alimentando e nutrindo o animal hospitalizado

Click here to load reader

Post on 15-Mar-2022

2 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

Avaliação da qualidade de uma raçao: nutrientes, processamento e interpretação de rótuloAulus Carciofi
Alimentar- fornecer alimentos
no suporte à vida
rações
Dieta - aquilo que o animal consome em 24 horas
1
2
11/19/2019
2
Funcionais
Energéticos
Aulus Carciofi
a que se destina
informações nutricionais (matéria original)
umidade (max) Ca (max)
proteína (min) P (min)
Matéria mineral (max)
instruções de uso
lista de ingredientes
peso líquido
10 essenciais
palatabilidade
7
8
11/19/2019
5
gelatinização do amido digestão
Aulus Carciofi
Fibra bruta celulose + hemicelulose + lignina
“efeito diluidor” [E] da dieta
Funções
2- estimulo ao peristaltismo previne constipação
diarréia
Exceção dietas diet, light e obesidade
9
10
11/19/2019
6
outros elementos, como sílica, sem valor nutritivo
digestibilidade aparente (5 a 25%) - “efeito diluidor” [E]
tendem, em quantidade, a ressecar as fezes
problema de farinhas de carne de qualidade
osso = matéria mineral e Ca
Máximo permitido 12%, acima de 6 ou 7% = “enchimento”
Aulus Carciofi
semi-úmida 23% (15 a 50%)
enlatada 80% (72 a 85%)
o teor de umidade é inversamente
proporcional a densidade energética
seco semi-
úmido úmido
matéria seca
água
Ex: um cão de 12kg come aprox/e 200g ração seca ou 830g lata (3,6 vezes +)
11
12
11/19/2019
7
3) Quanto fornecer ?
considerados na formulação de uma
dieta
arginina (%) 0,50 0,51 0,62 1,0 1,04 1,25
metionina (%) 0,39 0,43 0,53 0,75 1,10 1,10 + cistina
lisina (%) 0,51 0,63 0,77 0,8 0,83 1,20
gordura (%) 5,0 5,0 8,0 - 9,0 9,0
Ca (%) 0,59 0,6 1,0 0,8 0,6 1,0
P (%) 0,44 0,5 0,8 0,6 0,5 0,8
Zn (mg/kg) 35,6 120 120 50 75 75
vit A (U.I./kg) 3.710 5.000 5.000 3.333 5.000 9.000
NRC AAFCO NRC AAFCO
Níveis nutricionais mínimos
EM (kcal/dia) =Cão
De acordo com o estagio de vida e nível de atividade
recém desmamado 2 - 4 vezes
40% do peso adulto 1,6 vezes
80% do peso adulto 1,2 vezes
final de gestação 1,25 - 1,5 vezes
lactação 3 vezes
130 (peso kg)0,75
95 (peso kg)0,75
Necessidades energéticas
Recém desmamado Kg x 250
20 semanas de idade Kg x 130
30 semanas de idade Kg x 100
Final de gestação 1,25 vezes
Lactação 3 - 4 vezes
A energia dos alimentos vem da proteína, gordura e
carboidratos
(min) 12%, Fibra bruta (max) 5%, Mat. mineral (max) 8%.
Carboidrato = 100 - (10 + 22 + 12 + 5 + 8) = 43
Energia = [(3,5 x Prot) + (8,5 x Gord) + (3,5 x Carb)]
[(3,5 x 22) + (8,5 x 12) + (3,5 x 43)]
Cadela labrador de 28 kg
EM (kcal/dia) = 95 (peso kg)0,75 = 95 (28) 0,75 = 95 (12,2)
= 1.156 kcal/dia
EM/100 g alimento
= 1.156 x 100
Trata-se de estimativa inicial, que necessita de correções
baseadas na observação de cada animal individuamente.
CÃES
do cão (330 kcal/100g) energia (390 kcal/100g) em lata
gramas por dia
do gato (330 kcal/100g) energia (390 kcal/100g) em lata
gramas por dia
3 64 54 210
4 85 72 280
5 106 90 350
6 127 108 420
Ração com 330 kcal/100g apresenta entre 7 e 12% de extrato etéreo
Ração com 390 kcal/100g apresenta acima de 16% de extrato etéreo
23
24
11/19/2019
13
da doença.
Aulus Carciofi
- demora no suporte nutricional -- estado irreversível de depleção
- jejum para realização de exames
- administração prolongada de glicose e eletrólitos (fluidoterapia)
25
26
11/19/2019
14
- peso < 80% do normal
- perda peso recente > 10%
- aumento das necessidades
Aulus Carciofi
1) determinar a condição nutricional do paciente
2) estimar a proporção e relação entre as fontes de energia
3) estimar as necessidades calóricas
4) selecionar a dieta e a via de administração
5) conduzir o programa de suporte nutricional
6) avaliar as respostas e realizar ajustes necessários
7) planejar a transição para a alimentação e dieta usuais
27
28
11/19/2019
15
proteína
palatabilidade
digestibilidade
nutrientes : energia
dos demais nutrientes
consumo
(plano nutricional)
albumina plasmática
anorexia
apetite retorne e este volte a se alimentar
alimentá-lo para que este se sinta
melhor e se recupere mais rápido!!
42
43
11/19/2019
20
O suporte nutricional pode ser tão vital como qualquer outra
terapia, como fluídos ou antibióticos (DEVEY, et al., 1995).
favorece a recuperação do paciente
reduz mortalidade
melhora a efetividade de drogas
Aulus Carciofi
Se o paciente se recusa a comer ou está incapacitado
de ingerir sua NEB nós temos que ter os meios para
administrar calorias suficientes, utilizando-se de tubos
enterais ou da via parenteral.
(Remillard, et al. Vet Ther, 2001)
44
45