tribuna do vale edição nº1807

Click here to load reader

Post on 29-Mar-2016

284 views

Category:

Documents

42 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

06 DE JANEIRO DE 2011

TRANSCRIPT

  • cmyb

    cyan magenta yellow black

    TRIBUNA DO VALE06 DE JANEIRO DE 2011 DIRETOR: BENEDITO FRANCISQUINI ANO XV - N0 1807 - R$ 1,00

    www.tribunadovale.com.br

    280 180Quinta-feira

    PG. A3

    Richa pretende economizar R$ 480 mi no primeiro ano

    GOVERNO

    PG. A3

    Romanelli garante que falta de recursos ser superada

    SECRETARIA

    PG. A4

    2011 ser o ano da construo e saneamento

    JACAREZINHO

    PG. A5

    Reunio da PM discute combate criminalidade

    SEGURANA

    PG. A6

    Depois de preso, acusado de matar pintor liberado

    S.A.PLATINA

    SADE

    S.A.PLATINA

    PROMOO

    SESA confirma epidemia de dengue em Jacarezinho

    Comerciria ganha caminho de prmios

    PG. A6

    PG. A8

    PG. A5

    Felipe Peres

    Aline Damsio

    Antnio de Picolli

    A Secretria Estadu-al de Sade (SESA-PR) confirmou ontem uma epidemia de Dengue em Jacarezinho e classi cou a situao como preocu-pante. No ano passado foram registradas 635 no-ti caes da doena, com 315 casos con rmados.

    De acordo com o Supe-rintendente de Vigilncia em Sade da SESA, Sezi-fredo Paz, outros quatro municpios paranaenses esto enfrentado epide-mia da doena: Londrina, Maring, Sarandi e Foz do Iguau. Para a secreta-ria, medidas de combate nessas localidades so

    prioridade zero. Os bairros de Jacare-

    zinho mais atingidos so Aeroporto, Nossa Senho-ra das Graas e Vila Leo. Neles se concentram cer-ca de 90% dos casos.

    O superintendente contou que pelo cres-cimento espantoso de casos no perodo de um ano, Jacarezinho foi uma das primei-ras cidades a receber ajuda. Disponibiliza-mos quatro caminhes e bombas costais para o combate do Aedes egypti em Jacarezinho, onde a situao alar-mante, diz.

    A comerciria Viviene Ju-liano, 20, foi a grande ganha-dora da Campanha de Natal 2010 da Associao Comercial e Empresarial de Santo An-tnio da Platina (Acesap). A jovem, que trabalha no caixa de uma papelaria da cidade, ganhou um caminho de pr-mios, que foi entregue na tarde de tera-feira.

    Viviane mora com os pais e vai guardar o presente para mobiliar a casa que vai divi-dir com seu futuro marido. O casamento ser em breve, segundo ela.

    Segundo a Acesap, o ca-minho de prmios continha moblia para dois quartos, cozinha, sala e lavanderia. Entre outros produtos, Viviene ganhou um jogo de sof, fogo, geladeira, armrio para cozi-nha e mquina de lavar roupa.

    Ainda esta semana, consumidores de Santo Antnio da Platina e re-gio j podem aproveitar as grandes liquidaes do comrcio varejista, com descontos de at 70% sobre o preo das etiquetas. Segundo os gerentes, os eletrodo-msticos, eletroeletr-nicos, mveis e celulares so os produtos mais procurados.

    Grandes liquidaes do varejo comeam esta semana

  • Impresso e Fotolito:Editora Jornal Tribuna do ValeFone/Fax : 43 3534 . 4114

    Editora Jornal Tribuna do Vale LTDACNPJ 01.037.108/0001-11

    Matriz: Rua Tiradentes 425, CentroSanto Antnio da Platina, PRFone/Fax: 43 3534 . 4114

    Circulao: Abati | Andir | Arapoti | Bandeirantes | Barra do Jacar |Cambar | Carlpolis | Conselheiro Mairink | Figueira|Guapirama | Ibaiti | Itambarac | Jaboti | Jacarezinho Jaguariava | Japira | Joaquim Tvora | Jundia do Sul | Pinhalo | Quatigu | Ribeiro Claro | Ribeiro do Pinhal | Santo do Itarar |Santana do Itarar |Santo Antnio da Platina | So Jos da Boa Vista | Sengs | Siqueira Campos |Tomazina | Wenceslau Brz

    * Os artigos assinados no representam necessariamente a opinio do

    jornal, sendo de exclusiva responsabilidade de seus respectivos autores.

    O Dirio da nossa regio - Fundado em agosto de 1995

    TRIBUNA DO VALEA-2 Opinio

    E D I TO R I A L

    Ningum incorpora to bem a fase de Joozinho Trinta mais do que Lula, de que pobre gosta de luxo; quem gosta de misria

    intelectual

    Pedro Cardoso A gura do suplente tornou-se um estelionato eleitoral. Eles no tm voto nem representati vidade para ocupar o cargoDirceu Cardoso

    C HARGE chargeonline.com.brHORRIO DE FECHAMENTO

    SANTO ANTNIO DA PLATINA

    22:10

    NESTA EDIO TEM

    PREVISO PARA HOJE

    12 PGINASCADERNO PRINCIPAL A 01 - 08- OPINIO A 02- POLTICA A 03- GERAL A 04- CIDADES A 05- COTIDIANO A 06- ESPORTES A 07- AGRONEGCIO A 08

