pontifÍcia universidade catÓlica de sÃo paulo .anamnese ou entrevista inicial. a anamnese e a

Download PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO .anamnese ou entrevista inicial. A anamnese e a

Post on 16-Dec-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

PONTIFCIA UNIVERSIDADE CATLICA DE SO PAULO

PROGRAMA DE ESTUDOS PS-GRADUADOS EM

FONOAUDIOLOGIA

LINHA DE PESQUISA LINGUAGEM E SUBJETIVIDADE

Anlise de Discurso de Sujeitos Disfnicos

Discourse Analysis of individuals with Voice Disorders

CASTELLANO; Giuliana Bonucci; FREIRE, Regina Maria Ayres de Camargo.

Artigo publicado na Revista da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia, v.11,

p.43 - 51, 2006.

*Os autores declaram no haver nenhum tipo de conflito de interesses

RESUMO

Objetivo: Partindo-se da afirmao de que a voz humana vai alm do

resultado da articulao entre as estruturas vocal e diafragmtica, e que a

fisiologia do processo de fonao exclui o que singular ao sujeito, o objetivo

deste trabalho analisar o discurso de sujeitos com alteraes vocais, a fim de

propor uma leitura discursiva assentada sobre os sentidos, levando em conta

no s os dizeres, mas o que, muitas vezes, no manifestado pelo falante. O

fundamento terico para sua realizao foi a Anlise de Discurso de linha

francesa, utilizada como teoria e dispositivo de anlise, dando-se nfase,

particularmente, aos termos escuta e interpretao. Mtodos: Participaram da

pesquisa 5 (cinco) sujeitos em fila de espera de um hospital pblico localizado

no interior do estado de So Paulo, com sintomas de distrbios vocais. As

entrevistas foram gravadas em fita k - 7 e transcritas de forma ortogrfica

literal. Resultados: Os recortes discursivos analisados evidenciam a

prevalncia de um discurso em que emergem sintomas articulados a uma

doena orgnica, em uma relao de causalidade direta. Ou seja, o aspecto

mais significativo e caracterstico do que nomeamos discurso do disfnico a

objetivao da queixa por meio de uma descrio precisa de sinais associados

alterao de voz e a conseqente remisso desses sinais ao corpo.

Concluses: Foi possvel observar que as queixas pem mostra um sujeito

em sofrimento diante da disfonia, sujeito esse que este trabalho sugere que

deva ser considerado pelo fonoaudilogo em sua proposta de interveno.

DESCRITORES

Distrbios da Voz/psicoogia; Fonao; Entrevistas

ABSTRACT

Purpose: Admitting that human voice goes beyond the result of articulation

between vocal and diaphragmatic structures and that the physiology of

the phonation process excludes what is particular of an individual, the scope of

this study is to analyze the discourse of individuals with vocal disorders in order

to propose a discursive interpretation through the individual senses,

considering aspects which are not often verbalized by the patient. In this

manner, the Discourse Analysis of French Line was used as the basis for theory

and analysis giving special emphasis to listening and interpreting terms.

Methods: 5 (Five) individuals, with voice disorder symptoms, were interviewed

while waiting their turn in a public hospital, located in the countryside of So

Paulo state. The interviews were recorded on cassette tapes and fully

transcribed in a literal orthographic form. Results: The gathered data put into

evidence the prevalence of a discourse in which symptoms appear articulated

to an organic disease, in a direct cause relation; that is, the most significative,

typical aspect of which we name discourse of dysphonia is the purpose of the

complain through a precise description of symptoms associated to voice

disorders and consequent remission those symptoms to their bodily organisms.

Conclusions: It is clear that the complains show how discomfort individuals felt

about their voice disorder symptoms, an individual for which this work suggests

that the speech therapist consider in his intervention proposal.

KEYWORDS:

Voice disorders/psychology; Phonation; Interviews

INTRODUO:

A clnica fonoaudiolgica, qualquer que seja sua natureza, inaugura seu

contato com o paciente/cliente ou seus responsveis por meio de uma

anamnese ou entrevista inicial. A anamnese e a entrevista no apresentam a

mesma configurao, o que indica a presena de diferentes concepes de

clnica e, portanto, diferentes propostas metodolgicas subjacentes estrutura

de cada um destes procedimentos.

