edíficio híbrido + vazios [tfg2014] [indicaÇÃo_operaprima2015]

Download Edíficio Híbrido + Vazios [TFG2014] [INDICAÇÃO_OPERAPRIMA2015]

Post on 08-Apr-2016

215 views

Category:

Documents

2 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Projeto de um edifício híbrido com temática teatral suplantado por vazios arquitetônicos e programáticos na centralidade de São Paulo.

TRANSCRIPT

  • O P E R A P R I M A18A VERTICALIZAO NESTA REA SURGIU COMO UMA CONDIO NECESSRIA PARA A INCORPORAO DOS DISTINTOS USOS

    PROPOSTOS.

    R.AMARAL GURGEL -R.RGO FREITAS - CENTRO - SP,SP.

    3608,80 M2

    COMO PREMISSA DE PROJETO O TRREO SE ABRE A PRAA PBLICA, GERA UM NOVO PERCURSO NA CIDADE E AMPLIA A

    ACESSBILIDADE DO NCLEO

    USOS PROPOSTOS NAS EXTREMIDADES LATERAIS DO LOTE DESENHAM O CAMINHO DO PEDESTRE E COLABORAM PARA A NO

    DESERTIFICAO DA REA

    A COONEXO TEMPORRIA ENTRE O PROJETO E O MINHOCO GERA UMA EXTENSO DAS DINMICAS QUE FLORESCEM NESTA INFRAESTRUTURA QUANDO SE FECHA PARA OS

    CARROS.

    A ESTRUTURA EM SUSPENSO GERA CONECTIVIDADE DA TRAMA URBANA E PERMEABILIDADE AO PROJETO ATRAVS DO

    TRREO PBLICO.

    O EMBASAMENTO PERMEVEL E A SEPARAO EM 2 BLOCOS TEM POR FINALIDADE ORGANIZAR OS FLUXOS E GARANTIR O BOM FUNCIONAMENTO

    MESMO NA DIVERSIDADE.

    A CONEXO COM O MINHOCO INCREMENTA A ACESSIBILIDADE , A POSSIBILIDADE DA TROCA E

    CIRCULAO DE IDEIA

    OS VAZIOS FORMAIS E PROGRAMTICOS DO SUPORTE AO SURGIMENTO DE EVENTOS ALM DE CONTRIBUIR COM A O BOM COMPORTAMENTO

    TRMICO.

    O VAZIO COMUNICADOR ENTRE ESPAOS E ATIVIDADES DISTINTAS NOS EDIFCIOS HBRIDOS |NCLEO DE PRODUO TEATRAL

    A CIDADE DE SO PAULO EM SUA COMPLEXIDADE, POLIFONIA, DIMENSO ARTSTICA, CONTRADIO E AMBIGUIDADE LEVA A SUA COMPREENSO A UM PONTO DE VISTA PLURAL COM MLTIPLAS TESSITURAS. REDESENHAR A CIDADE DE SO PAULO DISSOLVER UM NICO PONTO DE VISTA E COMPREENDER A DIVERSIDADE. ASSIM ESTE HBRIDO SURGIU COMO UMA RESPOSTA NECESSIDADE DO HOMEM COSMOPOLITA E CONTEMPORNEO QUE VIVE

    EM UM MEIO URBANO E MLTIPLO.

    OS PROGRAMAS FORMADORES DESTE HBRIDO ESTO RELACIONADOS COM OS USOS DESTINADOS AO ENSINO, AOS SERVIOS E CULTURA, PROMOVIDOS PELA TEMTICA TEATRAL E A EXPRESSO DO CORPO HUMANO. O AGENCIAMENTO PROGRAMTICO ENTRE ESTES USOS NESTA REA TEM O OBJETIVO DE CRIAR UM AMBIENTE FAVORVEL TROCA DE IDEIAS, CIRCULAO DE EXPERINCIAS, PRTICAS, INFORMAES, EVENTOS E APROPRIAES DO

    ESPAO.

    TAMBM TEM O PAPEL DE ESTABELECER O CONTATO ENTRE OS TEATROS DA REGIO E ENTRE AS PESSOAS DA REGIO E O TEATRO, DANDO FORA DINMICA CULTURAL J EXISTENTE NA CENTRALIDADE DE

    SO PAULO.

