtro passa baixa.Se o filtro passa baixa estiver pré-ajustado para 0,1s, a freqüência de corte será de 10 RAD/seg, o quecorresponde a (10 / 2 x π) = 1,6 Hz. Isto significaque todas as correntes/tensões que variarem maisde 1,6 oscilações por segundo serão amortecidas.Ou seja, só haverá regulação com base em um sinalde feedback cuja freqüência varie menos de 1,6 Hz.A constante de tempo apropriada é selecionada emRegulação de velocidade no parâmetro 421 Períododo filtro passa baixa do PID de velocidade e emRegulação de processo no parâmetro 444 Períododo filtro passa baixa do PID de processo.

Regulação inversaRegulação normal significa que a velocidade do motoré aumentada quando a referência/setpoint é maiorque o sinal de feedback. Se for necessário executara regulação inversa, na qual a velocidade é reduzidaquando a referência/setpoint for maior que o sinal defeedback, o parâmetro 437 Controle normal/inversodo PID deve ser programado como Inverso.

"Anti Windup"Na fábrica, o regulador de processo é pré-ajustadocom uma função "anti-windup" ativa. Esta funçãosignifica que quando um limite de freqüência, umlimite de corrente ou um limite de tensão é alcançado,o integrador é inicializado com uma freqüência quecorresponde à freqüência de saída atual. Isto é ummeio de evitar a integração de uma variância entre areferência e o modo real do processo que não podeser desregulado por intermédio de uma mudança develocidade. Esta função pode ser desselecionada noparâmetro 438 "Anti windup" no processo PID.

Condições de partidaEm algumas aplicações, a configuração ideal doregulador de processo significa que um intervalo detempo relativamente longo deve transcorrer antes quea condição requerida do processo seja alcançada.Nessas aplicações, pode ser uma boa idéia definiruma freqüência de saída com a qual o conversor defreqüência deva fazer o motor funcionar, antes queo regulador de processo seja ativado. Isto é feitopela programação de uma freqüência de partida noparâmetro 439 Processo PID freqüência de partida.

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 99

Page 100: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

■ Tratamento do feedbackO tratamento do feedback está descritoneste fluxograma.

O fluxograma mostra os parâmetros que podemafetar o tratamento do feedback e como podemfazê-lo. Pode ser feita uma escolha entre sinais defeedback de tensão, corrente e pulso.

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss100

Page 101: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Pro

gram

ação

NOTA!:Os parâmetros 417-421 só serão utilizados,caso no parâmetro 100 Configuraçãoa seleção feita seja Regulação de

velocidade, malha fechada [1].

417 Ganho proporcional do PID de velocidade

(SPEED PROP GAIN)

Valor:0,000 (OFF) - 1,000 ✭ 0,010

Funcão:Um ganho proporcional indica quantas vezeso erro (desvio entre o sinal de feedback e osetpoint) deve ser amplificado.

Descricão da selecão:A regulação rápida é obtida com uma elevadaamplificação, mas se a amplificação for elevadademais, o processo pode tornar-se instável seos limites forem ultrapassados.

418 Tempo de integração da velocidade PID

(SPEED INT. TIME)

Valor:20,00 - 999,99 ms (1000 = OFF) ✭ 100 ms

Funcão:O tempo de integração determina quanto tempo oregulador PID leva para corrigir o erro. Quanto maioro erro, mais rápido a contribuição da freqüência dointegrador aumenta. O tempo de integração é otempo necessário pelo integrador para fazer a mesmamudança que a amplificação proporcional.

Descricão da selecão:A regulação rápida é obtida com um tempo deintegração curto. Entretanto, se este tempo for curtodemais, isto pode tornar o processo instável. Se otempo de integração for longo, importantes desviosdo nível de referência requerido podem ocorrer, vistoque o regulador de processo levará mais tempopara regular, se um erro tiver ocorrido.

419 Tempo diferencial da velocidade PID

(SPEED DIFF. TIME)

Valor:0,00 (OFF) - 200,00 ms ✭ 20,00 ms

Funcão:O diferenciador não reage a um erro constante. Elesó fornece alguma contribuição se houver mudança

no erro. Quanto mais rápido o erro mudar, maiorserá o ganho do diferenciador. A contribuição éproporcional à velocidade na qual o erro muda.

Descricão da selecão:O controle rápido é obtido por um longo tempodiferencial. Entretanto, se este tempo for demasiadolongo, o processo pode ficar instável. Quando o tempodiferencial for 0 ms, a função D não estará ativa.

420 Limite de ganho-D da velocidade PID

(SPEED D-GAIN LIM)

Valor:5,0 - 50,0 ✭ 5,0

Funcão:É possível programar um limite para o ganho fornecidopelo diferenciador. Como o ganho-D aumentacom freqüências mais altas, pode ser útil limitar oganho. Isto possibilita a obtenção de uma ligação-Dpura nas baixas freqüências e uma conexão-Dconstante nas freqüências mais altas.

Descricão da selecão:Selecione o limite de ganho desejado.

421 Período do filtro passa baixa do PIDde velocidade

(SPEED FILT. TIME)

Valor:20 - 500 ms ✭ 100 ms

Funcão:O ruído do sinal de feedback é amortecido porum filtro passa baixa de primeira ordem parareduzir a influência do ruído na regulação. Istopode ser uma vantagem, por exemplo, se houvermuito ruído no sinal. Vide desenho.

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 101

Page 102: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Descricão da selecão:Se for programada uma constante de tempo (t) de 100ms, a freqüência de corte do filtro passa baixa será de1/0,1 = 10 RAD/seg., que corresponde a (10 / 2 x π) =1,6 Hz. O regulador PID somente regulará um sinal defeedback que variar numa freqüência inferior a 1,6 Hz.Se o sinal de feedback variar numa freqüência superiora 1,6 Hz, ele será amortecido pelo filtro passa baixa.

423 U1 voltage

(U1 VOLTAGE)

Valor:0,0 - 999,0 V ✭ par. 103

Funcão:Os paràmetros 423-428 são usados quando noparàmetro 101Torque characteristic tiver sido feita umaseleção de Special motor characteristic [8]. É possíveldeterminar uma característica U/f com base em quatrotensões e três freqüências definíveis. A tensão a 0 Hzé configurada no paràmetro 133 Start voltage.

Descricão da selecão:Programe a tensão de saída (U1) para quecorresponda â primeira freqüência de saída (F1),paràmetro 424 F1 frequency.

424 Freqüência F1

(F1 FREQUENCY)

Valor:0,0 - par. 426 Freqüência F2

✭ Par. 104 Freqüência do motor

Funcão:Vide parâmetro 423 Tensão U1.

Descricão da selecão:Programe a freqüência de saída (F1) quecorresponda à primeira tensão de saída (U1),parâmetro 423 Tensão U1.

425 Tensão U2(U2 VOLTAGE)

Valor:0,0 - 999,0 V ✭ par. 103

Funcão:Vide parâmetro 423 Tensão U1.

Descricão da selecão:Programe a tensão de saída (U2) que correspondaà segunda freqüência de saída (F2), parâmetro426 Freqüência F2.

426 Freqüência F2

(F2 FREQUENCY)

Valor:Par. 424 Freqüência F1 - par. 428 Freqüência F3

✭ Par. 104 Freqüência do motor

Funcão:Vide parâmetro 423 Tensão U1.

Descricão da selecão:Programe a freqüência de saída (F2) para quecorresponda à segunda tensão de saída (U2),parâmetro 425 Tensão U2.

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss102

Page 103: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Pro

gram

ação

427 Tensão U3(TENSÃO U3)

Valor:0,0 - 999,0 V ✭ par. 103

Funcão:Vide parâmetro 423 Tensão U1.

Descricão da selecão:Programe a tensão de saída (U3) de forma quecorresponda à terceira freqüência de saída (F3),parâmetro 428 Freqüência F3.

428 Freqüência F3

(F3 FREQUENCY)

Valor:Par. 426 Freqüência F2 - 1000 Hz

✭ Par. 104 Freqüência do motor

Funcão:Vide parâmetro 423 Tensão U1.

Descricão da selecão:Programe a freqüência de saída (F3) de formaque corresponda à terceira tensão de saída (U3),parâmetro 427 Tensão U3.

NOTA!:Os parâmetros 437-444 só são utilizadosse no parâmetro 100 Configuração houversido feita uma seleção de Regulação de

processo, malha fechada. [3].

437 Controle normal/inverso do PID de processo

(PROC NO/INV CTRL)

Valor:✭ Normal (NORMAL) [0]

Inverso (INVERSE) [1]

Funcão:É possível selecionar se o regulador de processodeve aumentar/reduzir a freqüência de saídase houver um desvio entre referência/setpointe o modo atual do processo.

Descricão da selecão:Se o conversor de freqüência tiver que reduzira freqüência de saída no caso de um aumentono sinal de feedback, selecione Normal [0].Se o conversor de freqüência tiver que aumentar

a freqüência de saída no caso de um aumento nosinal de feedback, selecione Inverso [1].

438 "Anti windup" no processo PID

(PROC ANTI WINDUP)

Valor:Não ativa (DISABLE) [0]

✭ Ativa (ENABLE) [1]

Funcão:É possível selecionar se um regulador de processodeve continuar regulando numa falha, mesmo que nãoseja possível aumentar/reduzir a freqüência de saída.

Descricão da selecão:A programação de fábrica vem com Ativa [1], o quesignifica que o vínculo de integração é inicializado emrelação à freqüência de saída real, caso o limite decorrente, limite de tensão ou a freqüência máx./mín.tenha sido alcançada. O regulador de processo nãoserá ativado novamente até que o erro seja zeroou seu sinal tenha mudado. Selecione Não ativa[0] se o integrador tiver que continuar integrandosobre um erro, mesmo que não seja possível eliminaro erro através dessa regulação.

NOTA!:Se Não ativa [0] for selecionado, significa quequando a falha muda de sinal, o integradorprimeiro terá que integrar a partir do nível

obtido como resultado da falha anterior, antes quehaja qualquer mudança na freqüência de saída.

439 Freqüência de partida no processo PID

(PROC START VALUE)

Valor:fMIN - fMAX (parâmetros 201/202)

✭ Par. 201 Freqüência de saída, limite inferior, fMIN

Funcão:Quando surge o sinal de partida, o conversor defreqüência reage na forma de Malha aberta e nãomudará para Malha fechada até que a freqüência departida programada seja alcançada. Isto possibilita aprogramação de uma freqüência que corresponda àvelocidade na qual o processo normalmente funciona,que permitirá que as condições requeridas peloprocesso sejam alcançadas mais depressa.

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 103

Page 104: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Descricão da selecão:Programe a freqüência de partida desejada.

NOTA!:Se o conversor de freqüência estiverfuncionando no limite de corrente antesque a freqüência desejada de saída seja

obtida, o regulador de processo não será ativado.Para que o regulador seja ativado de qualquermaneira, a freqüência de partida deve ser reduzidaaté a freqüência de saída desejada. Isto podeser feito durante a operação.

440 Ganho proporcional no processo PID

(PROC. PROP. GAIN)

Valor:0,0 - 10,00 ✭ 0,01

Funcão:O ganho proporcional indica o número de vezesem que deve ser aplicado o desvio entre o setpointe o sinal de realimentacão.

Descricão da selecão:A regulação rápida pode ser obtida através de um altoganho, mas se o ganho for muito alto, o processopode tornar-se instável em caso de exceder os limites.

441 Tempo de integração do processo PID

(PROC. INTEGR. T.)

Valor:0,01 - 9999,99 (OFF) ✭ OFF

Funcão:O integrador proporciona um ganho crescente sehouver um erro constante entre referência//setpointe o sinal de realimentacão. Quanto maior o erro,mais rápido a contribuição da freqüência dointegrador aumenta.O tempo de integração é otempo necessário pelo integrador para fazer a mesmamudança que o ganho proporcional.

Descricão da selecão:A regulação rápida é obtida num tempo de integraçãocurto. Entretanto, este tempo pode se tornardemasiado curto, podendo levar a tornar-se instávelem caso de exceder os limites. Se o tempo deintegração for longo, importantes desvios do setpointdesejado podem ocorrer, uma vez que o reguladorde processo levará mais tempo para regular emrelação a um determinado erro.

442 Tempo de diferenciação do processo PID

(PROC. DIFF. TIME)

Valor:0,00 (OFF) - 10,00 seg. ✭ 0,00 seg.

Funcão:O diferenciador não reage a um erro constante. Elesó fornece algum ganho se houver mudança de erro.Quanto mais rápido o desvio mudar, maior será oganho do diferenciador. O ganho é proporcionalà velocidade na qual o desvio muda.

Descricão da selecão:A regulação rápida é obtida com um longo tempode diferenciação. Entretanto, este tempo podetornar-se longo demais, tornando o processoinstável no caso de exceder os limites.

443 Limite de ganho diferencial no processo PID

(PROC. DIFF.GAIN)

Valor:5,0 - 50,0 ✭ 5,0

Funcão:É possível programar um limite para o ganho dodiferenciador. O ganho do diferenciador aumentaráse houver mudanças rápidas, razão pela qual podeser vantagem limitar este ganho. Daí um ganhonormal do diferenciador nas mudanças lentas e umganho constante do diferenciador onde ocorremas mudanças rápidas do erro.

Descricão da selecão:Selecione um limite apropriado para o ganhodo diferenciador.

444 Período do filtro passa baixa doprocesso PID

(PROC FILTER TIME)

Valor:0,02 - 10,00 ✭ 0,02

Funcão:O ruído no sinal de feedback é amortecido por umfiltro passa baixa de primeira ordem para reduzir seuimpacto na regulação do processo. Isto pode ser umavantagem, por exemplo, se houver muito ruído no sinal.

Descricão da selecão:Selecione a constante de tempo desejada (t). Sefor programada uma constante de tempo (t) de 0,1seg., a freqüência de corte do filtro passa baixa

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss104

Page 105: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Pro

gram

ação

será de 1/0,1 = 10 RAD/seg., que corresponde a(10 / (2 x π) = 1,6 Hz. O regulador de processoportanto só regulará um sinal de feedback que variede uma freqüência inferior a 1,6 Hz. Se o sinal defeedback variar numa freqüência superior a 1,6 Hz,ele será amortecido pelo filtro passa baixa.

445 Início rápido

(FLYING START )

Valor:✭ Desligado (DISABLE) [0]

OK - mesma direção(OK-SAME DIRECTION) [1]OK - ambas direções(OK-BOTH DIRECTIONS) [2]Freio e partida CC(DC-BRAKE BEF. START) [3]

Funcão:Esta função permite assumir o controle de ummotor que não é mais controlado pelo conversor defreqüência, por exemplo, por causa de uma queda detensão da rede. A função é ativada toda vez que umcomando de partida é ativado. Para que o conversorde freqüência possa assumir o eixo do motor emmovimento, a velocidade do motor deve ser inferior àfreqüência que corresponde à freqüência no parâmetro202 Freqüência de saída, limite superior, fMAX.

Descricão da selecão:Selecione Desativar [0] se esta função não for desejada.

Selecione OK - mesma direção [1] se o eixo do motorsó conseguir girar no mesmo sentido ao ser religado.OK - mesma direção [1] deve ser selecionado se noparâmetro 200 Gama da freqüência de saída houversido feita uma seleção de Somente sentido horário.

Selecione OK - ambas direções [2] se o motorconseguir girar em ambas as direções ao ser religado.

Selecione Freio e partida CC [3] se o conversorde freqüência tievr que ser capaz de freiar omotor utilizando o freio CC primeiro, seguidoda partida. Pressupõe-se que os parâmetros126-127/132 Freio CC estejam ativados. Nocaso de maiores efeitos de giro de um moinho devento (motor giratório), o conversor de freqüêncianão consegue assumir um motor em movimentosem selecionar Freio e partida CC.

Limitações:- Uma inércia muito baixa levará a uma aceleração

da carga, o que pode ser perigoso ou impedir

o controle correto de um motor em movimento.Neste caso utilize o freio CC.

- Se a carga for acionada, por exemplo, pelos efeitosdo moinho de vento (motor giratório), a unidadepode se desligar por conta da sobretensão.

- O início rápido não funciona com valoresinferiores a 250 rpm.

451 Fator de avanço do PID de velocidade

(FEEDFORWARD FACT)

Valor:0 - 500 % ✭ 100 %

Funcão:Este parâmetro só está ativo se no parâmetro 100Configuração a seleção feita for Regulação develocidade, malha fechada. A função FF envia umaparte maior ou menor do sinal de referência para forado controlador PID de modo que esse controlador sótenha influência sobre uma parte do sinal de controle.Qualquer alteração no ponto de operação terá umefeito direto na velocidade do motor. O fator FFproporciona um grande dinamismo quando o ponto deoperação é modificado, havendo menos flutuações.

Descricão da selecão:O valor de % exigido pode ser selecionado no intervalode fMIN - fMAX. Valores acima de 100 % são usados seas variações do ponto de operação forem pequenas.

452 Gama do controlador(PID CONTR. RANGE)

Valor:0 - 200 % ✭ 10 %

Funcão:Este parâmetro só está ativo se no parâmetro100 Configuração a seleção feita for Regulaçãode velocidade, malha fechada.A gama do controlador (largura de banda) limitaa saída do controlador PID como um % dafreqüência do motor fM,N.

Descricão da selecão:O valor de % pode ser selecionado para afreqüência do motor fM,N. Se a gama do controladorfor reduzida, as variações de velocidade serãomenores durante o ajuste inicial.

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 105

Page 106: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

456 Redução da tensão do freio

(BRAKE VOL REDUCE)

Valor:0 - 25 V se dispositivo de 200V ✭ 00 - 50 V se dispositivo de 400V ✭ 0

Funcão:O usuário define a tensão pela qual o nível daresistência de frenagem é reduzido. Só está ativoquando a resistência no parâmetro 400 for selecionada.

Descricão da selecão:Quanto maior a redução do valor, mais rápidaserá a reação para uma sobrecarga do gerador.Só deve ser usado se houver problemas desobretensão no circuito intermediário.

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss106

Page 107: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Pro

gram

ação

■ Comunicação serial para o VLT 2800

■ Protocolos

Todos os conversores de freqüência vêm equipadoscom uma porta RS 485 padrão, que possibilita umaopção entre dois protocolos. Os dois protocolos,que podem ser selecionados no parâmetro512 Perfil do telegrama, são:• Protocolo Profidrive• Protocolo Danfoss FC

Para selecionar o protocolo Danfoss FC, oparâmetro 512 Perfil do telegrama é programadopara Protocolo FC [1].

■ Transmissão de telegramasTelegramas de controle e de respostaA transmissão dos telegramas em um sistemamestre-escravo é controlada pelo mestre. Num únicomestre podem ser conectados até 31 escravos, amenos que sejam utilizados repetidores. Se foremusados repetidores, um máximo de 126 escravospodem ser conectados a um mestre.

O mestre envia continuamente telegramas aosescravos e aguarda telegramas de resposta deles. Otempo de resposta do escravo é de 50 ms, no máximo.

Só um escravo que tenha recebido um telegrama semerros é que pode enviar um telegrama de resposta.

"Broadcast"Um mestre pode enviar um telegrama ao mesmotempo a todos os escravos conectados ao bus.Durante a comunicação em "broadcast", o escravonão envia de volta ao mestre qualquer resposta aostelegramas indicando se telegrama foi corretamenterecebido ou não. A comunicação em "broadcast"é configurada no formato de endereço (ADR),consulte Estrutura dos telegramas.

Conteúdo de um caractere (byte)Cada caractere transferido começa com um bit departida. Em seguida, são transmitidos 8 bits de dados,que correspondem a um byte. Cada caractere possuium bit de paridade programado em "1" quando existeparidade (ou seja, quando existe um número igualde 1s nos 8 bits de dados e no bit de paridade nototal). Um caractere termina com um bit de paradae é portanto composto de 11 bits.

■ Estrutura dos telegramasCada telegrama começa com um caractere de partida(STX) = 02 Hex, seguido de um byte que indica ocomprimento do telegrama (LGE) e um byte que indicao endereço do conversor de freqüência (ADR). Segueentão um certo número de bytes de dados (variável,dependendo do tipo de telegrama). O telegramatermina com um byte de controle de dados (BCC).

Tempos do telegramaA velocidade de comunicação entre um mestre eum escravo depende da taxa baud. A taxa bauddo conversor de freqüência deve ser a mesma quea taxa baud do mestre e pode ser selecionadano parâmetro 501 Taxa baud.Após um telegrama de resposta do escravo, devehaver uma pausa de pelo menos 2 caracteres (22 bits)antes que o mestre possa enviar um novo telegrama.Com uma taxa baud de 9600 baud, a pausa deveser de pelo menos 2,3 ms. Quando o mestre houverterminado o telegrama, o tempo de resposta doescravo de volta ao mestre será de no máximo 20 mse haverá uma pausa de pelo menos 2 caracteres.