A anamnese o procedimento inaugural da clnica mdica e seu

objetivo obter informaes para, juntamente com o exame fsico, chegar ao

diagnstico da doena. Da mesma forma que o mdico, o fonoaudilogo faz a

anamnese para coletar dados sobre o paciente e, aps o exame, chega ao

diagnstico que, nesta clnica, reduz-se reapresentao da queixa inicial do

paciente transcrita no lxico especfico da rea(1). A prtica inicial da

Fonoaudiologia, pela prpria herana da clnica mdica clssica, foi inspirada

por uma postura na qual atos clnicos so voltados para a correo da fala, a

partir da identificao do distrbio, visando o restabelecimento do estado dito

de "normalidade" do corpo, do ponto de vista orgnico(2). Nesta proposio, o

importante buscar as informaes que possam justificar a alterao de fala

como produto da anatomia e da fisiologia do indivduo, de forma que os

distrbios so entendidos sistematicamente como alteraes fisiopatolgicas. A

fala do paciente tomada como meio de informao, acesso aos sinais e

sintomas que articulam o distrbio presente s alteraes no corpo biolgico.

Tais informaes, nesta clnica, freqentemente remetem a uma deciso

quanto ao diagnstico e s condutas de orientao e tratamento. Dessa forma,

sendo a doena seu objetivo, o sujeito desaparece e do seu dito selecionado

aquilo que convm ao fechamento do diagnstico e conseqente

teraputica(3,4).

A entrevista o procedimento inaugural privilegiado pela clnica

psicolgica e objetiva a coleta de informaes a respeito do comportamento do

paciente, porm, mesmo na entrevista do psiclogo, em que o paciente visto

de forma mais integrada, a clnica ainda desenvolvida em uma perspectiva da

verificao, influncia do positivismo, da tradio mdica, pois ambas ainda se

detm na evidncia, no aparente, seja dos sinais e sintomas, seja do

comportamento(4).

Tanto em uma quanto em outra vertente, a linguagem no

compreendida enquanto constituio histrico-social de uma subjetividade, a

linguagem o distrbio, ou d acesso a este, sendo tomada em sua

literalidade, enquanto meio de verbalizao dos sintomas.

na dcada de 90 que o procedimento inaugural da clnica a

entrevista/anamnese comea a ser problematizada por alguns autores que, a

partir de reflexes sobre a constituio da clnica fonoaudiolgica no mbito do

seu mtodo clnico, a colocam como um momento em que o discurso do

paciente adquire um sentido singular, particular, significante para a

compreenso do sujeito em sua histria interacional e na manifestao de sua

alterao.

Nesta concepo de entrevista, ao contrrio da clnica tradicional, h um

processo de interpretao que promove uma localizao subjetiva. A

possibilidade de observar e escutar o dizer e o no-dito do paciente na

entrevista que permite a anlise e a interpretao da fala. Para que este

objetivo seja atingido, h necessidade de o fonoaudilogo se instrumentalizar

por uma teoria que lhe d acesso a essa escuta diferenciada(4).

No objetivo deste trabalho discutir as diferenas ou escolher um

nome consensual para se referir a este momento de primeiro contato com o

paciente. Todas as teorias, evidentemente, apresentam contribuies clnica

fonoaudiolgica, na medida em que, de seus lugares tericos, opera alguma

forma de circunscrio, neste caso, da disfonia. A proposta ver a disfonia no

como sintoma orgnico, mas, partindo de uma teoria da Lingstica, que inclui,

necessariamente, o sujeito, tom-lo como falante, ou seja, como submetido

ordem simblica, na qual os sintomas pedem interpretao, sentido,

significao e apontam para a presena deste sujeito.

A Anlise de Discurso vem sendo utilizada de forma crescente pela

Fonoaudiologia com vistas a problematizar a atuao fonoaudiolgica no que

diz respeito ao seu mtodo clnico, discutindo questes sobre sintoma, escuta,

interpretao, discurso, dentro de uma perspectiva que faceia ideologia e

subjetividade.

Em estudo para levantar os sentidos da noo risco no discurso de trs

mes que tiveram seus filhos prematuros internados e que participaram do

acompanhamento fonoaudiolgico aps alta hospitalar, observou-se a

ocorrncia de um discurso ideologicamente marcado pela medicina, ou seja,

caracterizado pelo levantamento de sintomas, discurso ao qual as mes so

submetidas quando do nascimento de um beb prematuro(5). Um outro estudo

configurou-se com o objetivo de analisar o discurso de um sujeito com

alteraes vestibulares para identificar os sintomas que ali se presentificavam,

de forma a apontar relaes de implicao entre tontura e subjetividade

discursiva, permitindo circunscrever a tontura como manifestao que

ultrapassa os limites do que relativo ao corpo(6).

Ambos os estudos so de grande importncia para a Fonoaudiologia

porque confirmam o papel primordial do levantamento de dados sobre

deter

Recommended

View more >