  • MIN

    HOC

    O

    AV.IPIRANGA

    R.CONSOL

    AO

    AV.9 D

    E JULH

    O

    R.AUGUST

    A

    O P E R A P R I M A28

    SO PAULO, SP.3 0 6 T E A T R O S [ F O N T E : F U N A R T E . E L A B O R A O M I N C ]

    O MINHOCO

    DE vECULOS A pEDESTRES, ESTA ENORME E DESASTROSA ESTRUTURA INCITA O MOvIMENTO. DIARIAMENTE DAS 21h S 22h, AOS DOMINgOS E FERIADOS, ESTA CONExO vIRIA SE ABRE pOpULAO qUE SEM A SUA FUNCIONALIDADE DE ORIgEM SE TORNA UM ESpACO INDETERMINADO, LIvRE DE INTERpRETAES E ABERTO A DIvERSAS SIgNIDICAES. INEgvEL A SUA CONDIO DE CICATRIz, A CIDADE RIDA qUE gERA NA NOS SEUS BAIxIOS, A OBSTRUO ESpACIAL E vISUAL DA pAISAgEM E A pOLUIO SONORA qUE gERA, DENTRE OUTROS pREjUzOS A CIDADE. pORM OLhANDO-O COMO UMA pR-ExISTNCIA COM UMA DINMICA SURpREENDENTE, O pROjETO AqUI pROpOSTO pRETENDE SER UMA ExTENSO DA vIDA pLURAL , CRIATIvA E ESpONTNEA qUE SE ApROpRIA DESTA pLATAFORMA.

    O TERRENOA LOCALIzAO ESCOLhIDA pARA A

    IMpLANTAO DO NCLEO DE pRODUO TEATRAL FOI ELEITA A pARTIR DE UM LEvANTAMENTO DAS CASAS E gRUpOS TEATRAIS NA METRpOLE DE SO pAULO.A CRIAO DE UM NCLEO DE pRODUO

    TEATRAL NO CENTRO hISTRICO FAz-SE NECESSRIA pELA CARNCIA DE ESCOLAS ESpECIALIzADAS EM CENOgRAFIA/FIgURINOS E ESpAOS qUE ESTEjAM A SERvIO DAS COMpANhIAS INDEpENDENTES, OFERECENDO SUpORTE TCNICO E ESpAO FSICO pARA A ELABORAO DOS SEUS ESpETCULOS, DE ENSAIOS OU pERFORMANCES. O pROjETO UM pOTENCIALIzADOR DA

    ATIvIDADE CULTURAL j ExISTENTE NESTA REA IRRIgADA pOR TEATROS DE DIFERENTES pORTES E NECESSIDADES. A pROxIMIDADE COM A PRAA ROOSEVELT FOI DETERMINANTE pOR SER hISTORICAMENTE UMA pRAA CULTURAL qUE ApS pERODOS DE DEgRADAO TEvE A SUA DINMICA RESgATADA pELA pRESENA DOS TEATROS.

    CENTRO HISTRICO DE SO PAULO R.AMARAL GURGEL- MINHOCO - R.RGO FREITAS

    subprefeitura s -zona de centralidadeSEgUNDO A LEI vIgENTE N 13.885 pREvALECE USOS NO RESIDENCIAIS DESTINADOS A ESpAOS pBLICOS E MELhORIAS DA CIRCULAO DOS pEDESTRES.

  • O ANDAR VAZIO | O VAZIO QUE INTEGRA, VALORIZA E ARTICULA OS DIVERSOS NVEIS DO PROJETO. COMO UM GRANDE FOYER, O ESPAO DE CHEGADAS, DE CONVIVNCIA, O LUGAR DO ENCONTRO E DO CONTATO. O ANDAR QUE COLOCA EM CONVVIO AS PRODUES A SERVIO DOS TEATROS, OS ENSINAMENTOS E O PBLICO. UM ESPAO QUE NO CARREGA DEFINIES E QUE PODE SE TORNAR CAMPO PARA DIVERSAS APROPRIAES PODENDO SEMPRE SE REIVENTAR DENTRO DO MESMO ESPAO.