Tempo de pausa, mín: 2 caracteresTempo de resposta, mín: 2 caracteresTempo de resposta, máx: 20 ms

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 107

Page 108: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

O tempo entre os caracteres individuais de umtelegrama não pode ultrapassar 2 caracteres e otelegrama deve estar terminado dentro de 1,5 vezes otempo do telegrama nominal. Com uma taxa baud de9600 e um comprimento do telegrama de 16 byteso telegrama estará terminado após 27,5 mseg.

Comprimento do telegrama (LGE)O comprimento do telegrama é o número de bytesde dados, mais o byte de endereço ADR, maiso dado de controle de dados BCC.

Os telegramas com 4 bytes de dados têmum comprimento de:LGE = 4 + 1 + 1 = 6 bytesOs telegramas com 12 bytes de dados têmum comprimento de:LGE = 12 + 1 + 1 = 14 bytesO comprimento dos telegramas contendo textoé de 10+n bytes. Onde 10 representa oscaracteres fixos, enquanto ’n’ é variável (dependedo comprimento do texto).

Endereço do conversor de freqüência (ADR)São utilizados dois diferentes formatos deendereços, e a gama de endereços do conversorde freqüência é 1-31 ou 1-126.

1 Formato de endereço 1-31O byte de endereço da gama 1-31 tem o seguinte perfil:

Bit 7 = 0 (formato de endereço 1-31 ativo)Bit 6 não é utilizadoBit 5 = 1: "Broadcast", os bits de endereço(0-4) não são utilizadosBit 5 = 0: Sem "Broadcast"Bit 0-4 = Endereço 1-31 do conversor de freqüência

2 Formato de endereço 1-126O byte de endereço da gama 1 - 126 temo seguinte perfil:

Bit 7 = 1 (formato de endereço 1-126 ativo)Bit 0-6 = Endereço 1-126 do conversorde freqüênciaBit 0-6 = 0 "Broadcast"

O escravo envia o byte de endereço de volta, semalteração, no telegrama de resposta ao mestre.

Exemplo:escrevendo no endereço 22 (16H) do conversor defreqüência com o formato de endereço 1-31:

Byte de controle de dados (BCC)O byte de controle de dados é explicado neste exemplo:Antes que o primeito byte do telegrama seja recebido,o CheckSum Calculado (BCS) é 0.

Quando o primeiro byte (02H) houver sido recebido:BCS = BCC EXOR "primeiro byte"(EXOR = ou-exclusivo)

BCS = 0 0 0 0 0 0 0 0 (00H)EXOR

primeiro byte = 0 0 0 0 0 0 1 0 (02H)BCC = 0 0 0 0 0 0 1 0 (02H)

Cada byte subseqüente é filtrado por BCS EXORe produz um novo BCC, por exemplo.:

BCS = 0 0 0 0 0 0 1 0 (02H)EXOR

segundo byte = 1 1 0 1 0 1 1 0 (D6H)BCC = 1 1 0 1 0 1 0 0 (D4H)

■ Caractere de dados (byte)A estrutura dos blocos de dados depende do tipo detelegrama. Existem três tipos de telegramas e o tipo detelegrama aplica-se tanto aos telegramas de comando

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss108

Page 109: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Pro

gram

ação

(master⇒slave) como aos telegramas de resposta(slave⇒master). Os três tipos de telegramas são:- Bloco de parâmetros, usado para tansmitir

parâmetros entre o mestre e o escravo. O blocode dados é composto de 12 bytes (6 "words") econtém o bloco de processo, também.

- O boloco de processo é composto de um bloco dedados de quatro bytes (2 "words") e contém:- A palavra de controle e o valor de referência- A palavra de status e o valor atual da freqüênciade saída (do escravo para o mestre)

- Bloco de texto, usado para ler ou escrevertextos através do bloco de dados.

Comandos e respostas dos parâmetros (AK).

Os bits nos. 12-15 são utilizados para transmitiros comandos do mestre ao escravo e a respostaprocessada enviada do escravo ao mestre.

Comandos do parâmetro mestree⇒scravoBit no.11115555 11114444 11113333 11112222 CCCCoooommmmaaaannnnddddoooo ddddoooo ppppaaaarrrrââââmmmmeeeettttrrrroooo0 0 0 0 Nenhum comando0 0 0 1 Leitura do valor do parâmetro0 0 1 0 Escrita do valor do parâmetro na

RAM(word)

0 0 1 1 Escrita do valor do parâmetro naRAM(double word)

1 1 0 1 Escrita do valor do parâmetro naRAMe na EEprom (double word)

1 1 1 0 Escrita do valor do parâmetro naRAMe na EEprom (word)

1 1 1 1 Leitura/escrita de texto

Resposta do escravo⇒mestre

BBBBiiiitttt nnnnoooo.... RRRReeeessssppppoooossssttttaaaa

15 14 13 12

0 0 0 0 Nenhuma resposta

0 0 0 1 Valor do parâmetro transferido(word)

0 0 1 0 Valor do parâmetro transferido(double word)

0 1 1 1 O comando não pode serexecutado

1 1 1 1 Texto transferido

Se o comando não pode ser efetuado, o escravoenvia esta resposta: 0111 O comando não podeser executado e fornece o seguinte relatório deerro no valor do parâmetro (PWE):

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 109

Page 110: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

RRRReeeessssppppoooossssttttaaaa((((0000111111111111))))

RRRReeeellllaaaattttóóóórrrriiiioooo ddddeeee eeeerrrrrrrroooo

0 O número do parâmetro usadonão existe

1 Não há acesso de escritaao parâmetro definido

2 O valor dos dadosultrapassa os limites do parâmetro

3 O sub-índice utilizadonão existe

4 O parâmetro não é do tipo "array"5 O tipo de dados não corresponde

aoparâmetro definido

17 A modificação dos dados no parâ-metro definido não é possível nomodoatual do conversor de freqüência.Alguns parâmetros só podem sermodificadosquando o motor está desligado

130 Não existe acesso no "bus" aoparâmetro definido

131 Mudança de dados não é possívelporque aa programação de fábrica foiselecionada

Número de parâmetro (PNU)Os bits nos. 0-10 são utilizados para transmitir onúmero do parâmetro. A função de um determinadoparâmetro é definida na descrição do parâmetrona seção intitulada Programação.

Índice

O índice é utilizado em conjunto com o número doparâmetro para acesso de escrita/gravação nosparâmetros que têm índice; por exemplo, parâmetro615 Código das falhas. O índice é composto de2 bytes, um byte inferior e um byte superior, massomente o byte inferior é utilizado como índice.

Exemplo - Índice:O primeiro código de falha (índice [1]) no parâmetro615 Código das falhas é para ser lido.PKE = 1267 Hex (parâmetro de leitura 615Código das falhas.)IND = 0001 Hex - Índice no. 1.

O conversor de freqüência responderá no bloco dovalor de parâmetros (PWE) com um valor de códigode falha de 1 - 99. Vide Resumo de Advertênciase Alarmes para identificar o código da falha.

Valor do parâmetro (PWE)

O bloco de valor do parâmetro consiste de 2 "words"(4 bytes), e seu valor depende do comando dado(AK). Se o mestre solicitar um valor de parâmetro,o bloco PWE não contém um valor.Se você deseja que o mestre altere um valor deparâmetro (escrita), o novo valor é escrito no blocoPWE e enviado para o escravo.Se o escravo responder a uma solicitação de parâmetro(comando de leitura), o valor do parâmetro atual nobloco PWE é transmitido e devolvido ao mestre.Se um parâmetro não contiver um valor numérico, masvárias opções de dados, por exemplo, parâmetro 001Idioma onde [0] corresponde a Inglês e [3] correspondeao Dinamarquês, o valor de dados é selecionadoescrevendo-se o valor no bloco PWE. Vide Exemplo- Selecionando um valor para os dados.

Via comunicação serial, só é possível ler os parâmetrosque contenham o tipo de dados 9 (seqüência detexto). Parâmetro 621 - 635 Os dados da placa deidentificação são do tipo de dados 9. Por exemplo, noparâmetro 621 Tipo de unidade é possível ler o tamanhoda unidade e a gama de valores de tensão da rede.Quando uma seqüência de texto é transmitida (lida),o comprimento do telegrama é variável, da mesmaforma como também os textos são de comprimentovariável. O comprimento do telegrama é definido nosegundo byte do telegrama, conhecido como LGE.Para conseguir ler um texto via bloco PWE, o comandodo parâmetro (AK) deve ser programado com ’F’ Hex.

O caractere de índice é utilizado para indicar seo comando é de leitura ou escrita.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss110

Page 111: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Pro

gram

ação

Em um comando de leitura, o índice deveter o seguinte formato:

Alguns conversores de freqüência têm parâmetros paraos quais pode ser escrito um texto. Para conseguirescrever um texto via bloco PWE, o comando doparâmetro (AK) deve ser programado para ’F’ Hex.Em um comando de escrita, o texto deveter o seguinte formato:

Tipos de dados suportados pelo conversorde freqüência:

Tipos dedados

Descrição

3 Inteiro 164 Inteiro 325 Sem sinal 86 Sem sinal 167 Sem sinal 329 Seqüência de texto

Sem sinal significa que não há sinal operacionalno telegrama.

Exemplo - Escrever um valor de parâmetro:Parâmetro 202 Limite superior da freqüência de saída,fMAX a ser modificado para 100 Hz. O valor deve serchamado novamente após uma falha na tensão darede, de forma que ele seja escrito em EEPROM.

PKE = E0CA Hex - Escrita do parâmetro 202 Limitesuperior da freqüência de saída, fMAX

IND = 0000 HexPWEHIGH = 0000 HexPWELOW = 03E8 Hex - Valor de dados 1000,correspondente a 100 Hz, vide conversão.

A resposta do escravo para o mestre será:

Exemplo - Seleção de um valor de dados:Você deseja selecionar kg/hora [20] no parâmetro 416Unidades de processo. O valor deve ser chamadonovamente após uma falha na tensão da rede, deforma que ele seja escrito em EEPROM.

PKE = E19F Hex - Escrita no parâmetro416 Unidades de processoIND = 0000 HexPWEHIGH = 0000 HexPWELOW = 0014 Hex - Selecionar opçãode dados kg/hora [20]

A resposta do escravo para o mestre será:

Exemplo - Leitura de um valor de parâmetro:O valor no parâmetro 207 Tempo de aceleração1 é desejado.O mestre envia a seguinte solicitação:

PKE = 10CF Hex - ler o parâmetro 207Tempo de aceleração 1IND = 0000 HexPWEHIGH = 0000 HexPWELOW = 0000 Hex

Se o valor do parâmetro 207 Tempo de aceleração 1for 10 seg., a resposta do escravo para o mestre será:

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 111

Page 112: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Conversão:Na seção intitulada Programação de fábrica, sãomostrados os vários atributos de cada parâmetro.Como o valor do parâmetro só pode ser transferidona forma de um número inteiro, deve ser usado umfator de conversão para transmitir decimais.

Exemplo:Parâmetro 201 Limite mínimo da freqüência desaída fMIN tem um fator de conversão de 0,1. Sevocê deseja pré-ajustar a freqüência mínima para10 Hz, deve ser transmitido o valor 100, pois umfator de conversão de 0,1 significa que o valortransmitido é multiplicado por 0,1. O valor 100será, portanto, interpretado como 10,0.

Tabela de conversãoÍndice deconversão

Fator deconversão

73 0,12 1001 100 1-1 0,1-2 0,01-3 0,001-4 0,0001-5 0,00001

■ Palavras de ProcessoO bloco de palavras de processo é dividido emdois blocos de 16 bits, que sempre ocorremna seqüência definida.

PCD 1 PCD 2Telegrama decontrole(mestre⇒escravo)

"Controlword"

Valor dereferência

Telegrama decontrole(es-cravo⇒mestre)

"Statusword"

Freq. de saídaatual

■ Palavra de controle conforme o protocolo FCPara selecionar Protocolo FC na palavra de controle,o parâmetro 512 Perfil do telegrama deve serprogramado para Protocolo FC [1].

A palavra de controle é usada para enviar comandosde um mestre (um PC, por exemplo) para umescravo (conversor de freqüência).

Bit Bit =0 Bit =100 Referências lsb01 Referências msb02 Frenagem CC03 Parada por inércia04 Parada rápida05 Congelar freq. de

saída06 Parar aceleração Partida07 Reiniciar08 Jog09 Rampa 1 Rampa 210 Dados inválidos Dados válidos11 Sem função Relé 01, ativado12 Sem função Saída digital

Terminal 46ativado

13 SelecionarConfiguração, lsb

14 SelecionarConfiguração, msb

15 Reversão

Bit 00/01:O bit 00/01 é utilizado para selecionar entre asduas referências pré-programadas (parâmetros215-218 Referência pré-ajustada) de acordocom a seguinte tabela:

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss112

Page 113: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Pro

gram

ação

Ref.predefinida

Parâmetro Bit 01 Bit 00

1 215 0 02 216 0 13 217 1 04 218 1 1

NOTA!:No parâmetro 508 Seleção da referênciapré-ajustada é feita uma seleção para definircomo os Bits 00/01 são filtrados pela função

correspondente nas entradas digitais.

Bit 02, freio CC:Bit 02 = ’0’ provoca a frenagem e a parada de CC.A tensão e a duração do freio são predefinidasnos parâmetros 132 Tensão do freio de CC(DC BRAKE VOLTAGE) 126 Tempo de frenagemde CC (DC BRAKING TIME). Observação: Noparâmetro 504 Freio CC, é feita uma seleçãopara definir como é filtrado o Bit 02 com a funçãocorrespondente em uma entrada digital.

Bit 03, Coasting stop:Bit 03 = ’0’ habilita o conversor de freqüência a "liberar"o motor imediatamente (os transistores de saída são"desligados"), de modo que o motor gire até parar.Bit 03 = ’1’ habilita o conversor de freqüência adar partida no motor se as outras condições departida tiverem sido satisfeitas. Observação: Noparâmetro 502 Parada por inércia é feita uma seleçãopara definir como é filtrado o Bit 03 com a funçãocorrespondente em uma entrada digital.

Bit 04, Quick stop:Bit 04 = ’0’ provoca uma parada na qual a velocidadedo motor é reduzida até parar, através do parâmetro212 Tempo de parada rápida.

Bit 05, Freeze output frequency:Bit 05 = ’0’ congela a freqüência de saída atual (emHz). A freqüência congelada de saída agora só podeser modificada por intermédio das entradas digitaisprogramadas com Aceleração e Desaceleração.

NOTA!:Se Saída congelada o conversor de freqüêncianão pode ser parado através do Bit 06 Partidaou através de uma entrada digital. O conversor

de freqüência só pode ser parado pelo seguinte:• Bit 03 Parada por inércia• Bit 02 Frenagem CC• Entrada digital programada para Frenagem CC ,

Parada por inércia ou Reset e parada por inércia.

Bit 06, Ramp stop/start:O bit 06 = ’0’ provoca uma parada, na qual avelocidade do motor é levada a parar através doparâmetro parada de rampa selecionado.Bit 06 = ’1’ habilita o conversor de freqüência a dara partida no motor se outras condições de partidativerem sido satisfeitas. Observação: No parâmetro505 Partida, é feita uma seleção para definir comoé filtrado o Bit 06 Parada/partida em rampa com afunção correspondente em uma entrada digital.

Bit 07, Reset:Bit 07 = ’0’ não provoca um reinício.Bit 07 = ’1’ causa o reinício de um desarme. Oreinício é ativado no limite extremo do sinal, ou seja,na transição da lógica ’0’ para a lógica ’1’.

Bit 08, Jog:Bit 08 = ’1’ faz com que a freqüência de saída sejadeterminada pelo parâmetro 213 Freqüência de jog.

Bit 09, Seleção de rampa 1/2:Bit 09 = "0" significa que a rampa 1 está ativa(parâmetros 207/208). Bit 09 = "1" significa que arampa 2 (parâmetros 209/210) está ativa.

Bit 10, Dados não válidos/Dados válidos:É usado para informar ao conversor de freqüência sea palavra de controle deve ser utilizada ou ignorada.Bit 10 = ’0’ faz ignorar a palavra de controle, Bit 10= ’1’ faz utilizar a palavra de controle. Esta funçãoé relevante porque a "control word" está semprecontida no telegrama, independente do tipo detelegrama utilizado, ou seja, é possível desativar a"control word" se você não deseja utilizá-la vinculadaa parâmetros de atualização ou leitura.

Bit 11, Relé 01:Bit 11 = "0" Relê não ativado.Bit 11 = "1" Relé 01 ativado, desde que Bit da palavrade controle tenha sido escolhido no parâmetro 323.

Bit 12, Saída digital, terminal 46:Bit 12 = "0" A saída digital não foi ativada.Bit 12 = "1" Saída digital ativada, desde queBit da palavra de controle tenha sido escolhidono parâmetro 341.

Bit 13/14, Seleção de configuração:Bits 13 e 14 são usados para selecionar dos quatroSetups do menu, conforme a seguinte tabela:

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 113

Page 114: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Configuração Bit 14 Bit 131 0 02 0 13 1 04 1 1

A função só é possível quando Múltiplas Configuraçõesfor selecionada no parâmetro 004 Configuração ativa.Observação: No parâmetro 507 Seleção deConfiguração é feita uma seleção para definircomo são filtrados os Bits 13/14 com a funçãocorrespondente nas entradas digitais.

Bit 15 Inversão:Bit 15 = ’0’ não provoca inversão.Bit 15 = ’1’ provoca inversão.Observação: Na programação de fábrica, ainversão vem definida para digital no parâmetro506 Inversão (REVERSING). O bit 15 só provocaa reversão quando Comunicação serial, Lógicaor ou Lógica and for selecionada.

■ Palavra de estado de acordo com o Perfil FC

A palavra de estado é usada para informar o mestre(um PC, por exemplo) sobre o modo do escravo(conversor de freqüência). Escravo⇒Mestre.

Bit Bit =0 Bit =100 Controle pronto01 Unidade pronta02 Parada por inércia03 Sem trip Trip04 Não usado05 Não usado06 Bloqueio de trip07 Sem aviso Aviso08 Velocidade ≠ ref. Velocidade = ref.09 Controle local Comunicação serial10 Fora da

faixa de freqüênciaLimite de freqüência

OK11 Motor em

funcionamento1213 Aviso de tensão14 Limite de corrente15 Aviso de temperatura

Bit 00, Controle pronto:Bit 00 = ’1’. O conversor de freqüência estápronto para funcionar.

Bit 00 = ’0’. O conversor de freqüência nãoestá pronto para funcionar.

Bit 01, Unidade pronta:Bit 01 = ’1’. O conversor de freqüência estápronto para funcionar, mas existe um comandode parada por inércia ativo através de entradasdigitais ou via comunicação serial.

Bit 02, Parada por inércia:Bit 02 = ’0’. O conversor de freqüência liberou o motor.Bit 02 = ’1’. O conversor de freqüência pode dar partidano motor quando for dado um comando de partida.

Bit 03, Sem trip/trip:Bit 03 = ’0’ significa que o conversor de freqüêncianão está em modo de erro.Bit 03 = ’1’ significa que o conversor de freqüênciaestá em "trip" e que precisa de um sinal de reset paraque seu funcionamento seja reestabelecido.

Bit 04, Não usado:Bit 04 não é usado na palavra de estado.

Bit 05, Não usado:Bit 05 não é usado na palavra de estado.

Bit 06, Bloqueio de trip:Bit 06 = ’0’ significa que o conversor de freqüêncianão está com o trip bloqueado.Bit 06 = ’1’ significa que o conversor de freqüência estácom o trip bloqueado e não pode ser reinicializadoenquanto a alimentação da rede não for removida. Otrip pode ser reinicializado com retorno de controleexterno de 24 V ou após a reconexão da alimentação.

Bit 07, Sem aviso/aviso:Bit 07 = ’0’ significa que não há avisos.Bit 07 = ’1’ significa que houve um aviso.

Bit 08, Velocidade≠ ref/velocidade = ref.:Bit 08 = ’0’ significa que o motor está funcionando,mas que a velocidade atual é diferente da referênciade velocidade predefinida. Este pode ser o caso, porexemplo, da velocidade em aceleração/desaceleraçãodurante a partida/parada.Bit 08 = ’1’ significa que a velocidade atual do motor éa mesma que a referência de velocidade pré-ajustada.

Bit 09, Controle da operação local/comunicação serial:Bit 09 = ’0’ significa que [STOP/RESET] estáativado na unidade de controle ou que Controlelocal no parâmetro 002 Controle local/remoto estáselecionado. Não é possível controlar o conversorde freqüência via comunicação serial.Bit 09 = ’1’ significa que é possível controlar oconversor de freqüência via comunicação serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss114

Page 115: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Pro

gram

ação

Bit 10, Fora da faixa de freqüência:Bit 10 = ’0’, se a freqüência de saída tiver alcançadoo valor do parâmetro 201 Freqüência máx. desaída ou do parâmetro 202 Freqüência mín. desaída. Bit 10 = "1" significa que a freqüência desaída está dentro dos limites definidos.

