bem-vindo ou bem-vinda ?· bem-vindo ou bem-vinda ao curso desenvolvimento do potencial de...

Download Bem-vindo ou bem-vinda ?· Bem-vindo ou bem-vinda ao Curso Desenvolvimento do Potencial de Liderança,…

Post on 09-Nov-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 1

  • 2

    Bem-vindo ou bem-vinda ao Curso Desenvolvimento do Potencial de Liderana, da UNICED! A UNICED Universidade Aberta da Educao, um ambiente virtual que disponibiliza cursos on-line voltados para o setor pblico. uma iniciativa da Open-School, e visa a desenvolver um projeto voltado para a melhoria da qualificao profissional e do desempenho das competncias dos servidores pblicos. O principal objetivo deste curso propiciar oportunidades e instrumentos que possibilitem e facilitem ao participante a apreenso, a compreenso, a avaliao e o desenvolvimento de seu potencial de liderana. Este curso dividido em dois temas: Liderana e Dimenses de Liderana. Voc pode iniciar pelo tema de seu interesse, na ordem que desejar. Esperamos aprender juntos. Conte sempre conosco.

    Sucesso!

  • 3

    SUMARIO

    1.1 - Liderana 1.1.1 Liderana - Uma Ferramenta de Gesto 04 2.1 Dimenso Pessoal 2.1.1 A Dimenso Pessoal 11 2.1.2 Auto-Avaliao.. 15 2.1.3 Atitudes, Aptides e Habilidades 20 2.1.4 Objetivos, Estratgias e Recursos.. 28 2.2 Dimenso Tcnica 2.2.1 A Dimenso Tcnica.. 35 2.2.2 Depoimentos... 40 2.2.3 O peso relativo da Dimenso Tcnica 46 2.3 Dimenso Gerencial 2.3.1 A Dimenso Gerencial... 51 2.3.2 Habilidades Gerenciais.. 56 2.4 Dimenso Organizacional 2.4.1 A Dimenso Organizacional. 67 2.4.2 O executivo e a organizao onde atua.. 73 2.4.3 Cultura organizacional........ 80 2.5 Dimenso Contextual 2.5.1 A Dimenso Contextual. 88 2.5.2 Contribuio para o Potencial de Liderana.. 93 2.6 Dimenso Sistmica 2.6.1 A Dimenso Sistmica 98 2.6.2 Interao, Inter-relao, Interdependncia.. 100 Glossrio 110Referncias 113

  • 4

    Assunto 1.1 Liderana Unidade 1.1.1 Liderana - Uma Ferramenta de Gesto LIDERANA - UMA FERRAMENTA DE GESTO Nesta unidade, analisaremos o conceito e o exerccio da liderana como importante ferramenta de gesto. O item destina-se no somente a pessoas que j ocupam funes executivas ou gerenciais, mas, tambm, quelas que tenham aspiraes de vir a exerc-las. O objetivo propiciar oportunidades e instrumentos que lhe possibilitem a apreenso, a compreenso, a avaliao e o desenvolvimento do seu potencial de liderana. TEORIA Vamos comear este item com um estudo de caso. Exemplificaremos com a histria de um dos maiores lderes do sculo XX. Mas, advertimos: a liderana no privilgio de homens excepcionais. Por isso, adotamos as seguintes premissas: 1 - Todas as pessoas tm um potencial de liderana (obviamente, ele varia de indivduo para indivduo, em funo de muitos fatores pessoais e situacionais); 2 - Existe a personalidade concreta de ampliar, desenvolver e utilizar esse potencial da maneira mais adequada possvel; 3 - O desenvolvimento do potencial de liderana de pessoas com responsabilidades gerenciais envolve, pelo menos, seis dimenses: pessoal, tcnica, gerencial, organizacional, contextual e sistmica.

    ESTUDO DE CASO

    Um dos maiores lderes do sculo XX negro, sul-africano, advogado de profisso e passou vinte e sete anos de sua vida na priso. Seu nome? Nelson Mandela, mundialmente reconhecido como o principal responsvel pelo fim do "apartheid" em seu pas. Como todo lder verdadeiro, motivado por slidas convices poltico-ideolgicas, e um visceral sentimento de indignao contra as desigualdades, Mandela sacrificou a sua vida privada e a sua juventude em prol do seu povo.

  • 5

    Nelson Mandela nasceu em 1920, filho adotivo de um chefe tribal da etnia xhosa. Sua famlia integrava a nobreza de sua tribo. Foi educado para dirigir sua tribo, quando se tornasse adulto. Ainda jovem, testemunhou as injustias e atrocidades cometidas pelo "apartheid", o sistema legal que obrigava a separao de raas no seu pas.

    Formou-se em Direito pela Universidade de Witwatersrand e, em 1952, fundou a primeira firma de advogados negros da frica do Sul, junto com o colega e ativista Oliver Tambo.

    Em 1943, juntou-se ao Congresso Nacional Africano (CNA), um movimento nacionalista negro, onde fundou a Liga da Juventude. A Liga da Juventude do CNA foi criada para lutar contra o regime branco. Em 1952, Mandela dirigiu a campanha de desobedincia civil ao "apartheid", o regime de leis racistas do pas.

    Depois do conhecido "Massacre de Sharpeville", realizado pela polcia sul-africana, em 1960, o CNA foi colocado na ilegalidade. Em 1961, Nelson Mandela entrou na clandestinidade e fundou o brao armado do Congresso Nacional Africano, denominado "Umkhonto We Sizwe" - que significa "lana da nao" -, convencido de que a liberdade em seu pas s poderia ser conseguida pela via da violncia.

