sala verde

of 6/6
Diretoria de meio ambiente Nº 18 - DEZEMBRO/2008 Sala Verde Inhotim é um espaço interativo onde biodiversidade e pluralidade cultural são destaques. a p arceria do inst ituto Cultural inhotim com o ministério do meio ambiente, celebrada em 2006, é uma referência na região para difusão de informações e práticas ambientais. Para receber natureza e arte, envie e-mail para [email protected] . natureza e arte inFormatiVo SaLa VerDe Fotos: Gustavo Ferraz/Márcio Cabral o Pr ograma Jovens agentes ambientais é realizado pelo instituto Cultural inhotim, em parceria com o banco bmg, via Lei rouanet de incentivo à Cultura. esta edição especial do natureza e arte registr a parte dos resultados obtidos durante as atividades desenvolvidas com 40 jovens, estudantes da rede pública de ensino de bru- madinho, integrantes da turma 2008 do Programa Jovens agentes ambientais. agr adecemos pela oportunidade de compartilhar expe- riências e aprendizado. Contamos com vocês! Comparti- lhem os conhecimentos obtidos no curso, contribuam para que outras pessoas compreendam melhor o ambiente, divulguem as idéias de sustentabilidade, colaborem para melhorar nossa região e, principalmente, exerçam ampla- mente a cidadania. equipe da Sala Verde inhotim Programa Jovens Agentes Ambientais

Post on 22-Feb-2016

216 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

sala verde meio ambiente, salah verdeh meioh ambienteh, sala verde meio ambiente,

TRANSCRIPT

  • Dire

    toria

    de

    meio

    am

    bien

    teN

    18

    - D

    EZE

    MB

    RO

    /20

    08

    Sala Verde Inhotim um espao interativo onde biodiversidade e pluralidade cultural so destaques.

    a parceria do instituto Cultural inhotim com o ministrio do meio ambiente, celebrada em 2006, uma referncia na regio para difuso de informaes e prticas ambientais. Para receber natureza e arte, envie e-mail para [email protected] .

    natureza e arteinFormatiVo SaLa VerDeFo

    tos:

    Gus

    tavo

    Fer

    raz/

    Mr

    cio

    Cabr

    al

    o Programa Jovens agentes ambientais realizado pelo

    instituto Cultural inhotim, em parceria com o banco bmg,

    via Lei rouanet de incentivo Cultura.

    esta edio especial do natureza e arte registra parte dos

    resultados obtidos durante as atividades desenvolvidas com

    40 jovens, estudantes da rede pblica de ensino de bru-

    madinho, integrantes da turma 2008 do Programa Jovens

    agentes ambientais.

    agradecemos pela oportunidade de compartilhar expe-

    rincias e aprendizado. Contamos com vocs! Comparti-

    lhem os conhecimentos obtidos no curso, contribuam para

    que outras pessoas compreendam melhor o ambiente,

    divulguem as idias de sustentabilidade, colaborem para

    melhorar nossa regio e, principalmente, exeram ampla-

    mente a cidadania.

    equipe da Sala Verde inhotim

    Programa Jovens Agentes Ambientais

  • espao natural um lugar que no foi trans-

    formado pelo homem. espao humanizado

    um lugar que o ser humano j modificou.

    aprendemos que tudo na vida se liga em

    algum ponto. Se algo deixa de existir, as

    outras coisas tambm so influenciadas

    por essa mudana. o consumo exagerado

    prejudica a natureza. Cada vez que tiramos

    uma rvore, prejudicamos o ambiente.

    e a cada rvore conservada, ajudamos a

    natureza a recuperar seu equilbrio. Patri-mnio tudo o que nosso, o que herda-

    mos. a natureza um patrimnio. Quando

    nascemos somos responsveis por ela.

    Foto

    s: D

    ivul

    ga

    o

    Podemos ajudar a conservar brumadinho de vrias formas, uma delas reciclando o lixo. mas no voc mesmo fazendo o processo de re-ciclagem, e sim separando o material para que possa ser recolhido pela aSCaVaP. aSCaVaP? nunca ouviu falar? aSCaVaP significa associa-o de Catadores do Vale do Paraopeba. ela responsvel por coletar todo o material recicl-vel do municpio. Confira os dias que ela reco-lhe o material no seu bairro e participe! alm de ajudar a conservar o meio ambiente, ajudar tambm os associados que tiram o seu sustento desse trabalho.

    tambm podemos colaborar no poluindo

    nossos rios e ribeires, conservando suas

    margens e utilizando a gua de forma ade-

    quada. Veja algumas dicas:

    No banheiro:

    Feche a torneira ao escovar os dentes e ao

    fazer a barba;

    no tome banhos demorados;

    no use o vaso como lixeira ou cinzeiro;

    Conserte os vazamentos o quanto antes.