Bit 11, Funcionando/não funcionando:Bit 11 = ’0’ significa que o motor não está funcionando.Bit 11 = ’1’ significa que o conversor de freqüênciatem um sinal de partida ou que a freqüênciade saída é maior que 0 Hz.

Bit 13, Aviso de tensão alta/baixa:Bit 13 = ’0’ significa que não há avisos de tensão.Bit 13 = ’1’ significa que a tensão CC no circuitointermediário do conversor de freqüência estámuito baixa ou muito alta.

Bit 14, Limite de corrente:Bit 14 = ’0’ significa que a corrente de saída é menorque o valor do parâmetro 221 Limite de corrente ILIM.Bit 14 = ’1’ significa que a corrente de saída é maiorque o valor do parâmetro 221 Limite de corrente ILIM

e que o conversor de freqüência entrará em "trip"após um intervalo de tempo definido.

Bit 15, Aviso de temperatura:Bit 15 = ’0’ significa que não há aviso de temperatura.Bit 15 = ’1’ significa que o limite de temperaturafoi excedido no motor, no conversor de freqüênciaou em um termistor que esteja conectadoa uma entrada digital.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 115

Page 116: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

■ Palavra de controle conforme o protocolo profidrive

Para selecionar Profidrive na palavra de controle,o paràmetro 512 Telegram Profile deve serconfigurado para Profidrive [0].

A palavra de controle é usada para enviar comandosde um mestre (um PC, por exemplo) para um escravo(conversor de freqüência). Mestre_Escravo.

Bit Bit = 0 Bit =100 DESLIGADO 1 LIGADO 101 DESLIGADO 2 LIGADO 202 DESLIGADO 3 LIGADO 303 Coasting stop04 Quick stop05 Freeze outp. freq.06 Ramp stop Start07 Reset08 Jog bus 109 Jog bus 210 Data not valid Data valid11 Slow down12 Catch-up13 Select Setup (lsb)14 Select Setup (msb)15 Reversing

Bit 00-01-02, OFF1-2-3/ON1-2-3:Bit 00-01-02 = ’0’ causa parada da rampa, queutiliza o tempo de aceleração/desaceleração nosparàmetros 207/208 ou 209/210.Se Relay 123 estiver selecionado no paràmetro323 Relay output, o relé de saída será ativadoquando a freqüência de saída for 0 Hz.Bit 00-01-02 = ’1’ significa que o conversor defreqüência pode dar partida no motor se foremsatisfeitas outras condições de partida.

Bit 03, Coasting stop:Consulte a descrição em Palavra de controleconforme o protocolo FC.

Bit 04, Quick stop:Consulte a descrição em Palavra de controleconforme o protocolo FC.

Bit 05, Freeze output frequency:Consulte a descrição em Palavra de controleconforme o protocolo FC.

Bit 06, Ramp stop/start:Cons ulte a descrição em Palavra de controleconforme o protocolo FC.

Bit 07, Reset:Consulte a descrição em Palavra de controleconforme o protocolo FC.

Bit 08, Jog 1:Bit 08 = "1" significa que a freqüência de saída édeterminada pelo paràmetro 09 Bus jog 1.

Bit 09, Jog 2:Bit 09 = "1" significa que a freqüência de saída édeterminada pelo paràmetro 510 Bus jog 2.

Bit 10, Data not valid/Data valid:Consulte a descrição em Palavra de controleconforme o protocolo FC.Bit 11, Slow-down:Usado para reduzir a referência de velocidade noparàmetro 219 Catch-up/slow-down reference.Bit 11 = ’0’ não provoca qualquer mudançana referência.Bit 11 = ’1’ significa que a referência é reduzida.

Bit 12, Catch-up:Usado para aumentar a referência develocidade pelo valor contido no paràmetro219 Catch-up/slow-down reference.Bit 12 = ’0’ não provoca qualquer mudançana referência.Bit 12 = ’1’ significa que a referência é aumentada.Se tanto Slow down quanto Catch-up estiveremativados (bits 11 e 12 = "1"), slow-down teráa maior prioridade, ou seja, a velocidade dereferência será reduzida.

Bit 13/14, Selection of Setup:Consulte a descrição em Palavra de controleconforme o protocolo FC.

Bit 15 Reversing:Consulte a descrição em Palavra de controleconforme o protocolo FC.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss116

Page 117: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Pro

gram

ação

■ Palavra de estado conforme o protocolo Profidrive

A palavra de estado conforme o protocolo Profidriveé usada para informar o mestre (um PC, porexemplo) sobre o modo do escravo (conversorde freqüência). Escravo⇒Mestre.

Bit Bit =0 Bit =100 Control ready01 Drive ready02 Coasting stop03 No trip Trip04 LIGADO 2 DESLIGADO 205 LIGADO 3 DESLIGADO 306 Start enable Start disable07 Warning08 Speed ≠ ref. Speed = ref.09 Local control Ser. communi.10 Outside

frequency rangeFrequency limit

OK11 Motor running1213 Voltage warn.14 Current limit15 Thermal warn.

Bit 00, Control not ready/ready:Bit 00 = ’0’ significa que o Bit 00, 01 ou 02 na palavrade controle é ’0’ (OFF1, OFF2 ou OFF3) ou que oconversor de freqüência não está pronto para funcionar.Bit 00 = ’1’ significa que o conversor de freqüênciaestá pronto para funcionar.

Bit 01, Drive ready:Consulte a descrição em Palavra de estadoconforme o protocolo FC.

Bit 02, Coasting stop:Bit 02 = ’0’ significa que o bit 00, 02 ou 03 na palavrade controle é "0" (OFF1, OFF3 ou Coasting stop).Bit 02 = ’1’ significa que os bits 00, 01, 02 e 03na palavra de controle são "1" e que o conversorde freqüência não entrou em trip.

Bit 03, No trip/trip:Consulte a descrição em Palavra de estadoconforme o protocolo FC.

Bit 04, LIGADO 2/DESLIGADO 2:

Bit 04 = ’0’ significa que o bit 01 na palavrade controle = ’1’.Bit 04 = ’1’ significa que o bit 01 na palavrade controle = ’0’.

Bit 05, LIGADO 3/DESLIGADO 3:Bit 05 = ’0’ significa que o bit 02 na palavrade controle = ’1’.Bit 05 = ’1’ significa que o bit 02 na palavrade controle = ’0’.

Bit 06, Start enable/start disable:Bit 06 = ’1’ após o reset de um trip, após a ativaçãode DESLIGADO2 ou DESLIGADO3 e após a ligaçãoda tensão da rede. Start disable é reinicializadoconfigurando-se o bit 00 na palavra de controle como’0’ e os bits 01, 02 e 10 são definidos como ’1’.

Bit 07, Warning:Consulte a descrição em Palavra de estadoconforme o protocolo FC.

Bit 08, Speed:Consulte a descrição em Palavra de estadoconforme o protocolo FC.

Bit 09, No warning/warning:Consulte a descrição em Palavra de estadoconforme o protocolo FC.

Bit 10, Speed ≠ ref/speed = ref.:Consulte a descrição em Palavra de estadoconforme o protocolo FC.

Bit 11, Running/not running:Consulte a descrição em Palavra de estadoconforme o protocolo FC.

Bit 13, Advertência de tensão alta/baixa:Consulte a descrição em Palavra de estadoconforme o protocolo FC.

Bit 14, Current limit:Consulte a descrição em Palavra de estadoconforme o protocolo FC.

Bit 15, Thermal war ning:Consulte a descrição em Palavra de estadoconforme o protocolo FC.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 117

Page 118: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

■ Referência da comunicação serial

A referência de comunicação serial é transmitidapara o conversor de freqüência na forma de uma"word" de 16 bits. O valor é transferido em númerosinteiros de 0 - ±32767 (±200%).16384 (4000 Hex) corresponde a 100%.

A referência da comunicação serial tem o seguinteformato: 0-16384 (4000 Hex) 0-100% (Par. 204Ref. mínima - Par. 205 Ref. máxima).

É possível modificar o sentido da rotação porintermédio da referência serial. Isto é feitoconvertendo-se o valor da referência binária paraum complemento de 2. Vide exemplo.

Exemplo - "Control word" e ref. da comunicação serial:O conversor de freqüência deve receber um comandode partida e a referência deve ser configurada para50% (2000 Hex) da gama de referência."Control word" = 047F Hex⇒ Comando de partida.Referência = 2000 Hex ⇒ referência de 50%.

O conversor de freqüência deve receber um comandode partida e a referência deve ser configurada para-50% (-2000 Hex) da gama de referência.O valor de referência é inicialmente convertido paracomplemento de 1 e, em seguida, adicionado embinário para obter-se o complemento de 2:

2000 Hex 0010 0000 0000 0000 0000Complemento de1

1101 1111 1111 1111 1111

+ 1Complemento de2

1110 0000 0000 0000 0000

"Control word" = 047F Hex⇒ Comando de partida.Referência = E000 Hex ⇒ -50% de referência.

■ Freqüência de saída atual

O valor atual da freqüência de saída do conversorde freqüência é transmitido sob forma de uma"word" de 16 bits. O valor é transmitido comonúmero inteiro de 0 - ±32767 (±200%).16384 (4000 Hex) corresponde a 100%.

A freqüência de saída tem o seguinte formato:0-16384 (4000 Hex) 0-100% (Par. 201 Limitemínimo da freqüência de saída - Par. 202 Limitemáximo da freqüência de saída).

Exemplo - "Status word" e freqüência de saída atual:O mestre recebe uma mensagem de status doconversor de freqüência indicando que a freqüência desaída atual é de 50% da gama de freqüência de saída.Par. 201 Limite mínimo da freqüência de saída = 0 HzPar. 202 Limite máximo da freqüência de saída = 50 Hz

"Status word" = 0F03 Hex.Freqüência de saída= 2000 Hex⇒ 50% da gama dafreqüência de saída, que corresponde a 25 Hz.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss118

Page 119: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Pro

gram

ação

■ Comunicação serial

500 Endereço

(BUS ADDRESS)

Valor:0 - 126 ✭ 1

Funcão:Este parâmetro permite a alocação de umendereço para cada conversor de freqüência deuma rede de comunicação serial.

Descricão da selecão:Cada conversor de freqüência deve ser alocadoa um endereço exclusivo.Se o número de unidades conectadas (conversorde freqüência + mestre) for superior a 31, deveser utilizado um repetidor.Parâmetro 500 Endereço não pode ser selecionadovia porta serial, mas deve ser pré-ajustadoatravés da unidade de controle.

501 Taxa Baud(BAUDRATE)

Valor:300 Baud (300 BAUD) [0]600 Baud (600 BAUD) [1]1200 Baud (1200 BAUD) [2]2400 Baud (2400 BAUD) [3]4800 Baud (4800 BAUD) [4]

✭ 9600 Baud (9600 BAUD) [5]

Funcão:Este parâmetro destina-se à programação davelocidade na qual os dados são transmitidos viaporta serial. A taxa Baud representa o númerode bits transferidos por segundo.

Descricão da selecão:A velocidade de transmissão do conversor defreqüência deve ser configurada com um valor quecorresponda à velocidade de transmissão do mestre.Parâmetro 501 Taxa Baud não pode ser selecionadovia porta serial, mas deve ser pré-ajustado atavésda unidade de operação.

502 Parada por inércia

(COASTING SELECT)

Valor:Entrada digital (DIGITAL INPUT) [0]Porta serial (SERIAL PORT) [1]

Lógica e (LOGIC AND) [2]✭ Lógica ou (LOGIC OR) [3]

Funcão:Os parâmetros 502-508 permitem uma escolhaentre o controle do conversor de freqüência pelasentradas digitais e/ou pela porta serial.Se Porta serial [1] for selecionada, o comando emquestão só poderá ser ativado se um comandofor dado pela porta serial.No caso de Lógica e [2] a função também deve serativada através de uma entrada digital.

Descricão da selecão:A tabela abaixo mostra quando o motor estáfuncionando e quando ele está parando porinércia, quando cada um dos seguintes itens forselecionado: Entrada digital [0], Porta serial [1],Lógica e [2] ou Lógica ou [3].

NOTA!:Observe queParada por inércia e o Bit03 na palavra de controle estão ativoscom o estado lógico ’0’.

Entrada digital [0]Ent.

digitalPortaserial

Função

0 0 Parada por inércia0 1 Parada por inércia1 0 Motor funcionando1 1 Motor funcionando

Porta serial [1]Ent.

digitalPortaserial

Função

0 0 Parada por inércia0 1 Motor funcionando1 0 Parada por inércia1 1 Motor funcionando

Lógica e [2]Ent.

digitalPortaserial

Função

0 0 Parada por inércia0 1 Motor funcionando1 0 Motor funcionando1 1 Motor funcionando

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 119

Page 120: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Lógica ou [3]Ent.

digitalPortaserial

Função

0 0 Parada por inércia0 1 Parada por inércia1 0 Parada por inércia1 1 Motor funcionando

503 Parada rápida

(Q STOP SELECT)

Valor:Entrada digital (DIGITAL INPUT) [0]Porta serial (SERIAL PORT) [1]Lógica e (LOGIC AND) [2]

✭ Lógica ou (LOGIC OR) [3]

Funcão:Vide descrição do parâmetro 502 Parada por inércia.

Descricão da selecão:A tabela abaixo mostra quando o motor estáfuncionando e quando ele está no modo ParadaRápida, quando cada um dos itens abaixo forselecionado: Entrada digital [0], Porta serial [1],Lógica e [2] ou Lógica ou [3].

NOTA!:Observe que Parada rápida inversa e oBit 04 na palavra de controle estão ativosno estado lógico ’0’.

Entrada digital [0]Ent. digital Porta serial Função

0 0 Parada rápida0 1 Parada rápida1 0 Motor

funcionando1 1 Motor

funcionando

Porta serial [1]Ent. digital Porta serial Função

0 0 Parada rápida0 1 Motor

funcionando1 0 Parada rápida1 1 Motor

funcionando

Lógica e [2]Ent. digital Porta serial Função

0 0 Parada rápida0 1 Motor

funcionando1 0 Motor

funcionando1 1 Motor

funcionando

Lógica ou [3]Ent. digital Porta serial Função

0 0 Parada rápida0 1 Parada rápida1 0 Parada rápida1 1 Motor

funcionando

504 Freio CC(DC BRAKE SELECT)

Valor:Entrada digital (DIGITAL INPUT) [0]Porta serial (SERIAL PORT) [1]Lógica e (LOGIC AND) [2]

✭ Lógica ou (LOGIC OR) [3]

Funcão:Vide descrição da função no parâmetro 502Parada por inércia.

Descricão da selecão:A tabela abaixo mostra quando o motor estiverfuncionando e a frenagem CC, quando cada um dosseguintes itens for selecionado Entrada digital [0],Porta serial [1], Lógica e [2] or Lógica ou [3].

NOTA!:Observe que Frenagem CC inversa e oBit 02 na palavra de controle estão ativosno estado lógico ’0’.

Entrada digital [0]Entradadigital

Porta serial Função

0 0 Frenagem CC0 1 Frenagem CC1 0 Motor

funcionando1 1 Motor

funcionando

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss120

Page 121: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Pro

gram

ação

Porta serial [1]Ent. digital Porta serial Função

0 0 Frenagem CC0 1 Motor

funcionando1 0 Frenagem CC1 1 Motor

funcionando

Lógica e [2]Ent. digital Pota serial Função

0 0 Frenagem CC0 1 Motor

funcionando1 0 Motor

funcionando1 1 Motor

funcionando

Lógica ou [3]Ent. digital Porta serial Função

0 0 Frenagem CC0 1 Frenagem CC1 0 Frenagem CC1 1 Motor

funcionando

505 Partida(START SELECT)

Valor:Entrada digital (DIGITAL INPUT) [0]Porta serial (SERIAL PORT) [1]Lógica e (LOGIC AND) [2]

✭ Lógica ou (LOGIC OR) [3]

Funcão:Vide descrição da função no parâmetro 502Parada por inércia.

Descricão da selecão:A tabela abaixo mostra quando o motor houverparado e quando o conversor de freqüência receberum comando de partida, quando cada um dosseguintes itens for selecionado: Entrada digital [0],Porta serial [1], Lógica e [2] ou Lógica ou [3].

Entrada digital [0]Ent. digital Porta serial Função

0 0 Parada0 1 Parada1 0 Partida1 1 Partida

Porta serial [1]Ent. digital Porta serial Função

0 0 Parada0 1 Partida1 0 Parada1 1 Partida

Lógica e [2]Ent. digital Porta serial Função

0 0 Parada0 1 Parada1 0 Parada1 1 Partida

Lógica ou [3]Ent. digital Porta serial Função

0 0 Parada0 1 Partida1 0 Partida1 1 Partida

506 Reversão(REVERSING SELECT)

Valor:Entrada digital (DIGITAL INPUT) [0]Porta serial (SERIAL PORT) [1]Lógica e (LOGIC AND) [2]

✭ Lógica ou (LOGIC OR) [3]

Funcão:Vide descrição da função no parâmetro 502Parada por inércia.

Descricão da selecão:A tabela abaixo mostra quando o motor estáfuncionando no sentido horário e no sentidoanti-horário, quando cada um dos seguintes itensfor selecionado: Entrada digital [0], Porta serial[1], Lógica e [2] ou Lógica ou [3].

Entrada digital [0]Ent. digital Porta serial Função

0 0 Sentido horário0 1 Sentido anti-horário1 0 Sentido anti-horário1 1 Sentido anti-horário

Porta serial [1]Ent. digital Porta

serialFunção

0 0 Sentido horário0 1 Sentido anti-horário1 0 Sentido horário1 1 Sentido anti-horário

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 121

Page 122: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Lógica e [2]Ent. digital Porta serial Função

0 0 Sentido horário0 1 Sentido horário1 0 Sentido horário1 1 Sentido anti-horário

Lógica ou [3]Ent. digital Porta serial Função

0 0 Sentido horário0 1 Sentido anti-horário1 0 Sentido anti-horário1 1 Sentido anti-horário

507 Seleção de Configuração

(SETUP SELECT)

Valor:Entrada digital (DIGITAL INPUT) [0]Comunicação serial (SERIAL PORT) [1]Lógica and (LOGIC AND) [2]

✭ Lógica or (LOGIC OR) [3]

Funcão:Vide descrição da função no parâmetro 502Parada por inércia.

Descricão da selecão:A tabela abaixo mostra qual Configuração (parâmetro004 Configuração ativa) é selecionada quando cadaum dos itens abaixo for selecionado: Entrada digital [0],Comunicação serial [1], Lógica and [2] ou Lógica or [3].

Entrada digital [0]Configuração

msbConfiguração

lsbFunção

0 0 Setup 10 1 Setup 21 0 Setup 31 1 Setup 4

Comunicação serial [1]Configuração

msbConfiguração

lsbFunção

0 0 Setup 10 1 Setup 21 0 Setup 31 1 Setup 4

Lógica and [2]Config-uraçãodo Bus

msb

Config-uraçãodo Bus

lsb

Config.Dig.msb

Config.Dig.lsb

Config.no.

0 0 0 0 10 0 0 1 10 0 1 0 10 0 1 1 10 1 0 0 10 1 0 1 20 1 1 0 10 1 1 1 21 0 0 0 11 0 0 1 11 0 1 0 31 0 1 1 31 1 0 0 11 1 0 1 21 1 1 0 31 1 1 1 4

Lógica or [3]Config-uraçãodo Bus

msb

Config-uraçãodo Bus

lsb

Config.Dig.msb

Config.Dig.lsb

Config.no.

0 0 0 0 10 0 0 1 20 0 1 0 30 0 1 1 40 1 0 0 20 1 0 1 20 1 1 0 40 1 1 1 41 0 0 0 31 0 0 1 41 0 1 0 31 0 1 1 41 1 0 0 41 1 0 1 41 1 1 0 41 1 1 1 4

508 Seleção da ref. pré-ajustada.

(PRES.REF. SELECT)

Valor:Entrada digital (DIGITAL INPUT) [0]Comunicação serial (SERIAL PORT) [1]Lógica and (LOGIC AND) [2]

✭ Lógica or (LOGIC OR) [3]

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss122

Page 123: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Pro

gram

ação

Funcão:Vide descrição da função no parâmetro 502Parada por inércia.

Descricão da selecão:As referências pré-ajustadas via comunicação serialestão ativas quando o parâmetro 512 Perfil dotelegrama está configurado para Protocolo FC [1].

509 Jog bus 1 (BUS JOG 1 FREQ.)

510 Jog bus 2 (BUS JOG 2 FREQ.)

Valor:0,0 - par. 202 Limite máximo da freqüência de saída

✭ 10,0 Hz

Funcão:Se o parâmetro 512 Perfil do telegrama mostrar aseleção Profidrive [0], poderão ser selecionadas duasvelocidades fixas (Jog 1 ou Jog 2) via porta serial.A função é a mesma que a do parâmetro213 Freqüência de jog.

Descricão da selecão:A freqüência de jog fJOG pode ser selecionadaentre 0 Hz e fMAX.