    2 CADERNO B 01 - 04- GERAL B 01 - ATAS & EDITAIS B 02 - 03- SOCIAL B 04

    TRIBUNA DO VALE Representao:MERCONET Representao de Veculos de Comunicao LTDARua Dep. Atlio de A. Barbosa, 76 conj. 03 - Boa Vista - Curitiba PR

    Fone: 41-3079-4666 | Fax: 41-3079-3633Diretor Responsvel

    Benedito Francisquini - MTB 262/PRtribunadovale@tribunadovale.com.br

    tribunadovale@uol.com.br

    Vendas AssinaturaAnual R$ 150,00 Trimestral R$ 45,00Semestral R$ 90,00 On-line R$ 100,00

    Filiado a Associaodos Jornais Diriodo Interior do Paran

    A RTIGO

    Pedro Cardoso*

    280 180

    A RTIGO

    A RTIGO

    Dirceu Cardoso *

    Maria Aparecida Francisquini*

    Verdade seja dita

    Deputados mais caros do mundo

    Os ETs no Senado e no Governo

    Agora agora!

    Quinta-feira, 06 de janeiro de 2011

    Na guerra a primeira vtima a verdade. Hoje como ontem, e certamente amanh, certos setores da imprensa nativa se es-foraro para tornar atual a frase do senador norte-americano Hiram Johnson, proferida em 1917, por meio da qual se referia cobertura dos jornais de seu pas sobre a Primeira Guerra Mundial.

    No Paran j tem gente que, no af de agradar ao governador recm-empossado, aproveita o anncio de medidas administra-tivas corriqueiras para espicaar o desafeto Roberto Requio (PMDB), insinuando que a moratria de 90 dias ou a demisso de quase 4 mil servidores comissionados, determinadas por Beto Richa (PSDB), esto sendo efetivadas por conta de irregulari-dades do governo que sai. Nada mais falso.

    Em relao moratria, j se disse neste espao que se trata de mera atitude protelatria dos gastos - que tero de ser pagos - at que a nova equipe governamental se inteire de todos os assuntos do Estado. Enquanto isso prefeituras tero que aguardar a liberao de recursos j comprometidos, empresas que pres-taram ou prestam servios ao Governo amargaro prejuzos e, no nal das contas, o rio voltar ao seu curso normal.

    A demisso de comissionados - os chamados cargos de con ana, providos sem a necessidade de concurso pblico - medida que deveria ter sido adotada por Orlando Pessuti (PMDB) antes da virada do ano.

    Uma das leis da Fsica obedecidas pelos polticos e que at

    mesmo as araucrias do planalto conhecem a de que dois corpos no ocupam o mesmo espao a um s tempo. O tempo agora dos tucanos e seus correligionrios. Fosse o PT no go-verno e falaria-se em companheirada.

    Roberto Requio daqueles polticos que ou se ama, ou se odeia, no tem meio termo. Seus inimigos podem dizer o que quiserem, mas at o momento foram incapazes de comprovar qualquer tipo de envolvimento do ex-governador com as mara-cutaias to comuns em tantos governos destas terras brasileiras. Inventar, porm, no vale. E principalmente, no cola, se o assunto for corrupo com Requio.

    Nos prximos dias no faltaro aqueles que pregaro o m dos mundos em relao s nanas do estado do Paran, muitos deles interessados em vender o pouco que resta do patrimnio pblico. Espera-se do governador o cumprimento dos com-promissos assumidos na campanha, como a manuteno e o fortalecimento das empresas pblicas - Copel e Sanepar, por exemplo -, a manuteno dos programas sociais exitosos do governo - Luz Fraterna, Leite das Crianas, Tarifa Social da gua, entre tantos - e que a criatividade no trato com a coisa pblica supra as carncias oramentrias sem a necessidade de elevao da carga tributria.

    Ah, e se possvel, que a verdade no continue sendo assassi-nada todo santo dia. Caso contrrio, que ao menos seus algozes sejam identi cados e punidos.

    Eleio o processo democrtico pelo qual um grupo escolhe, por meio de votao, seu integrante para ocupar um cargo. A de nio, cons-tante dos dicionrios, verdadeira, mas infelizmente no contempla todo o conjunto dos ocupantes de cargos eletivos no Brasil. Atualmente, mais de 20 dos 81 senadores da Repblica so suplentes que no receberam votos e, cuja candidatura, o eleitorado desconhecia na poca das eleies. Cada senador da Repblica, ao eleger-se para o mandato de oito anos, leva dois suplentes como agregados que os substituiro nos seus impedimen-tos. No precisando aparecer ao eleitorado, os escolhidos so pai, lho, irmo, mulher ou nanciador da campanha do prprio senador, a maioria deles sem qualquer identi cao com o povo, o cargo que iro exercer e a poltica. Sendo longo o mandato, parte titulares morrem, outros so eleitos prefeitos de capitais, governadores de seus estados ou chamados para ser ministros, e o suplente torna-se titular. So os senadores clan-destinos, conforme bem de niu o ex-presidente da OAB, Cezar Britto, comparando-os aos binicos nomeados, nos anos 70, pelo regime militar.

    Mas, alm dos suplentes de senadores, existem os vices, que tambm se elegem sem receber votos. So um vice-presidente da Repblica, 27 vice-governadores dos Estados e do Distrito Federal e 5566 vice-prefeitos. Mesmo tendo s o compromisso de substituir o titular nos seus impe-dimentos, essa pequena multido de homens e mulheres ganha salrios e muitos deles so inteiramente desconhecidos do eleitor. Grande ironia para um pas que se orgulha de viver plena democracia. Como intepretar o princpio constitucional de que todo poder emana do povo e em seu nome exercido?

    At a chegada dos mil