percurso da serra de monchique

Download Percurso da Serra de Monchique

Post on 24-Mar-2016

220 views

Category:

Documents

3 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Serra de Monchique

TRANSCRIPT

  • Percurso Geolgico na Serra de Monchique

    Prof. Dr. Paulo Fernandes

    Percurso 19 de Fevereiro de 2011

    Durao 7 horas

    Contos do Mago O maior puzzle do Mundo; O Bailado do talude e O

    oceano remendado

    Formanda/Professora Ana Bio

    1 Parte do Percurso

    1 Paragem Caldas de Monchique (estacionamento)

    Localizao Geogrfica

    Figura 1 - Mapa geolgico simplificado da regio do Algarve (adaptado de Lopes, 2006).

    A Serra de Monchique localiza-se no sector norte do Barlavento Algarvio, cujo

    ponto mais elevado o mais alto do Algarve. Esta serra constitui o relevo mais elevado

    AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS GARCIA DOMINGUES

    ESCOLA BSICA 2,3 DR. GARCIA DOMINGUES PREAA - Programa Regional de Educao Ambiental pela Arte

  • a sul do rio Tejo, distinguindo-se duas principais elevaes: a Fia, com 902 metros, e a

    Picota, com 773 metros (figura 2), (no sector mais ocidental encontra-se uma terceira

    elevao, Picos, com 574 metros).

    Figura 2 Projeco topogrfica do relevo da Fia e da Picota (adaptado de Correia, 2006)

    Entre as duas principais elevaes encontram-se vales bem demarcados (a

    localidade de Monchique situa-se num desses vales).

    A serra de Monchique atravessada por uma falha que divide o Macio de

    Monchique em dois elementos geomorfolgicos, a Oeste a Fia e a Este a Picota.

    O macio de Monchique formado por uma rocha gnea ou magmtica com a

    forma elptica alongada, orientada de W-E. As rochas circundantes so rochas

    sedimentares formadas superfcie da terra (sub-area), ou da gua (sub-aqutica).

    2 Paragem Caldas de Monchique

    Percurso N-S

    O macio de Monchique atravessado por uma falha que o divide em dois

    elementos geomorfolgicos

  • Figura 3 Desenho do Dr. Paulo Fernandes, representando a falha que divide o Macio de

    Monchique em dois elementos geomorfolgicos.

    A vila de Monchique situa-se na falha. Esta uma zona de diviso de guas, no

    que diz respeito s bacias hidrogrficas, seno vejamos, a Sul de Monchique a gua

    corre para Sul e a Norte de Monchique a gua corre para Norte (N).

    A gua nas Caldas:

    A serra constitui um obstculo condensao dos ventos marinhos que se

    dirigem para o continente carregados de vapor de gua, o que provoca o fenmeno

    chuvas orogrficas. Assim, chove muito mais em Monchique do que no resto do

    Algarve, podendo a precipitao na Fia atingir valores trs vezes superior aos que se

    verificam na costa algarvia.

    A abundncia de gua nas Caldas deve-se zona de falha/fractura.

  • Nas zonas onde existem falhas/fracturas as rochas perdem continuidade. Se as

    rochas tem continuidade, muitas delas so impermeveis, ao partir/fracturar deixam de

    ter continuidade e ento no local onde existe a falha pode correr gua. Esta uma das

    razes pela qual existe abundncia de gua nas Caldas.

    Nesta paragem observamos, essencialmente, uma zona de contacto. Duas

    questes se levantam?

    - Como que este contacto se manifesta?

    - Como que o calor do magma que estava a arrefecer, irradiava para fora e

    alterou as rochas sedimentares xistos argilosos e grauvaques, do Paleozico) onde se

    encaixou/intruu?

    Realizando um trajecto N-S observamos:

    - a Norte o macio de Monchique, com o seu tipo caracterstico de rocha o

    Sienito;

    - e medida que caminhamos para Sul encontramos a zona de contacto, com a

    sua rocha caracterstica as Corneanas e finalmente as rochas que no foram afectadas

    pelo calor produzido durante a intruso desta rocha magmtica as rochas sedimentares

    (Xistos e Grauvaques).

    O Sienito, rocha gnea/magmtica tem uma particularidade: tem esta designao

    porque em termos geolgicos ou geoqumicos considerado, o grande grupo de rochas

    gneas, como rochas alcalinas.

    Esta designao, rochas alcalinas, antiga (sculo XIX) e no tem nada a ver

    com a escala de pH. Por ocasio do seu baptismo como rochas alcalinas, pensava-se que

    os elementos mais abundantes nesta rocha (sdio, potssio e clcio), que produziam o

    alcalis.

    Ento os Sienitos so rochas ricas em sdio (Na), potssio (K) e clcio (Ca).

    Estes elementos qumicos encontram-se nos feldspatos (minerais).

    Os feldspatides so minerais especiais destas rochas, uma vez que originam um

    mineral que s encontramos nestas rochas alcalinas a nefelina.