512 Perfil do telegrama

(PERFIL DO TELEGRAMA)

Valor:Profidrive (PROFIDRIVE) [0]

✭ Protocolo FC (FC PROTOCOL) [1]

Funcão:É possível escolher entre os dois diferentesperfis da palavra de controle.

Descricão da selecão:Selecione o perfil desejado para a palavra de controle.Vide Porta serial para o VLT 2800 para obter maisdetalhes sobre os perfis da palavra de controle.

513 Tempo limite do bus

(BUS TIMEOUT TIME)

Valor:1 - 99 seg. ✭ 1 seg.

Funcão:Neste parâmetro, é possível pré-ajustar o tempomáximo que deverá transcorrer entre o recebimentode dois telegramas consecutivos. Se este tempo for

excedido, será presumido que a comunicação serialparou e que a reação desejada está pré-ajustada noparâmetro 514 Função de intervalo de tempo do bus.

Descricão da selecão:Predefina o tempo desejado.

514 Função de tempo limite do bus

(BUS TIMEOUT FUNC)

Valor:✭ Desligado (OFF) [0]

Saída congelada de freqüência (FREEZE OUTPUT) [1]Parada (STOP) [2]Jog (JOGGING) [3]Máx. velocidade (MAX SPEED) [4]Parada e trip (STOP AND TRIP) [5]

Funcão:Neste parâmetro você pode selecionar a reaçãodesejada para o conversor de freqüência quandofor excedido o tempo pré-ajustado no parâmetro513 Tempo limite do Bus. Se as opções de [1] a [5]estiverem ativas, o relé de saída será desativado.

Descricão da selecão:A freqüência de saída do conversor de freqüênciapode ser congelada com o valor atual, parar omotor, ser congelada no parâmetro 213 Freqüênciade jog, ser congelada com o valor do parâmetro202 Limite máximo da freqüência de saída fMAX

ou parar e ativar um desligamento.

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 123

Page 124: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

555511115555----555544444444 LLLLeeeeiiiittttuuuurrrraaaa ddddeeee ddddaaaaddddoooossssVVVVaaaalllluuuueeee::::Par.nº

Descrição Texto do display Unidade Intervalode atualização

515 Ref. resultante (REFERENCE %) %516 Ref. resultante [Unidade] (REFERENCE [UNIT]) Hz, rpm517 Feedback [Unidade] (FEEDBACK [UNIT]) Par. 416518 Freqüência (FREQUENCY) Hz519 Freqüência x escala (FREQUENCY X SCALE) Hz520 Corrente do motor (MOTOR CURRENT) Amp521 Torque (TORQUE) %522 Potência[kW] (POWER (KW)) kW523 Potência[HP] (POWER (HP)) HP524 Tensão do motor (MOTOR VOLTAGE) V525 Tensão de ligação CC (DC LINK VOLTAGE) V526 Temperatura do motor (MOTOR THERMAL) %527 Temperatura do inversor (INV. THERMAL) %528 Entrada digital (DIGITAL INPUT) Bin529 Term.53, entrada analógica (ANALOG INPUT 53) V531 Term.60, entrada analógica (ANALOG INPUT 60) mA532 Referência por pulso (PULSE REFERENCE) Hz533 Ref. externa (EXT. REF.%) %534 Palavra de estado, Hex (STATUS WORD) Hex535 Feedback de barramento 1 (BUS FEEDBACK1) Hex537 Temperatura do inversor (INVERTER TEMP.) °C538 Palavra de alarme (ALARM WORD) Hex539 Palavra de controle (CONTROL WORD) Hex540 Palavra de advertência (WARN. WORD) Hex541 Palavra de estado estendida (STATUS WORD) Hex544 Contador de pulsos (PULSE COUNT)

Funcão:Esses paràmetros podem ser lidos via porta decomunicação serial e via display do LCP. Veja tambémos parâmetros 009-012 Leitura do visor.

NOTA!:Os paràmetros 515-541 só podem ser lidos porintermédio de uma unidade de controle LCP.

Descricão da selecão:Referência resultante %, paràmetro 515:

Dá a referência resultante como uma porcentagemda faixa que vai da Referência mínima, RefMIN

à Referência máxima, RefMAX. Veja tambémLidando com referências.

Referência resultante [unidade], paràmetro 516:Dá a referência resultante em Hz em Malha aberta(paràmetro 100). Em uma malha fechada, aunidade de referência é selecionada no paràmetro416 Unidades de processo.

Feedback [unidade], paràmetro 517:Dá o valor de feedback resultante com a unidade/escalaselecionada nos paràmetros 414, 415 e 416. Vejatambém como lidar com o feedback.

Freqüência [Hz], paràmetro 518:Dá a freqüência de saída do conversor de freqüência.

Freqüência x escala [-], paràmetro 519:corresponde à freqüência de saída atual fM multiplicadapelo fator predefinido no parâmetro 008 Escalada freqüência de saída no display.

Corrente do motor [A], paràmetro 520:Dá a corrente de fase do motor medidacomo valor eficaz.

Torque [Nm], paràmetro 521:

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss124

Page 125: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Pro

gram

ação

Dá a carga atual do motor em relação aotorque nominal do motor.

Potência [kW], paràmetro 522:Dá a potência atual absorvida pelo motor em kW.

Potência [HP], paràmetro 523:Dá a potência atual absorvida pelo motor em HP.

Tensão do motor, parâmetro 524:Dá a tensão que está sendo fornecida ao motor.

Tensão de ligação CC, parâmetro 525:Dá a tensão no circuito intermediário doconversor de freqüência.

Carga térmica, motor [%], paràmetro 526:Dá a carga térmica calculada/estimada no motor.100% é o limite de interrupção. Veja também oparàmetro 128 Proteção térmica do motor.

Carga térmica INV [%], paràmetro 527:Dá a carga térmica calculada/estimada no conversorde freqüência. 100% é o limite de interrupção.

Entrada digital, parâmetro 528:Dá o estado do sinal nas 5 entradas digitais (18, 19, 27,29 e 33). A entrada 18 corresponde ao bit na extremaesquerda.̀ 0' = sem sinal,̀ 1' = sinal de conectado.

Terminal 53 entrada analógica [V], parâmetro 529:Fornece o valor da tensão do sinal no terminal 53.

Terminal 60 entrada analógica [mA], paràmetro 531:Dá o valor atual do sinal no terminal 60.

Referência por pulso [Hz], paràmetro 532:Dá uma freqüência de pulsos em Hz conectadano terminal 33.

Referência externa, parâmetro 533:Dá a soma das referências externas como umaporcentagem (soma da comunicação analógica/depulso/serial) na faixa que vai da referência Mínima,RefMIN à Referência máxima, RefMAX.

Palavra de estado, parâmetro 534:Dá a palavra de estado atual para o conversorde freqüência em Hex. Veja Comunicaçãoserial para o VLT 2800.

Feedback de barramento 1, parâmetro 535:Permite gravar um valor de feedback de barramentoque passará a fazer parte do tratamento do feedback.

Temperatura do inversor, parâmetro 537:Dá a temperatura atual do inversor no conversorde freqüência. O limite de interrupção é de 90-100°C, com religação a 70 ± 5 °C.

Palavra de alarme, parâmetro 538:Dá em código hexadecimal o alarme que estáocorrendo no conversor de freqüência. VejaPalavra de advertência, palavra de estadoestendida e palavra de alarme.

Palavra de controle, parâmetro 539:Dá a palavra de controle atual no conversorde freqüência em Hex. Veja Comunicaçãoserial para o VLT 2800.

Palavra de advertência, paràmetro 540:Indica se há uma advertência no conversor defreqüência em Hex. Veja Palavra de advertência,palavra de estado estendida e palavra de alarme.

Palavra de estado estendida, paràmetro 541:Indica se há uma advertência no conversor defreqüência em código Hex. Veja Palavra de advertência,palavra de estado estendida e palavra de alarme.

Contador de pulsos, parâmetro 544:Este paràmetro pode ser lido via display LCP(009-012). Quando o sistema funciona com o contadorde paradas, este parâmetro permite, com ou semreinicialização, ler o número de pulsos registrados pelo

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 125

Page 126: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

dispositivo. A freqüência mais alta é 67,6 kHz, enquantoa mais baixa é 5 Hz. O contador é reinicializadoquando o contador de paradas é reiniciado.

560 N2 Substitui tempo de liberação

(N2 OVER.REL.TIME)

Valor:1 - 65534 (OFF) seg. ✭ OFF

Funcão:Neste parâmetro, é definido o tempo máximo esperadoentre o recebimento de dois telegramas N2 um apóso outro. Se esse tempo for excedido, presume-seque a comunicação serial tenha parado e todosos pontos do mapa de pontos N2 substituídosserão liberados na ordem abaixo:1. Liberar saídas analógicas do endereço de

ponto (NPA) 0 a 255.2. Liberar saídas binárias do endereço de

ponto (NPA) 0 a 255.3. Liberar pontos flutuantes internos do endereço

de ponto (NPA) 0 a 255.4. Liberar pontos inteiros internos do endereço

de ponto (NPA) 0 a 255.5. Liberar pontos de byte internos do endereço

de ponto (NPA) 0 a 255.

Descricão da selecão:Programe o tempo desejado.

561 Protocolo(PROTOCOL)

Valor:✭ Protocolo FC (FC PROTOKOL) [1]

Metasys N2 (METASYS N2) [2]

Funcão:Existe uma opção de dois protocolos diferentes.

Descricão da selecão:Selecione o protocolo de palavra de controle requerido.

Consulte MG90C1xx para obter mais detalhes sobraa utilizando Metasys N2 Protocolo.

580-582 Parâmetros definidos(DEFINED PNU’S)

Valor:Apenas para leitura

Funcão:Os três parâmetros mantêm uma lista com todos osparâmetros definidos no VLT 2800. É possível lerum elemento isolado da lista utilizando o subíndicecorrespondente. Os subíndices começam em 1 eseguem a ordem numérica dos parâmetros.

Cada parâmetro contém até 116 elementos(números de parâmetros).

Quando 0 é retornado como um número deparâmetro, a lista termina.

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss126

Page 127: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Pro

gram

ação

■ Funções técnicas

666600000000----666600005555 DDDDaaaaddddoooossss OOOOppppeeeerrrraaaacccciiiioooonnnnaaaaiiiissssVVVVaaaalllloooorrrr::::Par. no. Descrição Texto no display Unidade Gama600 Horas de

funcionamento(OPERATING HOURS) Horas 0-130.000,0

601 Horas trabalhadas (RUNNING HOURS) Horas 0-130.000,0602 Contador kWh (KWH COUNTER) kWh Depende da

unidade603 Número de

energizações(POWER UP’S) Número de vezes 0-9999

604 Número desuperaquecimentos

(OVER TEMP’S) Número de vezes 0-9999

605 Número de sobrecargasde tensão

(OVER VOLT’S) Número de vezes 0-9999

Funcão:Esses parâmetros podem ser lidos via porta decomunicação serial e via unidade de controle LCP.

Descricão da selecão:Parâmetro 600, Horas de funcionamento:Dá o número de horas de funcionamento do conversorde freqüência. O valor é armazenado a cada horae também quando há uma falha de alimentação.Este valor não pode ser resetado.

Parâmetro 601, Horas trabalhadas:Dá o número de horas de funcionamento domotor, desde o reset ocorrido no parâmetro 619Reset do contador das horas de funcionamento.O valor é armazenado a cada hora e tambémquando há uma falha de alimentação.

Parâmetro 602, Contador kWh:Dá a energia de saída do conversor de freqüência emkWh. O cálculo é baseado no valor do consumo médiode kW em uma hora. Este valor pode ser resetadoutilizando o parâmetro 618 Reset do contador kWh.Gama: 0 - depende da unidade.

Parâmetro 603, Número de energizações:Dá o número de vezes que a fonte de alimentaçãoenergizou o conversor de freqüência.

Parâmetro 604, Número de superaquecimentos:Dá o número de ocorrências de falhas porexcesso de temperatura no dissipador de calordo conversor de freqüência.

Parâmetro 605, Número de sobrecargas de tensão:Dá o número de sobrecargas de tensão ocorridasna tensão do circuito intermediário do conversor de

freqüência. Este parâmetro só é contado quandoAlarme 7 Sobrecarga de tensão está ativo.

NOTA!:Parâmetros 615-617 Registro de falhasnão pode ser lido através da unidadede controle integrada.

615 Registro das falhas : Códigos das falhas

(F.LOG: ERROR COD)

Valor:[índice 1 - 10] Códigos das falhas: 0 - 99

Funcão:É possível, neste parâmetro, saber porque ocorreuum trip (desligamento do conversor de freqüência).São definidos 10 [1-10] valores registrados.O número de registro mais baixo [1] contém oúltimo/mais recente valor dos dados gravados. Onúmero de registro mais alto [10] contém o valor maisantigo. Se ocorrer um trip, é possível ver a causa, a horae um possível valor da corrente ou da tensão de saída.

Descricão da selecão:Indicada como um código de falha, no qual onúmero refere-se a uma tabela. Vide tabela emMensagens de advertências/alarmes.

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 127

Page 128: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

616 Registro das falhas: Tempo

(F.LOG: TIME)

Valor:[Índice 1 - 10] Horas: 0 - 130.000,0

Funcão:É possível ver, neste parâmetro, o número total de horasde funcionamento relacionadas aos últimos 10 trips.São indicados 10 valores [1-10] de registro. O númerode registro mais baixo [1] contém o último/mais recentevalor dos dados gravados e o mais alto número deregistro [10] contém o valor mais antigo.

Descricão da selecão:Leitura como um valor.

617 Registro das falhas: Valor

(F.LOG: VALUE)

Valor:[Índice 1 - 10] Valor: 0 - 9999

Funcão:É possível ver, neste parâmetro, com qual valorum trip ocorreu. A unidade do valor depende doalarme que estiver ativo no parâmetro 615 Registrodas falhas: Código das falhas.

Descricão da selecão:Leitura como um valor.

618 Reset do contador kWh(RESET KWH COUNT)

Valor:✭ Nenhum reset (DO NOT RESET) [0]

Reset (RESET COUNTER) [1]

Funcão:Resetando parâmetro 602 contador kWh com zero.

Descricão da selecão:Se Reset [1] for selecionado e você pressionar a tecla[OK], o contador kWh do conversor de freqüênciaé resetado com zero. Este parâmetro não podeser selecionado via comunicação serial.

NOTA!:Quando a tecla [OK] for ativada, o contadorserá resetado com zero.

619 Reset do contador das horas defuncionamento

(RESET RUN. HOUR)

Valor:✭ Nenhum reset (DO NOT RESET) [0]

Reset (RESET COUNTER) [1]

Funcão:Resetando o parâmetro 601 Horas trabal-hadas com zero.

Descricão da selecão:Se Reset [1] estiver selecionado e você pressionara tecla [OK], o parâmetro 601 do conversorde freqüência será resetado com zero Horastrabalhadas. Este parâmetro não pode ser selecionadoatravés da comunicação serial.

NOTA!:Quando a tecla [OK] for ativada, o parâmetroserá resetado com zero.

620 Modo de funcionamento(OPERATION MODE)

Valor:✭ Funcionamento norma (NORMAL OPERATION) [0]

Teste do cartão de controle(CONTROL CARD TEST) [2]Inicializar (INITIALIZE) [3]

Funcão:

NOTA!:Observe que o cartão de controle serádiferente em unidades DeviceNet. Consulteo manual do DeviceNet MG.90.BX.YY

para obter outros detalhes.

Alcute;m do funcionamento normal, este paràmetropode ser usado para testar o cartão de controle.Há também uma oportunidade de inicializar todos osparàmetros em todos os Setups com a programaçãode fábrica, exceto os paràmetros 500 Address, 501Baudrate, 600-605 Operating data e 615-617 Fault log.

Descricão da selecão:Normal function [0] é usado para o funcionamentonormal do motor.

Control card test [2] é selecionado se você desejarverificar as entradas analógicas e digitais do cartãode controle, as saídas analógicas e digitais e dosrelés, bem como as tensões de 10 V e 24 V.O teste é realizado da seguinte maneira:27 - 29 - 33 & dash; 46 estão conectados.

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss128

Page 129: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Pro

gram

ação

50 -53 são conectados.42 - 60 são conectados.12 - terminal de relé 01 é conectado.18 - terminal de relé 02 é conectado.19 - terminal de relé 03 é conectado.

Use o seguinte procedimento para o testedo cartão de controle:1. Selecione o teste do cartão de controle.2. Desligue a tensão da rede elétrica e aguarde até

que a luz no display tenha se apagado.3. Monte de acordo com o desenho e a descrição.4. Ligue a tensão da rede.5. O conversor de freqüência realiza automaticamente

um teste do cartão de controle.

Se o conversor de freqüência exibir um códigode falha de 37-;45, o teste do cartão de controleterá falhado. Mude o cartão de controle parainiciar o conversor de freqüência.Se o conversor de freqüência entrar no modo Display,o teste está OK. Remova o conector e o conversorde freqüência estará pronto para funcionar. Oparàmetro 620 Operating mode é automaticamentedefinido para Normal operation [0].

Initialisation [3] é selecionado se você desejar usara programação de fábrica da unidade.Procedimento para inicialização:1. Selecione Initialisation [3].2. Desligue a tensão da rede elétrica e aguarde até

que a luz no display tenha se apagado.3. Ligue a tensão da red e.4. É realizada uma inicialização em todos os

paràmetros em todos os Setups, exceto osparàmetros 500 Address, 501 Baudrate, 600-605Operating data e 615-617 Fault log.

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 129

Page 130: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

666622221111----666644442222 PPPPllllaaaaccccaaaa ddddeeee iiiiddddeeeennnnttttiiiiffffiiiiccccaaaaççççããããooooVVVVaaaalllloooorrrr::::Nºpar.

DescriçãoPlaca de identificação

Texto do display

621 Tipo de unidade (DRIVE TYPE)624 Versão do software (SOFTWARE VERSION)625 Nº de identificação do LCP (LCP VERSION)626 Nº de identificação da base de dados (DATABASE VER.)627 Nº de identificação da seção de potência (POWER UNIT DB ID)628 Tipo de opção da aplicação (APP. OPTION)630 Tipo de opção de comunicação (COM. OPTION)632 Identificação do software BMC (BMC-SOFTWARE ID)634 Identificação da unidade para comunicação (UNIT ID)635 Nº da seção do software (SW. PART NO.)640 Versão do software (SOFTWARE VERSION)641 Identificação do software BMC (BMC2 SW)642 Identificação do cartão de potência (POWER ID)

Funcão:Os dados principais da unidade podem ser lidosnos paràmetros 621 a 635 Nameplate usandoa unidade de controle LCP 2 ou a comunicaçãoserial. Os paràmetros 640 - 642 também podemser vistos no display integrado da unidade.

Descricão da selecão:Paràmetro 621 Nameplate: Unit type:Dá o tamanho da unidade e a tensão da rede.Exemplo: VLT 2811 380-480 V.

Paràmetro 624 Nameplate: Software version no.O número da versão atual do software daunidade aparece aqui.Exemplo: V 1.00

Paràmetro 625 Nameplate: LCP 2 ID number:O número de identificação do LCP 2 daunidade aparece aqui.Exemplo: ID 1.42 2 kB

Paràmetro 626 Nameplate: Database ID number:O número de identificação da base de dadosdo software aparece aqui.Exemplo: ID 1,14.

Paràmetro 627 Nameplate: Power section version:O número de identificação da seção de potênciada unidade aparece aqui.Exemplo: ID 1.15.

Paràmetro 628 Nameplate: Application option type:Aqui você vê que tipos de opções de aplicaçõesestão instalados no conversor de freqüência.

Paràmetro 630 Nameplate: Communicationoption type:

Aqui você vê as opções de comunicação que estãoinstaladas no conversor de freqüência.

Paràmetro 632 Nameplate: BMC softwareidentification:O número de identificação do software BMCaparece aqui.

Paràmetro 634 Nameplate: Unit identificationfor communication:O número de identificação para comunicaçãoaparece aqui.

Paràmetro 635 Nameplate: Software section no.:O número da seção do software aparece aqui.

Paràmetro 640 Nameplate: Software version:O número da versão atual do software da unidadeaparece aqui. Exemplo: 1.00

Paràmetro 641 Nameplate: BMC softwareidentification:O número de identificação do software BMCaparece aqui.

Paràmetro 642 Nameplate: Power card identification:O número de identificação da seção de potênciada unidade aparece aqui. Exemplo: 1.15

✭ = programação de fábrica. () = texto no display [] = Valores utilizados para a comunicação através da porta serial.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss130

Page 131: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Tud

o so

bre

o V

LT28

00

■ Condiçoes epseciais

■ Isolamento galvànico (PELV)O isolamento PELV (Protective Extra Low Voltage) éconseguido inserindo-se isoladores galvànicos entreos circuitos de controle e os circuitos conectadosâ rede elétrica. O VLT foi desenvolvido paraatender aos requisitos de separação protetora porintermédio do necessário espaço de circulaçãoe ventilação. Esses requisitos estão descritos nanorma EN 50 178. Um outro requisito é que ainstalação seja realizada conforme descrito nasnormas locais/nacionais sobre PELV.