    Na cozinha:

    antes de lavar pratos e panelas, remova os

    restos de comida e jogue-os no lixo;

    mantenha a torneira fechada ao ensaboar

    as louas;

    Deixe de molho as louas com sujeira mais

    pesada.

    Na lavanderia:

    no fique lavando aos poucos, deixe a rou-

    pa acumular e lave tudo de uma vez;

    mantenha a torneira fechada ao ensaboar e

    esfregar as roupas;

    Deixe as roupas de molho para remover a

    sujeira mais pesada e utilize esta gua para

    lavar o quintal;

    S ligue a mquina de lavar roupa quando

    estiver cheia.

    No jardim, quintal e calada:

    evite lavar o carro durante a estiagem, se

    necessrio use um balde e pano, nunca a

    mangueira;

    no use a mangueira para limpar a calada,

    use uma vassoura;

    Prefira usar o regador e no a mangueira

    para regar as plantas.

    JardimEspao natural

    Teia da vida e consumo consciente

    Conservar e economizar

    Dia da semana Bairros

    2 feira Centro, Santo antnio,

    Santa Cruz, So Conra-

    do, rela, aurora, regina

    Clia, Salgado Filho,

    Varjo

    3 feira Centro, bela Vista, Pla-

    nalto, Jota, So bento,

    Casa branca

    4 feira Centro, Silva Prado,

    Lourdes, Carmo, Santa

    efignia, Dom bosco,

    So Judas tadeu, Sol

    nascente, Jos henri-

    ques, Soares

    5 feira Centro, Jardim amrica,

    Presidente, barroca,

    graja, estela Passos,

    ipiranga, So Sebastio

    6 feira Centro, inhotim, Cohab,

    Progresso i e ii, resi-

    dencial bela Vista, Con-

    ceio de itagu

    Sbado Centro

  • o municpio de brumadinho faz parte da re-

    gio metropolitana de belo horizonte, distan-

    te 49 km da capital mineira. integra os rotei-

    ros tursticos Corao das gerais e Veredas do

    Paraopeba.

    reservas Florestais, reas de Proteo am-

    biental e especial, alm de reservas Parti-

    culares do Patrimnio natural contribuem

    para a conservao dos 60% de rea verde

    de brumadinho. Com todo este acervo bru-

    madinho tem um rico patrimnio natural, pai-

    sagstico, histrico e cultural. brumadinho se

    consolida cada vez mais como destino turs-

    tico reconhecido, e inhotim tem uma grande

    importncia para isso.

    os acervos paisagsticos, botnicos e artsti-

    cos, inseridos no Parque ambiental, atraem

    visitantes do mundo inteiro, colocando-os em

    contato direto com o ecoturismo e o turismo

    cultural.

    alm do inhotim, voc pode visitar tambm

    cachoeiras, trilhas, e locais histricos, como a

    Serra do rola moa, Cachoeira da ostra, toca

    de Cima, a Fazenda dos martins e o Forte de

    brumadinho.

    Venha conhecer e aproveitar as belezas da

    nossa cidade!

    ... Solo s me gentil!

    Foto

    : Reg

    ina

    P. B

    . de

    Carv

    alho

    Solos so fragmentos de rochas e sua impor-tncia est nos minerais que o compem. So formados a partir da ao dos elementos na-turais (rochas, clima, gua, plantas e animais) que proporcionam transformaes fsicas e qumicas, durante um perodo de tempo que pode atingir centenas a milhares de anos. Sob as influncias dos fatores ambientais, as ro-chas so lentamente degradadas, dando in-cio formao dos solos. assim, percebe-se que na natureza nada fica isolado, todos os elementos naturais so importantes e auxi-liam na composio do ambiente. Quando utilizados de forma inadequada, os solos podem sofrer degradao, podendo trazer muitos prejuzos para as atividades hu-manas (agricultuta, habitao, urbanizao).

    a eroso, por exemplo, um tipo de degradao que retira a camada superficial e frtil do solo, tornando-o raso, pobre, esburacado e seco. Podem aparecer em forma de sulcos, valetas ou grandes buracos cha-mados de voorocas. algumas formas interessantes de se evitar a degradao dos solos so:- ocupar o solo com vegetao adequada ao relevo, de prefe- rncia com mata nativa; - executar prticas de manejo e conservao de solos adequados ao tipo de uso e ocupao do local; - agricultura, construo civil etc.;

    - em reas de plantio, aplicar culturas em faixas nas reas de declive (curvas de nvel), para proteger os solos.