    Em 1962, Mandela foi preso e condenado priso perptua, acusado de sabotagem e conspirao poltica. Apesar dos inmeros movimentos internacionais de solidariedade e de mobilizao por sua libertao ficou encarcerado, durante vinte e sete anos, na Ilha de Robben, que se tornou um

  • 6

    centro de aprendizado, onde Mandela era a pessoa responsvel pelo sistema de educao poltica.

    Da priso, liderou o movimento contra o "apartheid", tendo angariado apoio em todo o mundo. Tornou-se um smbolo da igualdade de direitos e da justia. Foi libertado em 1990, e teve um papel fundamental nas negociaes que levaram ao fim do "apartheid". Em 1993, dividiu o Prmio Nobel da Paz com o ento presidente sul-africano F. W. Clerk e, um ano depois, em 1994, Mandela foi eleito Presidente da frica do Sul.

    Enquanto presidente, assinou a Nova Constituio do Pas - que defende os direitos humanos e a antidiscriminao. Deixou a Presidncia da Repblica em 1999, mas continua sendo idolatrado por seu povo, considerado o maior smbolo da transio da ditadura para a democracia e um dos maiores responsveis por promover a reconciliao nacional. Nelson Mandela, um exemplo de coragem, fora e desprendimento. Nelson Mandela, um dos maiores lderes da contemporaneidade. Se voc desejar conhecer a histria de Mandela com mais profundidade, sugerimos que voc leia o livro "A luta a minha vida", autobiogrfico.

    INTRODUO

    Agora, podemos iniciar o estudo terico sobre liderana. Vamos l?

    O fenmeno e o conceito de liderana vm sendo estudados e discutidos, exaustivamente, atravs dos tempos. E com toda a razo. Vejamos o porqu. O norte-americano Tom Peters, reconhecido guru da administrao, afirma que

    A liberdade o atributo que tem a maior demanda

    e a menor oferta no mercado.

  • 7

    Peter Senge, engenheiro e consultor empresarial, autor do famoso livro sobre aprendizagem organizacional - "A Quinta Disciplina" -, sustenta que "sempre possvel sentir a presena ou ausncia de liderana, quando se comea a trabalhar numa nova organizao. Em alguns casos, tem-se a impresso de que algo est fora do figurino, mesmo que algum esteja dizendo as coisas 'certas'. Outras vezes, toma-se conhecimento de que existe um campo de competncia e aprendizado, melhorando e reforando os esforos das pessoas".

    REFLEXES

    Reflita um pouco sobre o contedo estudado.

    O que voc acha da afirmao de Tom Peters?

    Voc concorda com a opinio de Peter Senge? Por qu?

    TEORIA

    Durante muito tempo - e, de certa forma, at hoje -, houve uma tendncia para colocar o foco das atenes sobre a figura do lder, seus atributos, traos, caractersticas pessoais. A capacidade de liderar seria um dom, uma graa, um atributo.

    Debateu-se, tambm, embora muito menos, sobre os liderados, e a respeito do que determinaria quais as pessoas que se deixariam influenciar por outras.

    De algum tempo para c, porm, a maioria dos autores e pesquisadores tm centrado seus estudos nas situaes e comportamentos de liderana.

    "A liderana - afirma-se - uma influncia interpessoal, exercida em uma determinada situao, mediante um processo de comunicao, e dirigida para o atingimento de um ou mais objetivos especficos".

    Comportamentos de Liderana Processo de Comunicao Influncia Interpessoal

  • 8

    Para a maioria desses autores, o lder eficaz, em determinada situao, aquele indivduo que:

    1) Revela maior sensibilidade social para sentir as foras que ali esto prevalecentes;

    2) Demonstra maior flexibilidade atitudinal e comportamental para atender s necessidades e exigncias do grupo, naquele momento.

    E o que mais importante: embora algumas pessoas possam revelar mais facilidade, ou aptido, para desenvolver tais capacidades, todas, sem exceo, tm um potencial, maior ou menor, para faz-lo.

    REFLEXES

    Reflita sobre o potencial de liderana inerente a todos os seres humanos. Voc concorda com isto?

    TEORIA

    UMA IMPORTANTE FERRAMENTA DE GESTO

    Apresentamos, a seguir, a lista das Funes de Liderana, que resume muito bem alguns comportamentos de liderana. Tais comportamentos constituem uma importante ferramenta de gesto organizacional.

    FUNES DE LIDERANA:

    1 Construir uma viso compartilhada da organizao objetivos e princpios 2 Estimular o aprendizado da cultura e do clima da organizao. 3 Estimular e apoiar o crescimento dos subordinados. Confiar no seu potencial. 4 Ajudar na gerao de resultados e zelar pela qualidade 5 Fazer com que todos cooperem na consecuo dos objetivos organizacionais. 6 Dar o exemplo. Ser coerente com o discurso e a prtica 7 Estimular os subordinados a promover mudanas. 8 Estar sempre presente e disponvel. EXEMPLO A Revista Voc S.A, em sua edio de maio/2001, traz reportagem de capa intitulada "50 Lies de Liderana", de autoria de Tom Peters. Transcreveremos algumas delas. Antes, porm, ousaramos propor que onde se l "lderes", talvez devssemos ler "pessoas que exercem comportamentos de liderana" ("vencem usando logstica", "entendem o poder supremo dos relacionamentos", etc.).

  • 9

    - Lderes vencem usando logstica. .