Todos os terminais de controle, terminais decomunicação serial e terminais de relé estão separadosda tensão da rede com segurança, ou seja, estãocompatíveis com os requisitos PELV. Os circuitosconectados aos terminais de controle 12, 18, 19,20, 27, 29, 33, 42, 46, 50, 53, 55 e 60 estãogalvanicamente conectados entre si. A comunicaçãoserial conectada ao barramento de campo estágalvanicamente isolada dos terminais de controle,embora seja apenas um isolamento funcional.Os contatos do relé nos terminais 1 a 3 sãoisolados dos outros circuitos de controle comum isolamento reforçado/duplo, ou seja, eles sãocompatíveis com o PELV, mesmo que haja tensãoda rede nos terminais do relé.

Os elementos do circuito descritos abaixo formama separação elétrica segura. Eles satisfazem osrequisitos de um isolamento reforçado/duplo e testescorrelatos conforme a EN 50 178.1. Transformador e separação óptica na

fonte de alimentação.2. Isolamento óptico entre o controle básico do

motor e o cartão de controle.3. Isolamento entre o cartão de controle e

a parte de potência.4. Contatos do relé e terminais relacionados a outros

circuitos no cartão de controle.

O isolamento PELV do cartão de controle égarantido nas seguintes condições:- Rede TT com no máximo 300 Vrms entre fase e terra.- Rede TN com no máximo 300 Vrms entre

fase e terra.- Rede IT com no máximo 400 Vrms entre fase e terra.Para manter a PELV, todas as conexões feitas com osterminais de controle devem ser PELV; por exemplo, otermistor deve ter isolamento reforçado/duplo.

■ Corrente de fuga â terra e relés RCDA corrente de fuga â terra é basicamente causadapela capacitància parasita entre as fases do motor ea blindagem do cabo do motor. Quando um filtro RFIé usado, isso contribui para uma corrente adicionalde fuga, pois o circuito de filtro está conectado âterra por intermédio de capacitores.A quantidade de corrente de fuga â terra depende dosseguintes fatores, na seguinte ordem de prioridade:1. Comprimento do cabo do motor2. Cabo do motor com/sem blindagem3. Alta freqüência de chaveamento4. Uso ou não do filtro RFI5. Motor com aterramento local ou não

A corrente de fuga é importante do ponto de vistada segurança durante o manuseio/operação doconversor de freqüência, se (por engano) o conversorde freqüência não tiver sido aterrado.

NOTA!:Como a corrente de fuga é > 3,5 mA, éobrigatório instalar um aterramento reforçado,pois isso é necessário para assegurar sua

conformidade com a EN 50178. A seção transversaldo cabo deve ser de pelo menos 10 mm2 ou 2fios-terra que sejam terminados separadamente.

NOTA!:Nunca use relés RCD (tipo A) que nãosejam adequados para as componentesCC da corrente de falha de cargas

do retificador trifásico.

Se forem usados relés RCD, eles devem ser:- Adequados â proteção de equipamento com

uma componente CC na corrente de falha(retificador tipo ponte trifásico)

- Adequados a uma rápida descarga em formade pulso no momento da energização

- Adequados a uma elevada corrente defuga (300 mA)

Veja a seção intitulada Conexão do terra paraobter outras informações.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 131

Page 132: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

■ Condições extremas de operaçãoCurto-circuitoO conversor de freqüência é protegido contracurto-circuitos nos terminais U, V, W (96, 97, 98)do motor. Um curto-circuito entre dois terminais domotor provocarão uma sobrecorrente no módulo IGBT,que significa que todos os transistores do móduloIGBT seriam desligados individualmente.O inversor é desligado após 5-10 µs e o conversor defreqüência mostrará um código de falha, embora issodependa da impedància e da freqüência do motor.

Falha de terraO módulo IGBT se desliga dentro de 100 µsno caso de falha de ligação â terra em um dosterminais U, V, W (96, 97, 98) do motor, com basena impedància e na freqüência do motor.

Conexão de saídaOs terminais U, V, W (96, 97, 98) do motor podem serconectados/desconectados sempre que necessário.De forma alguma o conversor de freqüênciapoderá ser danificado pela conexão/desconexãodos terminais do motor. No entanto, é possívelque ocorram mensagens de falha.

Sobretensão gerada pelo motorA tensão no circuito intermediário aumentaquando o motor funciona como um gerador.Para proteger o conversor de freqüência, omódulo IGBT é desconectado quando um nívelespecífico de tensão é atingido.Uma sobretensão gerada pelo motor podeocorrer em dois casos:1. Quando a carga aciona o motor, ou seja,

quando a carga gera energia.2. Durante a desaceleração (ramp-down) se o

momento de inércia for alto, a carga será baixae o tempo de desaceleração será muito curtopara que a energia seja dissipada no conversor defreqüência, no motor e na unidade. A unidade decontrole tenta corrigir a rampa se for possível.

A falha pode ser removida conectando-se umresistor de freio, se o conversor de freqüência tiverum módulo de freio integrado. Se o conversor defreqüência não tiver um módulo de freio integrado,pode então ser usado um freio CA. Consulte oparàmetro 400 Brake function.Consulte a seção Resistores de freio.

Sobrecarga estáticaQuando o conversor de freqüência estiversobrecarregado (limite de corrente no paràmetro 221Current limit ILIM for atingido), o controle reduziráa freqüência de saída, numa tentativa de reduzir a

carga. Se a sobrecarga for extrema, pode surgir umacorrente de saída que faça o conversor de freqüênciadesligar após aproximadamente 1,5 s. Consulte oparàmetro 409 Trip delay overcurrent, ILIM.Uma sobrecarga extrema fará com que a freqüênciade chaveamento seja reduzida para 3.000 Hz.

■ dU/dt no motorQuando um transistor no inversor é aberto, a tensãonos terminais do motor aumenta a uma razãotensão/tempo (dU/dt) que depende:- do cabo do motor (tipo, secção transversal, indução,

capacidade, comprimento, blindado, não blindado)- da tensão da rede

Uma auto-indução no cabo do motor provoca umexcesso de variação de UPEAK na tensão de saída cadavez que um transistor no inversor abre. Após UPEAK

a tensão de saída será estabilizada em um nível quedepende da tensão no circuito intermediário. UPEAK

e dU/dt afetam a vida útil do motor, especialmentedos motores sem papel de isolamento de fase nasbobinas. Se o cabo do motor for curto (algunsmetros), o excesso de variação de UPEAK é baixo,enquanto que dU/dt é alta. Se o cabo do motor forlongo (>20 m), UPEAK aumentará, enquanto dU/dtdiminuirá. Ao utilizar motores muito pequenos sempapel de isolamento de fase, recomenda-se acoplarum filtro LC após o conversor de freqüência.

■ Chaveamento na entradaO tempo de espera entre o chaveamento datensão da rede nos terminais 91, 92 e 93 deveser de no mínimo 30 seg. Tempo de partidaestimado em cerca de 2,3 seg.

■ Ruído acústicoO ruído acústico do conversor de freqüênciaprovém de duas fontes:1. Bobinas do circuito CC intermediário.2. Ventilador interno.

Em seguida encontram-se os valores típicos medidosa uma distância de 1 m da unidade a plena carga:

VLT 2803-2815 1 x 220 V: 52 dB(A).VLT 2803-2822 3 x 220 V: 52 dB(A).VLT 2805-2840 3 x 400 V: 52 dB(A).VLT 2855-2875 3 x 400 V: 54dB(A).VLT 2880-2882 3 x 400 V: 55dB(A).

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss132

Page 133: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Tud

o so

bre

o V

LT28

00

■ Derating para temperatura ambienteA temperatura ambiente (TAMB,MAX) é a máximatemperatura permitida. A média (TAMB,AVG), medidaem 24 horas, deve ser pelo menos 5 °C maisbaixa. Se o conversor de freqüência funcionar atemperaturas acima de 45 °C, será necessária umaredução de potência na corrente de saída.

■ Freqüência de chaveamento dependentedatemperaturaEsta função assegura a freqüência de chaveamentomais alta possível, sem que o conversor de freqüênciase torne sobrecarregado termicamente. A temperaturainterna é a verdadeira expressão do grau em quea freqüência de chaveamento pode ser baseadana carga, na temperatura ambiente, na fonte dealimentação e no comprimento do cabo.A função assegura que o conversor de freqüênciaajuste automaticamente a freqüência dechaveamento entre fsw,min e fsw, max (paràmetro411). Consulte o desenho abaixo.

Ao usar o filtro LC, a freqüência mínima dechaveamento é 4,5 kHz.

■ "Derating" devido à pressão atmosféricaAbaixo de 1000 m, não é necessária nenhumaredução de potência (derating).Acima de 1000 m, deve-se reduzir a temperaturaambiente (TAMB) ou a corrente de saída máxima(IMAX) de acordo com o gráfico abaixo:1. Redução da corrente de saída em relação à

altitude a TAMB = máx. 45 °C.2. Redução da máxima TAMB em relação à altitude

a 100% da corrente de saída.

■ "Derating" devido a baixa velocidade defuncionamentoQuando um motor está conectado a um conversorde freqüência, é necessário garantir um adequadoesfriamento do motor. Em valores baixos de rotação, oventilador do motor não consegue fornecer um volumeadequado de ar para esfriamento. Este problemaocorre quando o torque de carga é constante (numaesteira rolante, por exemplo) em toda a faixa deregulação. A baixa quantidade de ventilação determinao torque permitido em funcionamento contínuo. Seo motor tiver que funcionar continuamente em umarotação inferior a metade do valor nominal, deve-sefornecer um volume adicional de ar para resfriamentodo motor. Ao invés de fornecer um esfriamentoadicional, é possível reduzir a relação de carga domotor. Isto pode ser feito selecionando-se um motorde dimensão maior. Entretanto, o projeto do conversorde freqüência impõe limites às dimensões dos motoresque podem ser conectados ao conversor de freqüência.

■ "Derating" para cabos longos de motorO conversor de freqüência foi testado utilizando umcabo não blindado de 75 m e um cabo blindado de25 m e foi concebido para funcionamento com umcabo de motor com uma secção transversal nominal.Caso seja necessário um cano de secção transversalmaior, recomenda-se reduzir a corrente de saída em5% para cada aumento de secção transversal. (Umaumento da secção transversal leva a um aumento

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 133

Page 134: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

da capacitância com relação à terra, resultando emaumento da corrente de fuga à terra).

■ Vibração e choqueO conversor de freqüência foi testado de acordo comum procedimento baseado nas seguintes normas:

IEC 68-2-6: Vibração (senoidal) - 1970.IEC 68-2-34: Vibração aleatória de bandalarga - requisitos gerais.IEC 68-2-35: Vibração aleatória de bandalarga - repetibilidade alta.IEC 68-2-36: Vibração aleatória de bandalarga - repetibilidade média.

O conversor de freqüência está em conformidade comos requisitos em vigor se for instalado na parede oupiso de estabelecimentos de produção, como tambémem painéis fixados na parede ou no piso.

■ Umidade atmosféricaO conversor de freqüência foi concebido segundoa norma IEC 68-2-3, EN 50178 item 9.4.2.2/DIN 40040 classe E a 40 °C.

■ Padrão ULEste dispositivo é aprovado para UL.

■ EficiênciaPara reduzir o consumo de energia, é muito importanteotimizar a eficiência de um sistema. A eficiência decada elemento do sistema deve ser a mais alta possível.

Eficiência dos conversores de freqüência (ηηηηINV)A carga do conversor de freqüência não temmuita influência na sua eficiência. Em geral, aeficiência é a mesma obtida na freqüência nominal

do motor f M,N, independente do motor fornecer100% ou 75% do torque nominal no eixo, porexemplo, no caso de cargas parciais.

Isso também significa que a eficic;ncia do conversor defreqüência não se altera mesmo que sejam escolhidascaracterísticas diferentes de U/f. No entanto, ascaracterísticas U/f influenciam a eficiência do motor.A eficiência é um pouco reduzida quando a freqüênciade chaveamento é configurada para um valorsuperior a 4,5 kHz (paràmetro 411 Freqüência dechaveamento). A taxa de eficiência também seráligeiramente reduzida com uma tensão alta de rede(480 V) ou se o cabo do motor tiver mais de 25 m.

Eficiência do motor (ηηηηMOTOR)A eficiência de um motor conectado ao conversor defreqüência depende da forma senoidal da corrente.Em geral, a eficiência é a mesma do funcionamento darede. A eficiência do motor depende do tipo de motor.

Em um intervalo de 75 a 100% do torque nominal,a eficiência do motor é praticamente constante,tanto no caso em que ela é controlada peloconversor de freqüência, como quando funcionadiretamente com a tensão da rede.

Em geral, a freqüência de chaveamento não afeta aeficiência dos motores de pequenas dimensões.

Eficiência do sistema (ηηηηSISTEMA)Para calcular a eficiência do sistema, a eficiência dosconversores de freqüência (η INV) deve ser multiplicadapela eficiência do motor (ηMOTOR):ηSISTEMA = η INV x ηMOTOR.

Com base no gráfico acima, é possível calcular aeficiência do sistema com diferentes cargas.

■ Interferência da rede de alimentação/harmônicasUm conversor de freqüência gera uma correntenão senoidal da rede, que aumenta a corrente deentrada IRMS. Uma corrente não senoidal pode sertransformada através de uma análsie de Fourier eser dividida em correntes senoidais com freqüênciasdiferentes, ou seja, diferentes harmônicas de correnteIn com 50 Hz como freqüência básica:

Harmônicas de corrente I1 I5 I7Freqüência [Hz] 50 250 350

0.9 0.4 0.3

As harmônicas de corrente não afetam diretamenteo consumo de energia elétrica, porém aumentamas perdas de potência na instalação (transformador,cabos). Conseqüentemente, em instalações com carga

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss134

Page 135: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Tud

o so

bre

o V

LT28

00

retificada alta, é importante manter as harmônicas decorrente a um nível baixo para não sobrecarregar otransformador e não superaquecer os cabos.Algumas harmônicas de corrente podem interferirno equipamento de comunicação ligado ao mesmotransformador ou causar ressonância se utilizarembaterias para a correção do fator de potência.

■ Fator de potênciaO fator de potência (Pf) é a relação entre I1 e IRMS.O fator de potência para a alimentação trifásica:

O fator de potência indica até onde o conversor defreqüência impõe uma carga à alimentação de rede.Quanto mais baixo é o fator de potência, mais alto éo IRMS para a mesma potência em kW. Além disso,um fator de potência alto indica que as variáveisharmônicas de corrente são baixas.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 135

Page 136: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

■ Normas EMC genéricas/normas de produtos

Padrão/ambiente Residencial, comercial e pequenasindústrias

Ambiente industrial

Conduzido porcabo

Irradiado Conduzido porcabo

Irradiado

EN 50081-1 Classe B Classe BEN 50081-2 Classe A Classe AEN 61800-3UNRESTRICTED

Classe BClasse A

Classe BClasse A

Grupo 2Classe A

Grupo 2Classe A

EN 61800-3 RESTRICTED Classe A Classe A Grupo 2Classe A

Grupo 2Classe A

■ Emissão EMCOs resultados de sistema a seguir são obtidos emum sistema que consiste em um VLT Series 2800com cabo de controle entelado/blindado, caixa

de controle com potenciômetro cabo de motorentelado/blindado e cabo de freio entelado/blindado,além de um LCP2 com cabo.

VLT 2803-2875 EmissãoAmbiente industrial Residencial, comercial e pequenas indústrias

EN 55011 classe 1A EN 55011 classe 1BConfiguração Conduzido por cabo

150 kHz - 30 MHzIrradiado

30 MHz--1 GHzConduzido por cabo150 kHz - 30 MHz

Irradiado30 MHz--1 GHz

Versão 400 V com filtro1A RFI

Sim25 m

entelado/blindado

Sim25 m entelado/blin-

dado

Não Não

Versão 400 V com filtro1A RFI (R5: Para redeelétrica de TI)

Sim5 m

entelado/blindado

Sim5 m entelado/blin-

dado

Não Não

Versão 200 V com filtro1A RFI 1.

Sim40 m

entelado/blindado

Sim40 m entelado/blin-

dado

Sim15 m entelado/blin-

dado

Não

Versão 200 V com filtro1A RFI (R4: Para usocom RCD)

Sim20 m

entelado/blindado

Sim20 m entelado/blin-

dado

Sim7 m entelado/blin-

dado

Não

Versão 400 V com filtro1A+1B RFI

Sim50 m

entelado/blindado

Sim50 m entelado/blin-

dado

Sim25 m entelado/blin-

dado

Não

Versão 200 V com filtro1A+1B RFI 1.

Sim100 m

entelado/blindado

Sim100 m

entelado/blindado

Sim40 m entelado/blin-

dado

Não

VLT 2880-2882 EmissãoAmbiente industrial Residencial, comercial e pequenas indústrias

EN 55011 classe 1A EN 55011 classe 1BConfiguração Conduzido por cabo

150 kHz - 30 MHzIrradiado

30 MHz--1 GHzConduzido por cabo150 kHz - 30 MHz

Irradiado30 MHz--1 GHz

Versão 400 V com filtro1B RFI

Sim50

Sim50

Sim50

Não

1. Para VLT 2822-2840 3 x 200-240 V aplicam-seos mesmos valores que para a versão 400V com filtro 1A RFI.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss136

Page 137: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Tud

o so

bre

o V

LT28

00

• EN 55011: EmissãoLimites e métodos de medição de carac-terísticas de perturbação de rádio de equipamentoindustrial, científico e médico de alta freqüência.

Classe 1A:Equipamento usado em ambiente industrial.

Classe 1B:Equipamento usado em áreas com uma redede alimentação pública (residencial, comerciale pequenas indústrias).

NOTA!:Produto da classe de distribuição restrita paravendas, de acordo com o IEC61800-3. Emum ambiente doméstico, este produto pode

causar interferência de rádio e, nesse caso, podem sernecessárias medidas adequadas por parte do usuário.

■ Imunidade CEMPara documentar a imunidade em relação âinterferência elétrica, foram feitos os seguintestestes de imunidade em um sistema composto porum conversor de freqüência, um cabo de controleblindado/reforçado e uma caixa de controle compotenciômetro, cabo de motor blindado/reforçado,cabo de freio blindado/reforçado e um LCP 2 com cabo.

Os testes foram feitos de acordo com asseguintes normas básicas:

• EN 61000-4-4(IEC 61000-4-4): Transientes de choqueSimulação de interferência originada peloacoplamento com contactores, relés oudispositivos similares.

• EN 61000-4-5(IEC 61000-4-5):Transientes de sobretensãoSimulação de transientes originados, porexemplo, por relàmpagos próximos das instalações.

• EN 61000-4-2(IEC 61000-4-2):Descargas eletrostáticas (ESD)Simulação de descargas eletrostáticasprovenientes de seres humanos.

• EN 61000-4-3(IEC 61000-4-3): Radiaçãode um campo eletromagnético deentrada, com modulação de amplitude.Simulação de efeitos de equipamento decomunicação (rádio e radar), bem como deequipamento de comunicação móvel.

• VDE 0160 classe W2 pulsode teste: Transientes de redeSimulação de transientes de alta energia originados

por falhas do fusível principal, acoplamento debaterias de correção do fator de potência, etc.

• EN 61000–4–6 (IEC 61000-4-6):RF de modo comumSimulação do efeito de equipamento derádio acoplado aos cabos de alimentação.

Veja o seguinte formulário da CEM.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 137

Page 138: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

BBBBaaaassssiiiicccc ssssttttaaaannnnddddaaaarrrrdddd Burst61000-4-4

Surge61000-4-5

ESD61000-4-2

Radiated61000-4-3

MainsdistortionVDE 0160

RF CMvoltage 2

61000-4-6Acceptancecriterion

B B B A A

Port connection CM DM / CM Field DM CMLine OK / OK OKMotor OKControl lines OK - / OK 1 OKRelay OK - / OK OKProfibus OK - / OK 1 OKSignal interface<3 m

OK

Enclosure OK OKStandard bus OK - / OK 1 OK

BBBBaaaassssiiiicccc ssssppppeeeecccciiii----ffffiiiiccccaaaattttiiiioooonnnnssssLine 2 kV / DCN 2 kV / 4kV 10 VrmsMotor 10 VrmsControl lines 2 kV / CCC 2 kV/2 1 10 VrmsRelay 2 kV / CCC 2 kV/2 1 10 VrmsProfibus 2 kV / CCC 2 kV/2 1 10 VrmsSignal interface<3 m

2 kV / CCC

Enclosure 8 kV AD6 kV CD

10 V/m

Standard bus 2 kV / CCC 2 kV/2 1 10 Vrms

DM: Differential modeCM: Common modeCCC: Capacitive clamp coupling (5 kHz)DCN: Direct coupling network (5 kHz)1. Injection on cable shield.2. Electromagnetic clamp.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss138

Page 139: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Tud

o so

bre

o V

LT28

00

■ Emissão de corrente harmônicaTodas as unidades de 380-480 V trifásicas sãocompatíveis com EN 61000-3-2.