    Vrios tipos de solo compem uma paisagem rica e diversificada no Inhotim.

    biodiversidadea biodiversidade no totalmente conhecida e talvez nunca seja, pois ela muito complexa. ela uma das propriedades fundamentais da natureza, responsvel pelo equilbrio e estabi-lidade dos ecossistemas. a economia mundial depende em grande parte dessa biodiversidade. o brasil um dos pases mais ricos em biodiversidade e isto reflexo da presena de vrios ambientes na-turais contidos em alguns biomas. estima-se que aproximadamente mais da metade do Pib brasileiro depende de sua biodiversidade.So vrios os processos responsveis pela re-duo da biodiversidade de modo geral.

    os principais so: Degradao de habitats; explorao excessiva e inadequada dos recursos naturais; monoculturas; Poluio.So vrias as espcies vegetais e animais amea-adas de extino no brasil. Como exemplos de animais e plantas ameaados, podemos citar o gavio-de-penacho (Spizaetus ornatus), e a brana (Melanoxylon brauna). ambas as esp-cies so encontradas nos fragmentos florestais conservados do inhotim.

    O turismo em nossa cidade!

    Foto

    : Div

    ulga

    o

  • Papa pilhaso Projeto Papa Pilhas foi iniciado em abril de 2008, na escola municipal Lidimanha augusta maia.

    ns, Jovens agentes ambientais, fomos motivados a fortalecer o pro-jeto, que fundamental para destinar corretamente as pilhas usadas e evitar a poluio ambiental. Participamos do concurso que elegeu o mascote e o material de divulgao do projeto. todas as idias foram vlidas e a campanha foi lanada dia 24 de novembro na escola Lidi-manha e depois no inhotim. Foram sensibilizadas mais de 1.500 pes-soas, entre alunos da escola Lidimanha e das escolas estaduais Paulo neto alkmim e Paulina alluotto, funcionrios do inhotim e moradores de brumadinho. inicialmente j foram coletadas mais de 3.600 pilhas e baterias, que sero levadas UFmg para a correta destinao.

    Jardins, ao longo do tempo, vm sendo cada

    vez mais utilizados pelas pessoas, por suas

    mltiplas funes e por sua variedade de

    estilos, formas e cores. em dias to agitados

    como os de hoje, fazem falta sociedade

    lugares onde poderamos passar um bom

    tempo, conversar ao ar livre, rodeados de

    amigos e natureza. no meio urbano essa

    experimentao possvel graas a espa-

    os como os jardins. alm de promoverem

    respeito e conscincia ambiental, melhoram

    a qualidade de vida, proporcionam vrias

    sensaes, ajudam a conhecer e encontrar

    pessoas de raas, religies e posies sociais

    diferentes, alm de proporcionar uma me-

    lhor interao das pessoas com a natureza.

    muitos possuem um papel ecolgico funda-

    mental na conservao de espcies de plan-

    tas e animais. Portanto, no nos exclumos e

    percebemos que o jardim nos traz bem estar

    quando construdo com harmonia e ateno

    a conceitos ecolgicos e estticos.

    Para se ter um jardim so necessrios dois

    elementos chave: PaCinCia, pois im-

    portante o seu amadurecimento atravs do

    crescimento dos vegetais que o constituem,

    o que leva algum tempo e CUiDaDoS de

    todos os que o freqentam e tambm dos

    que so responsveis pela sua manuteno,

    os jardineiros. Um jardim nos proporciona

    sensaes to agradveis que s sentando

    e observando, conseguiramos entend-las.

    Devemos, ento, usufruir, apropriar e zelar

    por este patrimnio, que um bem de to-

    dos.

    A importncia do jardimFo

    to: G

    usta

    vo F

    erra

    z

    Jardim do Inhotim

    Fotos: Gustavo Ferraz

  • Croqui do jardim da E.E. Paulina Aluotto Ferreira e informaes sobre as espcies que o compem.