    CENTRO TCNICO E PROFISSIONALIZANTE

    ATIVIDADES DE EXPRESSO CORPORAL

    MEMORIAL DA CENOGRAFIA

    LAJE TCNICA

    ESPAOS DE APOIO AO TEATRO

    TEATRO EXPERIMENTAL

    ARMAZM CENOGRFICO

    ENSINO | CENOGRAFIA E FIGURINOS | ATELIERS|

    LABORATRIOS

    ENSINO CARACTERIZAO E MAQUIAGEM

    ENSINO | SONORIZAO E MDIA | ESTDIOS

    ENSINO | TCNICAS DE PALCO

    O P E R A P R I M A38

    CORTE AA1:350

    40%

    19%

    26%

    2%

    5%

    3%

    R.AMARAL GURGEL R.RGO FREITAS

    MINHOCO

    O HBRIDO + VAZIOS FORMAIS E PROGRAMTICOS

  • 1A IMPLANTAO EXALTA O ESPAO PBLICO COMO LOCAL DO ESPETCULO ATRAVS DA OPO DE LIBERTAR O TRREO E DEIXA-LO APENAS COM ESTRUTURA DE SUPORTE UM TEATRO EXPERIMENTAL EM QUE ESCADAS PODEM VIR A SER ARQUIBANCADAS. UM ESPAO FLEXVEL, DE EXPERIMENTAO AOS USURIOS DO NCLEO E DE FORA DELE, FAVORE A TROCA ALM DE FUNCIONAR COMO SUPORTE AO TEATRO DE RUA QUE ENRIQUECE AS ATIVIDADES ALI PROPOSTAS. SEM BARREIRAS, O TEATRO EXPERIMENTAL MOLDADO APENAS PELO DESLOCAMENTO DE PLANOS UM CONVITE SEM FORMALIDADES AO ESPECTADOR.

    O P E R A P R I M A48

    PLANTA 21:1000

    PLANTA 11:1000

    IMPLANTAO1:1000

    PLANTA -11:1000

    MINHOCO R.RGO FREITAS

    caf

    camarins

    administrao/apoio

    banco de textos

    salas udiovdeo

    salas udiovdeo

    recepo ensinorecepo servios

    andar vazio

    acesso Amaral Gurgel

    acessoRgo Freitas

  • sala docentesatvidadescorporais

    O P E R A P R I M A58

    CORTE BB1:350

    PLANTA 51:1000

    PLANTA 31:1000

    PLANTA 61:1000

    PLANTA 71:1000

    PLANTA 81:1000

    PLANTA 41:1000

    Diretrio AcadmicoAcademia

    laboratrios / ateliersaluguel figurinossala para

    ensaios

    sala paraensaios

    Provadores

    sala paraensaios

    estdios

    mez. estdios

    mez. estdios

    mez. salaacervofigurinos

    sala aula

    sala aulasala aula

    sala aula

    recepo expresso corporal

    tec.acrobtico

    tec.acrobtico

    alimentao / descanso

  • LEVANDO EM CONSIDERAO QUE A NATUREZA DA ARTE EXPANSIVA E COM BASE EM UM MODELO DE ENSINO QUE VALORIZA A LIBERDADE CRIATIVA EM MDULOS NO HIERARQUIZADOS OS ESPAOS POLIVALENTES E POUCO COMPARTIMENTADOS ESTIMULAM O CONTGIO DAS DIFERENAS E DOS NVEIS DE APRENDIZADO NO LINEARES.

    lavanderia / tingimento

    memorialda cenografia

    terrao

    salas de aulaspolivalentes

    acesso auditrio

    tcnicas de palco

    O P E R A P R I M A68

    CORTE CC1:350 PLANTA 09

    1:1000PLANTA -21:1000

    PLANTA -11:1000

    PLANTA 101:1000

    PLANTA 111:1000

    confecofigurinos

    palco paraensaios

    palco auditrio armazm cenogrfico

    e apoio

    marcenaria

  • AMBAS PROPOSTAS PARA A ESCOLA DO FAZER TEATRAL E PARA O CENTRO TCNICO TEM BASE NA FLUIDEZ ESPACIAL E PERMEABILIDADE VISUAL. O VAZIO E OS FECHAMENTOS TRANSLCIDOS COLABORAM PARA QUE ESTAS QUALIDADES DO ESPAO SE REFLITAM NO USURIO DO EDIFCIO.

    O P E R A P R I M A78

  • O VAZIO A POTICA/ ESTTICA QUE GUIA TODA A CONCEPO E AGENCIAMENTOS PROGRAMTICOS. O ESPAO DA AUSNCIA, DO NO DESENHO QUE ORDENA, APROXIMA E DISTANCIA DETERMINADAS ATIVIDADES NO INTERIOR DO OBJETO.

    VAZIO ARQUITETNICO QUE TAMBM INSERIDO NA PAISAGEM E PROVOCA UMA RUPTURA NO OLHAR SOBRE A QUADRA CONVENCIONAL. NESTE TRABALHO NO S A FIGURA INTERESSA, MAS SIM A SUA RELAO FIGURA-FUNDO, O SEU NEGATIVO QUE PROMOVE UMA NOVA DINMICA NA PAISAGEM DA CIDADE.

    O P E R A P R I M A88