■ Ambientes agressivosComo ocorre com qualquer equipamentoeletrônico, um conversor de freqüência contémdiversos componentes mecânicos e eletrônicosque, de forma variável, estão vulneráveis aosefeitos do meio ambiente.

Conseqüentemente, o conversor defreqüência não deve ser instalado emambientes onde líquidos, partículas ou

gases estejam presentes na atmosfera, sob pena deafetar e danificar os sistemas eletrônicos. A menos quesejam adotas medidas adequadas para proteção doconversor de freqüência, pode haver o risco de paradasde funcionamento, o que reduzirá a vida útil da unidade.

Líquidos podem ser transportados pelo ar e condensarno conversor de freqüência. Além disso, os líquidospodem facilitar a corrosão galvânica dos componentese das peças metálicas. Vapor, óleo e salmourapodem causar corrosão nos componentes e peçasmetálicas. Nessas áreas é recomendável instalar asunidades em gabinetes. No mínimo, os gabinetesdevem ser de invólucro IP 54.

Partículas em suspensão, como partículas de poeira,podem causar problemas mecânicos, elétricos etérmicos no conversor de freqüência. Os indicadoresmais comuns de que há demasiadas partículas naatmosfera são as partículas de poeira em torno doventilador do conversor de freqüência. Nas áreasmuito empoeiradas, recomenda-se a instalação dasunidades em gabinetes. No mínimo, os gabinetesdevem ser de invólucro IP 54.

Gases corrosivos, como compostos de enxôfre,nitrogênio e cloro, junto com umidade e temperaturaelevadas, facilitam possíveis processos químicos noscomponentes do conversor de freqüência. Essesprocessos químicos rapidamente afetam e danificamos sistemas eletrônicos. Nessas áreas, recomenda-seque a instalação seja feita em gabinetes ventilados,fazendo com que os gases corrosivos sejam mantidosdistantes do conversor de freqüência.

NOTA!:A instalação de conversores de freqüênciaem ambientes agressivos aumenta o riscode paradas de funcionamento, além de

consideravelmente reduzir a vida útil da unidade.

Antes da instalação do conversor de freqüência, énecessário verificar se há líquidos, partículas ou gasesno ar. Isto pode ser feito pelo exame das instalaçõesexistentes no mesmo ambiente. Os indicadores maiscomuns de líquidos nocivos transportados pelo arsão a presença de água ou óleo sobre as peçasmetálicas, ou ainda a existência de corrosão naspartes metálicas. Demasiadas partículas de poeira sãonormalmente observadas no topo dos gabinetes dainstalação e sobre as instalações elétricas existentes.Os indicadores de que há gases corrosivos no arsão trilhas de cobre e extremidades dos cabosescurecidos nas instalações elétricas existentes.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 139

Page 140: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

■ Display readoutFrO conversor de freqüência mostra a freqüênciade saída presente em Hertz [Hz].

IoO conversor de freqüência mostra a corrente desaída presente em Ampères [A].

UoO conversor de freqüência mostra a tensão desaída presente em Volts [V].

UdO conversor de freqüência mostra a tensão docircuito intermediário em Volts [V].

PoO conversor de freqüência mostra a saídacalculada em kilowatts [kW].

notrunEsta mensagem será mostrada se for feita umatentativa de alterar um valor de paràmetro como motor em funcionamento. Pare o motor paraalterar o valor do paràmetro.

LCPEsta mensagem será mostrada se uma unidade decontrole LCP 2 estiver instalada e a tecla [QUICKMENU] ou [CHANGE DATA] for ativada. Se houveruma unidade de controle LCP 2 instalada, você sópoderá alterar os paràmetros com ela.

HaO conversor de freqüência mostra a freqüência dereferência do modo Manual presente em Hertz (Hz).

■ Mensagens de advertências/alarmesUma advertência ou alarme aparecerá nodisplay na forma de um código numéricoErr. xx. Uma advertência será mostrada nodisplay até que a falha tenha sido corrigida,ao passo que um alarme continuará a piscaraté que a tecla [STOP/RESET] seja ativada.A tabela mostra as diferentes advertências e alarmes, eindica se a falha bloqueia o conversor de freqüência.Após um Bloqueio de trip a alimentação da rede elétricaé desligada e a falha corrigida. A alimentação da redeé religada e o conversor de freqüência é reinicializado.O conversor de freqüência agora está pronto. Um Trippode ser reinicializado manualmente de três maneiras:1. Através da tecla de operação [STOP/RESET].2. Através de uma entrada digital.3. Através de uma comunicação serial.

É também possível escolher o reset automático noparâmetro 405 Função de reset. Quando apareceruma cruz na advertência e no alarme, isto podesignificar que uma advertência ocorreu antes doalarme. Pode significar também que o usuário podeprogramar se uma advertência ou alarme aparecerápara uma determinada falha. Por exemplo, isto épossível no parâmetro 128 Proteção térmica do motor.Após um tripping, o motor pára por inércia e o alarmee a advertência piscarão no conversor de freqüência,mas se a falha desaparecer, somente o alarme piscará.Após um reset, o conversor de freqüência estarápronto para começar a funcionar novamente.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss140

Page 141: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Tud

o so

bre

o V

LT28

00

No. Descrição Advertên-cia

Alarme Tripblo-

queado2 Falha "Live zero" (LIVE ZERO ERROR) X X X4 Falha de fase (MAINS PHASE LOSS) X X X5 Advertência de tensão alta (DC LINK VOLTAGE HIGH) X6 Advertência de tensão baixa (DC LINK VOLTAGE LOW) X7 Sobretensão (DC LINK OVERVOLT) X X X8 Subtensão (DC LINK UNDERVOLT) X X X9 Sobrecarga no inversor (INVERTER TIME) X X10 Sobrecarga do motor ( MOTOR, TIME) X X11 Termistor do motor (MOTOR THERMISTOR) X X12 Limite de corrente (CURRENT LIMIT) X X13 Sobrecorrente (OVERCURRENT) X X X14 Falha de terra (EARTH FAULT) X X15 Falha do modo de comutação (SWITCH MODE FAULT) X X16 Curto-circuito (CURR. SHORT CIRCUIT) X X17 Timeout da comunicação serial (STD BUS TIMEOUT) X X18 Timeout de bus HPFB (HPFB TIMEOUT) X X33 Fora da gama de freqüência (OUT FREQ RNG/ROT LIM) X34 Falha de comunicação do HPFB (PROFIBUS OPT. FAULT) X X35 Falha de "inrush" (INRUSH FAULT) X X36 Temperatura muito alta (OVERTEMPERATURE) X X37-45 Falha interna (INTERNAL FAULT) X X50 AMT não é possível X51 AMT falha re. dados da placa de identificação (AMT TYPE.DATA

FAULT)X

54 AMT motor errado (AMT WRONG MOTOR) X55 Timeout de AMT (AMT TIMEOUT) X56 AMT advertência durante o AMT (AMT WARN. DURING AMT) X99 Travado (LOCKED) X

Indicação por LED

Advertência amarelo

Alarme vermelho

Travado por trip amarelo e vermelho

WARNING/ALARM 2: Falha de "Live zero"O sinal de tensão ou corrente no terminal 53 ou 60é 50% menor que o valor predefinido no parâmetro309 ou 315 Terminal, escala mínima.

WARNING/ALARM 4: Falha de faseAusência de fase na rede elétrica. Verifique a tensãode alimentação para o conversor de freqüência. Estafalha só está ativa em alimentações trifásicas. O alarmetambém pode ocorrer quando a carga está pulsando.Neste caso os pulsos devem ser amortecidos, porexemplo, usando um disco de inércia.

WARNING 5: Advertência de tensão altaSe a tensão do circuito intermediário (UDC) for maiorque Limite superior para aviso de tensão o conversor

de freqüência dará um aviso e o motor continuará afuncionar sem alteração. Se a UDC permanecer acimado limite de aviso de tensão, o inversor desarmarádepois de um tempo definido. O tempo depende dodispositivo e está definido para 5 a 10 s. Observação:O conversor de freqüência irá desarmar com umalarme 7 (sobretensão). Um aviso de voltagem podeocorrer quando a tensão da rede conectada for muitoalta. Verifique se a tensão de alimentação é adequadapara o conversor, consulte Dados técnicos. Um alarmede tensão também pode ocorrer se a freqüênciado motor for reduzida muito rapidamente devido aotempo de desaceleração ser muito curto.

WARNING 6: Advertência de tensão baixaSe a tensão do circuito intermediário (UDC) formenor que o Aviso de tensão baixa, o conversorde freqüência dará um aviso e o motor continuaráa funcionar sem alteração. Um aviso de voltagempode ocorrer quando a tensão da rede conectada formuito alta. Verifique se a tensão de alimentação éadequada para o conversor, consulte Dados técnicos.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 141

Page 142: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Quando o conversor de freqüência é desligado,um breve aviso 6 (e aviso 8) é exibido.

WARNING/ALARM 7: SobretensãoSe a tensão do circuito intermediário (UDC) superar oLimite de sobretensão do inversor, ele será desligadoaté a UDC cair novamente abaixo do limite desobretensão. Se a UDC permanecer acima do limitede sobretensão, o inversor desarmará após umtempo definido. O tempo depende do dispositivo eestá definido para 5 a 10 s. Uma sobretensão naUDC pode ocorrer quando a freqüência do motorfor reduzida muito rapidamente devido ao tempo dedesaceleração ser muito curto. Quando o inversoré desligado, um reajuste do desarme é gerado.Observação: Aviso de tensão alta (aviso 5) seráassim capaz de gerar um alarme 7.

WARNING/ALARM 8: SubtensãoSe a tensão do circuito intermediário (UDC) for menorque o Limite de subtensão do inversor, o inversorserá desligado até a UDC suba novamente acima dolimite de subtensão. Se a UDC permanecer abaixo dolimite de subtensão, o inversor desarmará depois deum tempo definido. O tempo depende do dispositivoe está definido para 2 - 15 s. Uma subtensão podeocorrer quando a voltagem de rede conectada formuito baixa. Verifique se a tensão de alimentação éadequada para o conversor, consulte Dados técnicos.Quando o conversor de freqüência é desligado, umalarme 8 (e alarme 6) é exibido brevemente e umreajuste de trip é gerado. Observação: Aviso de tensãobaixa (aviso 6) será assim capaz de gerar um alarme 8.

WARNING/ALARM 9: Sobrecarga do inversorA proteção térmica e eletrônica do inversor indicaque o conversor de freqüência está muito perto dodesarme devido a sobrecarga (corrente de saída muitoalta durante muito tempo). O contador para proteçãoeletrônica e térmica do inversor dá um aviso a 98%e desarma a 100% acompanhado de um alarme.O conversor de freqüência não pode ser redefinidoaté que o contador caia abaixo de 90%. Esta falhaacontece porque o conversor de freqüência ficousobrecarregado durante muito tempo.

WARNING/ALARM 10: Sobrecarga do motorDe acordo com a proteção térmica eletrônica doinversor, o motor está muito quente. No parâmetro128 o usuário pode selecionar se o conversor defreqüência VLT deve emitir um alarme quando ocontador atingir 100%. Esta falha é porque o motoresteve com sobrecarga de mais de 100% durantemuito tempo. Verifique se os parâmetros 102–106do motor estão ajustados corretamente.

WARNING/ALARM 11: Termistor do motorO motor está quente demais ou a conexãotermistor/termistor foi desfeita. No parâmetro 128Proteção térmica do motor o usuário pode selecionarse o transformador de freqüência emite um aviso oualarme. Verifique se o termistor PTC está conectadocorretamente entre os terminais 18, 19, 27 ou 29(entrada digital) e terminal 50 (alimentação de< + 10 V).

WARNING/ALARM 12: Limite de correnteA corrente de saída é maior que o valor definidono parâmetro 221 Limite de corrente LIM, e oconversor de freqüência irá desarmar depois deum tempo definido, selecionado no parâmetro 409Sobrecorrente de retardamento de desarme.

WARNING/ALARM 13: SobrecorrenteO limite da corrente de pico do inversor (aprox.200% da corrente de saída nominal) foi excedido.O aviso irá durar aprox. 1-2 s e o conversor defreqüência irá desarmar e emitir um alarme. Desligueo conversor de freqüência e verifique se o eixo domotor pode ser girado e se o tamanho do motor éadequado para o conversor de freqüência.

ALARM 14: Falha de terraHá uma descarga das fases de saída para a terra,no cabo entre o conversor de freqüência e o motorou no motor. Desligue o conversor de freqüênciae remova a falha de aterramento.

ALARM 15: Falha do modo de comutaçãoFalha na fonte de alimentação do modo decomutação (alimentação interna). Entre emcontato com o fornecedor

ALARM: 16: Curto-circuitoHá um curto-circuito nos terminais do motor ou nopróprio motor. Desconecte a alimentação elétrica doconversor de freqüência e remova o curto-circuito.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss142

Page 143: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Tud

o so

bre

o V

LT28

00

WARNING/ALARM 17: Tempo limite dacomunicação serialNão há comunicação serial com o conversor defreqüência. O aviso ficará ativo somente quando 514Função de tempo limite do barramento for definido paraum valor diferente de OFF. Se o parâmetro 514 Funçãode tempo limite do barramento for definido para Parar edesarmar [5], primeiro ele dará um aviso e, em seguida,reduzirá a velocidade e desarmará acompanhadode um alarme. Parâmetro 513 Tempo limite dobarramento pode ser aumentado, se necessário.

WARNING/ALARM 18: Tempo limite dobarramento HPFBNão há comunicação serial com a placa de opções decomunicação do conversor de freqüência. Este avisoestará ativo somente quando o parâmetro 804 Funçãode tempo limite do barramento estiver ajustado paraum valor diferente de OFF. Se o parâmetro 804 Funçãode tempo limite do barramento for definido para Parar edesarmar [5], primeiro ele dará um aviso e, em seguida,reduzirá a velocidade e desarmará acompanhadode um alarme. O parâmetro 803 Tempo limite dobarramento pode ser aumentado, se necessário.

WARNING 33: Fora do intervalo de freqüênciaEste aviso fica ativo se a freqüência de saída atingiu oLimite inferior da freqüência de saída (parâmetro 201)ou o Limite superior da freqüência de saída (parâmetro202). Se o conversor de freqüência VLT estiver emRegulação de processo, loop fechado (parâmetro 100)o aviso estará ativo no mostrador. Se o conversor defreqüênca VLT estiver em modo diferente de Regulaçãode processo, loop fechado, bit 008000 Fora da faixade freqüência no status estendido a palavra estaráativa, mas não haverá aviso no mostrador.

WARNING/ALARM 34: Falha na comu-nicação do HPFBA falha na comunicação só ocorre nas versões dobarramento de campo. Com relação ao tipo dealarme, consulte o parâmetro 953 na documentaçãodo barramento de campo.

ALARM 35: Falha de invasãoEste alarme ocorre quando o conversor de freqüênciativer sido conectado à alimentação da rededemasiadas vezes no intervalo de 1 minuto.

WARNING/ALARM 36: SobretemperaturaSe a temperatura dentro do módulo de força subiracima de 75 - 85 °C (dependendo do dispositivo)o conversor de freqüência emitirá um aviso e omotor continuará a funcionar sem alteração. Se

a temperatura continuar a subir, a freqüência demudança é reduzida automaticamente. ConsulteFreqüência de mudança dependente da temperatura.Se a temperatura dentro do módulo de força subiracima de 92 - 100 °C (dependendo da unidade)o conversor de freqüência desligará. A falha detemperatura não pode ser reajustada até a temperaturacair abaixo de 70 °C. A tolerância é ± 5 °C. Atemperatura pode ser causada pelo seguinte:- A temperatura ambiente é muito alta.- O cabo do motor é muito longo.- A tensão da rede é muito alta.

ALARM 37–45: Falha internaSe ocorrer uma dessas falhas, entre emcontato com a Danfoss.

Alarme 37, falha interna número 0: Falha decomunicação entre a placa de controle e BMC.

Alarme 38, falha interna número 1: Falha na FlashEEPROM da placa de controle.

Alarme 39, falha interna número 2: Falha deRAM na placa de controle.

Alarme 40, falha interna número 3: Constantede calibração na EEPROM.

Alarme 41, falha interna número 4: Valoresde dados na EEPROM.

Alarme 42, falha interna número 5: Falha no bancode dados de parâmetros do motor.

Alarme 43, falha interna número 6: Falha geralna placa de alimentação.

Alarme 44, falha interna número 7: Versão mínimade software da placa de controle ou BMC.

Alarme 45, falha interna número 8: Falha de E/S(entrada/saída digital, relê ou entrada/saída analógica).

NOTA!:Ao reinicializar depois de um alarme 38–45,o conversor de freqüência VLT exibirá umalarme 37. No parâmetro 615 o código

de alarme real pode ser lido.

ALARM 50: AMT impossívelPode ocorrer uma das três seguintes possibilidades:- O RS calculado está fora dos limites permitidos.- A corrente do motor em pelo menos uma das

fases do motor está muito baixa.- O motor usado é muito pequeno para que os

cálculos do AMT sejam realizados.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 143

Page 144: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

ALARM 51: AMT Falha relativa a dadosda placa de identificaçãoHá inconsistência entre os dados registrados do motor.dados do motor para a configuração relevante.

ALARM 52: AMT faltando fase de motorA função AMT detectou uma fase de motor faltando.

ALARM 55: AMT tempo limiteOs cálculos estão demorando muito, possivelmentedevido a ruído nos cabos do motor.

ALARM 56: AMT advertência durante o AMTÉ feita uma advertência ao conversor de freqüênciadurante a realização do AMT.

WARNING 99: BloqueadoVide parâmetro 18.

Limites de alarme/advertência:Sem freio Com freio Sem freio Com freio

VLT 2800 1 / 3 x 200 - 240 V[VCC]

1 / 3 x 200 - 240 V[VCC]

3 x 380 - 480 V[VCC]

3 x 380 - 480 V[VCC]

Subtensão 215 215 410 410Advertência detensão baixa

230 230 440 440

Advertência detensão alta

385 400 765 800

Sobretensão 410 410 820 820

As tensões informadas são a tensão do circuitointermediário do conversor de freqüência com uma

tolerância de ± 5 %. A tensão de linha correspondenteé a tensão do circuito intermediário dividida por 1,35.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss144

Page 145: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Tud

o so

bre

o V

LT28

00

■ Palavras de aviso, palavras de estado estendidoe palavras de alarmeAs palavras de aviso, palavras de estado e palavras dealarme aparecem no display em formato hexadecimal.Se houver vários avisos, palavras de estado oualarmes, será exibido um total de todos os avisos,palavras de estado ou alarmes. As palavras de aviso,palavras de estado e palavras de alarme tambémpodem ser lidas usando o bus serial nos parâmetros540, 541 e 538, respectivamente.

BBBBiiiitttt ((((HHHHeeeexxxx)))) PPPPaaaallllaaaavvvvrrrraaaassss ddddeeee aaaavvvviiiissssoooo000008 Timeout de bus HPFB000010 Timeout da comunicação serial000040 Limite de corrente000080 Termistor do motor000100 Sobrecarga do motor000200 Sobrecarga do inversor000400 Subtensão000800 Sobretensão001000 Advertência de tensão baixa002000 Advertência de tensão alta004000 Falha de fase010000 Falha "live zero"400000 Fora dos limites de freqüência800000 Falha de comunicação do Profibus40000000 Aviso do modo de comutação80000000 Alta temperatura no dissipador de

calor

BBBBiiiitttt ((((HHHHeeeexxxx)))) PPPPaaaallllaaaavvvvrrrraaaassss ddddeeee eeeessssttttaaaaddddoooo eeeesssstttteeeennnnddddiiiiddddaaaassss000001 Rampa000002 AMT funcionando000004 Iniciar avançar/reverso000008 Desacelerar000010 Catch-up000020 Feedback alto000040 Feedback baixo000080 Alta corrente de saída000100 Baixa corrente de saída000200 Alta freqüência de saída000400 Baixa freqüência de saída002000 Frenagem008000 Fora dos limites de freqüência

BBBBiiiitttt ((((HHHHeeeexxxx)))) PPPPaaaallllaaaavvvvrrrraaaassss ddddeeee AAAAllllaaaarrrrmmmmeeee000002 Triplock000004 Falha de sintonia de AMT000040 Timeout de bus HPFB000080 Timeout de bus padrão000100 Curto-circuito000200 Falha do modo de comutação000400 Falha de terra000800 Sobrecorrente002000 Termistor do motor004000 Sobrecarga do motor008000 Sobrecarga do inversor010000 Subtensão020000 Sobretensão040000 Falha de fase080000 Falha "live zero"100000 Temperatura muito alta no dissipador

de calor2000000 Falha de comunicação do Profibus8000000 Falha de "inrush"10000000 Falha interna

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 145

Page 146: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

■ Dados técnicos gerais

Alimentação da rede (L1, L2, L3):

Tensão de alimentação VLT 2803-2815 220-240 V (N, L1) ............................................ 1 x 220/230/240 V ±10%Tensão de alimentação VLT 2803-2840 200-240 V ........................................... 3 x 200/208/220/230/240 V ±10%Tensão de alimentação VLT 2805-2882 380-480 V ........................................... 3 x 380/400/415/440/480 V ±10%Freqüência de alimentação ...................................................................................................................... 50/60 HzVariação máxima da tensão de alimentação ......................................... ± 2,0% da tensão de alimentação nominalFator de potência real (λ) ..................................................................................... 0,90 nominal com carga nominalFator de potência de deslocamento (cos ϕ) .................................................................. próximo â unidade (> 0,98)Número de conexões na entrada de alimentação L1, L2, L3 ............................................................. 2 vezes/min.Valor máx. de curto-circuito ................................................................................................................... 100.000 AConsulte a seção Condições especiais no Guia de design

Dados de saída (U, V, W):

Tensão de saída .............................................................................................. 0 - 100% da tensão de alimentaçãoFreqüência de saída ....................................................................................................... 0,2 - 132 Hz, 1 - 1000 HzTensão nominal do motor, unidades de 200-240 V .......................................................... 200/208/220/230/240 VTensão nominal do motor, unidades de 380-480 V .................................................. 380/400/415/440/460/480 VFreqüência nominal do motor .................................................................................................................. 50/60 HzChaveamento na saída .............................................................................................................................. IlimitadoTempos de rampa ......................................................................................................................... 0,02 - 3600 seg.