    Nome popular: Ip AmareloNome cientfico: Tabebuia ocracaeaFamlia: BignoniaceaeOrigem: BrasilCuriosidade: rvore smbolo nacionalObservao: rvore existente

    Nome popular: OdontonemaNome cientfico: Odontonema tubaeforme

    Nome popular: Pau-brasilNome cientfico: Caesalpinia echinataFamlia: FabaceaeOrigem: Floresta pluvial atlntica do Cear ao Rio de JaneiroCuriosidade: A madeira contm braselena, um corante vermelho cristalino muito usado para tingir roupas e que o seu uso foi o principal responsvel pela explorao da espcie durante os primeiros 300 anos aps o descobrimento do Brasil.

    Nome popular: IresineNome cientfico: Iresine herbstiiOrigem: Amrica do SulCuriosidades: Possui uma variedade com folhas verde e amarelo. Sua maior beleza est nas folhas, possuindo flores com importncia ornamental secundria.

    Nome popular: LicuriNome cientfico: Syagrus coronataOrigem: Brasil, Norte de MG, Bahia, Sergipe, AlagoasCuriosidades: Muito utilizada nos locais de origem. O palmito, mesocarpo (polpa) e a amndoa so comestveis. As folhas fornecem cera. As amndoas fornecem leo. O endocarpo (casca de amndoa) usado no artesanato.

    Jardim rupestre (jardim seco)Vegetais: Orchidaceae (orqudeas), Bromeliaceae (bromlias), Begoniacea (begnias), Melastomataceae (orelha de urso) e Cactaceae (cactos).

  • [email protected]

    + 55 31 3571- 6 63 8

    roberto burle marx, brasileiro, foi um exmio desenhista, pintor, escul-tor, musicista e tambm paisagista. ele inovou o

    conceito de jardim, com um enfoque mais ecolgico, que respeita as diversas associa-es entre as plantas. ao priorizar o uso de espcies nativas, valorizou a diversidade re-gional. Um dos maiores paisagistas de todos os tempos, burle marx adotou em seus per-

    feitos jardins caminhos curvilneos e harmonia de cores e formas, denominados orgnicos. Visto de cima, os jardins mais se parecem ver-dadeiras obras de arte e reforam o conceito de que cada modalidade artstica tem uma maneira prpria de ser expressa. Usando sempre em seus projetos obras de arte ao ar livre, encantou a muitos e desper-tou respeito e admirao. De cada ngulo de seus jardins, tem-se uma viso diferente de um mesmo ambiente, inovando assim os con-

    ceitos passados, que eram simtricos.mesmo aps sua morte, burle marx influen-cia paisagistas e novos jardineiros. o trabalho paisagstico do mestre roberto burle marx a inspirao para ns, Jovens agentes ambien-tais, revitalizarmos o jardim da e.e. Paulina aluotto Ferreira.

    Roberto Burle Marx Jardim a adequao do meio ecolgico s exigncias naturais da civilizao.

    roberto burle marx 1908-1994Interao entre Jovens Agentes Ambientasi e jardineiros do Inhotim

    Incio dos trabalhos de interveno rea do jardim antes da interveno

    Foto

    : Div

    ulga

    o

    Jovens agentes ambientais / 2008

    educadores inhotim

    aline aparecida rodrigues Souzaana Luiza teixeira gomesbrbara bruna Fonseca menezesbianca ingrid da Silvabruno amorim CostaCamila moreira FernandesCamila oliveira CamposDione Fernandes Silvaedno marques de oliveira Junioreduarda Santana Silvaelaine oliveira motaFabrcio da Costa oliveiraFernanda de Cssia rodriguesFernando antonio Vieira Campos

    gebeard Junior Ferreiragibran Diasgraziele moreira Parreirashugo rafael Fagundesislander do Prado FerreiraJefferson Fernandes de JesusJssica maria FloresJoo antonio mendes PortoJunio Cesar da SilvaKamila raiane mendes goulartLais Fernanda mendesLarissa edwiges amanda da SilvaLeidiane maria de SouzaLorraine Pinto da Silva

    Luflvia bandeira de Souzamarcileia Lausina moraismarcos andr da Silva Dominguesmariana Carolina nascimentorafael Candido messiasraissa noemi Silva Diasrosany alves do CarmoStella roque arajothais de Ftima Silvathaiz Silva reisthaysmara de oliveiraUalisson alessandro da SilvaVictor hugo oliveira Santoswender de Souza Pedrosa

    adriel n. Diasanete teixeira Formiga eduardo Franco Frederico Sucupiragustavo Junqueira Ferraz Jos andr Verneck monteiro

    Karla Xaviermarcus Friche batista regina Paula benedetto de Carvalho rubens Custdio da mota.Shirley Cristina da Silvangelo mrcio Santos Silva Dir. de meio ambiente