  • Os sienitos so pobres em silcio, isto no tem slica, ou seja, no tem o

    mineral que mais abundante e que caracteriza os granitos o quartzo. Apesar dos

    granitos e dos sienitos terem a mesma aparncia, distinguimo-los da seguinte forma:

    rocha com quartzo Granito

    rocha sem quartzo Sienito

    Que minerais existem no Sienito?

    Feldspatos; Micas; Nefelina; Anfbolas; Piroxenas e minerais raros como o

    Zirco (em pequena quantidade); Apatite (principal constituinte dos dentes); Titanite;

    Esfena; entre outros.

    O macio de Monchique no todo homogneo, a rocha no toda igual, da

    que as tenham baptizado com nomes diferentes Foiaito e Monchiquito.

    No Sienito, que encontramos aqui nas Caldas, observamos que tem uma textura

    em que os minerais so visveis vista desarmada por isso diz-se que tem uma textura

    holocristalina ou fanertica (do grego faneros visvel)

    Figura 4 Sienito nefelnico de Monchique

    Os minerais de cor cinzenta que se observam na rocha (figura 3) so os feldspatos, este

    o mineral mais abundante, da que seja uma rocha alcalina. nestes minerais de

    feldspatos que encontramos o potssio, o clcio e o sdio. Os minerais mais escuros so

    micas e por vezes tambm se encontram piroxenas. O mineral de tom acastanhado,

    muito tpico do macio de Monchique, a nefelina. Da a designao Sienito nefelnico

  • Figura 5. Fotografia de comparao entre uma amostra de laboratrio de granito e o sienito nefelnico homogneo nuclear.

    Em Monchique encontramos dois tipos de Sienitos: Sienito nefelnico heterogneo

    (Foiaito) e Sienito nefelnico homogneo nuclear (Monchiquito).

    Sienito nefelnico heterogneo

    Foiaito

    Sienito nefelnico homogneo nuclear

    Monchiquito

    Encontramo-lo na Fia, Nave e nas Caldas de

    Monchique

    Apresenta um tamanho de gro varivel (muito

    fino a grosseiro) e um teor de nefelina entre 10 a

    20%.

    Encontramo-lo na Picota.

    Apresenta fcies grosseiras com grande

    desenvolvimento de cristais de feldspato alcalino e

    teor de nefelina entre 20 a 40%

    Os minerais so grandes (o arrefecimento foi

    muito lento, logo tiveram mais tempo para crescer)

    A aparncia diferente, esta est relacionada com a consolidao do magma

    dentro de uma cmara magmtica muito grande.

    Ao arrefecer o magma movimenta-se atravs de movimentos convectivos, dentro

    do prprio magma, arrefecendo de maneiras diferentes (junto periferia o magma

    arrefece mais depressa; no interior arrefece mais rapidamente).

    No entanto esta situao pode ser modificada pelas correntes de conveco,

    arrastando as rochas, que j tinham arrefecido para outros locais, ou ento pelos pulsos

    magmticos.

    Figura 6. Fotografia de um pormenor de Sienito nefelnico heterogneo

  • Figura 7 - Movimentos de conveco do magma

    Esta a principal razo de o sienito no ser homogneo. A composio qumica,

    no geral igual, mas h locais onde, devido aos processos de segregao, so mais

    ricos num tipo de minerais do que noutros.

    essencialmente uma rocha ornamental, ou de construo. exportada para

    todo o Mundo, principalmente para o Japo (para jazigos ou pedras tumulares).

    Curiosidade:

    - na pedreira da Nave observam-se muitos blocos marcados com caracteres

    japoneses, para posteriormente serem exportados.

    Existem locais onde o arrefecimento foi muito lento, logo os minerais tiveram

    mais tempo para crescer. Havendo espao e tempo para crescer, formam-se os minerais

    maiores que se conhecem os pegmatitos, que possivelmente existiam aqui no macio

    e foram erodidos.

    Pegmatitos

    Normalmente quando h este tipo de plutes, nas partes superiores h injeces,

    dos ltimos episdios magmticos, com fluidos enriquecidos em elementos qumicos

    que no so incorporados nestes minerais e que formam os melhores minerais para

    coleces (muitas vezes raros).

    Um dos melhores exemplos de pegmatitos existe na mina da Panasqueira, que

    so minas filonianas, so files pegmatticos, so praticamente horizontais que se

    encontram no topo de um grande macio grantico, que se encontra em profundidade.

  • Nota - Sempre que encontramos rochas com minerais grandes, significa que

    estas arrefeceram muito lentamente.

    Files

    Filo uma intruso de rocha magmtica que tem uma composio qumica

    diferente da do sienito.

    Os files surgem quando o magma que no todo igual arrefece no interior da cmara

    magmtica.

    Por vezes neste tipo de rochas magmticas, se temos duas rochas em fuso, com

    composies diferentes, elas no se misturam, so imiscveis (como a gua e o azeite).

    Ento podem ser injectadas noutras rochas que so mais plsticas, ou que no esto

    completamente solidificadas. o que origina estes files que so muito comuns dentro

    do macio de Monchique.

    Normalmente estes files tem uma cor/tonalidade muito mais escura, que advm dos

    minerais que o constituem (minerais mficos), muitos deles diferentes dos minerais do

    macio de Monchique.

    Em ter

Recommended

View more >