Características do torque:

Torque inicial (parâmetro 101 Característica do torque = Torque constante) ................................. 160% em 1 min.*

Torque inicial (parâmetro 101 Característica do torque = Torque variável) ..................................... 160% em 1 min.*

Torque inicial (parâmetro 119 Alto torque inicial) ........................................................................ 180% por 0,5 seg.*

Torque de sobrecarga (parâmetro 101 Característica do torque = Torque constante) ................................... 160%*

Torque de sobrecarga (parâmetro 101 Característica do torque = Torque variável) ....................................... 160%*

*Porcentagem está relacionada com a corrente nominal do conversor de freqüência.

Cartão de controle, entradas digitais:

Número de entradas digitais programáveis ........................................................................................................... 5Número de terminal .................................................................................................................... 18, 19, 27, 29, 33Nível de tensão ................................................................................................... 0 - 24 V CC (lógica positiva PNP)Nível de tensão, lógico ’0’ ........................................................................................................................ < 5 V CCNível de tensão, lógico ’1’ ...................................................................................................................... > 10 V CCTensão máxima de entrada ....................................................................................................................... 28 V CCResistência de entrada, Ri (terminais 18, 19, 27, 29) ........................................................................... aprox. 4 kResistência de entrada, Ri (terminal 33) .............................................................................................. aprox. 2 kTodas as entradas digitais são galvanicamente isoladas da tensão de alimentação (PELV) e de outrosterminais de alta tensão. Veja a seção intitulada Isolação Galvânica.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss146

Page 147: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Tud

o so

bre

o V

LT28

00

Cartão de controle, entradas analógicas:

Número de entradas de tensão analógica ............................................................................................................. 1Número do terminal ............................................................................................................................................ 53Nível de tensão ............................................................................................................... 0 - 10 V CC (escalonável)Resistência de entrada, Ri ............................................................................................................... aprox. 10 kTensão máx. ................................................................................................................................................... 20 VNúmero de entradas de corrente analógica .......................................................................................................... 1Número do terminal ............................................................................................................................................ 60Nível de corrente ............................................................................................................. 0/4 - 20 mA (escalonável)Resistência de entrada, Ri ................................................................................................................ aprox. 300Corrente máx. .............................................................................................................................................. 30 mAResolução das entradas analógicas ............................................................................................................. 10 bitsPrecisão das entradas analógicas .............................................................................. Erro máx. 1% da escala totalIntervalo de varredura ............................................................................................................................ 13,3 msegAs entradas analógicas são galvanicamente isoladas da tensão de alimentação (PELV) e de outrosterminais de alta tensão. Veja a seção intitulada Isolação Galvânica.

Cartão de controle, entradas de pulso:

Número de entradas programáveis de pulsos ....................................................................................................... 1Número do terminal ............................................................................................................................................ 33Freqüência máx. no terminal 33 .............................................................................................. 67,6 kHz (Push-pull)Freqüência máx. no terminal 33 ............................................................................................ 5 kHz (coletor aberto)Freqüência mín. no terminal 33 ....................................................................................................................... 4 HzNível de tensão ................................................................................................... 0 - 24 V CC (lógica positiva PNP)Nível de tensão, lógico ’0’ ........................................................................................................................ < 5 V CCNível de tensão, lógico ’1’ ...................................................................................................................... > 10 V CCTensão máxima de entrada ....................................................................................................................... 28 V CCResistência de entrada, Ri ................................................................................................................. aprox. 2 kIntervalo de varredura ............................................................................................................................ 13,3 msegResolução ................................................................................................................................................... 10 bitsPrecisão (100 Hz- 1 kHz) terminal 33 ...................................................................... Erro máx: 0,5% da escala totalPrecisão (1 kHz - 67,6 kHz) terminal 33 .................................................................. Erro máx: 0,1% da escala totalA entrada de pulso (terminal 33) está galvanicamente isolada da tensão de alimentação (PELV) e deoutros terminais de alta tensão. Consulte a seção intitulada Isolação Galvânica.

Cartão de controle, saída digital/freqüência:

Número de saídas digitais/pulso programáveis ..................................................................................................... 1Número do terminal ............................................................................................................................................ 46Nível da tensão na saída digital/freqüência .......................................................................... 0 - 24 V CC (O.C PNP)Corrente máx. de saída na saída digital/freqüência ..................................................................................... 25 mA.Carga máx. na saída digital/freqüência .......................................................................................................... 1 kCapacitância máx. na saída de freqüência ..................................................................................................... 10 nFFreqüência mínima de saída na saída de freqüência ..................................................................................... 16 HzFreqüência máxima de saída na saída de freqüência ................................................................................... 10 kHzPrecisão na saída de freqüência ........................................................................... Erro máx.: 0,2 % da escala totalResolução na saída de freqüência ............................................................................................................... 10 bitsA saída digital é galvanicamente isolada da tensão de alimentação (PELV) e de outros terminaisde alta tensão. Veja a seção intitulada Isolação Galvânica.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 147

Page 148: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Cartão de controle, saída analógica:

Número de saídas analógicas programáveis ......................................................................................................... 1Número do terminal ............................................................................................................................................ 42Faixa atual na saída analógica .............................................................................................................. 0/4 - 20 mACarga máxima na saída analógica ............................................................................................................... 500Precisão na saída analógica .................................................................................. Erro máx.: 1,5 % da escala totalResolução na saída analógica ...................................................................................................................... 10 bitsA saída analógica é galvanicamente isolada da tensão de alimentação (PELV) e de outros terminaisde alta tensão. Veja a seção intitulada Isolação Galvânica.

Cartão de controle, alimentação de 24 V CC:

Número do terminal ............................................................................................................................................ 12Carga máx. ................................................................................................................................................ 130 mAA alimentação de 24 V CC é galvanicamente isolada da tensão de alimentação (PELV), mas tem o mesmopotencial que as entradas e saídas digitais e analógicas. Veja a seção intitulada Isolação Galvânica.

Cartão de controle, alimentação de 10 V CC:

Número do terminal ............................................................................................................................................ 50Tensão de saída ................................................................................................................................ 10,5 V ±0,5 VCarga máx. .................................................................................................................................................. 15 mAA alimentação de 10 V CC é galvanicamente isolada da tensão de alimentação (PELV) e de outrosterminais de alta tensão. Veja a seção intitulada Isolação Galvânica.

Cartão de controle, comunicação serial RS 485:

Número do terminal .................................................................................................... 68 (TX+, RX+), 69 (TX-, RX-)Terminal número 67 ........................................................................................................................................ +5 VTerminal número 70 .......................................................................................... Comum aos terminais 67, 68 e 69Isolamento galvànico total. Consulte a seção Isolamento Galvànico.Para unidades DeviceNet, consulte o manual do DeviceNet do VLT 2800, MG.90.BX.YY.

Saídas do relé:

Número de saídas programáveis de relés ............................................................................................................. 1Número do terminal, cartão de controle ......................................................................... 1-3 (aberto), 1-2 (fechado)Carga máx. terminal (CA) em 1-3, 1-2, cartão de controle ............................................................... 240 V CA, 2 ACarga mín. terminal em 1-3, 1-2, cartão de controle ......................................... 24 V CC 10 mA, 24 V CA 100 mAO contato do relé está separado do resto do circuito através de uma isolação reforçada.Veja a seção intitulada Isolação Galvânica.

Comprimentos dos cabos e secções transversais:

Comprimento máx. do cabo do motor, cabo blindado ................................................................................... 40 mComprimento máx. do cabo do motor, cabo não-blindado ........................................................................... 75 mComprimento máx. do cabo do motor, cabo blindado e bobina do motor .................................................... 100 mComprimento máx. do cabo do motor, cabo não-blindado e bobina do motor ............................................ 200 mComprimento máx. do cabo do motor, cabo blindado e filtro RFI/1B ................................................ 200 V, 100 mComprimento máx. do cabo do motor, cabo blindado e filtro RFI/1B .................................................. 400 V, 25 mComprimento máx. do cabo do motor, cabo blindado e filtro RFI 1B/LC ............................................ 400 V, 25 mSecção transversal máx. para o motor, veja a próxima seção.Secção transversal máx. para os cabos de controle, fio rígido ........................... 1,5 mm2/16 AWG (2 x 0,75 mm2)Secção transversal máx. para os cabos de controle, fio flexível ..................................................... 1 mm2/18 AWGSecção transversal máx. para os cabos de controle, cabo com núcleo interno ......................... 0,5 mm2/20 AWGAo compatibilizar-se com o EN 55011 1A e o EN 55011 1B, em determinados casos ocabo do motor deve ser reduzido. Ver emissão CEM.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss148

Page 149: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Tud

o so

bre

o V

LT28

00

Características de controle:

Faixa de freqüência ........................................................................................................ 0,2 - 132 Hz, 1 - 1000 HzResolução da freqüência de saída .................................................................................... 0,013 Hz, 0,2 - 1000 HzPrecisão da repetição de Partida/parada precisa (terminais 18, 19) ................................................... ≤ ± 0,5 msegTempo de resposta do sistema (terminais 18, 19, 27, 29, 33) ............................................................ ≤ 26,6 msegFaixa de controle da velocidade (malha aberta) ........................................................... 1:15 da velocidade síncronaFaixa de controle da velocidade (malha fechada) ..................................................... 1:120 da velocidade síncronaPrecisão da velocidade (malha aberta) ......................................................... 90 - 3600 rpm: Erro máx de ±23 rpmPrecisão da velocidade (malha fechada) .................................................... 30 - 3600 rpm: Erro máx de ±7,5 rpmTodas as características de controle são baseadas em um motor assíncrono de 4 pólos

Características externas:

Invólucro ........................................................................................................................................................ IP 20Invólucro com opções ............................................................................................................................... NEMA 1Teste de vibração ............................................................................................................................................ 0,7 gUmidade relativa máxima ........................................................................................ 5% - 85% durante a operaçãoTemperatura ambiente ....................................................................... 45 °C máx. (média de 24 horas máx. 40 °C)"Derating" para temperatura ambiente alta - veja as condições especiais no Guia de designTemperatura ambiente mín. em operação plena ............................................................................................. 0 °CTemperatura ambiente mín. com desempenho reduzido ............................................................................. -10 °CTemperatura durante o armazenamento/transporte ....................................................................... -25 - +65/70 °CAltitude máx. acima do nível do mar .......................................................................................................... 1.000 m"Derating" para alta pressão atmosférica - consulte as condições especiais no Guia de designNormas EMC, Emissão ................................................................................. EN 50081-2, EN 61800-3, EN 55011Normas EMC, Imunidade ................................................................................................................................... EN50082-1/2, EN 61000-4-2, EN 61000-4-3, EN 61000-4-4, EN 61000-4-5, EN 61000-4-6, EN 61800-3Consulte a seção sobre condições especiais no Guia de design

Salvaguardas:

• Proteção térmica eletrônica do motor contra sobrecarga.• Um monitoramento da temperatura do dissipador de calor garante que o conversor de freqüência

desligará se a temperatura chegar a 100 °C. Uma sobrecarga de temperatura não pode ser reinicializadaaté que a temperatura do dissipador de calor fique abaixo de 70 °C.

• O conversor de freqüência é protegido contra curto-circuitos nos terminais U, V, W do motor.• Se estiver faltando uma fase da alimentação da rede, o conversor de freqüência desligará.• Um monitoramento da tensão do circuito intermediário assegura que o conversor de freqüência

desligue, caso essa tensão esteja mais mais baixa ou mais alta.• O conversor de freqüência é protegido contra falha de aterramento nos terminais U, V, W do motor.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 149

Page 150: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

■ Dados técnicos, alimentaçãode rede 1 x 220-240V/3x 200-240V

De acordo com os padrõesinternacionais

Tipo 2222888800003333 2222888800005555 2222888800007777 2222888811111111 2222888811115555 2222888822222222 2222888844440000

Corrente de saída IINV. [A] 2.2 3.2 4.2 6.0 6.8 9.6 16(3 x 200-240V) IMAX (60s) [A] 3.5 5.1 6.7 9.6 10.8 15.3 25.6Potência de saída(230 V)

SINV. [KVA] 0.9 1.3 1.7 2.4 2.7 3.8 6.4

Potência típica no eixo PM,N [kW] 0.37 0.55 0.75 1.1 1.5 2.2 3.7Potência típica no eixo PM,N [HP] 0.5 0.75 1.0 1.5 2.0 3.0 5.0Seção transversalmáx. do cabo, motor

[mm2/AWG] 1) 4/10 4/10 4/10 4/10 4/10 4/10 4/10

Corrente de entrada IL,N [A] 5.9 8.3 10.6 14.5 15.2 - -(1 x 220-240 V) IL,MAX (60s) [A] 9.4 13.3 16.7 23.2 24.3 - -Corrente de entrada IL,N [A] 2.9 4.0 5.1 7.0 7.6 8.8 14.7(3 x 200-240 V) IL,MAX (60s) [A] 4.6 6.4 8.2 11.2 12.2 14.1 23.5Seção transversalmáx. do cabo,potência

[mm2/AWG] 1) 4/10 4/10 4/10 4/10 4/10 4/10 4/10

Pré-fusíveis máx. [A]/UL 2) [A] 20/20 20/20 20/20 20/20 20/20 20/20 25/25Eficiência3) [%] 95 95 95 95 95 95 95Perda de energia a100% de carga

[W] 24 35 48 69 94 125 231

Peso [kg] 2.0 2.0 2.0 2.0 2.0 3,7 6.0Invólucro4 tipo IP 20 IP 20 IP 20 IP 20 IP 20 IP 20 IP 20

1. American Wire Gauge. A seção transversalmáxima do cabo é a maior seção transversalque pode ser conectada aos terminais. Obedeçasempre as normas nacionais e locais.2. Devem ser usados pré-fusíveis do tipo gG. Paramanter a conformidade com o UL/cUL, devem serusados pré-fusíveis do tipo Bussmann KTN-R 200 V,KTS-R 500 V ou Ferraz Shawmut, tipo ATMR (máx.30 A). Para proteção, os fusíveis devem ser colocadosem um circuito capaz de fornecer no máximo de100.000 amps RMS (simétricos), e no máximo 500 V.3. Medido com um cabo de motor blindado de 25m com valores nominais de carga e freqüência.4. IP20 é padrão para o VLT 2805-2875,enquanto NEMA 1 é uma opção.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss150

Page 151: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Tud

o so

bre

o V

LT28

00

■ Dados técnicos, alimentação de rede 3 x 380-480V

De acordo com os padrões

internacionais

Tipo 2222888800005555 2222888800007777 2222888811111111 2222888811115555 2222888822222222 2222888833330000

Corrente de saída IINV. [A] 1.7 2.1 3.0 3.7 5.2 7.0

(3 x 380-480V) IMAX (60s) [A] 2.7 3.3 4.8 5.9 8.3 11.2

Potência de saída (400

V)

SINV. [KVA] 1.1 1.7 2.0 2.6 3.6 4.8

Potência típica no eixo PM,N [kW] 0.55 0.75 1.1 1.5 2.2 3.0

Potência típica no eixo PM,N [HP] 0.75 1.0 1.5 2.0 3.0 4.0

Seção transversal máx.

do cabo, motor

[mm2/AWG] 1) 4/10 4/10 4/10 4/10 4/10 4/10

Corrente de entrada IL,N [A] 1.6 1.9 2.6 3.2 4.7 6.1

(3 x 380-480 V) IL,MAX(60s)[A] 2.6 3.0 4.2 5.1 7.5 9.8

Seção transversal máx.

do cabo, potência

[mm2/AWG] 1) 4/10 4/10 4/10 4/10 4/10 4/10

Pré-fusíveis máx. [A]/UL 2) [A] 20/20 20/20 20/20 20/20 20/20 20/20

Eficiência3) [%] 96 96 96 96 96 96

Perda de energia a

100% de carga

[W] 28 38 55 75 110 150

Peso [kg] 2.1 2.1 2.1 2.1 3.7 3.7

Invólucro4 tipo IP 20 IP 20 IP 20 IP 20 IP 20 IP 20

De acordo com os padrões

internacionais

Tipo 2222888844440000 2222888855555555 2222888877775555 2222888888880000 2222888888881111 2222888888882222

Corrente de saída IINV. [A] 9.1 12 16 24 32.0 37.5

(3 x 380-480V) IMAX (60s) [A] 14.5 19.2 25.6 38.4 51.2 60.0

Potência de saída (400

V)

SINV. [KVA] 6.3 8.3 11.1 16.6 22.2 26.0

Potência típica no eixo PM,N [kW] 4.0 5.5 7.5 11.0 15.0 18.5

Potência típica no eixo PM,N [HP] 5.0 7.5 10.0 15.0 20.0 25.0

Seção transversal máx.

do cabo, motor

[mm2/AWG] 1) 4/10 4/10 4/10 16/6 16/6 16/6

Corrente de entrada IL,N [A] 8.1 10.6 14.9 24.0 32.0 37.5

(3 x 380-480 V) IL,MAX(60s)[A] 13.0 17.0 23.8 38.4 51.2 60

Seção transversal máx.

do cabo, potência

[mm2/AWG] 1) 4/10 4/10 4/10 16/6 16/6 16/6

Pré-fusíveis máx. [A]/UL 2) [A] 20/20 25/25 25/25 50/50 50/50 50/50

Eficiência3) [%] 96 96 96 97 97 97

Perda de energia a

100% de carga

[W] 200 275 372 412 562 693

Peso [kg] 3.7 6.0 6.0 18.5 18.5 18.5

Invólucro4 tipo IP20 IP20 IP20 IP20/

NEMA 1

IP20/

NEMA 1

IP20/

NEMA 1

1. American Wire Gauge. A seção transversalmáxima do cabo é a maior seção transversalque pode ser conectada aos terminais. Obedeçasempre as normas nacionais e locais.2. Devem ser usados pré-fusíveis do tipo gG. Paramanter a conformidade com o UL/cUL, devem serusados pré-fusíveis do tipo Bussmann KTN-R 200 V,KTS-R 500 V ou Ferraz Shawmut, tipo ATMR (máx.30 A). Para proteção, os fusíveis devem ser colocados

em um circuito capaz de fornecer no máximo de100.000 amps RMS (simétricos), e no máximo 500 V.3. Medido com um cabo de motor blindado de 25m com valores nominais de carga e freqüência.4. IP20 é padrão para o VLT 2805-2875,enquanto NEMA 1 é uma opção.

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 151

Page 152: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

■ Literatura disponível

■ Fornecido com a unidadeVeja abaixo uma lista da literatura disponível parao VLT 2800. Note que pode haver variaçõesde um país para o seguinte.

Fornecido com a unidade:

Manual de operação ......................................................................................................................... MG.28.AX.YY

Literatura variada para o VLT 2800:

Guia de Projeto ................................................................................................................................. MG.28.EX.YYFolha de Dados ................................................................................................................................ MD.28.AX.YYLista de parâmetros .......................................................................................................................... MG.28.DX.YY

Instruções para o VLT 2800:

LCP remote-mounting kit .................................................................................................................... MI.56.AX.51Filter instruction .................................................................................................................................. MI.28.B1.02VLT 2800 DeviceNet cable ................................................................................................................... MI.28.F1.02Cold plate ........................................................................................................................................... MI.28.D1.02Precise stop ........................................................................................................................................ MI.28.C1.02

Comunicação com o VLT 2800:

Manual do Profibus ........................................................................................................................... MG.90.AX.YYManual do DeviceNet do VLT 2800 ................................................................................................... MG.90.BX.YYX = número da versãoYY = versão do idioma

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss152

Page 153: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Tud

o so

bre

o V

LT28

00

■ Programação defábrica

PNU#

Descrição doparàmetro

Programação de fábrica 4-setup Índice deconv.

Tipo dedados

001 Language English Não 0 5002 Local/remote operation Remote-controlled Sim 0 5003 Local reference 000,000.000 Sim -3 4004 Active Setup Setup 1 Não 0 5005 Programming Setup Active Setup Não 0 5006 Setup copying No copying Não 0 5007 LCP copy No copying Não 0 5008 Display scaling 1.00 Sim -2 6009 Large display readout Freqüência [Hz] Sim 0 5010 Small display line 1.1 Referência [%] Sim 0 5011 Small display line 1.2 Motor current [A] Sim 0 5012 Small display line 1.3 Power [kW] Sim 0 5013 Local control Remote control

as par. 100Sim 0 5

014 Local stop/reset Active Sim 0 5015 Local jog Not active Sim 0 5016 Local reversing Not active Sim 0 5017 Local reset of trip Active Sim 0 5018 Data change lock Not locked Sim 0 5019 Operating status at

power upForced stop,use saved ref.

Sim 0 5

020 Lock for Hand mode Active Não 0 5024 User-defined Quick Menu Not active Não 0 5025 Quick Menu Setup 000 Não 0 6

4-Setup:’Sim’ significa que o paràmetro pode ser programadoindividualmente em cada uma das quatroconfigurações, ou seja, o mesmo paràmetro poderáter quatro valores de dados diferentes. ’Não’significa que o valor de dados será o mesmoem todas as configurações.

Índice de conversão:Este número refere-se a um valor de conversão a serusado durante a gravação ou leitura via comunicaçãoserial com um conversor de freqüência.Consulte Caractere de dados em Comunicação serial.

Tipo de dados:O tipo de dados mostra o tipo e o comprimentodo telegrama.

Tipo dedados

Descrição

3 Inteiro 164 Inteiro 325 Sem sinal 86 Sem sinal 167 Sem sinal 329 Seqüência de texto

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 153

Page 154: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

NPAR#

Parâmetro-descrição

Programação de fabrica 4-setup Indice deconv.

Tipo dedados

100 Configuration Speed reg., open loop Yes 0 5101 Torque characteristics Constant torque Yes 0 5102 Motor power PM,N depends on unit Yes 1 6103 Motor voltage UM,N depends on unit Yes -2 6104 Motor frequency fM,N 50 Hz Yes -1 6105 Motor current IM,N depends on motor selected Yes -2 7106 Rated motor speed depends on par. 102 Yes 0 6107 Automatic motor adjustment Optimisation off Yes 0 5108 Stator resistance RS depends on motor selected Yes -3 7109 Stator reactance XS depends on motor selected Yes -2 7119 High start torque 0.0 sec Yes -1 5120 Start delay 0.0 sec Yes -1 5121 Start function Coast in start del. Yes 0 5122 Function at stop Coast Yes 0 5123 Min. freq. for activation of

par. 1220.1 Hz Yes -1 5

126 DC braking time 10 sec. Yes -1 6127 DC brake engaging frequency OFF Yes -2 6128 Thermal motor protection No protection Yes 0 5130 Start frequency 0.0 Hz Yes -1 5131 Voltage at start 0.0 V Yes -1 6132 DC brake voltage 0% Yes 0 5133 Start voltage depends on unit Yes -2 6134 Load compensation 100 % Yes -1 6135 U/f-ratio depends on unit Yes -2 6136 Slip compensation 100 % Yes -1 3137 DC hold voltage 0% Yes 0 5138 Brake cut out value 3.0 Hz Yes -1 6139 Brake cut in frequency 3.0 Hz Yes -1 6140 Current, minimum value 0 % Yes 0 5142 Leak reactance depends on motor selected Yes -3 7143 Internal ventilator control Automatic Yes 0 5144 AC brake factor 1.30 Yes -2 5146 Reset voltage vector Off Yes 0 5

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss154

Page 155: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Tud

o so

bre

o V

LT28

00

NPAR Parâmetrodescrição

Programação de fábrica 4-setup Índice deconv

Tipo dedado

200 Gama da freqüência de saída Clockwise only, 0-132 Hz Sim 0 5201 Freqüência de saída,

limite mínimo fMIN

0,0 Hz Sim -1 6

202 Freqüência de saída,limite máximo fMAX

132 Hz Sim -1 6

203 Gama de referência Min ref.-Max ref. Sim 0 5204 Referência mínima RefMIN 0,000 Hz Sim -3 4205 Referência máxima RefMAX 50,000 Hz Sim -3 4206 Tipo de rampa Linear Sim 0 5207 Tempo de aceleração 1 3,00 seg. Sim -2 7208 Tempo de desaceleração 1 3,00 seg. Sim -2 7209 Tempo de aceleração 2 3,00 seg. Sim -2 7210 Tempo de desaceleração 2 3,00 seg. Sim -2 7211 Tempo de rampa para o jog 3,00 seg. Sim -2 7212 Tempo de parada rápida 3,00 seg. Sim -2 7213 Freqüência de jog 10,0 Hz Sim -1 6214 Função de referência Sum Sim 0 5215 Referência pré-ajustada 1 0,00% Sim -2 3216 Referência pré-ajustada 2 0,00% Sim -2 3217 Referência pré-ajustada 3 0,00% Sim -2 3218 Referência pré-ajustada 4 0,00% Sim -2 3219 Referência

Catch up/Slow down0,00% Sim -2 6

221 Limite de corrente 160 % Sim -1 6223 Advert. Baixa corrente 0,0 A Sim -1 6224 Advert. Alta corrente IMAX Sim -1 6225 Advert. Baixa freqüência 0,0 Hz Sim -1 6226 Advert. Alta freqüência 132,0 Hz Sim -1 6227 Advert. Baixo Feedback -4000,000 Sim -3 4228 Advert. Alto feedback 4000,000 Sim -3 4229 Freqüência de bypass,

largura de faixa0 Hz (OFF) Sim 0 6

230 Freqüência de bypass 1 0,0 Hz Sim -1 6231 Freqüência de bypass 2 0,0 Hz Sim -1 6

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 155

Page 156: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

NPAR Parâmetrodescrição

Programação de fábrica 4-setup Índice deconv

Tipo dedado

302 Digital input, term. 18 Start Yes 0 5303 Digital input, term. 19 Reversing Yes 0 5304 Digital input, term. 27 Reset and coast

inverseYes 0 5

305 Digital input, term. 29 Jog Yes 0 5307 Digital input, term. 33 No function Yes 0 5308 Term. 53, analogue input voltage Reference Yes 0 5309 Term. 53, min scaling 0.0 V Yes -1 6310 Term. 53, max scaling 10.0 V Yes -1 6314 Term. 60, analogue input current No function Yes 0 5315 Term. 60, min scaling 0.0 mA Yes -1 6316 Term. 60, max scaling 20.0 mA Yes -1 6317 Time out 10 sec. Yes 0 5318 Function after timeout No function Yes 0 5319 Term. 42, analogue output 0-IMAX = 0-20 mA Yes 0 5323 Relay output Control ready Yes 0 5327 Pulse ref./FB 5000 Hz Yes 0 7341 Term. 46 digital output Control ready Yes 0 5342 Term. 46 Max. pulse output 5000 Hz Yes 0 6343 Precise stop function Normal ramp stop Yes 0 5344 Counter value 100000 pulses Yes 0 7349 Speed comp delay 10 ms Yes -3 6

4-Setup:’Sim’ significa que o parâmetro pode ser programadoindividualmente em cada um dos quatro Setups, ouseja, o mesmo parâmetro poderá ter quatro valoresde dados diferentes. ’Não’ significa que o valor dedados será o mesmo em todos os Setups.

Índice de conversão:Este número refere-se a um valor de conversão a serutilizado durante a gravação ou leitura via comunicaçãoserial com um conversor de freqüência.Vide Caractere de dados em Comunicação serial.

Tipo de dado:O tipo de dado mostra o tipo e comprimentodo telegrama.

Tipo de dado Descrição3 Inteiro 164 Inteiro 325 Sem sinal 86 Sem sinal 167 Sem sinal 329 Seqüência de texto

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss156

Page 157: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Tud

o so

bre

o V

LT28

00

NPAR#

Parâmetro descrição Programação de fabrica 4-setup Indice deconv.

Tipo dedados

400 Brake function Depends on unit type No 0 5405 Reset function Manual reset Yes 0 5406 Aut. restart time 5 sec. Yes 0 5409 Trip delay overcurrent Off (61 sec.) Yes 0 5411 Switching frequency 4.5 kHz Yes 0 6412 Var. carrier frequency No LC-filter Yes 0 5413 Overmodulation function On Yes 0 5414 Min. feedback 0.000 Yes -3 4415 Max. feedback 1500.000 Yes -3 4416 Process units No unit Yes 0 5417 Speed PID propor.ampl. 0.010 Yes -3 6418 Speed PID intergra. 100 ms Yes -2 7419 Speed PID differentiation time 20.00 ms Yes -2 7420 Speed PID diff. amplification

limit5.0 Yes -1 6

421 Speed PID lowpass filter 20 ms Yes 0 6423 U1 voltage par. 103 Yes -1 6424 F1 frequency Par. 104 Yes -1 6425 U2 voltage par. 103 Yes -1 6426 F2 frequency par. 104 Yes -1 6427 U3 voltage par. 103 Yes -1 6428 F3 frequency par. 104 Yes -1 6437 Proc. PID no/inv. Normal Yes 0 5438 Proc. PID anti wind. Active Yes 0 5439 Proc. PID start frequency Par. 201 Yes -1 6440 Proc. PID start

proportional ampl.0.01 Yes -2 6

441 Proc. PID integration time Off (9999.99 s) Yes -2 7442 Proc. PID differentiation time Off (0.00 s). Yes -2 6443 Proc. PID diff. ampl. limit 5.0 Yes -1 6444 Proc. PID lowpass filter time 0.02 s Yes -2 6445 Flying start Not possible Yes 0 5451 Speed PID feedforward factor 100 % Yes 0 6452 Controller range 10 % Yes -1 6456 Brake voltage reduce 0 Yes 0 5

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 157

Page 158: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

NPAR Parâmetrodescrição

Programação de fábrica 4-setup Índice deconv

Tipo dedado

500 Address 1 No 0 5501 Baudrate 9600 Baud No 0 5502 Coasting stop Logic or Yes 0 5503 Quick stop Logic or Yes 0 5504 DC brake Logic or Yes 0 5505 Start Logic or Yes 0 5506 Reversing Logic or Yes 0 5507 Selection of Setup Logic or Yes 0 5508 Selection of preset ref. Logic or Yes 0 5509 Bus jog 1 10.0 Hz Yes -1 6510 Bus jog 2 10.0 Hz Yes -1 6512 Telegram profile FC protocol Yes 0 5513 Bus time interval 1 sec. Yes 0 5514 Bus time interval function Off Yes 0 5515 Data readout: Reference % No -1 3516 Data readout: Reference [unit] No -3 4517 Data readout: Feedback [unit] No -3 4518 Data readout: Frequency No -1 3519 Data readout: Frequency x scaling No -1 3520 Data readout: Motor current No -2 7521 Data readout: Torque No -1 3522 Data readout: Power [kW] No 1 7523 Data readout: Power [HP] No -2 7524 Data readout: Motor voltage [V] No -1 6525 Data readout: DC link voltage No 0 6526 Data readout: Motor thermal load No 0 5527 Data readout: Inverter thermal load No 0 5528 Data readout: Digital input No 0 5529 Data readout: Analogue input, term. 53 No -1 5531 Data readout: Analogue input, term. 60 No -4 5532 Data readout: Pulse reference No -1 7533 Data readout: External reference No -1 6534 Data readout: Status word No 0 6537 Data readout: Inverter temperature No 0 5538 Data readout: Alarm word No 0 7539 Data readout: Control word No 0 6540 Data readout: Warning word No 0 7541 Data readout: Extended status word No 0 7544 Data readout: Pulse count No 0 7

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss158

Page 159: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Tud

o so

bre

o V

LT28

00

NPAR Parâmetrodescrição

Programação de fábrica 4-setup Índice deconv

Tipo dedado

600 Operating hours No 73 7601 Hours run No 73 7602 kWh counter No 2 7603 Number of cut ins No 0 6604 Number of overtemperatures No 0 6605 Number of overvoltages No 0 6615 Fault log: Error code No 0 5616 Fault log: Time No 0 7617 Fault log: Value No 0 3618 Reset of kWh counter No reset No 0 7619 Reset of running hours counter No reset No 0 5620 Operation mode Normal operation No 0 5621 Nameplate: Unit type No 0 9624 Nameplate: Software version No 0 9625 Nameplate: LCP identification no. No 0 9626 Nameplate: Database identification no. No -2 9627 Nameplate: Power parts version No 0 9628 Nameplate: Application option type No 0 9630 Nameplate: Communication option type No 0 9632 Nameplate: BMC software identification No 0 9634 Nameplate: Unit identification for communication No 0 9635 Nameplate: Software parts no. No 0 9640 Software version No -2 6641 BMC software identification No -2 6642 Power card identification No -2 6

4-Setup:’Sim’ significa que o parâmetro pode ser programadoindividualmente em cada um dos quatro Setups, ouseja, o mesmo parâmetro poderá ter quatro valoresde dados diferentes. ’Não’ significa que o valor dedados será o mesmo em todos os Setups.

Índice de conversão:Este número refere-se a um valor de conversão a serutilizado durante a gravação ou leitura via comunicaçãoserial com um conversor de freqüência.Vide Caractere de dados em Comunicação serial.

Tipo de dado:O tipo de dado mostra o tipo e comprimentodo telegrama.

Tipo de dado Descrição3 Inteiro 164 Inteiro 325 Sem sinal 86 Sem sinal 167 Sem sinal 329 Seqüência de texto

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 159

Page 160: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

AAdvertência de alta tensão ............................................. 40

Advertência geral ............................................................ 4

Ajuste automático do motor ............................................ 31

Ajuste automáticodo motor ............................................. 68

Ambientes agressivos ...................................................139

As funções de advertência .............................................. 82

Aterramento ................................................................ 40

BBobinas do motor ......................................................... 11

CCabo de alimentação..................................................... 40

Cabo de controle .......................................................... 40

Cabos ................................................................... 40, 44

Cabos compatíveis coma CEM ........................................ 43

Cabos do motor .......................................................... 49

Caractere de dados (byte)..............................................108

CE labelling ................................................................... 7

CHANGE DATA ............................................................ 29

Compensaçãode carga .................................................. 73

Compensaçãode escorregamento .................................... 74

Condições extremas de operação ..................................132

Conector D-Sub ........................................................... 53

Conexão à rede............................................................ 48

Conexão de motores em paralelo ..................................... 49

Conexão do freio ......................................................... 50

Conexão do motor ....................................................... 48

Conexão do relé .......................................................... 53

Conexão do terra.......................................................... 50

Controle de processo, malha fechada................................ 66

Controle de velocidade, malha aberta................................ 66

Controle de velocidade, malha fechada.............................. 66

Controle do freio mecânico ............................................. 51

Controle normal/inverso ................................................103

Corrente de fuga â terra ................................................131

Corrente do motor ........................................................ 67

Corrente, valor mínimo ................................................... 74

DDeviceNet .................................................................... 9

Diagrama .................................................................... 45

Dimensões mecânicas ................................................... 37

Display ...................................................................... 29

Display readout ...........................................................140

Divisão de carga ........................................................... 50

DU/dt no motor ...........................................................132

EEficiência ...................................................................134

Emissão EMC .............................................................136

Endereço ...................................................................119

Entradas digitais ........................................................... 86

ETR - ElectronicThermal Relay ......................................... 72

FFator de potência.........................................................135

Fator de sobremodulação ............................................... 96

Feedback de pulso/referência.......................................... 92

Filtro LC...................................................................... 13

Filtro passa baixa .......................................................... 99

Filtro RFI 1B................................................................. 12

Filtro RFI 1B/LC............................................................ 13

Formulário de pedido..................................................... 20

Freio CA ..................................................................... 95

Freio mecànico............................................................. 56

Frenagem CC .............................................................. 71

Frenagem dinâmica....................................................... 23

Freqüência dapartida ..................................................... 72

Freqüência de chaveamento dependentedatemperatura .......133

Freqüência dejog .......................................................... 80

Freqüência dereligação .................................................. 74

Freqüência desaída ....................................................... 76

Freqüência domotor ...................................................... 67

Função dapartida.......................................................... 70

Função defreio ............................................................. 95

Função deparada precisa ............................................... 93

Função dereferência ...................................................... 81

Função dereset ............................................................ 95

GGama de feedback........................................................ 98

Ganho do freio CA ........................................................ 75

Ganho proporcional do .................................................101

IIdioma........................................................................ 58

Início rápido................................................................105

Inicialização manual....................................................... 36

Inicialização manual ...................................................... 29

Inicializar ....................................................................128

Instalação elétrica, cabosde controle ................................. 51

Instalação mecànica ...................................................... 39

Integração................................................................... 39

Interno do ventilador...................................................... 75

Isolamento galvànico (PELV) ...........................................131

JJog bus .....................................................................123

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss160

Page 161: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Tud

o so

bre

o V

LT28

00

LLCP........................................................................... 32

Limite de corrente ......................................................... 82

MMínima ....................................................................... 78

Mínimo ....................................................................... 96

Manual Automático ....................................................... 30

Mensagens de advertências/alarmes................................140

Menu Rápido .......................................................... 30, 30

Menu rápido, definido pelo usuário ................................... 65

Modo Display.......................................................... 30, 32

Modo do display........................................................... 33

Modo especial do motor................................................. 66

Modo Manual............................................................... 64

Modo Menu................................................................. 30

Modo Menu ................................................................ 30

NNominal do motor ......................................................... 67

OO diferenciador............................................................. 99

O tratamento do feedback .............................................100

Opção Fieldbus .............................................................. 9

Os cabos de controle .................................................... 51

PPadrão UL..................................................................134

Painel de controle ......................................................... 29

Palavra de controle ......................................................112

Palavra de estado ........................................................114

Palavras de aviso, palavras de estado estendidoe palavras de

alarme.......................................................................145

Perfil do telegrama .......................................................123

Potência de frenagem.................................................... 24

Potência do motor ........................................................ 67

Pré-fusíveis.................................................................. 48

Princípio de controle ........................................................ 5

Profibus ........................................................................ 9

Proteção da tensão da rede .............................................. 5

Proteção extra ............................................................. 40

Proteção térmica do motor ............................................. 50

Proteção térmicado motor ............................................. 71

Protocolos .................................................................107

Pulso máximo 29 .......................................................... 92

QQuatro Configurações.................................................... 59

QUICKMENU............................................................... 29

RRCD .......................................................................... 50

Reatância dispersa........................................................ 74

Reatância do estator ..................................................... 69

Redução datensão do freio ............................................106

Referência................................................................... 98

Referência Catch up...................................................... 81

Referência pré-ajustada ................................................. 81

Registro das falhas.......................................................127

Regulaçãode processo .................................................. 97

Regulaçãode volocidade ................................................ 97

Relês RCD .................................................................. 40

Relação U/f ................................................................. 73

Relativo ...................................................................... 81

Resistência de freio ......................................................... 9

Resistência do estator ................................................... 68

Resistências de freio...................................................... 26

Retardo comp velocidade ............................................... 93

Retardo da partida ........................................................ 70

Reversão .................................................................... 86

Ruído acústico ............................................................132

SSaída analógica ............................................................ 90

Saída digital................................................................. 92

Saída do relê1-3 ........................................................... 90

Sentido de rotação do motor .......................................... 49

Slow down .................................................................. 81

Software Dialog ............................................................ 53

Soma......................................................................... 81

STOP/RESET............................................................... 29

Switching frequency ...................................................... 96

TTaxa Baud..................................................................119

Tempo de aceleração .................................................... 79

Tempo de desaceleração................................................ 79

Tempo de frenagem CC ................................................. 71

Tempo de parada rápida................................................. 80

Tempo de rampa para o jog ............................................ 79

Tempo limite do bus .....................................................123

Tensão de frenagemCC.................................................. 73

Tensão de partida ......................................................... 73

Tensão de reset,Vetor .................................................... 75

Tensão de retençãoCC................................................... 74

Tensão do motor .......................................................... 67

Tensãoanalógica ........................................................... 88

Terminais .................................................................... 54

Terminais de controle..................................................... 51

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss 161

Page 162: VLT® da Série 2800

VLT® da Série 2800

Termistor................................................................ 72, 87

Teste de alta tensão ...................................................... 41

Time out ..................................................................... 89

Tipo de rampa ............................................................. 78

Torque constante .......................................................... 66

Torque de partida.......................................................... 70

Torque variável ............................................................. 66

Transmissão de telegramas ............................................107

Tratamento das referências ............................................. 76

UUmidade atmosférica....................................................134

Unidades de processo ................................................... 97

VValor de desconexãodo freio ........................................... 74

Valor do contador ......................................................... 93

Variada ......................................................................152

MG.28.E7.28 - VLT é marca registrada da Danfoss162